• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
ODIA Municípios

Mega subestação para projetos eólicos é energizada em Curral Novo do PI

Mega subestação dedicada a projetos eólicos é energizada em Curral Novo do Piauí

17/08/2015 08:46h

Foi energizada esta semana a maior subestação dedicada ao escoamento de projetos eólicos no Brasil. Com investimento superior a R$ 110 milhões, a SE Curral Novo do Piauí é um projeto fruto de uma parceria entre as geradoras Queiroz Galvão Energia, Casa dos Ventos, ContourGlobal e Chesf. “Concluímos o empreendimento em 12 meses, coisa que só a iniciativa privada conseguiria fazer com essa velocidade e em uma região de difícil acesso”, afirmou Roberto Di Nardo, diretor técnico da Queiroz Galvão Energia.

Localizada na Serra do Inácio, no município de Curral Novo, no Piauí, a subestação contribuirá para escoar 1.200 MW de capacidade instalada proveniente de seis complexos: Ventos do Araripe I e II (576 MW) da Casa dos Ventos; Caldeirão I e II (415,8 MW) da Queiroz Galvão Energia; Chapada do Piauí II (172,4 MW) da ContourGlobal em parceria com a Chesf; e Chapada do Piauí III (59,2 MW) pertencente somente a ContourGlobal.

A SE Curral Novo se destaca por quatro características: por estar em uma região de difícil acesso, por sua capacidade, pela velocidade em que a obra foi executada, mas principalmente por não ser um projeto objeto de leilão. O diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios da Casa dos Ventos, Lucas Araripe, explicou que esse é um empreendimento que partiu de investidores privados interessados em encontrar uma solução economicamente viável para escoar a energia de suas usinas.

A SE Curral Novo do Piauí II receberá dos parques eólicos energia em 230 kV e elevará para 500kV, para então distribuir no Sistema Interligado Nacional. A subestação, que possui sete autotransformadores, de 200 MVA cada, fará o seccionamento de uma importante linha de transmissão em 500 kV da State Grid, que liga São João do Piauí à Milagres e é responsável pela transferência de energia entre as regiões Norte e Nordeste do país.

“Trata-se de uma conexão dedicada, feita por um pool de empresas que tiveram um trabalho bastante desafiador do ponto de vista técnico, regulatório e jurídico”, destacou Di Nardo, da Queiroz Galvão Energia. Os equipamentos foram fornecidos pela francesa Alstom, sendo a Construtora Sucesso responsável pelas linhas.

Além de contribuir para a melhoria da infraestrutura elétrica da região, a construção do empreendimento foi um importante gerador de empregos para os municípios no seu entorno. Durante o período de obras foram gerados cerca de 1.000 empregos diretos e indiretos. “Geramos oportunidade de trabalho e desenvolvimento socioeconômico em uma região bastante carente”, frisou Di Nardo.

Fonte: Canal Energia

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas