• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
No Mirante

Como é feita a manutenção dos aviões

Rotinas de manutenção em aeronaves são rigorosas

04/02/2016 14:30h - Atualizado em 02/01/2017 15:40h

Você olha a pressão dos pneus de seu carro todo dia? Verifica o óleo? Tem itens verificados todo dia? Outros toda semana? Ou seu carro só vê manutenção quando quebra ou vai na revisão da concessionária? Pois bem, no mundo dos aviões isso é extremamente rigoroso e litúrgico. Antes de começar o nosso artigo, vale a pena dizer que estou me referindo a aviões comerciais, tipo os que atuam em Teresina. Cada avião tem o seu plano de manutenção e aqueles menores de taxi aéreo possuem outra rotina.

Quando um Airbus da TAM, um Boeing da GOL ou Embraer da Azul pousa em Teresina, um mecânico, devidamente habilitado pela ANAC, que cursou no mínimo 1 ano (entre 1 a 2 o curso completo com 3 módulos) em escola homologada, prestou uma prova junto a ANAC, foi admitido pela empresa e treinado/doutrinado no tipo de avião que inspeciona em curso de 30 dias, bem, este profissional irá efetuar um "Check de Trânsito" que consiste em uma "volta olímpica" ao redor da aeronave verificando diversos itens e sua integridade física, verificando o nível de óleo, efetuando o reabastecimento de combustível e interagindo com a tripulação técnica (pilotos) quanto a possíveis panes (e tomando ações em caso destas existirem). A cada pouso, em qualquer cidade, o avião passa por esse Check de Trânsito.

Ao final do dia, ou durante o dia, em um intervalo de 4 horas em solo, o avião passará pelo "Check Diário", onde diversos itens serão conferidos, tipo pressão dos pneus, carga de oxigênio, leitura de computadores de bordo (que podem "contar" ao mecânico onde está "doendo" e até qual o "remédio" a ser tomado), verificação de luzes, etc... os checks dos aviões são cumulativos, então um check diário incluí o check de trânsito.

Ao final de 7 dias, o avião passará pelo Check Semanal, que inclui o check de trânsito e o check diário, acrescido de mais itens, o controle e planejamento de manutenção da empresa poderá direcionar para algum check diário ou semanal atividades extras como a troca de um gerador, a lubrificação e engraxamento de partes, troca de outros componentes.

"Na concessionária"

Assim como carros que devem ir a X KM ou tantos meses até a concessionária, o avião possui intervalo de horas ou ciclos (ciclo é o ato de decolar e pousar, por exemplo Teresina - Fortaleza dá 50 minutos de voo e gasta um ciclo, Teresina - Belo Horizonte dá 2h30m de voo e gasta 1 ciclo). Ao atingir um número de horas/ciclos (varia acordo modelo e programa de manutenção), o avião então pára em um grande centro de manutenção da empresa operadora e passa pelos checks A, B, C e D (a nomeclatura mais comum é essa, existem outras variantes). O Check D é o mais "intenso" quando o avião é literalmente desmontado, com todo interior removido, motores e trem de pouso "trocados", volta como se fosse novo, isso acontece em intervalos dilatados, afinal para se chegar a um Check D, o avião fez vários A, B e C.

"Tudo Escrito"

Vou usar um exemplo, a SETE tinha um avião todo prateado, voava bastante em Teresina, este avião foi comprado em 2014 junto a uma empresa Americana que o comprou zero na Embraer, pois desde o dia que este avião saiu da Embraer na década de 90, todas panes, intervenções de manutenção foram registradas e a SETE as possui. Mas como assim? O avião não era de uma empresa americana? Pois é, quando a SETE comprou recebeu todos Technical Logbooks, que são os livros técnicos onde as intervenções de manutenção foram escritas. Uma simples lata de óleo colocada em um avião, é registrada no seu livro técnico, a troca de pneu, a lâmpada que queimou, etc. Se a SETE vender este avião, lá se vão todos os livros junto com ele até o final de sua vida operacional.

Recordo uma vez ter visto um avião chegar para a TRIP, com origem de uma empresa Italiana, dentro do avião haviam caixas e mais caixas, o conteúdo? Livros Técnicos desde quando o avião foi fabricado. Isso mostra a seriedade de como a aviação é tratada e os aviões são cuidados.

E os teco-tecos?

Os teco-teco ou melhor aviões de pequeno porte, costumam ter checks pré-voo, onde o próprio piloto ou um mecânico faz verificações e a cada 100 ou 200 horas de uso é feito uma inspeção de manutenção onde são verificados diversos itens como mangueiras do motor, bateria, pressão de pneus, etc e obrigatoriamente 1 vez por ano é feita a IAM - Inspeção Anual de Manutenção, que garante que o pequeno avião está com tudo OK!

Já pensou cuidar de seu carro assim? A manutenção de avião tem muito a nos ensinar não só em carro, mas em casa, até hotéis deveriam se inspirar nisso. Você tem um hotel, pousada e se interessou nisso? Entre em contato comigo, temos boas idéias a trocar!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas