• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
M³

Para nossas mães ouvirem

Aproveitamos para dizer o que sempre faltou oportunidade

05/05/2011 12:54h

Todos os anos, o texto que trata do Dia das Mães é, sem dúvida, um dos mais difíceis de fazer. Primeiro porque todo ano precisa ser diferente dos anteriores e segundo porque nos recusamos a caminhar sem sair do lugar e continuar repetindo o de sempre: "detestamos ganhar fogão de presente", "hoje sabemos o quanto somos parecidas com nossas mães" e "a maternidade não é somente um atributo, mas um modo de ver o mundo".

Dessa vez, depois de um "amplo" debate, decidimos que vamos aproveitar a chance e o espaço para dizer às nossas mães o que sempre tivemos vontade e nunca tivemos coragem, ou melhor, vamos tentar...

Em primeiro lugar, "Eu te amo". É impressionante como a nossa geração padecia de bloqueios que nos impediam de falar abertamente com nossos pais sobre "amor". Talvez um pouco pelo modelo tradicional de relação imposto a elas e que impediam a manifestação de carinho sem que isso parecesse fragilidade. Hoje, com nossos filhos, entendemos que dizer "eu te amo" fortalece os laços e não ameaça a autoridade.

Aproveitamos também para agradecer todas as vezes que recebemos um sonoro "não" quando era para "o nosso bem". Pena ter demorado um pouco para enterdermos isso. Agradecemos ainda por termos sido impedidas de tomar decisões que hoje poderiam ser hoje arrependimentos nossos.

Mas também temos reclamações. Reclamamos pelas vezes que nossos conflitos existenciais não foram valorizados como gostaríamos, pelas vezes que ficamos de castigo pela malinação de nossos irmãos, pelos dias sem televisão, pelas noites que fomos obrigadas a dormir cedo para acordar de madrugada e ir à escola, etc. (Ops, que nossos filhos não leiam isso...)

Precisamos dizer também que sabemos que nossas mães não são infalíveis, como elas bem sabem, mas queremos que saibam também que os erros pequenos e grandes cometidos por elas já foram perdoados. É que agora que somos mães entendemos que a maternidade é cercada de dúvidas, questionamentos e inseguranças. Então o que queremos dar de presente às nossas mães hoje é a liberação de qualquer culpa que elas por ventura ainda carreguem em relação à gente. E para elas e todas as mães, desejamos um dia mais leve, com menos culpa e mais afeto.


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas