• Enem
  • Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Notícias Roda Viva

03 de abril de 2019

Diálogo e educação financeira

Leia a coluna Roda Viva desta quarta-feira.

Diálogo e educação financeira

Pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB), aponta que no país há um grande número de pessoas que costumam conversar sobre as finanças familiares. De acordo com o levantamento, 85% dos entrevistados conversam em casa sobre o orçamento, sendo que metade (51%) discute com frequência – número que cresceu 7 pontos percentuais em relação ao ano passado. Outros 21% disseram tratar sobre o assunto apenas quando a situação financeira não está boa. Além disso, 15% assumem não tocar no assunto em nenhum momento. Considerando a forma como os rendimentos da família são organizados, 51% mantêm os ganhos em contas separadas, com cada um administrando suas finanças individualmente. Outros 25% possuem conta conjunta, envolvendo todo o rendimento da família, e em 19% dos casos cada familiar separa parte dos rendimentos para guardar na conta única da família e faz o que quiser com o restante do seu dinheiro. Quando se observa como os casais pensam no que se refere à reserva financeira da família, 23% dos entrevistados afirmaram nunca ter sobras no orçamento familiar, e o dinheiro sempre é direcionado para o pagamento de contas básicas. Em 17% dos casos, quando há sobras, esse recurso é destinado para uso pessoal — percentual que sobe para 23% entre os mais jovens. Para outros 17%, o dinheiro fica guardado para gastos do mês seguinte, enquanto 15% direcionam para poupança ou algum tipo de investimento pessoal, e 15% guardam o valor que sobra em um investimento da família. Ainda de acordo com o estudo, 79% dos brasileiros que moram com familiares tomam decisões sobre os gastos em conjunto com todos da casa. Já 21% afirmam que a última palavra cabe a um único morador. No que diz respeito ao uso do próprio dinheiro no dia a dia, 91% disseram tomar as próprias decisões.

Após o convite do presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil Felipe Santa Cruz, o advogado piauiense Ézio Amaral irá compor a Comissão Especial de Defesa do Consumidor da instituição. A comissão tem atuação em âmbito nacional.

Flávio na CPI do BNDES

O deputado federal Flávio Nogueira integra a Comissão Parlamentar de Inquérito que irá investigar se houve irregularidades em atos praticados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre os anos de 2003 e 2015. O parlamentar disse que o colegiado vai investigar se o banco privilegiou um grupo de empresas nos investimentos.

Imprensa e processo democrático

Neste último fim de semana o deputado federal, Marcos Aurélio Sampaio (MDB), participou como palestrante do I Colóquio Amazônico de Direito. O tema da palestra foi “A efetividade do Poder Legislativo e a influência da imprensa no processo democrático”. “Lembramos casos históricos de grande mobilização popular e midiática que influenciaram nos rumos da nossa democracia, e destacamos como a era das mídias sociais revolucionou o diálogo e a interação da sociedade com seus representantes. Defendemos sempre uma imprensa livre, de acordo com nossa Constituição”, afirmou o parlamentar.

O suplente de deputado estadual Tiago Vasconcelos (PSD) vive a expectativa de assumir o comando da Superintendência do Incra no Piauí. Indicado pelo deputado federal Júlio César (PSD), o currículo de Tiago já foi aprovado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “O nosso perfil foi para Brasília e já foi aprovado por todas as linhas de averiguação de dados pessoais. Estamos aguardando apenas a nomeação, que deve acontecer em breve”, informou o ex-vereador.

02 de abril de 2019

3 mil na malha fina

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

3 mil na malha fina

A Receita Federal informou que, até esta segunda-feira (1º), 72 mil declarações haviam sido apresentadas no estado. Desse total, aproximadamente 3 mil ficaram na malha fiscal, popularmente chamada de "malha fina". A partir deste ano, no dia seguinte ao do envio da declaração o resultado do seu processamento já está disponível, e, dessa forma, o contribuinte pode conferir se caiu na malha fiscal. Segundo a Receita, os principais motivos que fazem com que o contribuinte fiquem com pendências são: a omissão de rendimentos e a não comprovação de despesas com saúde declaradas. O "Leão" alerta que qualquer erro no preenchimento, inclusive de centavos, já é motivo para que o declarante caia na malha fina. "Só devem ser declaradas despesas que possam ser comprovadas, e os valores informados pelas fontes pagadoras ou recebedoras devem estar de acordo com os que o contribuinte declarou", destaca a Delegacia da Receita Federal em Teresina. O prazo para entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física vai até o dia 30 de abril.


O deputado estadual Georgiano Neto (PSD) procurou o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER-PI), José Dias de Castro Neto, para pedir uma solução para o trecho urbano da rodovia BR 316 em Teresina, que dá acesso à cidade de Demerval Lobão. No último final de semana, ganhou repercussão nas redes sociais e nos aplicativos de mensagens um vídeo que mostra um protesto realizado por populares contra o péssimo estado da rodovia. Os manifestantes  levaram cartazes com críticas ao Governo do Estado e colocaram plantas em alguns dos inúmeros buracos que existem no trecho da BR. "O gestor ordenou, de imediato, que a construtora Hidros, que tem o contrato de conservação e manutenção das estradas da região da Grande Teresina, realize a operação tapa-buracos emergencialmente. E disse também que nos próximos dias a pasta estará pagando uma das medições em aberto que tem com a construtora Sucesso, o que permitirá que a obra de duplicação seja retomada nos próximos dias", afirmou Georgiano após a reunião com Castro Neto.

Supervisor

O desembargador Edvaldo Pereira de Moura é o novo supervisor-geral dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Estado do Piauí. A posse aconteceu nessa segunda-feira (1º). Dentre as prioridades do novo supervisor estão: a criação do anexo do JECC da Fazenda Pública, na comarca de Teresina, e a regionalização das turmas recursais para polos como Piripiri, Floriano, Picos e Bom Jesus.

Publicidade enganosa

O Idec, ONG de Defesa do Consumidor, lançou o site do "OPA" - Observatório de Publicidade de Alimentos -, para fortalecer o direito dos consumidores e apoiar as autoridades competentes na identificação de publicidades abusivas ou enganosas de alimentos. O lançamento foi feito em 1º de abril por ser o "Dia da Mentira", fazendo alusão às enganações presentes em diversas publicidades de alimentos. Por meio da plataforma do OPA, todo cidadão aprende a identificar e pode denunciar qualquer tipo de publicidade abusiva ou enganosa (em TV, internet, rótulos, eventos, etc) que não esteja respeitando o CDC (Código de Defesa do Consumidor) ou outras regras destinadas a proteger o consumidor.

O vereador Edilberto Borges Dudu (PT) foi até o Posto de Saúde do povoado Taboca do Pau Ferrado para denunciar que o local só funciona de 8 às 10 horas da manhã, permanecendo fechado durante todo o resto do dia, bem como aos sábados e domingos. Segundo o petista, a denúncia foi feita pelos próprios moradores da comunidade, e o parlamentar comprovou que a informação era verdadeira durante visita ao local no último sábado, 30 de março. "Infelizmente, nos deparamos com essa triste realidade. A prefeitura não oferece serviços de qualidade à população. Os postos de saúde, que deveriam atender as necessidades da região, encontram-se com as portas fechadas. Sem falar a falta de acessibilidade. Isso é algo inadmissível. A população clama por providências imediatas", protestou o parlamentar.

01 de abril de 2019

Caminho sem volta

Leia a coluna Roda Viva desta segunda-feira.

Caminho sem volta

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, afirmou na última semana que a institucionalização e o amadurecimento do Estado brasileiro têm fortalecido o combate á corrupção no país. Segundo o ministro, algumas medidas foram essenciais para este cenário de redução da impunidade, observado nos últimos anos, como a criação de leis que aprimoraram as investigações de corruptos e a tipificação de crimes praticados por organizações criminosas. "Não é que mudou a percepção da sociedade em relação à corrupção, é que o Estado se institucionalizou para poder combatê-la. Um exemplo é que durante todo o período entre a Constituição de 1824 e a Emenda Constitucional nº 35, de 2001, éramos impedidos por lei de processar e julgar membros do Poder Legislativo acusados de corrupção se não tivéssemos autorização da Casa Legislativa à qual pertencesse o político”, afirmou o ministro, para ilustrar o conjunto de dificuldades de natureza institucional que a missão de punir corruptos historicamente enfrentou no país. A sociedade brasileira exige que este seja um caminho sem volta, e é preciso que, mais do que nunca, todos fiquem em estado de alerta, pois já há em curso no Congresso Nacional movimentações destinadas a enfraquecer essas ferramentas de combate à corrupção. Atacar o Supremo Tribunal Federal e seus ministro é uma demonstração disso. 

Na noite dessa sexta-feira (29), o senador Marcelo Castro (MDB) esteve reunido com o governador Wellington Dias (PT) e com o presidente do grupo RISA, José Gorgen, o ‘Zezão’. Na pauta, foram discutidas as estratégias e prioridades para fortalecer a produção de soja na região dos cerrados piauiense, bem como para facilitar o escoamento de safra. Além da melhoria de infraestrutura e construção de estradas, foram destacadas ainda a necessidade de regularização fundiária, de redução de impostos e a maior fiscalização na área da comercialização da produção. “O Zezão é o maior produtor de grãos do Piauí e Maranhão, então é um orgulho para nós o ter aqui no estado ajudando no nosso desenvolvimento. Ele trouxe as demandas do setor produtivo dos cerrados. Muita coisa já foi feita, mas evidentemente que precisa fazer mais ainda. Estamos empenhados em dar esse suporte para que o Piauí continue sendo esse orgulho na produção nacional”, disse Castro.

Representação contra juíza

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, determinou que a Corregedoria-Geral de Justiça do Tribunal Regional Federal da 4ª Região apure a representação formulada pela deputada federal Gleisi Hoffman, presidente do Partido dos Trabalhadores, e mais 12 parlamentares do PT e uma parlamentar do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) contra a juíza federal substituta da 13ª Vara Criminal de Curitiba Gabriela Hardt. Os parlamentares apresentaram reclamação disciplinar contra a magistrada questionando a competência de Hardt para homologar o acordo de Assunção de Compromissos firmado entre o Ministério Público Federal e a Petrobrás, o qual possui como objeto o pagamento e destinação de quantia proveniente de acordo celebrado entre a estatal com autoridades norte-americanas.

Armadilha na escola

Sobre a denúncia, enviada ao portal O DIA, de que funcionários de uma escola municipal de Nazária teriam colocado um fio energizado ligado a um basculante para servir como armadilha e evitar furtos de alimentos, a prefeitura da cidade enviou uma nota por meio da qual afirma que "não foi dada nenhuma orientação à Escola Municipal Lídia Ribeiro de Carvalho para o uso de fio energizado como medida antirroubo. A ação foi isolada e não condiz com o trabalho da direção da escola. O funcionário responsável já foi identificado e responderá administrativamente".

A equipe do gabinete itinerante da Corregedoria-Geral da Justiça vem percorrendo as comarcas com maior número de processos parados para dar celeridade e garantir mais produtividade ao Poder Judiciário. Nas primeiras cidades por onde passou, a equipe composta por sete técnicos e um juiz de direito conseguiu despachar mais da metade dos expedientes que estavam há mais de 100 dias parados. Em São Pedro do Piauí, foram mais de 70% dos processos despachado. Na foto, a equipe com o juiz e servidores de São Pedro do Piauí. Da esquerda pra direita: Carlos Wilson, Jorge Alan, Julyanna Campos, Lucas Puty, Thayná Gomes, Raimundo Sayllon, Romulo Ribeiro, juiz Silvio Valois, juiz de São Pedro Raniere Sucupira, Lorran Bastos, Rafael Uchôa e Yaggo Emanuel.

30 de março de 2019

Inadimplência desacelera, mas ainda assusta

Leia a coluna Roda Viva deste fim de semana.

Inadimplência desacelera, mas ainda assusta

O número de empresas com contas em atraso e registradas no cadastro de inadimplentes cresceu 5,02% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2018. embora o ritmo de alta tenha perdido força em todas as regiões do país. Os dados são da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O levantamento também aponta que o número de dívidas contraídas em nome de pessoas jurídicas avançou 1,84% na comparação anual. Além disso, cada empresa devedora continua acumulando, em média, duas pendências financeiras. De acordo com o Indicador de Inadimplência das Empresas, o maior crescimento quanto ao número de empresas negativadas foi observado no Sudeste, com alta de 8,65%. No Sul chegou a 2,99%, no Centro-Oeste, a 1,54%, e no Nordeste, a 1,31%. Já o Norte houve uma pequena queda nesse índice: -0,03%. Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a desaceleração observada no crescimento da inadimplência é reflexo de uma melhora gradativa no faturamento de alguns setores da economia, bem como das taxas de juros mais baixas que têm sido praticadas no país. 

Foto: Gabriel Paulino 

Ao tomar posse como secretário de Segurança Pública do Piauí, em solenidade realizada nesta sexta-feira (29), no Palácio de Karnak, o capitão Fábio Abreu disse que, em sua nova gestão à frente da pasta, os investimentos em tecnologia e em inteligência serão priorizados. "O uso da tecnologia e da inteligência será o principal mote dessa gestão. Nós vamos criar aplicativos e outras alternativas na tecnologia, além de potencializar a inteligência, que vai receber boa parte dos recursos de que vamos dispor, sejam recursos da própria secretaria [de Segurança], provenientes do Ministério da Justiça ou de parcerias com a Secretaria de Justiça", afirmou o deputado federal licenciado.

Residências médicas 

A Comissão Nacional de Residência Médica, do Ministério da Saúde, aprovou a continuidade do programa de residências médicas do Hospital Getúlio Vargas (HGV). A decisão foi tomada durante reunião realizada na última quinta-feira (28), em Brasília, com a presença do secretário estadual da Saúde, Florentino Neto, do reitor da Universidade Estadual do Piauí, Nouga Cardoso, da diretora-geral do HGV, Fátima Garcez, e da coordenadora do Comissão Estadual das Residências Médicas, Jozêlda Duarte. Para conseguir a manutenção das residências médicas do HGV, o governo incluiu o pagamento dos bolsistas na folha de pagamento do serviço público estadual. Em fevereiro, a Comissão Nacional decidiu pelo descredenciamento do programa de residências médicas, dando um prazo para que o governo apresentasse uma solução para regularizar o pagamento dos residentes.

Mobilidade urbana

O Rotary Club de Teresina Piçarra convidou o prefeito Firmino Filho para participar da reunião semanal do clube e falar sobre a mobilidade urbana na capital. O gestor discorreu sobre a expansão da cidade, fez uma explanação sobre o Plano de Ordenamento Territorial de Teresina, sobre o Plano Diretor Transporte e Mobilidade Urbana, e citou os novos projetos e investimentos que serão realizados pela PMT nesta área.


Aliviado, o deputado federal Merlong Solano (PT) fez a entrega simbólica da chave da Secretaria de Governo ao seu sucessor, o ex-deputado Osmar Júnior (PCdoB), que ressurge com força na política piauiense, quatro anos após deixar a Câmara Federal. 

29 de março de 2019

Não vale mentir

Leia a coluna Roda Viva desta sexta-feira.

Não vale mentir

Em depoimento prestado à CPI de Brumadinho, o presidente afastado da mineradora Vale, Fábio Schvartsman, afirmou que nunca havia chegado a ele nenhuma informação que apontasse para o risco de rompimento da barragem da Mina do Feijão, localizada na cidade mineira. “No caso de Brumadinho, posso afirmar categoricamente, que nunca chegou a mim nenhuma denúncia, nem pelos canais oficias da empresa, nem uma denúncia anônima”, declarou Schvartsman, na CPI, que foi instalada no Senado Federal com o objetivo de investigar as causas e os responsáveis pela tragédia que matou cerca de 300 pessoas. Sobre o fato de a área administrativa ter sido construída abaixo da barragem, o que aumentou expressivamente o número de vítimas, o ex-executivo da companhia declarou que teria feito as mudanças necessárias, caso soubesse que a situação representava riscos a centenas de funcionários. É preciso ser muito ingênuo para acreditar nas palavras do presidente afastado da mineradora. As investigações feitas até o momento já demonstraram com segurança que a companhia sabia, sim, que a barragem de Brumadinho estava com sua estrutura fragilizada. E não precisa ser do setor de mineração para concluir que o potencial de danos é infinitamente maior em barragens onde as instalações destinadas aos funcionários ficam a jusante, ou seja, no caminho por onde ocorre o escoamento de todo o líquido represado, em casos de ruptura. Fingir que não sabia dos problemas em Brumadinho, exatamente quando pelo menos outras três barragens da Vale apresentam riscos de rompimento, é um total desrespeito com as vítimas da tragédia, com suas famílias e com todos os brasileiros. 

Na noite da última quarta-feira (27), o ministro Osmar Terra, da Cidadania, autorizou que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) promova a distribuição de cestas básicas às famílias que foram desalojadas de suas casas em Parnaíba, por conta das fortes chuvas. A ação foi solicitada pelo deputado federal Flávio Nogueira (PDT), que também protocolou requerimento pedindo que o Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional, aloque recursos do orçamento para ações de defesa civil na cidade piauiense.

Energia segue ruim

A deputada estadual Teresa Britto (PV) esteve, nesta quinta-feira (28), em audiência com o diretor de operações da Cepisa Equatorial, Cosme Cezário. Na pauta, investimentos para a melhoria do fornecimento de energia para o município de Palmerais. “A cidade sofreu muito no período do Carnaval com longos períodos sem energia, e isso prejudica cidadãos, empresas, serviços públicos e vários outros setores. Estamos cobrando melhorias emergenciais da Cepisa Equatorial, no sentido de reforçar o sistema que abastece aquela região”, comenta Teresa Britto.

Voto em Ibaneis

O deputado Themístocles Filho declarou que ele e seu filho, o deputado Marcos Aurélio Sampaio, votarão em Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, para presidir o diretório nacional do MDB, caso ele seja de fato candidato. "Eu acho que há uma possibilidade real de ele assumir o comando do nosso partido. Eu não só trabalho como votarei nele, e o deputado Marcos Aurélio também votará, se ele for candidato", garantiu o presidente da Asembleia Legislativa do Piauí. Ibaneis nasceu em Brasília, mas passou toda sua infância e parte da adolescência no município de Corrente, sul do Piauí.

Foto: Elias Fontinele / O DIA

"Os cargos são de livre nomeação do governador do estado. Não tem esse negócio de quem teve mais voto, quem trabalhou mais, quem trabalhou menos. Isso vai depender do governador. Todo mundo sabe, é público e notório que o PT tem mais de 80% dos cargos no Governo do Estado [...] No momento certo o governador vai nos chamar e nós vamos conversar com ele. O MDB ajudou [na campanha] e nós votamos no governador" - o deputado estadual Themístocles Filho (MDB), rebatendo o deputado Francisco Limma (PT), que defendeu que Wellington forme seu secretariado levando em consideração como principal critério o quanto cada partido da base aliada se empenhou na campanha de 2018.

28 de março de 2019

BNDES lucra R$ 6,7 bi

Leia a coluna Roda Viva desta quinta-feira.

BNDES lucra R$ 6,7 bi

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro líquido de R$ 6,7 bilhões no ano passado. O aumento de 8,5% nos ganhos explica-se principalmente pela alta nas vendas de participações societárias, notadamente aquelas detidas pelas BNDESPAR. A carteira de empréstimos do BNDES passou de R$ 560 bilhões, em dezembro de 2017, para R$ 520 bilhões, em dezembro de 2018 (eram R$ 624 bilhões ao final de 2016). A dinâmica desse item do balanço do banco reflete a redução de investimentos da economia brasileira em geral e o amadurecimento da carteira de crédito do BNDES. O ajuste no tamanho dessa carteira, assim como o aumento das provisões para risco de crédito, notadamente por conta de empréstimos no exterior, levaram o resultado da intermediação financeira a passar de R$ 8,3 bilhões em 2017 para R$ 6,4 bilhões em 2018. As provisões em 2018 somaram R$ 5,9 bilhões, decorrentes principalmente de R$ 2,2 bilhões associados aos empréstimos para a Venezuela e R$ 2,2 bilhões associados aos empréstimos para Cuba, ambos inadimplentes. O ativo do Sistema BNDES totalizou R$ 802,5 bilhões em 2018, uma redução de R$ 65 bilhões (-7,5%) no exercício, refletida na redução de 26% dos passivos junto ao Tesouro Nacional (R$ 307 bilhões ao final de 2018, contra R$ 416 bilhões em 2017), com pagamento antecipado de R$ 130,2 bilhões em dívidas com o Tesouro Nacional. Esse pagamento foi possível em grande parte, segundo o banco, pelo volume de liquidações dos empréstimos ter superado o de desembolsos em R$ 91,5 bilhões. 

Preocupado com o cenário alarmante de violência no ambiente escolar, o deputado estadual Oliveira Neto (Cidadania, antigo PPS), apresentou um requerimento propondo a realização de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) para discutir a questão. O parlamentar pontuou que o massacre na cidade de Suzano, em São Paulo, é um sinal de alerta aos demais estados do país. Há 14 dias, dois adolescentes invadiram a escola estadual Raul Brasil e mataram oito pessoas, entre estudantes e funcionários da instituição de ensino. “Precisamos tomar como exemplo esse caso de Suzano e trabalhar, aqui no Piauí, a prevenção e outras medidas para que possamos entender e ajudar os nossos jovens. Por essa razão, convocamos essa audiência pública para escutar o estado, ver o que já vem sendo realizado e estudar o que ainda pode ser feito“, explicou Oliveira Neto, que é vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Juventude.

Bullying no Brasil


Dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), do ano de 2015, apontam que no Brasil aproximadamente um em cada dez estudantes eram vítima frequente de bullying nas escolas. O relatório foi baseado na resposta de adolescentes de 15 anos que participaram da avaliação. No Brasil, 17,5% disseram sofrer alguma das formas de bullying "algumas vezes por mês"; 7,8% disseram ser excluídos pelos colegas; 9,3%, ser alvo de piadas; 4,1% disseram ser ameaçados; 3,2%, empurrados e agredidos fisicamente. Outros 5,3% disseram que os colegas frequentemente pegavam e destruíam as coisas deles, enquanto 7,9% eram alvo de rumores maldosos. Com base nos relatos dos estudantes, 9% foram classificados no estudo como vítimas frequentes de bullying, ou seja, estavam no topo do indicador de agressões e mais expostos a essa situação.

Workshop

De olho em 2020, o Progressistas realiza na sexta-feira o workshop "Conectando Ideias", com a presença de representantes dos movimentos Mulheres Progressistas, Afro Progressistas e Jovens Progressistas de mais de 80 municípios piauienses. Na oportunidade, serão empossados os representantes municipais destes movimentos. O encontro acontece das 8 as 18 horas num buffet da capital. “Ficamos muito orgulhosos de trabalhar com o fortalecimento dessas bandeiras no nosso estado, uma luta que é de todos nós e que abraçamos com muito carinho para fazer a diferença para nossos jovens, negros e mulheres em todas as regiões do Piauí.”, destaca o presidente estadual do Progressistas, Júlio Arcoverde.

Retrocesso

A proposta do Governo Federal de diminuir impostos sobre cigarros foi debatida esta semana no plenário do Senado. Mais de 10 senadores se pronunciaram - oito deles contra o projeto, incluindo o piauiense Marcelo Castro (MDB). “É um retrocesso, um despropósito, que só trará malefícios para a sociedade”. Castro disse ainda que, como médico e ex-ministro da Saúde, não poderia ficar calado. “O câncer de pulmão é o segundo câncer mais frequente entre os homens e a principal causa é o cigarro. Hoje, fruto de campanhas esclarecedoras e vitoriosas, somos um dos países que menos fuma. Não podemos dar um passo atrás e perder o que conquistamos de positivo”, acrescentou. 

Nesta quarta, dia 27, o deputado federal Marcos Aurélio Sampaio participou de reunião da Comissão de Finanças e Tributação. O principal tema tratado foi o convite ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para que ele vá à comissão discutir com os membros a proposta de Reforma da Previdência. “Através do nosso mandato, vamos defender os interesses do povo do Brasil e, sobretudo, daqueles que mais precisam de uma Previdência justa e igualitária, daqueles que precisam de uma aposentadoria rural e daqueles que precisam do Benefício de Prestação Continuada, que é destinado às pessoas que não tem condição de se manter ou que nasceram com alguma deficiência”, avisou o parlamentar.

27 de março de 2019

Prazo encerrando

Leia a coluna Roda Viva desta quarta-feira.

Prazo encerrando

O prazo para entrega da declaração da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2018 vai até o dia 5 de abril. Quem não entregar no prazo ou fornecer informações incorretas pagará multa que varia de R$ 425,64 a R$ 42.641,00 a depender do tempo e do número de funcionários registrados. Mais de 4,5 milhões de estabelecimentos já tinham feito a declaração da Rais até a última segunda-feira (25), o que corresponde a cerca de 50% do total de empresas registradas na Rais 2017, quando 8,5 milhões de estabelecimentos informaram 67 milhões de vínculos. “Já recebemos quase metade das declarações. A expectativa é de que seja o mesmo número de empresas declarantes do ano anterior, variando muito pouco”, estima o coordenador de Cadastros Administrativos do Ministério da Economia, Silvano de Jesus. O objetivo da Rais é fazer com que as empresas forneçam informações detalhadas ao Governo Federal sobre os empregadores e trabalhadores formais. Os dados declarados na Rais servem para o planejamento governamental nas áreas econômica e social, o que resulta em melhorias para os trabalhadores e empresas. Esses dados são importantes para que órgãos governamentais e a sociedade possam ter acesso a estatísticas de trabalho mais detalhadas. A declaração é utilizada, também, como base de cálculo do abono salarial do trabalhador, motivo pelo qual exige uma enorme precisão das informações, pois o empregador pode ser responsabilizado caso seu colaborador tenha perdas em decorrência de dados incorretos. Para assegurar o cuidado com essas informações foram instituídas multas. Ainda assim, os trabalhadores também precisam ficar atentos e cobrar dos empregadores o envio dentro do prazo das informações - completas e corretas.

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A Associação Nacional de Membros do Ministério Público (Conamp), entidade de classe que congrega mais de 15.000 membros do Ministério Público Brasileiro, emitiu uma nota pública para externar sua "surpresa" e "total discordância" com a declaração feita pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de que é preciso ampliar a atuação dos juízes federais e dos membros do Ministério Público Federal na Justiça Eleitoral de 1º grau, sob o argumento de imprimir maior eficiência àquele ramo da justiça. "Afirmar que se faz necessária a ampliação da atuação federal nas funções eleitorais de 1º grau para garantir a manutenção de eficiência e combate à corrupção é expressão vazia e destituída de qualquer embasamento, além de soar um tanto ofensiva àqueles cujo histórico de combate à corrupção, notadamente pela via do controle da probidade administrativa, antecede e serve de exemplo à atual cruzada que se tenta estabelecer no país contra essa chaga que abala as estruturas da nação", diz a nota da associação.

Competência dos membros estaduais

A Conamp lembra que a Justiça Eleitoral no Brasil baseia-se num verdadeiro consórcio entre órgãos vinculados à União e aos estados, conforme estabelece a própria Constituição Federal, cabendo aos membros dos judiciários estaduais e aos MPs dos estados e do DF a atuação perante a Justiça Eleitoral de 1º grau, diferente do que propõe Dodge. "Não mediremos esforços para que uma estrutura bem-sucedida como a da Justiça Eleitoral não seja alterada sem justificativas razoáveis e de maneira improvisada, para atender razões ocasionais, desconsiderando um histórico de atuação efetiva e ágil e que tornou a justiça eleitoral brasileira, especialmente no que se refere à sua primeira instância, modelo internacional, do qual tanto têm se orgulhado todos aqueles que assumem postos de comando nessa área especializada da justiça", conclui a nota, assinada por Victor Hugo Palmeiro de Azevedo Neto, presidente da associação.

Bullying não!

O vereador Deolindo Moura (PT) vai percorrer várias escolas públicas de Teresina com uma campanha de prevenção, conscientização e combate ao bullying e ciberbullying. A campanha “Não faça bullying, faça amigos”, será iniciada nesta quarta-feira (27), na Unidade Escolar Solange Viana, no bairro Promorar, zona sul de Teresina. A campanha prevê a realização de rodas de conversa e participação de jovens ativistas. “Estamos dando o pontapé inicial à campanha, mas todos podem fazer um pouco pela paz nas escolas. O ideal é que outros voluntários, especialistas no assunto, também possam participar e dar a sua contribuição. Estamos passando por momentos muito difíceis e precisamos falar mais sobre bullying”, afirma o vereador.

Foto: Beto Oliveira / Agência Câmara

Esta coluna antecipou, na semana passada, que uma conversa descontraída entre os deputados Themístocles Filho (MDB) e Lucy Soares (Progressistas) poderia estar sinalizando uma possível reaproximação entre o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí e o prefeito da capital, Firmino Filho (PSDB). Pois bem, na sessão desta terça-feira, durante a votação da reforma administrativa enviada por Wellington Dias (PT), um fato novo reforçou as suspeitas de que o emedebista e o tucano estariam ensaiando uma reconciliação, após pelo menos quatro anos de embates. A primeira-dama Lucy Soares foi a voz mais forte em defesa da manutenção da Coordenadoria do Idoso, que é comandada pelo ex-deputado federal e delegado Marllos Sampaio. No texto original da reforma enviado à Assembleia o Governo previa a extinção da pasta. Ou seja, a permanência do irmão de Themístocles no governo só foi possível graças à intervenção decisiva da esposa de Firmino. 

26 de março de 2019

4 noites na cadeia

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

4 noites na cadeia

Depois de passar quatro noites encarcerado na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, o ex-presidente Michel Temer foi solto na noite desta segunda-feira, 25, por uma determinação do desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. O emedebista permaneceu preso numa sala da corregedoria, no terceiro andar do prédio da PF, com direito a banheiro privativo, frigobar e ar-condicionado. Além de Temer, a Justiça também determinou que sejam libertados outros oito presos na Operação Descontaminação, incluindo Moreira Franco, ex-ministro e ex-governador do Rio de Janeiro, e João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, apontado como operador financeiro do suposto esquema criminoso comandado pelo ex-presidente. A defesa de Temer e alguns juristas críticos da Operação Lava Jato e dos seus desdobramentos afirmam que muitas das prisões decretadas contra políticos e empresários suspeitos são abusivas e violam as mais essenciais noções de direito. De fato, não precisa ser um bacharel para saber que a prisão preventiva não deve ocorrer de forma indiscriminada. É preciso que existam razões bem sólidas que a justifiquem. Direitos individuais básicos não devem ser desrespeitados em nome do combate à corrupção. Por outro lado, a Justiça precisa também compreender de uma vez por todas que o Brasil e os brasileiros já não toleram mais tanta impunidade. Neste sentido, conferir mais celeridade aos julgamentos de bandidos do colarinho branco é uma medida imprescindível e urgente. Um grupo criminoso acusado de desviar R$ 1,8 bilhão em recursos públicos ao longo de quatro décadas não pode permanecer livre. Precisam ser sentenciados e, então, encarcerados. Mas isso precisa acontecer o quanto antes!


A presidente da Associação Piauiense de Defensores Públicos (Apidep), Ludmilla Paes Landim, esteve na Câmara de Teresina em reunião com o vereador Jeová Alencar (PSDB) e com o coordenador legislativo da Casa, Marcos Venícios Ribeiro. A visita institucional se deu para tratar de interesses da associação no município.

Ajuda de Brasília

Em vídeo postado nas redes sociais, o deputado federal Flávio Nogueira (PDT) se solidariza com os parnaibanos. Parnaíba decretou estado de emergência em decorrência das fortes chuvas que atingem a região. O parlamentar prometeu marcar uma audiência na Secretaria de Defesa Civil. para expor a situação da cidade piauiense e buscar medidas destinadas a amenizar o sofrimento das famílias. A reunião deve contar com a participação do prefeito Mão Santa e de outros deputados federais do estado. O empenho de Flávio Nogueira não é á toa. O parlamentar teve uma expressiva votação em Parnaíba.

Reforma

Nesta terça-feira, dia 26, o diretor do Sinduscon Teresina, André Baía, ministrará a palestra “A importância da Reforma da Previdência para a retomada do mercado imobiliário do Brasil”, para os associados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (Creci-PI). O encontro acontece a partir das 18 horas, no auditório da entidade.

Silas x Lira

O ex-deputado federal Silas Freire e o ex-vereador de Teresina Antônio José Lira estão travando uma ríspida troca de acusações por meio da imprensa e das redes sociais. Silas acusou Lira de ter desviado o salário de um funcionário quando esteve na Câmara de Teresina. E o ex-vereador rebateu afirmando que o apresentador está recebendo ordens do prefeito Firmino Filho (PSDB) para atacá-lo. Lira disse, ainda, que o ex-deputado é "covarde" e que, antes, mandava capangas atrás dos inimigos, mas agora não teria coragem de ir atrás dele sozinho.

O deputado estadual Francisco Limma (PT) foi à tribuna da Assembleia Legislativa para criticar o projeto de reforma da Previdência. Ele sugeriu que os parlamentares conversem com a bancada federal do Piauí para apontar os supostos prejuízos que a reforma trará para os estados e municípios, sobretudo do Nordeste. “Essa reforma terá um impacto profundo na vida dos pequenos produtores em todo o país. Aprová-la da forma como ela foi apresentada é estabelecer a paralisia da economia nos municípios menores”, opina o parlamentar.

24 de março de 2019

Greve na enfermagem

Leia a coluna Roda Viva desta segunda-feira.

Greve na enfermagem

Enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem que trabalham em hospitais do estado podem iniciar uma greve ainda este mês. A categoria volta a se reunir em assembleia geral na próxima quinta-feira para tomar uma decisão a respeito, isto porque o governo pediu um prazo até a próxima quarta para apresentar uma proposta à categoria, que alega ter sofrido perdas salariais de 37% nos últimos seis anos. Além de reajuste, os profissionais reivindicam ainda o pagamento de gratificações, promoções e progressões, entre outras demandas. "Estamos buscando entendimento com o governo, mas se não tivermos um retorno positivo vamos exercer nosso direito de greve”, alerta Martina Silva, diretora de comunicação do Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi).

Foto: Folha de Parnaíba

O prefeito Caburé, de Caraúbas do Piauí, cometeu uma gafe daquelas durante uma entrevista ao vivo a um jornalista que fazia a cobertura de um evento realizado pela prefeitura da cidade. Sem saber que estava falando ao público numa transmissão ao vivo, o prefeito disse, ao final da entrevista: "depois vou lhe dar um negocinho pra você tomar uma cervejinha, viu? Vou caçar uma maneira de lhe dar aqui pra o povo não ver". O jornalista, coitado, ficou sem graça. 

Justiça Itinerante 

O Parque Lagoas do Norte recebe durante a próxima semana o ônibus da Justiça Itinerante, projeto do Tribunal de Justiça do Piauí que levará diversos serviços, como orientação jurídica e expedição de documentos, gratuitamente para a população da região. O atendimento será disponível de segunda (25) a sexta-feira (29), das 8 às 17 horas. Entre os serviços oferecidos estão: agendamentos para alistamento militar, emissão de carteira de trabalho e bolsa família; informações sobre aposentadoria e benefícios e atendimento do Procon itinerante; homologação de casamento civil, reconhecimento de paternidade/exame de DNA; retificação de registro civil de nascimento, casamento e óbito; divórcio consensual; homologação de acordo de pensão alimentícia; restauração de assento de nascimento; reconhecimento e dissolução de união estável; suprimento/justificação de óbito; dentre outras medidas de natureza consensual.

Linha de crédito

As micro e pequenas empresas brasileiras terão acesso a uma nova linha de financiamento, mais simples e ágil, criada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Anunciada na última sexta-feira, 22, a BNDES Crédito Pequenas Empresas foi criada, segundo o banco de fomento, para atender as demandas do setor, tendo como foco a geração de empregos e a ampliação da concessão de crédito para empresas de menor porte, responsáveis por mais de 50% dos postos de trabalho formais no país. 

Apoio ao segmento

O BNDES afirma que segue apoiando fortemente o segmento das micro e pequenas empresas. Em 2018, foram R$ 14,7 bilhões em desembolsos, num total de 242.400 operações (79% do total). O percentual de clientes com faturamento até R$ 4,8 milhões correspondeu a 90% dos clientes do Banco no período, alcançando 4.581 municípios (82% do Brasil). 

Administradores

Com o objetivo de esclarecer às entidades de saúde sobre o funcionamento das negociações com os sindicatos laborais, política salarial e pagamento das contribuições sindicais laborais pelas entidades de saúde, o Sindicato dos Hospitais e Clinicas (Sindhospi) realizará no dia 26 de março o I Encontro de Administradores das Empresas de Saúde no Auditório do Hospital Francisco Vilar, a partir das 18 horas.

22 de março de 2019

Abraçados na lama!

Leia a coluna Roda Viva desta sexta-feira.

Abraçados na lama!

A prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) nesta quinta-feira (21), pela Polícia Federal, expôs um fenômeno que tem se repetido muito no país nos últimos cinco anos, desde que a Operação Lava Jato foi deflagrada. Políticos que sempre foram adversários, ou que recentemente tinham se tornado antagônicos, passam, de repente, a se defender de forma impetuosa, sempre com o argumento de que o Estado brasileiro estaria, supostamente, sendo marcado por uma tendência punitivista, que estaria sendo forjada pelo Ministério Público e por parte do Judiciário, com o apoio da Polícia Federal. Momentos após a prisão de Temer, vários petistas adotaram um discurso acautelado ao comentar o novo desdobramento da Operação Lava Jato. Em nota, o Partido dos Trabalhadores declarou que "espera que as prisões de Michel Temer e de Moreira Franco, entre outros, tenham sido decretadas com base em fatos consistentes, respeitando o processo legal, e não apenas por especulações e delações sem provas, como ocorreu no processo do ex-presidente Lula e em ações contra dirigentes do PT". Repetindo o velho discurso fantasioso de "golpe" contra Luiz Inácio da Silva, o partido, rejeitado pela esmagadora maioria dos brasileiros nas eleições de 2018, afirma que após serem "cumpridos os objetivos do golpe do impeachment de 2016 e da proibição ilegal a Lula de concorrer as eleições de 2018, seus principais artífices estão sendo descartados pelos que realmente movimentaram os cordéis: o sistema financeiro e os representantes dos interesses estrangeiros no país, com o apoio da mídia conservadora". É lamentável observar que uma das maiores agremiações partidárias do país persista, de forma desavergonhada, negando que seus principais líderes tenham se envolvido em esquemas de corrupção reiterados, por meio dos quais foram desviados bilhões de recursos públicos nas duas últimas décadas. 

A deputada Lucy Soares (Progressistas) e o deputado Themístocles Filho (MDB) foram fotografados numa descontraída conversa durante sessão na Assembleia nesta semana. Já é de conhecimento público que o chefe do Legislativo piauiense mantém há alguns anos uma relação pouco amistosa com o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB). O desgaste entre ambos foi exacerbado, sobretudo, em alguns episódios: na eleição para a mesa diretora da Alepi no início de 2015, quando Firmino declarou sua preferência pela vitória de Fábio Novo (PT), e na eleição para a mesa diretora da Câmara Municipal em novembro de 2017, quando Themístocles deu o troco, ajudando Jeová Alencar a articular sua reeleição para a presidência da Casa, mesmo sem o aval do correligionário, que estava em viagem à Europa. O bate-papo animado entre a primeira-dama da capital e Themístocles seria um sinal de trégua ou mesmo de reaproximação do emedebista com o tucano? A conferir...

Brasileiros no aperto

Levantamento realizado no último mês de fevereiro pela Confederação de Dirigentes Logistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), com apoio da  Comissão de Valores Mobiliários (CVM), aponta que 64% dos consumidores brasileiros vivem no limite do orçamento, ou seja, raramente ou nunca têm dinheiro sobrando. Enquanto 26% conseguem, às vezes, ter uma reserva e apenas 9% afirmam que sempre ou frequentemente contam com alguma sobra. Além disso, 27% temem que o dinheiro não dure até o fim do mês.

Despreparados

Outro dado mostra que somente 10% estão preparados para lidar com imprevistos. Seis em cada dez (64%) não possuem capacidade de lidar com despesas inesperadas. O nível de bem-estar financeiro de cada consumidor varia de acordo com respostas dadas em dez questões que avaliam os hábitos, costumes e experiências com uso do dinheiro. Numa escala que varia de zero a 100, quanto mais próximo de 100, maior o nível médio de bem-estar financeiro da população; quanto mais distante de 100, menor o nível. Em fevereiro de 2019 o indicador ficou estável ao marcar 48,3 pontos — muito próximo do índice observado no mesmo mês do ano passado, que ficou em 48,5 pontos.

O presidente do diretório regional do PPS, Celso Henrique, diz que o partido pretende atrair novas filiações com a mudança de nome, que deve ser oficializada neste fim de semana, durante convenção nacional. "Estaremos reunidos os delegados de todos os estados para termos uma decisão sobre a mudança de nome. Já foram ouvidas todas as instâncias do partido e o nome escolhido foi Cidadania. Agora é só bater o martelo. Queremos prestigiar os grupos organizados que entraram no partido para dar sua colaboração, e uma das exigências que eles fizeram foi a mudança do nome da sigla pra Cidadania", afirma Celso Henrique.

21 de março de 2019

Competitividade em baixa!

Leia a coluna Roda Viva desta quinta-feira.

Competitividade em baixa!

Mesmo com a melhora do ambiente macroeconômico e nas questões burocráticas, o Brasil não conseguiu avançar no ranking da competitividade elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O país continua no penúltimo lugar, à frente apenas da Argentina, na lista que compara o desempenho de 18 países em nove fatores que têm impacto sobre a eficiência e o desempenho das empresas na conquista de mercados. No topo do ranking está a Coreia do Sul, seguida pelo Canadá e a Austrália. Os latino-americanos Chile, em 8º lugar, o México, em 11º, a Colômbia, em 14º, e o Peru, que ocupa o 16º posto, também estão à frente do Brasil, informa o relatório anual Competitividade Brasil 2018-2019. “A competitividade do país define o poder que as empresas têm de conquistar mercado. Na medida em que esse poder aumenta, a empresa gera mais empregos, mais renda e contribui para o crescimento econômico”, afirma o gerente-executivo de Pesquisas da CNI, Renato da Fonseca. “Se o Brasil não resolver os problemas de competitividade que afetam as empresas, como as questões tributárias e de infraestrutura, ficará muito difícil a economia brasileira alcançar um cenário de crescimento em que o padrão de vida dos brasileiros se aproxime do padrão de vida dos países desenvolvidos”, completa Renato da Fonseca. O ranking anual, feito desde 2010, compara o Brasil com 17 países de economias similares: África do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Índia, Indonésia, México, Peru, Polônia, Rússia, Tailândia e Turquia, sendo considerados nove fatores decisivos para a competitividade. 

A Assembleia Legislativa aprovou requerimento da deputada Flora Izabel (PT) pedindo que a Assembleia Legislativa encaminhe ofícios aos presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), solicitando que sejam adotadas providências visando a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar a atuação de milícias no Brasil. A parlamentar considera a apuração importante sobretudo agora, após denúncias de que as organizações criminosas teriam o envolvimento de políticos.

Confiança do consumidor

O ano começa com os consumidores um pouco mais otimistas. Mas só um pouco mesmo. Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que, no último mês de fevereiro, o Indicador de Confiança do Consumidor alcançou 49 pontos, frente a 43 observados em fevereiro do ano passado, apresentando um avanço de 14,5% na comparação anual. Apesar do crescimento expressivo, a percepção da maioria ainda está pessimista. A comparação com o dado de janeiro de 2019, quando se observou os mesmos 49 pontos, mostra que o avanço da confiança perdeu força no último mês.

Rações para o pessimismo

Na avaliação do atual cenário econômico e da própria vida financeira, a percepção dos entrevistados melhorou em relação a janeiro, mas ainda permanece ruim: 58% enxergam o momento da economia de forma negativa — apesar de registrar a percepção da maioria, esse é o menor percentual desde o início da série histórica, em janeiro de 2017. As principais razões apontadas são desemprego elevado (63%), aumento dos preços (60%), alta na taxa de juros (39%), desvalorização do real frente ao dólar (21%) e menor poder de compra do consumidor (19%). Para 34%, o quadro econômico é regular e apenas 6% consideram bom.

Consumo

Uma pesquisa realizada pela Social Miner e pela MindMiners, startups do setor de tecnologia, mostrou que 45,3% dos consumidores têm acompanhado e buscado ofertas na internet. E as categorias preferidas pelo público são: moda e acessórios, eletrônicos e beleza e saúde.

O engenheiro químico piauiense Antonio Florentino de Souza Filho tomou posse no último dia 19, em Brasília, no cargo de vice-presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, para a gestão 2019-2022. Na foto, Florentino está ao lado do presidente reeleito Murilo Pinheiro, de São Paulo.

Competitividade em baixa!

Leia a coluna Roda Viva desta quinta-feira.

Competitividade em baixa!

Mesmo com a melhora do ambiente macroeconômico e nas questões burocráticas, o Brasil não conseguiu avançar no ranking da competitividade elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O país continua no penúltimo lugar, à frente apenas da Argentina, na lista que compara o desempenho de 18 países em nove fatores que têm impacto sobre a eficiência e o desempenho das empresas na conquista de mercados. No topo do ranking está a Coreia do Sul, seguida pelo Canadá e a Austrália. Os latino-americanos Chile, em 8º lugar, o México, em 11º, a Colômbia, em 14º, e o Peru, que ocupa o 16º posto, também estão à frente do Brasil, informa o relatório anual Competitividade Brasil 2018-2019. “A competitividade do país define o poder que as empresas têm de conquistar mercado. Na medida em que esse poder aumenta, a empresa gera mais empregos, mais renda e contribui para o crescimento econômico”, afirma o gerente-executivo de Pesquisas da CNI, Renato da Fonseca. “Se o Brasil não resolver os problemas de competitividade que afetam as empresas, como as questões tributárias e de infraestrutura, ficará muito difícil a economia brasileira alcançar um cenário de crescimento em que o padrão de vida dos brasileiros se aproxime do padrão de vida dos países desenvolvidos”, completa Renato da Fonseca. O ranking anual, feito desde 2010, compara o Brasil com 17 países de economias similares: África do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Índia, Indonésia, México, Peru, Polônia, Rússia, Tailândia e Turquia, sendo considerados nove fatores decisivos para a competitividade. 

A Assembleia Legislativa aprovou requerimento da deputada Flora Izabel (PT) pedindo que a Assembleia Legislativa encaminhe ofícios aos presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), solicitando que sejam adotadas providências visando a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar a atuação de milícias no Brasil. A parlamentar considera a apuração importante sobretudo agora, após denúncias de que as organizações criminosas teriam o envolvimento de políticos.

Confiança do consumidor

O ano começa com os consumidores um pouco mais otimistas. Mas só um pouco mesmo. Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que, no último mês de fevereiro, o Indicador de Confiança do Consumidor alcançou 49 pontos, frente a 43 observados em fevereiro do ano passado, apresentando um avanço de 14,5% na comparação anual. Apesar do crescimento expressivo, a percepção da maioria ainda está pessimista. A comparação com o dado de janeiro de 2019, quando se observou os mesmos 49 pontos, mostra que o avanço da confiança perdeu força no último mês.

Rações para o pessimismo

Na avaliação do atual cenário econômico e da própria vida financeira, a percepção dos entrevistados melhorou em relação a janeiro, mas ainda permanece ruim: 58% enxergam o momento da economia de forma negativa — apesar de registrar a percepção da maioria, esse é o menor percentual desde o início da série histórica, em janeiro de 2017. As principais razões apontadas são desemprego elevado (63%), aumento dos preços (60%), alta na taxa de juros (39%), desvalorização do real frente ao dólar (21%) e menor poder de compra do consumidor (19%). Para 34%, o quadro econômico é regular e apenas 6% consideram bom.

Consumo

Uma pesquisa realizada pela Social Miner e pela MindMiners, startups do setor de tecnologia, mostrou que 45,3% dos consumidores têm acompanhado e buscado ofertas na internet. E as categorias preferidas pelo público são: moda e acessórios, eletrônicos e beleza e saúde.

Mandato 

O engenheiro químico piauiense Antonio Florentino de Souza Filho tomou posse no último dia 19, em Brasília, no cargo de vice-presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, para a gestão 2019-2022. 


Em Esperantina, a terceira via está reunida em torno do nome do empresário Erasmo Silva para disputar a Prefeitura da cidade em 2020. O empresário que já tem o apoio de lideranças estaduais do PSDB se reuniu na última terça-feira (19) com Luciano Nunes, ex-candidato a governador pela sigla. O encontro foi em Teresina e ele veio acompanhado de várias lideranças esperantinenses. Além de Erasmo Silva, já se articulam para disputar o comando do município um grupo do MDB, liderado por Themistocles Filho; e o grupo do PT, que atualmente ocupa a Prefeitura e é liderado pela atual gestora Vilma Amorim e o deputado estadual Francisco Limma.

20 de março de 2019

Brasil na OCDE

Leia a coluna Roda Viva desta quarta-feira.

Brasil na OCDE

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que o apoio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é decisivo para a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). A indústria entende que o ingresso na organização vai acelerar o processo de reformas estruturais e aperfeiçoar a qualidade regulatória do país, condições necessárias para melhorar o ambiente de negócios e promover o crescimento econômico. “O Brasil avançou muito na convergência de políticas para participar da OCDE. É o país não-membro com a maior adesão aos instrumentos da organização – já aderiu a cerca de 30% dos instrumentos que envolvem, por exemplo, comércio, tributação e governança. Além disso, o governo brasileiro está comprometido com as reformas da previdência e reconhece a importância da reforma tributária”, avalia a gerente de Política Comercial da CNI, Constanza Negri. O Brasil pediu para fazer parte da OCDE em maio de 2017. Se o pedido for aceito, o país terá de assumir compromissos com impactos significativos na economia e na indústria.  Entre os benefícios, destaca a CNI, estão a melhoria do ambiente regulatório, a modernização institucional, o aprimoramento da governança e a convergência às melhores práticas internacionais. Depois de ter defendido o projeto megalomaníaco de Trump para construção de um muro em toda a fronteira entre os Estados Unidos e o México, depois de ter assinado um decreto dispensando visto para a entrada de norte-americanos no Brasil (além de canadenses, australianos e japoneses), e depois de o filho Eduardo Bolsonaro ter dito que brasileiros ilegais nos EUA envergonham o país, este apoio é o mínimo que Jair deve receber do mandatário republicano. Mas o "mito" só precisa ficar esperto, porque a promessa de apoio pode ser apenas uma "fake news" criada por Trump para agradar seu colega e admirador sul-americano. 

Após a saída do empresário Fábio Sérvio do PSL, o ex-deputado federal Elizeu Aguiar ganhou ainda mais proeminência no partido. Informações obtidas em primeira mão pela coluna dão conta de que ele está entre os nomes mais cotados para comandar o partido em 2020, quando acontecem as eleições municipais. Fortalecido com os mais de 79 mil votos que recebeu na disputa por uma das cadeiras no Senado Federal, em 2018, Elizeu deve se candidatar a uma vaga na Câmara de Teresina, para onde já foi eleito duas vezes.

Combate á violência 

O promotor de Justiça Francisco de Jesus, titular da 5ª Promotoria de Justiça de Teresina, apresentou nesta terça-feira (19) ao reitor da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Nouga Cardoso, projeto que visa combater à violência contra a mulher por meio do desenvolvimento de parceria com a comunidade acadêmica da Universidade. "Através da parceria, queremos aproximar o Ministério Público da sociedade para que possamos intensificar o processo de enfrentamento da violência contra a mulher, principalmente, contra a mulher negra. Para isso, nossa ideia é densenvolver projetos de pesquisas dentro da universidade porque o racismo é uma questão estrutural", explica Francisco de Jesus, idealizador da proposta e membro do Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid).

Promotoria especializada

A criação de uma Promotoria de Justiça especializada no combate ao racismo e à discriminação racial está entre os objetivos do projeto. "Iremos propor ao Tribunal de Justiça a criação de uma vara para apurar os crimes de racismo praticados em Teresina. A Uespi será nossa parceira na formação de multiplicadores da nossa ação", acrescenta Francisco de Jesus.

Campanha da Fraternidade

Nesta quarta-feira (20), a partir das 10 horas, a Assembleia Legislativa do Piauí realiza sessão solene em homenagem à Campanha da Fraternidade 2019, promovida em todo o país pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A sessão foi proposta pela deputada estadual Teresa Britto (PV). Com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça”, a Campanha da Fraternidade tem por objetivo geral chamar a atenção da sociedade para a importância das políticas públicas, ações e programas desenvolvidos pelo Estado para garantir direitos individuais e sociais básicos, previstos na Constituição Federal e em outras leis.

Ainda estamos em 2019, mas os pré-candidatos a vereador já demonstram que estão fazendo de tudo para agradar o eleitorado desde cedo, principalmente, nas redes sociais. Um exemplo é o polêmico cabo Mota, que diariamente faz postagens e interage com  seus seguidores. Ele não esconde a intenção de disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Teresina no próximo ano. Mota é muito ligado ao deputado federal Fábio Abreu (PR), e já trabalha para conquistar apoio entre os militares. No registro acima, cabo Mota presenteia o secretário de segurança, Rubens Pereira, com uma camisa estampada com um dos seus dizeres mais conhecidos nas redes sociais.

19 de março de 2019

Incompetência leva à judicialização

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

Incompetência leva à judicialização

O número de demandas judiciais relativas à saúde registrou um aumento de 130% entre os anos de 2008 e 2017, conforme revela a pesquisa “Judicialização da Saúde no Brasil: Perfil das demandas, causas e propostas de solução”. O estudo, elaborado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mostra que, no mesmo período, o número total de processos judiciais cresceu 50%. O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (18), durante a III Jornada de Direito da Saúde, em São Paulo. O levantamento identificou que o setor de saúde foi responsável por 498.715 processos de primeira instância, distribuídos em 17 tribunais de justiça estaduais, e por 277.411 processos de segunda instância, distribuídos entre 15 tribunais de justiça estaduais. Naturalmente, a evolução no número de processos impactou no orçamento do Ministério da Saúde, que em sete anos viu seus gastos com demandas judiciais crescerem cerca de 1.300%, alcançando R$ 1,6 bilhão em 2016. Esse fenômeno demonstra o quanto os serviços públicos são ofertados de forma insuficiente e precária no país, sobretudo na saúde e na educação. Mas vale ressaltar que, em geral, os professores, médicos, enfermeiros e demais profissionais que atuam nas escolas e hospitais públicos não são os culpados por toda essa precariedade, que já é bastante conhecida pelos brasileiros. Os principais culpados, quase sempre, são os políticos e gestores responsáveis por desvios de recursos ou pela incompetência tão comum na administração da "res publica". Não fossem esses vícios, certamente um número bem menor de cidadãos precisariam recorrer ao Poder Judiciário para garantir a saúde ou mesmo a vida.

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) decidiu manter no cargo a prefeita do município de São Lourenço do Piauí, Michelle Oliveira Cruz, do Progressistas. Ela e o vice-prefeito, Raimundo Nonato de Sousa Marques, tiveram o mandato cassado em primeira instância, sob acusação de abuso do poder econômico. A Corte eleitoral apreciou o recurso apresentado pela defesa da gestora durante sessão realizada nesta segunda-feira (18). O juiz de primeira instância também havia determinado a realização de um novo pleito. Além da prefeita Michelle Cruz e do seu vice Raimundo Nonato Marques, também foi alvo da ação de investigação judicial eleitoral o ex-prefeito Manoel Ildemar Damasceno Cruz (Mazim). Segundo a acusação, o grupo político do trio teria realizado a distribuição de filtros na localidade Angico durante o período eleitoral, com o intuito de beneficiar a candidatura de Michelle.

Erro da acusação

De acordo com a advogada Giovana Nunes, que defendeu a prefeita, a Corte decidiu reformar a sentença e extinguir o processo porque não houve a devida composição do polo passivo, ou seja, daqueles contra os quais a ação foi ajuizada“A acusação era de que a prefeita Michele teria se beneficiado da doação de filtros pela Secretaria da Defesa Civil, ainda no início de 2016, quando o município estava em estado de emergência em razão das secas, e a prefeita não ocupava cargo político. Para o TRE-PI, como o fato envolvia a Secretaria da Defesa Civil, o secretário deveria ter sido incluído para compor a Ação de Investigação Judicial Eleitoral”, explica Giovana Nunes, advogada da prefeita Michele Cruz.

Segurança das barragens

O senador Elmano Férrer (PODE) comandará nesta terça-feira, no Senado Federal, audiência pública para discutir a segurança de barragens no Brasil. O debate acontecerá na Comissão de Infraestrutura, com foco na atuação das agências governamentais na aplicação da Política Nacional de Segurança de Barragens. O evento contará com a presença do diretor-geral da Agência Nacional de Mineração (ANM), que falará sobre as 790 barragens de rejeitos catalogadas no país. Elmano, que foi relator do trabalho sobre segurança de barragens da Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR), em 2017 e 2018, já havia organizado duas audiências públicas para debater esta questão - uma em Brasília e outra em Teresina.

Apontados como potenciais candidatos à Prefeitura de Teresina, Fábio Abreu (PR) e Georgiano Neto (PSD) começam a se destacar como as principais alternativas no campo de oposição ao grupo político do Prefeito Firmino Filho (PSDB). Os dois têm demonstrado entrosamento e não descartam a união de forças em 2020.

17 de março de 2019

62 milhões negativados

Leia a coluna Roda Viva desta segunda-feira.

62 milhões negativados

Em fevereiro, os sinais de acomodação da inadimplência confirmam a tendência registrada no mês anterior. Dados apurados pelo Indicador de Inadimplência, da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontam que mesmo com o crescimento da ordem de 1,78% do número de consumidores negativados na comparação anual, o avanço foi o menor registrado desde dezembro de 2017. Quanto ao número de dívidas, houve queda de 1,01% em relação a fevereiro de 2018. Contudo, assim como registrado nos Indicadores de janeiro deste ano, o volume de pendências continua crescendo em dois setores específicos: o de bancos, com avanço de 2,04%; e o de água e luz, com aumento de 11,38%. Em contrapartida, comércio e comunicação registraram quedas de 6,91% e 9,57%, respectivamente. A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, destaca que o crescimento da inadimplência em menor ritmo no País se dá simultaneamente ao aumento da oferta de crédito, segundo dados do Banco Central. “Por muito tempo, o avanço da inadimplência foi mitigado pela oferta de crédito diminuída. Agora, a desaceleração ocorre a despeito do crescimento das concessões, indicando um cenário melhor para o mercado de crédito”, explica a economista. Mesmo com esse otimismo, o número de inadimplentes no país segue elevado. Ao todo, 62 milhões de brasileiros estão com CPF negativado, de acordo com a SPC Brasil.

"É com muita alegria que participo dessa festa do MDB, um partido que tem sua história encravada na história do nosso país. Onde tínhamos avanços e onde tínhamos problema o MDB chegava para ser um divisor de águas, seja no poder, governando, ou auxiliando. MDB de Ulysses Guimarães, de Alberto Silva, mas MDB também de Marcelo Castro, MDB também de Themístocles Filho. MDB do povo do nosso estado e do povo da nossa capital. Não tenho nenhuma dúvida de que junto com todos que fazem o MDB, com todos os homens e mulheres de bem que querem melhorar nosso município, que querem trabalhar conosco, este MDB está forte em 2020. Esse MDB, não tenho a menor dúvida, fará a maior bancada de vereadores na Câmara Municipal de Teresina. Pela sua história, pelo seu compromisso e por aqueles que fazem a política verdadeira. Aqueles que têm compromisso com cada homem e com cada mulher, aqueles que têm compromisso com o social. Aqueles que dizem a verdade, que não só conhecem o povo, mas, principalmente, sabem do que o nosso povo precisa. E é este povo, presidente Themístocles, que vai caminhar conosco, e que será vitorioso em 2020" - o vereador Jeová Alencar (PSDB), durante a convenção estadual do MDB, já deixando bem claro que está com as malas prontas para migrar para o partido do seu aliado Themístocles.

MDB quer Teresina

Muitos emedebistas deixaram claro, durante o evento do partido no último sábado, que uma das principais metas da sigla em 2020 será eleger o prefeito da capital. "Nós já tivemos governadores, senadores. Mas faz tempo que nós não temos um prefeito da capital. Então, em nome dessa nova força que está sendo organizada pelo presidente Themístocles Filho e pelo nosso presidente da Câmara, Jeová Alencar, reconhecemos esse tendência de renovação", afirmou o deputado estadual Henrique Pires. O último emedebista a comandar o Executivo de Teresina foi Heráclito Fortes, entre 1989 e 1992, há 30 anos.

Ceir reformado

Será inaugurada nesta segunda-feira (18) a reforma e ampliação do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), que é administrado pela Associação Reabilitar, organização social sem fins lucrativos. As obras compreendem a construção de um novo almoxarifado e de novas salas para atendimentos, a exemplo dos serviços de arte e musicoterapia; instalação de elevadores de acessibilidade para os pacientes; construção da primeira academia de musculação voltada à pessoa com deficiência no Piauí e ampliação do estacionamento.

A Associação Piauiense de Municípios realizará, nesta segunda-feira (18), a partir das 9h, o I Encontro de Associações de Municípios do Nordeste Brasileiro. O encontro inédito acontecerá no auditório da APPM, em Teresina, e contará com a presença do governador Wellington Dias, e do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi. Segundo a APPM, será uma reunião técnica, que tem como objetivo reunir os presidentes de associações municipais dos nove estados nordestinos que elaborarão a Carta de Teresina – com a pauta de reivindicações municipalistas da região –, para ser entregue à Presidência da República, Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal (STF), durante a XXII Marcha a Brasília, de 8 a 11 de abril.

14 de março de 2019

O garantismo e a impunidade

Leia a coluna Roda Viva desta sexta-feira.

O garantismo e a impunidade

Em julgamento que se estendeu por toda a tarde e início da noite desta quinta-feira (14), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 6 votos a 5, manter a jurisprudência do próprio tribunal no sentido de atribuir à Justiça Eleitoral a competência para processar e julgar crimes comuns conexos a delitos eleitorais, como o caixa 2, que consiste em ocultar da prestação de contas valores coletados em campanhas. Além do ministro relator, Marco Aurélio, também votaram nesta corrente os ministros Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli. Enquanto os demais cinco ministros da Corte entenderam que o correto seria dividir os processos com a Justiça comum. Integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, vêm criticando com veemência o envio de casos à Justiça Eleitoral. Os procuradores ponderam que este ramo do Judiciário não possui estrutura para processos mais complexos, o que poderia levar à maior demora nos julgamentos, com risco de prescrições ou de anulação de atos já realizados pela Justiça Federal. Ao final da sessão desta quinta no STF, o ministro Marco Aurélio reconheceu que, com a decisão do tribunal, algumas penas impostas a condenados pela Justiça comum podem ser anuladas, por conta da eventual "incompetência absoluta" do juiz ou colegiado que impôs a penalidade. Aparentemente, o Brasil passa por mais um momento crítico, em que inúmeros políticos do colarinho branco podem ser colocados em liberdade. O garantismo de parte do Judiciário, mais uma vez, pode levar à impunidade daqueles que são os principais responsáveis por tudo o que há de pior no país.

O Deputado Federal Marcos Aurélio Sampaio, do MDB, garantiu vaga titular em duas importantes comissões técnicas da Câmara Federal. O parlamentar vai atuar na Comissão de Finanças e Tributação e na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. “Estou satisfeito por ingressar como titular nessas duas comissões que vão de encontro com minhas áreas de atuação. Vou ficar vigilante em defesa dos interesses de nosso povo,” afirmou.

Tratamento do câncer

Em Brasília, durante o lançamento da "Frente parlamentar em prol da luta contra o câncer", o deputado federal Flávio Nogueira (PDT) destacou que sabe o quanto as unidades de saúde que atuam na prevenção e diagnóstico desta doença precisam de apoio. Junto à frente, se comprometeu em avaliar e sugerir medidas que fortaleçam a pesquisa e o desenvolvimento científico de tratamentos para o câncer. Ele cita a necessidade de dialogar com as indústrias farmacêuticas, para que se esclareça o que é preciso para reduzir os custos das medicações. O parlamentar foi por 20 anos presidente do Hospital São Marcos, referência no tratamento do câncer no Piauí.

Antes tarde do que nunca

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), anunciou, na sessão plenária desta quinta-feira (14), a realização de  um concurso público visando a contratação de 35 novos servidores para preenchimento de vagas no Legislativo piauiense. Segundo o emedebista, o concurso será organizado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Omissão

Dias atrás, uma audiência pública foi realizada na Câmara Municipal de Teresina para debater a qualidade do fornecimento de energia na cidade. A reunião também tinha o intuito de dar mais transparência ao processo de transição dos serviços de distribuição da Eletrobras para a Equatorial Energia. A audiência, porém, foi boicotada pela companhia privada, que não enviou um representante sequer à Casa. Pois bem. Nesta quinta-feira, a sessão ordinária da Câmara não pôde ser realizada por conta de uma queda de energia que atingiu a sede do Legislativo municipal. Indignado com a omissão da empresa, o vereador Ítalo Barros disse que vai propor aos demais parlamentares que a Câmara recorra ao Ministério Público e à Justiça para que a Equatorial seja forçada a fornecer todas as informações acerca da prestação do serviço que forem solicitadas pelos vereadores.

"É uma desfeita muito grande o que aconteceu [ausência da Equatorial na audiência pública]. Vou conversar com o vereador Dudu [Edilberto Borges] e propor uma reunião com um grupo de vereadores, para que a gente possa ir ao Ministério Público. Se a gente não conseguiu de uma forma mais simples, vamos tentar conseguir de uma forma mais complexa as informações em relação a essas constantes quedas de energia em Teresina, que refletem uma falta de comprometimento da empresa com os cidadãos" - o vereador Ítalo Barros, que considera um "constrangimento" a Câmara não poder realizar uma sessão por conta de uma falha no serviço de fornecimento de energia.

Não há como poupar

Leia a coluna Roda Viva desta quinta-feira.

Não há como poupar

A imensa maioria dos brasileiros segue tendo dificuldades para poupar dinheiro. Dados apurados pelo Indicador de Reserva Financeira, da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), revelam que somente 19% dos consumidores conseguiram terminar o mês de janeiro guardando alguma quantia. A maioria (75%) encerrou o período sem fazer qualquer tipo de reserva financeira, enquanto 6% não souberam ou preferiram não responder. Segundo o levantamento CNDL/SPC, a dificuldade em poupar é ainda maior entre os brasileiros de menor renda (o que é bastante presumível). Nas classes C, D e E apenas 15% conseguiram guardar ao menos parte de seus salários em janeiro, percentual que chegou a 32% entre os consumidores das classes A e B. Entre os brasileiros que não pouparam nenhum centavo em janeiro, 39% alegam ter uma renda muito baixa, o que torna inviável ter sobras no fim de cada mês. Outros 21% foram surpreendidos por algum imprevisto financeiro, enquanto 17% disseram não possuir fonte de renda. Há ainda 16% de consumidores que admitiram perder o controle dos gastos, e 10% que culpam a falta de disciplina para manter o hábito de guardar dinheiro. Outro dado do levantamento revela que mesmo entre aqueles que guardam dinheiro com frequência (35%), na maior parte dos casos a reserva que juntam não é fruto de um planejamento. Em cada dez poupadores, seis (60%) guardam o que sobra do mês sem planejar, ao passo que 40% sempre estipulam um valor a ser poupado. Na nota em que expõem os dados da pesquisa, as entidades CNDL e SCP Brasil pontuam que "nem mesmo o início de um novo ano, período em que muita gente se compromete a mudar velhos hábitos, foi capaz de encorajar o brasileiro a pensar no futuro". A constatação, porém, é um tanto quanto injusta. É importante enfatizar que o país ainda possui cerca de 12 milhões de desempregados, e a imensa maioria dos brasileiros que trabalham não ganham um valor suficiente sequer para garantir o básico às suas famílias.

Reportagem veiculada pelo jornal Estadão nesta quarta-feira, em seu site, informa que o Ministério do Meio Ambiente estaria impondo uma "lei do silêncio" ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e ao Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). Segundo o periódico, a orientação dada aos órgãos vinculados ao ministério é de que não se manifestem publicamente sem submeter, previamente, todas suas informações à pasta. É oportuno destacar que o MMA está sob o comando do advogado, administrador e político Ricardo Salles, que recentemente foi condenado por improbidade administrativa, por supostamente ter favorecido empresas de mineração.

Reservas usadas

Metade (51%) dos brasileiros que conseguiram fazer uma reserva financeira tiveram de sacar parte de seus recursos guardados já no primeiro mês do ano. O destino dessa quantia foi, principalmente, para cobrir despesas com imprevistos, como doença e desemprego (14%). Há ainda 13% de pessoas que tiveram de usar esse dinheiro para pagar contas e 12% que saldaram dívidas atrasadas com o recurso. Para 7%, o objetivo do saque foi realizar uma compra.

Brasileiro não sabe investir

De modo geral, o levantamento realizado pela CNDL/SPC mostra que o brasileiro tem um perfil conservador na hora guardar o dinheiro e opta por modalidades de fácil liquidez, ou seja, em que há praticidade na hora do resgate. Em janeiro, 64% dos que possuem reserva financeira disseram que costumam recorrer à tradicional caderneta de poupança. A segunda opção mais citada é guardar dinheiro na própria casa (23%), escolha arriscada do ponto de vista de segurança e desvantajosa financeiramente, uma vez que não gera rendimentos ao consumidor. Há, ainda, 13% que deixam o dinheiro parado na conta corrente.

Opções mais rentáveis

Outras alternativas mais rentáveis de investimentos, mas menos citadas pelos poupadores, são os fundos de investimento (8%), tesouro direto (8%), previdência privada (7%), ações na bolsa de valores (4%) e letras de crédito, como LCI e LCA (3%) e CDBs (3%). Em média, os poupadores guardaram R$ 558,38 em janeiro.

Na avaliação do educador financeiro José Vignoli, a liderança da poupança como principal modalidade de investimento do brasileiro comprova que, mesmo entre os que possuem uma reserva financeira, há pouca familiaridade com aplicações mais rentáveis e adequadas para cada objetivo. “Existe um leque de opções mais vantajosas no mercado do que a poupança e que são adequadas para investimentos de curto prazo, como os CBDs e o Tesouro Direto, por exemplo. O grande desafio não é escolher um investimento que supere a poupança, pois existem vários neste sentido, mas saber optar pelo que melhor se encaixa com o perfil e os objetivos de vida de cada consumidor”, explica Vignoli.