• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia
Roda Viva

Crediário segue vivo

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

30/07/2019 08:49h - Atualizado em 29/07/2019 20:04h

Crediário segue vivo

Um levantamento realizado nas 27 capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que três em cada dez brasileiros (30%) fizeram uso de crediário (carnê, boleto a prazo ou cartão para compras exclusivas em uma loja) nos últimos 12 meses. Dentre os que recorreram a essa modalidade, 26% a utilizaram todos os meses. Outros 31% a cada dois ou três meses e 31% a usaram três vezes ou menos no ano. A falta de condições para realizar o pagamento à vista em dinheiro foi o principal motivo que levou os entrevistados a buscar o crediário nesse período (35%), principalmente entre as pessoas de renda mais baixa (40%). Outros 25% viram vantagem na pouca burocracia exigida pelos estabelecimentos comerciais – número que aumentou em 12 pontos percentuais em relação ao ano anterior. Já 20% das pessoas ouvidas optaram pelo crediário com a estratégia de fazer mais compras, opção que cresceu oito pontos percentuais em um ano. Ainda de acordo com a pesquisa, a possibilidade de parcelar o valor das compras foi a principal vantagem apontada por 30% dos usuários de crediário, enquanto 19% veem vantagem em fazer compras mesmo não tendo dinheiro e 15% em ter prazos maiores para pagamento das aquisições. Mas o educador financeiro José Vignoli, do SPC Brasil, alerta que os consumidores precisam ter cuidado para não exagerar nas compras usando o crediário, recomendação que é válida para todas as modalidades de crédito. “Pagar no crediário permite que a pessoa adquira uma maior quantidade de itens e se comprometa com uma prestação mais acessível, dentro dos limites do orçamento mensal. O problema é que essa facilidade pode favorecer o consumo impulsivo e até mesmo o descontrole nas compras. Então, é essencial refletir sobre a real necessidade de cada item e fazer as contas para saber se a parcela, ainda que de valor baixo, não irá comprometer o pagamento de outras despesas já assumidas a cada mês”, afirma Vignoli.

O inspetor Fabrício Loiola foi nomeado chefe da 1ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal na cidade de Teresina. Fabrício já atuou no Núcleo de Comunicação da PRF no Piauí, na Assessoria de Comunicação Social do órgão em Brasília, na Corregedoria, no Núcleo de Operações Especiais e na Seção de Operações da PRF no Piauí.

Atendimento

A Unidade Integrada de Saúde do Mocambinho, que compõe a rede estadual de saúde, atendeu 461 pessoas só nos primeiros meses deste ano. No total foram 272 internações masculinas e 189 femininas. Os serviços da unidade funcionam 24 horas por dia.

Ensino técnico

A rede de ensino técnico particular Grau Técnico inaugura na quarta-feira (31), às 18h30, a primeira unidade no Piauí. Com capacidade para 3 mil alunos, a instituição funcionará em frente ao prédio central do IFPI, e oferecerá, inicialmente, os cursos técnicos de administração, análises clínicas, eletrotécnica, enfermagem, farmácia e radiologia. O Grau Técnico existe há 11 anos e conta com mais de 46 mil alunos ativos em todas as regiões do Brasil.

Foto: Moura Alves / Arquivo O DIA

"O impacto do Mais Médicos foi extremamente favorável no interior do Piauí, principalmente nessas regiões que nunca tinham visto um médico. Esse investimento na saúde básica, na prevenção, através da alimentação, através dos primeiros cuidados, enfim, tudo isso teve uma repercussão muito favorável na saúde no interior do estado do Piauí. E havia uma preocupação com o término dese programa. Então, esse aceno do Governo Federal no sentido de retomar o programa, revitalizar, mesmo que com outro nome, isso pra mim é uma notícia muito alvissareira. O interior do Piauí precisa desses profissionais. Nós precisamos descentralizar cada vez mais a saúde. Primeiro com essa saúde básica, depois com especialistas, interiorizar e fazer com que as pessoas possam se cuidar mais perto de casa. É extremamente importante. A prevenção derruba custos e faz com que a saúde seja mais eficiente" - a deputada federal Margarete Coelho, comemorando a indicação de que o Governo Federal vai manter vivo o programa "Mais Médicos", porém, com outro nome: "Médicos pelo Brasil". 


Deixe seu comentário