• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Roda Viva

R$ 26 milhões roubados

Leia a coluna Roda Viva desta terça-feira.

16/07/2019 08:37h - Atualizado em 15/07/2019 19:36h

R$ 26 milhões roubados

A Justiça Federal recebeu quatro denúncias do Ministério Público Federal no Piauí contra a organização criminosa que atuava no Piauí e Maranhão fraudando benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O grupo, composto por 21 pessoas, foi preso em maio deste ano pela Polícia Federal, durante a operação “A Grande Família”. A fraude, segundo as denúncias do MPF, supera os R$ 26 milhões. "A organização criminosa era estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas. O grupo se dividia em quatro núcleos distintos: familiar, operacional-modal, operacional de idosos e de agentes públicos", esclareceu o Ministério Público. O objetivo era obter vantagem econômica mediante a prática de uma série de crimes: estelionato qualificado (quando praticado contra entidade pública), falsificação de documento, falsidade ideológica, uso de documentos falsificados, inserção de documentos falsos em sistema de informações, corrupção passiva, prevaricação, corrupção ativa, apropriação de valores de benefícios de pessoas idosas e organização criminosa. O MPF ressalta que a Polícia Federal segue realizando investigações destinadas a desbaratar outras organizações criminosas que estão fraudando o INSS.

"Estamos melhorando as condições de infraestrutura de trabalho dos policiais, e o objetivo é que melhores condições de trabalho tragam um melhor retorno para a sociedade. Queremos também fortalecer as relações interinstitucionais, para ampliar a fiscalização, tanto na prevenção de acidentes como no combate à criminalidade" - o inspetor Stênio Pires Benevides, superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Piauí, destacando que tem dialogado com gestores da Prefeitura de Teresina, da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, da Polícia Civil e de outros órgãos, com vistas a viabilizar parcerias entre as instituições, para melhorar as atividades desenvolvidas pela PRF no estado.

Outro lado

Sobre a notícia publicada no portal O DIA que informava sobre o atropelamento de um cão na parada final de ônibus do bairro Cidade Leste, um funcionário da empresa, que pediu para não ser identificado, entrou em contato com a reportagem do jornal O DIA para esclarecer que, em momento algum, os funcionários da empresa Cidade Verde agiram de forma desrespeitosa em relação ao cachorro ou às pessoas que socorreram o animal. De acordo com o funcionário, o que houve foi uma "fatalidade", tendo em vista que o motorista não observou que o animal estava deitado em frente a um dos pneus do veículo. Ainda de acordo com o funcionário, o motorista do ônibus teria ficado extremamente triste por conta do acidente. "Ninguém vai matar um cachorro porque quer. Ele não viu", pondera.

Inadimplência desacelera

Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que, após atingir crescimento recorde no auge da recessão econômica, a inadimplência do consumidor dá sinais de desaceleração. O volume de atrasos no primeiro semestre de 2019 cresceu 0,9% na comparação com o final do ano passado. Trata-se da segunda menor variação nos atrasos desde 2012, quando a inadimplência havia crescido 5,8% no primeiro semestre daquele ano. Já em 2017, o crescimento observado fora muito semelhante ao deste ano, com alta de 0,8%.

Inadimplência desacelera II

Considerando apenas o mês de junho, o volume de consumidores com contas sem pagar e registrados em listas de inadimplentes também apresentou um crescimento mais modesto: alta de 1,7% frente a junho de 2018. É o menor avanço na base anual de comparação desde dezembro de 2017 (1,3%).

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí informou que terminou "sem maiores avanços nas negociações" a reunião realizada nesta segunda-feira (15) entre a entidade sindical e os secretários de Administração, Merlong Solano, e da Justiça, Carlos Edilson. Este último disse aos agentes que vai solicitar novas nomeações de aprovados no último concurso da categoria, e que a convocação dos demais classificados para o curso de formação só deve ocorrer depois que essas nomeações forem realizadas.


Deixe seu comentário