Opiniao

'Falta prudência': Leia o editorial do jornal O DIA deste sábado

Confira o editorial do jornal O DIA deste sábado, 12 de novembro de 2011

12/11/2011 11:22h

Compartilhar no

De acordo com o Anuário Estatístico de Trânsito do Piauí relativo ao ano de 2010, o número de vítimas fatais em acidentes de
trânsito no Estado cresceu 42%. Em 2009, foram 590 mortos; esse número saltou para 840 em 2010. Em todo o ano passado o Piauí registrou 10.517 acidentes, 51,8% deles com vítimas.

Com base nos dados disponíveis no anuário, é possível traçar um perfil das condições de grande perigo para a ocorrência de acidentes no estado. As rodovias federais apresentam um maior risco para o condutor que dirige à noite, especialmente das 18 às 19 horas, horários cujos índices gerais de acidentes são mais altos.

Durante a semana, os sábados e domingos, das 19h às 20h, foram os mais perigosos em 2010. Em Teresina, o período considerado mais crítico vai das 12h às 13h e das 17h às 18 horas.

De todos os acidentes, 53% envolvem motocicletas. Os motociclistas correspondem a 56% dos feridos e 52% dos mortos em todas as ocorrências no Estado em 2010.

No ano passado, foram 3.463 motociclistas feridos, contra 2.095 de 2009. Os mortos subiram de 267 em 2009 para 444 em 2010.

Os números falam por si. Revelam o que todos que enfrentam o trânsito conhecem. Em Teresina e nas estradas que cortam o
Estado, imprudência, direção perigosa (muitas vezes associada a bebidas alcoólicas), desrespeito à sinalização e às leis de trânsito e a cruel convicção de que não pode ir um pouco mais devagar.

Nas cidades do interior, ausência quase total de sinalização, aumento descontrolado da frota de veículos e falta de fiscalização. Resultado: acidentes, traumas, mutilações e mortes. É preciso agir com urgência. Além de trazer os dados, o Anuário serve para subsidiar o planejamento de ações educativas e de fiscalização, vez que retrata também o perfil das ocorrências, com horários mais perigosos, perfil das vítimas e meses com maior número de casos.

O documento mostra, em toda a sua extensão, a falta de consciência comum aos condutores de veículos do Piauí. A maior parte dos acidentes poderia ser evitada com um pouco mais de prudência e cortesia. É preciso fazer com que a população entenda que os acidentes de trânsito não são, grande parte das vezes, acidentes, vez que são previsíveis. Se o condutor age com imprudência, ele sabe que está colocando a própria vida e a de outras pessoas em risco, portanto, o "acidente" poderia ser evitado.

Para mudar o quadro atual não bastam campanhas educativas, nem somente a pedagogia da punição, é necessário haver uma comunhão de esforços para criar uma cultura de paz no trânsito piauiense. Um bom começo seria despertar cada cidadão para a sua condição mortal. Cada acidente que vitima um desconhecido poderia ter acontecido conosco.

Compartilhar no
Fonte: Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas