Opiniao

'Novo Nicho': Leia o Editorial do Jornal O Dia desta segunda

Dados do IBGE mostram número expressivo de solteiros, que gastam mais que casados

15/08/2011 09:07h

Compartilhar no

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui 47,1 milhões de solteiros, que movimentam por ano R$ 418,7 bilhões e investem cada vez mais em si mesmos. Ainda segundo o IBGE, 70% dos solteiros brasileiros têm até 35 anos e 90% moram na casa dos pais. De acordo com especialistas, os solteiros poupam menos que os casados, especialmente por gastarem mais com supérfluos, enquanto os casados dão preferência a gastos com a casa ou, se tiverem, com os filhos. Na lista de prioridades desse público estão entretenimento, roupas e acessórios e viagens. As novas oportunidades de trabalho e renda, assim como a expansão nos estudos e profissionalização, são os fatores que justificam o aumento do poder de compra das pessoas solteiras no Brasil e também no Piauí.

O número expressivo de solteiros e o crescimento do poder aquisitivo dos jovens faz crescer, em todo o país, um mercado todo voltado para atender às exigências desse novo público. Em Teresina, há uma tendência de expansão do mercado imobiliário voltado para pessoas que decidem morar sozinhas: quitinetes, pequenos apartamentos e flats, todos planejados para dar comodidade e praticidade a quem vive só. Da mesma forma, as grandes indústrias de alimentação já investem em comidas fracionadas, favorecendo o consumo e evitando o desperdício. Para aqueles que ainda optam por viver na casa dos pais, mas conservando a independência financeira, o mercado investe na oferta de pacotes de viagem e no ramo de confecções, cuidados pessoais e acessórios.

Se o mercado se volta a esse novo nicho, composto por quase 500 milhões de solteiros em todo o país, é necessário que esse público também se eduque para o mercado. O crescimento do poder aquisitivo favorece o aumento do consumo que, se não for bem direcionado, pode trazer consequências para a vida financeira do indivíduo. Se os solteiros poupam menos que os casados, é preciso ainda mais cuidado em saber gastar, a fim de não comprometer o orçamento com dívidas superiores à capacidade de pagamento. É preciso perceber que a tão sonhada independência traz consigo a responsabilidade de arcar com os resultados de seus atos. Morando sozinhos ou na casa dos pais, os solteiros precisam se educar para o consumo consciente e para o investimento - que, diferente do gasto simples, prevê a melhoria da qualidade da vida num futuro próximo.

Compartilhar no
Fonte: Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas