Lasciva

A disforia de gênero e as dores dos homens trans

Para quem está preso em um corpo no qual não se encaixa, a disforia é sinônimo de dor.

19/06/2018 12:08h

Compartilhar no

Disforia… uma palavra que entrou no meu vocabulário recentemente, mas chegou carregada de sentidos que vão além do que está no dicionário. Lá, ela significa basicamente um estado caracterizado por ansiedade, depressão e inquietude. Para quem está preso em um corpo no qual não se encaixa, a disforia é sinônimo de dor.

Resultado de imagem para bandeira trans

Cortamos o cabelo quando não estamos satisfeitas com o visual. Malhamos e fazemos dieta para conseguir os músculos que queremos. Fazemos lipo para tirar a barriga e botamos silicone para ganhar seios ou bumbum. Conquistar o corpo que desejamos é bem mais fácil quando a identidade de gênero e o sexo com qual nascemos estão em harmonia, mas as coisas são realmente difíceis para os homens trans.

Essa semana assisti vários vídeos sobre o assunto e eles falam muito da disforia de gênero. Alguns homens trans tristeza com os seios, não gostam do órgão genital que veem no espelho, querem barba, voz masculina e um corpo sem curvas. Mas antes que você conclua que eles querem ser homens, eu digo que isso é exatamente o que eles são.

O problema é que as pessoas se preocupam tanto em ditar a felicidade alheia, que não têm tempo para tentar compreender que cada um tem a sua própria maneira de ser feliz. Hoje ouvi uma frase de uma pessoa que ainda tenta descobrir se é homem trans: “Um dia que se vive sem ser quem a gente realmente é, é morrer pouco a pouco”.

Thammy Miranda, filho da Gretchen, sempre relata no seu instagram as violências que sofre. Não são agressões físicas, mas maltratam como se fossem. “Pra quê isso de querer ser homem?”, “Era mais bonita antes”, “Você nunca vai deixar de ser mulher”, “Falta o principal”.

Para os homens trans, nascer no corpo de mulher é um erro de percurso agravado pela violência psicológica constante, praticada por uma sociedade desinformada e não empática.

Compartilhar no
Fonte: Nayara Felizardo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas