• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
Roda Viva

Diálogo e educação financeira

Leia a coluna Roda Viva desta quarta-feira.

03/04/2019 08:54h - Atualizado em 02/04/2019 19:48h

Diálogo e educação financeira

Pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB), aponta que no país há um grande número de pessoas que costumam conversar sobre as finanças familiares. De acordo com o levantamento, 85% dos entrevistados conversam em casa sobre o orçamento, sendo que metade (51%) discute com frequência – número que cresceu 7 pontos percentuais em relação ao ano passado. Outros 21% disseram tratar sobre o assunto apenas quando a situação financeira não está boa. Além disso, 15% assumem não tocar no assunto em nenhum momento. Considerando a forma como os rendimentos da família são organizados, 51% mantêm os ganhos em contas separadas, com cada um administrando suas finanças individualmente. Outros 25% possuem conta conjunta, envolvendo todo o rendimento da família, e em 19% dos casos cada familiar separa parte dos rendimentos para guardar na conta única da família e faz o que quiser com o restante do seu dinheiro. Quando se observa como os casais pensam no que se refere à reserva financeira da família, 23% dos entrevistados afirmaram nunca ter sobras no orçamento familiar, e o dinheiro sempre é direcionado para o pagamento de contas básicas. Em 17% dos casos, quando há sobras, esse recurso é destinado para uso pessoal — percentual que sobe para 23% entre os mais jovens. Para outros 17%, o dinheiro fica guardado para gastos do mês seguinte, enquanto 15% direcionam para poupança ou algum tipo de investimento pessoal, e 15% guardam o valor que sobra em um investimento da família. Ainda de acordo com o estudo, 79% dos brasileiros que moram com familiares tomam decisões sobre os gastos em conjunto com todos da casa. Já 21% afirmam que a última palavra cabe a um único morador. No que diz respeito ao uso do próprio dinheiro no dia a dia, 91% disseram tomar as próprias decisões.

Após o convite do presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil Felipe Santa Cruz, o advogado piauiense Ézio Amaral irá compor a Comissão Especial de Defesa do Consumidor da instituição. A comissão tem atuação em âmbito nacional.

Flávio na CPI do BNDES

O deputado federal Flávio Nogueira integra a Comissão Parlamentar de Inquérito que irá investigar se houve irregularidades em atos praticados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre os anos de 2003 e 2015. O parlamentar disse que o colegiado vai investigar se o banco privilegiou um grupo de empresas nos investimentos.

Imprensa e processo democrático

Neste último fim de semana o deputado federal, Marcos Aurélio Sampaio (MDB), participou como palestrante do I Colóquio Amazônico de Direito. O tema da palestra foi “A efetividade do Poder Legislativo e a influência da imprensa no processo democrático”. “Lembramos casos históricos de grande mobilização popular e midiática que influenciaram nos rumos da nossa democracia, e destacamos como a era das mídias sociais revolucionou o diálogo e a interação da sociedade com seus representantes. Defendemos sempre uma imprensa livre, de acordo com nossa Constituição”, afirmou o parlamentar.

O suplente de deputado estadual Tiago Vasconcelos (PSD) vive a expectativa de assumir o comando da Superintendência do Incra no Piauí. Indicado pelo deputado federal Júlio César (PSD), o currículo de Tiago já foi aprovado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “O nosso perfil foi para Brasília e já foi aprovado por todas as linhas de averiguação de dados pessoais. Estamos aguardando apenas a nomeação, que deve acontecer em breve”, informou o ex-vereador.


Deixe seu comentário