• Enem
  • Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner
M³

Walcyr Carrasco tenta impor uma polêmica que não existe

A personagem gordinha da novela nos dá impaciência.

09/10/2013 17:34h - Atualizado em 11/10/2013 08:52h

Imagine um cara jovem, metido a galã, do tipo que faz sucesso com a mulherada, namorar uma gordinha. Agora, você nos pergunta: e daí?

Pois bem, é exatamente essa a pergunta que todas as pessoas de bom senso se fazem ao ver a tentativa da Globo de criar uma polêmica onde, graças à Nossa Senhora do Discernimento (acabamos de inventar, viu?), não existe.

Na trama novelística das nove, uma personagem com mais de 30 anos permanece virgem por que não encontrou, até hoje, um “corajoso” para ter um relacionamento. O pior é que a virgindade da moça não ocorre por uma questão de convicção religiosa, opção pessoal ou qualquer impedimento de saúde. A personagem não consegue um parceiro somente por ser gordinha.

Agora, ao “mostrar o seu valor”, a personagem conquistou um rapaz até então pegador. Depois de se tornarem amigos, o rapaz chegou à conclusão de que ela era mais que seu corpo fofinho. E, para surpresa da audiência, ele vem sendo questionado pelos amigos de trabalho por estar namorando a moça.

Sinceramente, nos dá mesmo é impaciência! Não vamos fingir que não vemos as dificuldades de quem está fora dos padrões estéticos predominantes na nossa sociedade, principalmente quando se trata de mulheres. Mas Graças a Deus sabemos que desse lado da tela, na vida real, as pessoas se relacionam por afinidades que estão muito além da forma física. Felizmente, as pessoas que não se encaixam no padrão de beleza global podem, sim, namorar, se apaixonar, se desapaixonar, cair de amores novamente, etc. E não nos parece que isso cause estranheza a ninguém. Walcyr Carrasco parece querer empurrar uma polêmica goela abaixo dos espectadores, onde de fato não há nada a ser discutido. 

Por: Elizângela Carvalho e Clarissa Carvalho

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas