• assinatura jornal

Notícias No Mirante

07 de julho de 2016

Vossa Majestade O CLIENTE

A principal "peça" do seu trabalho

Estava produzindo um material para uma palestra com o título Vossa Majestade O CLIENTE e a Excelência Profissional , fruto de uma sequência de azar (e uma sequencia menor de sorte) com experiências negativas, somado todos os anos que trabalhei em aeroporto (e a carreira é extensa, comecei cedo).

No mundo atual, tenho a percepção que o respeito ao próximo foi banalizado, inclusive no ambiente comercial. Tenho uma coletânea de más respostas, histórias de chorar de rir (depois que a raiva passa né?) que beiram a ficção tanto no campo do atendimento ao cliente quanto da postura profissional. É preciso repensar essa postura daqueles que trabalham com o público, por mais que existam clientes chatos ou inconvenientes, é necessário manter a “pose”, afinal é do dinheiro dele que sai o seu salário e por consequência o seu sustento.

Já vi gente ser promovida ou trocar de emprego, apenas por ter sido correto ou ter sido excelente na sua atividade! Tenho o costume dizer que sempre tem alguém observando, assim como já vi absurdos que conto em sala de aula, mas jamais escreverei em lugar algum! É preciso ter em mente a resposta para seguinte questão: “Aonde eu quero chegar profissionalmente?”, trata-se da chave do sucesso profissional. A partir desta resposta é que você poderá trilhar caminhos que te levem a excelência profissional e sobretudo o bom atendimento ao cliente.

A propósito, quer melhorar o seu currículo? Quer trabalhar no fascinante mundo da aviação? Estou promovendo o Curso Intensivo de Agente de Aeroporto em Teresina nos dias 23 e 24 de Julho, maiores informações clique aqui . E na manhã do dia 23 de Julho estou com a palestra/workshop Vossa Majestade O CLIENTE e a Excelência Profissional, maiores informações clique aqui .

NO MIRANTE é um grande orgulho que tenho, é escrever no portal do maior jornal do Piauí, cuja credibilidade é inquestionável, e cheguei aqui na persistência de descomplicar a aviação e compartilhar conhecimento e sentimentos!

23 de junho de 2016

O Profissional Invisível

O responsável por você voar seguro


Eu mesmo em Junho de 2012 em Brasília com o Embraer 175 da TRIP... 8 da manhã, trabalhando desde as 23!

Você já ouviu falar do Mecânico de Avião? Você já viu um? Somos invisíveis, enquanto você dorme para viajar as 6 da manhã, ele já está no aeroporto, cuidando do avião que você vai viajar! Quando o piloto chega do hotel para assumir o vôo, o avião já está com tudo OK, com panes corrigidas, com documentação técnica dentro do estabelecido pela ANAC, com pressão de pneus verificada, óleo dos motores no nível correto, motores inspecionados, luzes, cada poltrona, integridade física de todas as partes vitais ao voo, e uma infinidade de detalhes que não cabem em um artigo, só os livros do meu curso do Embraer 175 equivalem a três bíblias católica em tamanho, o meu curso foi o "Line Base" ou seja, digamos que foi um curso "light" do avião, pois é para os mecânico que trabalham na "linha", aqueles que trabalham no hangar tem um treinamento muito mais profundo.

Mas ninguém vê o mecânico! Ele é até esquecido em comunicado interno comemorativo nas empresas (eu vi, eu guardei um aqui...), mas ele está ali! E você sabe qual é o tempo de formação dele? O mecânico que assina o Relatório Técnico de uma aeronave tem no mínimo 7 anos exercendo a profissão, some aí a esses 7 anos pelo menos 3 de estudo na "escolinha" e prova na ANAC... 10 anos! E lá estará o mecânico, no sol de meio dia em Juazeiro do Norte, na noite quente e úmida de Manaus, na chuva tradicional de toda tarde em Belém, no pátio em chamas de Cuiabá, no frio de Londrina, nas noites frias de Porto Alegre, no vento misturado com cheiro de rio e mar de Porto Seguro e muitas vezes este mecânico lá do calor de Manaus é um gaúcho que foi desbravar a aviação nortista e por sua vez o "congelado" em Curitiba é um Manauara que veio para o Paraná para exercer a profissão.

Uma coisa que sempre dei valor foi conversar com pessoas mais antigas na profissão, são verdadeiras fontes de sabedoria e histórias e certa feita um me disse "Somos aquele da peça de teatro que fica atrás da cortina, mas essencial ao espetáculo" e isso é a mais pura verdade! Somos as vezes tratado com preconceito, pelo próprio pessoal ao redor (Equipe de aeroportos e até comissários - tenho "200" histórias para citar!), mas também somos tratado com respeito e gratidão por outros. Também nos divertimos demais, colecionamos histórias hilárias onde até Duendes aparecem em aeroportos. Ao longo de sua carreira algumas más pessoas, dignas de total desprezo irão te machucar, por o pé para você cair, o único que não irá te apunhalar pelas costas será aquele que te motivou a profissão: O AVIÃO! O avião nunca me sacaneou, nunca me fez mal, alguns eu criei laços - não estranhe, no meio aeronáutico não somos normais - como PT-SLE, PP-PTJ, PP-PTL, PR-TTF, PR-TTE, PR-TTI, PP-PJD, PT-SRF, PR-OAK, PR-OAG, PT-MFE, PR-TTE, PT-SLC, esses eu trabalhei diretamente, e tive aqueles que eu "não alcancei" como PP-SMA, SMP, SNM... nosso elo com aviões é tão grande, que outro dia vi uma fuselagem dentro de um Shopping e em 2 segundos já estava procurando a placa de identificação, resultado, era o Embraer 120 serial 120192, meu antigo colega de trabalho PT-SRF, agora divertindo crianças...

Muitos de nós não somos vistos nem por vizinhos, risos, pois trabalhamos a madrugada toda e dormimos o dia inteiro, outros estão agora, no momento que você lê este artigo no país todo, no mundo todo, garantindo a sua segurança, garantindo o seu conforto (ou você acha que um ar-condicionado de avião é igual o "ar de janela" de sua casa? que a poltrona é inquebrável?) e realizamos esta profissão sob os olhos atentos de uma agência reguladora (ANAC), sob a responsabilidade jurídica de termos uma CHT (tal como o dentista tem CRO, o médico tem CRM, o advogado tem OAB...). Estamos ali, presente em cada avião no pátio, mas somos invisíveis... o nosso trabalho aparece a cada decolagem, a cada pouso, sabe por que? Porque "deu certo", porque o avião decolou e o trem de pouso recolheu, por que o PW127 de um ATR72 deu o torque correto e 100% de NP na decolagem, porque quando o motor #1 "pegou" o gerador #1 entrou na barra (termos estranhos né? Mas fazem parte do nosso cotidiano), porque quando o avião pousou no destino, os freios trabalharam, o reverso entrou, os spoilers levantaram e você chegou aos braços de sua família ou ao local de trabalho de forma SEGURA, pois é nossa bandeira a SEGURANÇA DE VOO!

Alexandre Conrado | NO MIRANTE - Portal O Dia
Teresina, PI - 23JUN2016
www.facebook.com/acwaeroconsultoria  

20 de junho de 2016

Do alto do mirante

Uma postagem honrando o nome do blog!

O bacana de ter blog é que por vezes diversos assuntos simultâneos surgem, de forma que vale a pena um único post com vários temas, afinal não somos o "NO MIRANTE"? Aquele mesmo lá da Estaiada, com 360 graus de vista para Teresina, então vamos lá...

SALIPI

Aconteceu o 14° Salão do Livro do Piauí, SALIPI, excelente evento que leva a leitura a todas as pessoas, ler um livro é tão enriquecedor ou mais, quanto uma viagem por exemplo, é a oportunidade de você conhecer novos temas, novas culturas, e conhecimento nunca é demais!

FALANDO EM LIVRO...

O Professor Francisco Corrêa, profissional de vasto know-how em Turismo no Piauí, lançou já tem um tempo e é sempre válido recordar este excelente livro (ebook, formato digital para você ler no computador, no tablet, etc) “Turismo no Piauí: Aprendendo com a História” traz um conteúdo inédito na literatura piauiense. O autor, cuja família é completamente envolvida na atividade turística no estado conta a história do turismo no estado desde os naturalistas europeus do século XIX. O conteúdo passa pelos precursores da aviação, que, desde a década de 1920 transportavam cargas e pessoas do Piauí até outros estados e países. Uma parte muito bacana são as entrevistas com empresários do setor e gestores públicos por exemplo: Mamede Castro, Alberto Silva, Silvio Leite, Enéas Barros, entre outros. O Professor além de resgatar a nossa história, também mostra que vários planos já foram desenvolvidos para o turismo no estado, mas poucos chegaram a sua completa execução. Recomendadíssimo!

11 de maio de 2016

Cessna Caravan - O trator de asas

O melhor avião do mundo em sua categoria

Existem aviões que por suas características operacionais deixam de ser aviões para serem ícones da aviação, um exemplo é o DC3, transportador da 2ª Guerra Mundial, que foi a espinha dorsal de inúmeras empresas que estão aí hoje (ou outras que se tornaram história), podemos falar do Boeing 737 (em todas suas versões). Mas o personagem deste artigo é o monomotor Cessna Caravan (C208B Grand Caravan EX).

O Caravan a gente pode até fazer uma analogia ao Fusca, ao Opala, ao Gol, veículos que ninguém chama de carro, chama pelo nome! Não se chama o Caravan de avião, de monomotor ou de teco-teco, chamamos ele de CARAVAN, O CARAVAN! Eu conheci esse avião nos anos 90 quando ainda era criança, já um leitor e amante de aviação. Naquela época, o saudoso Comandante Rolim (fundador da TAM), usava dezenas desta aeronave (em sua versão I) na BR Central, empresa aérea regional que operava desde Goiânia até Belém pontilhando o mapa. O Caravan surgiu da necessidade da FEDEX, gigante de cargas americano, que precisava de um avião robusto, de boa capacidade de carga, custo operacional baixo, eis que nasceu o mito: C208. Na região Nordeste do Brasil, o Caravan é muito conhecido pela sua operação na TAF Táxi Aéreo de Fortaleza e na Abaeté Táxi Aéreo de Salvador, esta última utiliza inclusive o avião no turismo aéreo entre Salvador e Morro de São Paulo.

Mas o Caravan se tornou minha paixão e obsessão nos últimos 10 anos, onde procurei conhecer-lo técnica e operacionalmente, aprender seus custos, suas artimanhas, é IMPOSSÍVEL (em caps lock mesmo) não se apaixonar pelo Caravan, seja como mecânico, como empreendedor, como operações, o avião é um trator de asas! E desde 2013 tenho aprimorado meu projeto de aviação regional envolvendo dois pontos centrais: Teresina e Salvador, afinal a aviação regional é o caminho mais veloz (literalmente) para o desenvolvimento do interior do Brasil. Calhou a notícia recente por parte da SETUR do Piauí, de que a Piquiatuba (táxi aéreo de origem Santarena) irá operar o magnífico Caravan entre PHB-THE-PCS-SRN. E então não poderia deixar de escrever sobre este trator alado.

 

O CARAVAN só tem um ponto negativo, a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, retém um avião cujas dimensões são de 12,7 metros de comprimento por 15,8 metros de envergadura, transportando apenas 2 pilotos e 9 passageiros, enquanto a EASA, órgão regulador da aviação Europeia libera 12 passageiros + 2 tripulantes ou seja 14 pessoas a bordo! Na aviação comercial, existe uma métrica de custo chamada CASK - Custo Assento Kilometro, e de 9 para 12 passageiros o CASK varia brutalmente e isso tem reflexo direto em um "pequeno detalhe": O preço da passagem! Detalhe sórdido, no passado (leia-se anos 90) o CARAVAN operava com 12 passageiros e a TAM/BR Central voavam para dezenas de cidade no Centro-Oeste, Norte, Sul e Sudeste, bastou a restrição de 9 passageiros aparecer para tornar o custo operacional alto e o avião praticamente desaparecer do transporte aéreo regional, aliás este medida afetou o Piauí na época, com a TAF saindo da rota Picos - Teresina - Sobral - Fortaleza.

Nos estudos desenvolvidos por mim a respeito do Caravan operando com 12 assentos, o CASK chega a baixar 25%, o que é bem relevante aos custos de uma industria balizada pelo dólar, moeda cuja valorização sobre o real é o calcanhar de aquiles de todas empresas aéreas atualmente.

NA PRÁTICA

O Caravan é usado no Brasil pela Piquiatuba Táxi Aéreo (em sua principal rota: Belém - Novo Progresso, via Altamira, Santarém e Itaituba), pela ASTA Linhas Aéreas (baseada em Cuiabá e servindo diversos destinos do Mato Grosso), pela RIMA Táxi Aéreo (baseada em Porto Velho que o utiliza para Cacoal e Lábrea, além do táxi aéreo), e inúmeros operadores de táxi aéreo, inclusive na versão anfíbia no Amazonas. Outros operadores são empresas de courier (carga) como a JAD e TWO cuja operação é nacional, além claro da Força Aérea Brasileira que possui quase 20 unidades da aeronave. A Cessna já entregou mais de 2.500 unidades desta aeronave desde os anos 80.

O avião é FANTÁSTICO, voa por 964 milhas náuticas (quase 1.800 Km) a 195 nós de velocidade (algo como 360 Km/h), transportando até 11 pessoas (regras Brasileiras). Seu peso máximo de decolagem é praticamente 4 toneladas (3.995 Kgs). Seu consumo de combustível é de 243 litros de querosene por hora, alimentando um motor PT6 (cuja fama na aviação é a seguinte: O apocalipse acontece, mas um PT6 não te deixa na mão) de 867 Shp. Isso mesmo que você leu: UM MOTOR! O avião é monomotor, mas você não encontra facilmente situações de que este avião se acidentou por falta de motor.

No Piauí, vislumbro facilmente que um par destas aeronaves permitiria ligações ideais entre a capital e cidades como Uruçuí, Bom Jesus, Picos, São Raimundo Nonato, Floriano, Pedro II, Parnaíba, Sobral, Imperatriz e obviamente a partir de algumas das citadas alcançaríamos capitais vizinhas como São Luís e Fortaleza ou Petrolina como destino regional.

Não existe "tempo ruim" para o Caravan, ele encara pista de terra, de grama, de asfalto, de concreto, ele encara o sol piauiense e decola de Picos meio dia sem stress (o mesmo não poderia dizer sem aplicar penalidades operacionais a aviões maiores no mesmo contexto). O Caravan simplesmente vai e faz. E é isso que esperamos, que ele faça o tão esperado desenvolvimento do transporte aéreo no interior Piauiense.

E OS VOOS NO PIAUÍ?

Anunciou-se por parte do Governo do Piauí, uma empresa chamada TW Fly que iria operar a aeronave, infelizmente a qualidade da informação foi precária e após extensa pesquisa por nossa parte concluiu-se que quem vai operar é a Piquiatuba com o Caravan e a TW Fly será a agência promotora dos voos na rota Parnaíba - Teresina - Picos - São Raimundo Nonato, o que vejo com bons olhos (inclusive comparando ao meu projeto, ou seja, vejo viabilidade no negócio). No entanto espero que o público "compre o produto", sem preconceitos com o tipo de aeronave e por outro lado sem esperar promoções de 50 ou 100 reais (que não acontecerá JAMAIS!).

Fica apenas um lembrete, mais uma vez, como ao longo dos últimos 80 anos, tem que vir uma empresa de fora para apostar no estado, pois ninguém local aposta na própria terra, não citarei nomes, mas procurei uma pessoa local e sequer quis me ouvir, e a ideia então já contava com o Caravan como ferramenta de trabalho.

08 de maio de 2016

Clara Mae - uma potência vocal

Uma cantora que ouvi e simplesmente me encantei.

Eu sou uma pessoa extremamente crítica quando o assunto é música, ainda que meus amigos digam que meu gosto é duvidoso por conta de umas recaídas de escutar música Brega (é viciante, quem resiste? risos!). Mas minha essência musical foi construída no começo dos anos 90 e perdura até hoje e por conta de um dos pilares da minha essência musical eu conheci uma cantora que se tornou rapidamente a minha favorita.

Estou a falar de Clara Mae, uma sueca de 25 anos, nascida em Gavle, que canta desde criança, acabou disputando o Idolos Sueco e posteriormente assumiu o vocal principal do famoso grupo daquele país, o Ace of Base. Posteriormente iniciou sua carreira solo, produzindo e compondo suas próprias faixas, além de emprestar sua viciante voz a projetos paralelos. Mas para falar de uma cantora ou grupo musical palavras não se fazem suficiente, temos que ouvir sua capacidade vocal e escolhi 3 músicas para tal. 

O primeiro é faixa Changing Faces, música autoral, lançada na internet em versão estúdio e posteriormente uma versão “artesanal”. Sua letra é bem interessante, alias em conversa recente com a Clara (super atenciosa com fãs), ela faz questão de frisar que suas músicas são feitas para fechas os olhos e “viajar” na letra.


Já a dançante Save Me é um verdadeiro “bate estaca”, originária de um projeto de DJ (algo muito comum no cenário da música eletrônica atual), Clara foi convidada a entrar com sua voz e acabou participando da composição da letra também.


Sua última aparição, enquanto dedica-se a composição, produção e gravação de novos singles, foi no projeto “KISS Make Up”, a gravadora da famosa banda adorada pelos roqueiros de plantão convidou várias cantoras ( apenas mulheres)