• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Megazord

Live-actions e a polêmica das caracterizações dos personagens

Falta de paciência e atestado de fidelidade, é algo que "fãs" alegam no primeiro contado com as caracterizações.

12/02/2019 12:22h - Atualizado em 12/02/2019 12:31h

O que começou com fotos, logo “ganhou movimento”. Ainda ontem (11), foi lançado o teaser do live-action de Aladdin, uma das produção da Disney mais aguardadas para 2019. E dentre os vários pontos de destaque, um dos mais polêmicos foi sem dúvidas a aparição do gênio da lâmpada, interpretado pelo ator Will Smith. 

Nas primeiras fotos divulgadas, o gênio foi apresentado sem a total caracterização (não azul), o que começou a levantar burburinho sobre fidelidade do personagem e se ele teria ou não coloração. Depois do teaser (com ele azul), os comentários foram sobre a “estranheza” do personagem. Vale ressaltar que o personagem aparece apenas em cinco segundos de trailer. 


O gênio na animação e no live-action. Foto: Reprodução

Não é a primeira vez, tampouco será a última, que a caracterização de personagens cria polêmica entre fãs. Recentemente, houve um grande impasse entre os admiradores de Titãs quando os personagens produzidos para a série foram apresentados. Entre os mais “desgostosos”, estava a caracterização de Estelar e de Ravenna. 

É preciso entender que adaptações e ajustes (mudanças) andam juntos. Logo, por que cada meio tem sua linguagem. A mudança de animação para live-action requer reajustes para que a história seja aceitável no meio a que se destina. É o mesmo que entrar na “velha rixa”, livros versus filme. Nem sempre a versão do filme é tão boa quanto a do livro (vide O lado Bom da Vida). Mas, é sempre uma aposta a ser feita. 

Outro ponto, a falta de paciência e o atestado de fidelidade. Assim que as fotos foram divulgadas, logo disseram que o filme não seria bom. “Não foram capazes de fazer um gênio azul, fala sério”, li em um tuíte. Quando o teaser saiu o comentário foi “que troço estranho é esse”, disse outro fã. O fato é que não da para saber se o personagem será bom em cinco segundos de trailer e nem com um elenco maravilhoso (devo lembrar de Suicide Squad?). “Não julgue o produto pela capa, as vezes o designer é bom, as vezes nem tanto”, um clichê bom para ser usado aqui e agora. 

Aproveitando os exemplos usados nesse texto, devo mencionar que a Anna Diop, mandou muito bem como Estelar (Titãs), mesmo não sendo laranja como na animação, o visual da personagem casou bem com a proposta da personalidade forte e ousada que ela tem. Não sei se teria dado certo se fosse diferente. Com a Ravenna, confesso que fiquei meio na dúvida e levou uns episódios para me convencer da proposta.


Estelar (série Titãs), interpretada pela atriz Anna Diop. Gif: Reprodução/tumblr

Em resumo e para fins de constatação, o apego ao personagem à vezes deixa a gente mais resistente a mudança, se negando a aceitar ele de uma forma diferente. Pode até soar estranho, mais creio que você entende o que quero dizer. Contudo, acredito que não vale “tacar no fogo” algo sem pelo menos ver a obra completa para assim poder concluir algo. Afinal, nem tudo vai dar sempre certo e maio já está bem aí para a gente poder ver se o gênio é bom mesmo, ou é só conto da carochinha.

Confira o trailer do live-action:



Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas