• Campanha Mobieduca
  • Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
ODIA Municípios

Jaicós, Padre Marcos, Massapê e Jacobina ganham casa de sementes

Jaicós, Padre Marcos, Massapê e Jacobina ganham casa de sementes para produção de alimentos

05/06/2015 09:02h

O Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido lançou nesta terça-feira, 02/06, o Projeto Sementes do Semiárido, que visa à conservação e o uso sustentável da Agrobiodiversidade e constituem-se como um objetivo estratégico para a garantia da segurança e soberania alimentar e nutricional das populações que vivem no semiárido piauiense. O evento aconteceu no auditório Mestre Dezinho, localizado no Centro Artesanato de Teresina – PI, de 8 h as 11:30 h.

No Piauí, o projeto vai construir ao todo 49 banco/casa de sementes, onde contemplará 980 famílias divididas em 17 municípios na região semiárida, sendo 24 implementadas pela Cáritas Regional do Piauí e 25 construídas pelo Cerac. O projeto vai considerar os agricultores e agricultoras que fazem parte do regime de agricultura familiar agroecológica do semiárido, vai apoiar e fortalecer as casas de sementes já trabalhadas nos territórios, os beneficiários e beneficiárias do Programa 1 Milhão de Cisternas – P1MC e Programa Uma Terra e Duas Águas – P1+2, além de trabalhar diretamente com os grupos de mulheres agricultoras das comunidades, agricultores e agricultoras guardiãs de sementes crioulas, conhecida no Piauí como Sementes da Fartura, associações e grupos quilombolas. Para cadastrar as famílias também será preciso que tenha o documento Declaração de Aptidão – DAP.

Os municípios beneficiados serão Picos, Paquetá, Jaicós, Padre Marcos, Massapê do Piauí, Caridade do Piauí, Jacobina, Acauã, Valença, Pimenteira, Lagoa do Sítio, Pedro II, Milton Brandão, Lagoa de São Francisco, São Miguel do Tapuio, Castelo do Piauí, Buriti dos Montes.

Durante o projeto será desenvolvidas várias atividades, tais como: encontros territoriais, encontro de capacitação de comissões municipais, encontros comunitários (nos municípios e comunidades beneficiadas), cadastramento dos beneficiários (as), capacitação em caracterização de gestão comunitária da diversidade de semente, cadastramento das sementes, estruturação dos bancos de semente, aquisição de equipamentos, aquisição de sementes para a formação de estoque, capacitação em gestão de estoque de bancos comunitário de semente (onde será feito o teste de transgenias e umidades de semente), capacitação territorial sobre seleção, produção e multiplicação de semente.

Para o coordenador do Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido e assessor da Cáritas Brasileira Regional do Piauí, Carlos Humberto, o projeto vai além do simples fato de se construir casas de sementes, é também o fortalecimento da agricultura familiar. “O projeto sementes da Asa/Brasil é mais uma experiência que está sendo desenvolvida para melhorar a soberania alimentar do povo que convive com o semiárido. E tem como perspectiva o resgate da semente crioula, que são as sementes nativas do Piauí, também conhecidas como sementes da Fartura. E traz como o principal objetivo a consolidação do projeto de convivência com o semiárido e o fortalecimento da agricultura familiar” completa.

O projeto Sementes do Semiárido é uma realização da Asa Brasil em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social – MDS.

Edição: Geysa Silva

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas