• cultura teresina
  • Cobertura Zé Pereira
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Habitar

Decoração industrial transforma o antiquado em despojado

Decoração industrial transforma o antiquado em despojado

28/07/2012 01:24h

Revestimentos cimentícios, fiação elétrica aparente e móveis de ferro. Esses atributos soam como a descrição do interior de uma fábrica ou um galpão, e na verdade é. Trata-se da decoração industrial, que após tantos anos desde o seu surgimento vem transformando a maneira tradicional de ambientar espaços, sendo uma ótima escolha para quem tem uma personalidade despojada e busca algo diferente da maioria dos conceitos de decoração.

Sua origem remete a meados dos anos 50, em Nova York, no atual Meatpacking District, onde funcionavam açougues, frigoríficos e depósitos de grãos. O arquiteto e engenheiro Mauro Lopes conta que estes espaços ficaram abandonados e famílias de classe média se instalaram no local, transformando os galpões em moradia. Aos poucos a atmosfera decadente dos antigos açougues foi se configurando como a origem desse estilo de ambientação que atende aos padrões mais sofisticados.

Atualmente, esse movimento deixou de ser uma exclusividade dos nova-iorquinos e tornou-se uma forte tendência na Europa e ganha força no Brasil com a popularização dos lofts, passando a influenciar a estética das novas construções e decorações.

Em Teresina, no entanto, o uso da decoração industrial ainda é tímido, segundo Mauro Lopes. "Esses acabamentos ainda são poucos utilizados em residências, estando presente em alguns espaços empresariais, seja em fachadas ou corredores, dependendo muito da proposta que o cliente busca imprimir ao espaço", conta.

Geralmente, no caso de apartamentos com esse tipo de decoração, o proprietário é um homem solteiro ou divorciado, que busca evidenciar sua individualidade com esses espaços amplos sem divisórias e com acabamentos que em outros contextos seriam considerados out. Mas o estilo não se restringe aos marmanjos. Com alguns toques de bom gosto, cores mais leves e objetos em tons mais neutros, o mesmo espaço pode se tornar um lar para uma mulher independente, um casal de namorados ou também recém-casados.

Neste loft, além das paredes apenas rebocadas e a fiação elétrica aparente, o teto alto é outra característica que imprime uma atmosfera industrial ao espaço. Móveis de madeira também podem ser utilizados, mas em menor quantidade. Neste living, o material está presente apenas no painel e no forro do teto, ganhando destaque os tons cinzas, preto e cores terrosas.

A mesma sala vista por este outro ângulo revela traços ainda mais requintados, em uma harmoniosa combinação entre o delicado e o agressivo, proporcionada entre o acabamento de concreto e o charmoso lustre de cristal. As diversas cores das almofadas e o arranjo de molduras na parede dão um toque extra de charme à decoração.

A mesma decoração está presente no quarto, cuja base é composta predominantemente pelos tons de cinza das paredes e pela colcha, com o vermelho pontual na estante e o amarelo tímido da luminária. O que, por regra, deveria ser escondido, aqui assume o papel principal na decoração: a fiação externa adorna o ambiente também com a função de cabeceira.

O teto e as luminárias chamam a atenção nesta cozinha justamente por seu forte aspecto industrial, conferido principalmente pelo metal. Um possível choque à tamanha presença desse material é evitada pela base em tons claros. O couro presente no encosto das cadeiras é mais um diferencial aplicado em decorações deste estilo.

O maior diferencial deste loft é o uso de linhas retas e formas geométricas, aspectos caracterísicos da decoração industrial. Também chama a atenção o uso de alvenarias expostas, outro ponto que, sendo bem utilizado, contribui positivamente com a proposta de criar um ambiente intimista e despojado, geralmente traduzindo a personalidade do proprietário do imóvel.


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas