• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Equatorial fullbanner
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Roda Viva

Sem investimentos

Leia a coluna Roda Viva desta quinta-feira.

08/05/2019 17:10h

Sem investimentos

Os investimentos públicos no país tiveram um recuo de 13,3% entre os anos de 2016 e 2017, passando de R$ 92,7 bilhões para R$ 80,3 bilhões. Divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o dado é da Conta Intermediária de Governo, e analisa as contas dos governo federal, estaduais e municipais. De acordo com o IBGE, a queda foi puxada pelo recuo de 40% dos investimentos de governos municipais. Os governos federal e estaduais tiveram altas de 0,9% e de 8,8%, respectivamente. Em 2017, a necessidade de financiamento dos governos chegou a R$ 551,3 bilhões, ou seja, 8,4% do Produto Interno Bruto (PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país). Já no ano de 2016 a necessidade de financiamento ficou em 7,2% do PIB. A necessidade de financiamento ocorre quando as despesas são maiores do que as receitas públicas. Por outro lado, quando as receitas são maiores que as despesas, o Estado passa a ter capacidade de investimento. O ano de 2019 pode, então, servir como uma vitrine para o novo governo, liderado na área econômica pelo ministro Paulo Guedes. Após sucessivos anos de crise, está na hora de o país encontrar um caminho para a retomada do crescimento, e os investimentos públicos, embora não sejam o único, são um dos principais motores que fazem a economia andar. 

"O objetivo é tirar as dúvidas dos parlamentares e aumentar a integração entre o Legislativo e o Executivo. Queremos um orçamento que espelhe a realidade nacional e não um orçamento fictício" - o senador Marcelo Castro (MDB), após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que deve comparecer nesta quinta-feira (9) à Comissão Mista de Orçamento, presidida pelo parlamentar piauiense. Na foto, além de Guedes e Castro, também estão o deputado federal Domingos Neto (PSD-CE) e o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).

Corregedoria atenta

Em ofício encaminhado à redação d'O DIA, o delegado Emir Maia Martins Neto, corregedor-geral de Polícia Civil, afirmou que o órgão sob seu comando "recebe e apura toda e qualquer denúncia em face de policiais civis que, porventura, venham a praticar infrações de ordem administrativa ou penal". A manifestação de Emir foi uma resposta à publicação - pelo portal e pelo jornal O DIA - da notícia sobre o caso de dois motoristas de transporte privado por aplicativo que foram abordados por engano por policiais à paisana, na noite da última segunda-feira (6).

Mobilização parlamentar

O deputado estadual Francisco Limma (PT), líder do governo na Assembleia Legislativa, convocou os parlamentares do Piauí a se manifestarem publicamente contra os bloqueios orçamentários anunciados pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) para a área da educação. Limma propôs a realização de uma audiência pública para discutir o atual cenário do ensino superior no Brasil, bem como as possíveis consequências dos cortes para o setor. “Vamos convidar todos os deputados, reitores e entidades de servidores, bem como toda a comunidade acadêmica. E encaminhar documentos ao presidente Jair Bolsonaro e aos parlamentares federais”, afirma o deputado.

Associados do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Teresina (Sinduscon) estiveram reunidos com Marcos Kahtalian, diretor da BRAIN (Bureau de Inteligência Corporativa), empresa de inteligência estratégica, pesquisa e consultoria em negócios, com atuação nacional. Ele apresentou a sistemática para o levantamento do Índice de Velocidade de Vendas (IVV), que será feito na capital, focado no setor construtivo. Marcos Kahtalian tirou as dúvidas dos construtores e mostrou a metodologia do cálculo do IVV, que, entre outros aspectos, tem o objetivo de aferir os negócios de imóveis novos residenciais e comerciais em Teresina, verificando, por exemplo, se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas.


Deixe seu comentário