• Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
Pelo Piauí

Escolas podem realizar pequenas reformas com Pactue Extra

Escolas podem realizar pequenas reformas com Pactue Extra

17/10/2018 14:11h

"Fachada da escola pintada, fiação elétrica renovada, construção de estacionamento dentro da escola, manutenção de splits e bebedouros, modernização da cantina, reforma da quadra poliesportiva com direito a pintura e troca de grades, traves e portas", enumera, orgulhosamente, Francisca Resende, gestora do Centro Estadual de Tempo Integral (Ceti) Pedro Coelho de Resende. Todas essas melhorias foram feitas pela própria escola por meio do Pactue Extra, um incentivo financeiro para a manutenção da estrutura física e administrativa das dependências escolares, mantido exclusivamente com recursos do Tesouro Estadual.

A escola, localizada no município de Boa Hora, atende mais de 470 alunos nas modalidades Ensino Médio em Tempo Integral e Educação de Jovens e Adultos (EJA), e passou a receber o recurso em 2017. "O Pactue Extra fez toda a diferença para nós. Além das grandes obras que a própria Secretaria Estadual de Educação já realiza, nesse pouco tempo conseguimos fazer diversas melhorias em nossa infraestrutura, de acordo com nossas necessidades", comemora a gestora.

"O Pactue Extra foi criado pensando em dar celeridade aos processos abertos para realização de pequenas reformas das escolas. Por conta dos trâmites legais, as verbas emergenciais demoravam até três meses para chegar às escolas. Esse prazo atrapalhava, e muito, a vida dos alunos e educadores", explica o secretário de Estado da Educação, Hélder Jacobina. Essa verba é repassada em cima de demandas extraordinárias, de acordo com um checklist feito no início de cada ano, para reparos que não são rotina. Todas as escolas regulares recebem 02 parcelas de R$ 3200,00 e as escolas de Tempo Integral recebem R$ 7.300,00, também em duas parcelas. 

Uma das vantagens, segundo Francisca Resende, é a diminuição da burocracia. "Nós fazemos o checklist das necessidades da escola e, depois da aprovação da Seduc, o dinheiro cai na conta e é acompanhado pelo conselho escolar que nos ajuda, também, a detectar as prioridades. O técnico financeiro da escola faz o acompanhamento de tudo e leva a prestação de contas para a Gerência Regional de Educação (GRE). Isso também nos dá a oportunidade de contratar mão de obra e comprar os materiais no próprio município", esclarece.

Além disso, a gestão faz um trabalho de conscientização para conservação por meio de ações pedagógicas e do auxílio do grêmio estudantil, já que a escola é um patrimônio de todos.

Socorro Marreiros, diretora da U.E. Bucar Neto, de Floriano, diz que o Pactue Extra é uma verba muito importante porque os diretores são capazes de fazer melhoria nas escolas mais rapidamente com esse recurso. "Aqui na Bucar Neto, com o repasse do Pactue Extra, levantamos o muro, que oferecia perigo para os alunos, revitalizamos o jardim e reformamos três salas de aula que não tinham nem piso e nem forro", enumera.


Deixe seu comentário

Tags: piaui, escolas,


Notícias Relacionadas