• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Equatorial fullbanner
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

O Galo cantou “altos” no seu terreiro e foi campeão estadual

Enfrentou uma equipe forte e boa de bola, plena de bons valores sendo uma verdadeiro luta de gigantes, um belo final de campeonato.

16/04/2019 10:57h

Dudu, pai heroí

Gentes boas, o Galo cantou “altos” no seu terreiro e foi campeão estadual de futebol profissional. Enfrentou uma equipe forte e boa de bola, plena de bons valores sendo uma verdadeiro  luta de  gigantes, um belo final de campeonato. No campo maior de nosso  futebol, o Albertão Silva, cenário de um final feliz para o jogo de bola piauiense.  Pode-se dizer que o título ficou em  boas mãos, pés e bico sendo  glorioso o caminho do Galo  neste ano   de dois mil e lá vai pedra.  A capital Teresina volta a ser a campeã do Estado nesta atividade lúdica e profissional, retomando a liderança desta capital que já havia perdido para o interior e para o litoral.Com este título, o Galo bate o 31 e já conquistou trinta mais um campeonatos na sua bela  ‘trajetória dos noventa” como diz Didimo de Castro, o Pequeno Polegar no microfone da Rádio Pioneira. E no meio da alegria da rapaziada, treinador Flávio Araujo, primo do Sergil  Araújo , abraça o veterano  da equipe ,o tio Dudu  que  demonstrou que côco  velho é que azeite e que  saiu-se como  artilheiro  do  campeonato. Ele foi o que mais meteu bola nas redes dos adversários neste certame piauiense. Um belo exemplo  para a meninada que quer  entrar no futebol profissional. Vejam o tio Dudu  do River e se espelhem nele. Este ano pode  até ter sido o seu último de atividade  no Pairamo mas pelo visto, ele ainda vai dar muito o que falar porque continua na dele, com a mesa humildade  dos tempos de peladas  tratando a bola com o maior carinho do mundo porque ele não é mal agradecido.E assim,a bola rola e este escrivinhador  não  enrola e merenda boa é pasteis de Maria Divina com coca-cola. E assim caminha a vida e não confunda,  Margarina   com Margarida. Mas louvemos  a conquista  tricolor desta Teresina tomando  de Altos que fica “bem ali, na esquina”, o honroso titulo de campeão piauiense  futebol profissional  que ele foi no ano passado e queria de novo. Com os outros dois nossos representantes capitais,River e Flamengo, mais por fora  do  titulo maior que o PT pelo do poder, só nos resta louvar  o Galo Carijó pelo certame conquistado. Ele bateu o 31 no número de   conquistas, desde  a sua fundação, quando se   amarrava cachorro com linguiça. E assim sendo, reverendo, o nosso Galo bate o Trinta e um e não está nem aí para  o Flamengo bufa de anum. Está na Copa Nordeste do ano que vem e não abre nem para o trem. É Galo!.


O sapo

A chegada de Sapinho no time tricolor foi  numa hora em que a agremiação tricolor não estava numa fase boa. Era aquela história de “mais ou menos”, perde aqui, ganha acolá, “mais ou menos”. Mas para    equipe como o River, o “mais ou menos” não satisfaz.O  importante para o Galo é ganhar, principalmente no seu terreiro. E partindo desta premissa, o bom católico não perde uma missa  e agora eu me lembrei do padre Tarcisio que era  riverino fanático  e nenhum  flamenguista se confessava com ele, dizia o doutor Mariano. Ambos de saudosas memórias. Mas a bola rola, Garrincha não enrola  e eu me lembro que Mariola era um  meio campista do River e um trio  de responsabilidade era  Vilmar ,era Giri  e era Mariola. Zé da Silva comandava torcida  pedindo a entrada de Mariola.


Vascaindo

Gentes boas, o campeonato carioca de futebol está entre o Vasco e o Flamengo e eu  como bom botafoguense  que sou  não estou nem  aí e nem lá... Nestes tempos  bolsonaristas,  o futebol ganhou uma moralzinha porque o presidente da nação é um capitão e quem é a maior autoridade de um time de futebol ? O capitão.  Então, este pais é um timão e o seu presidente é um capitão. E salve a seleção ! Mas entre Vasco e Flamengo, eu sou coluna  do meio porque  todos os dois  gostam de dar no Botafogo.  Mas o duelo é duro e não tem previsão de quem vai ganhar porque o pau que dá em Chico dá em Francisco e tanto faz dar na cabeça e como na cabeça dar...Mas bola prá frente que atrás vem gente,diz  Zé João Vicente. 


Deixe seu comentário