• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

Justificando minha ausência na festa da FFP em Barras

Confira o texto publicado na coluna Prego na Chuteira na edição desta terça-feira (13) no Jornal O Dia.

13/08/2019 09:57h - Atualizado em 13/08/2019 11:40h

Nas Barras

Inicialmente  justifico a minha ausência  na festa de Barras, nesta sábado passado, quando a FPD realizou evento festivo entre Seleção Master da Federação contra Seleção Barrense uma vez que estava nas praias parnaibanas. Deve ter sido "paidegua" a festa na terra do Carcará que pega mata a e come.Ele, o presidente, redondo que só a bola  fazendo gol de letra e  correndo para   o abraço  do galera. Depois deve ter sido aquele comes e bebes  que só  eles , barrenses  sabem oferecer. E neste dia, até eu  seria homenageado  pela mentora. Aqui, justifico a minha ausência  por não ter tido conhecimento antecipado mas  agradeço a lembrança pelo reconhecimento dos nosso trabalhos aqui no jornal do Valmir. E a renovação de estima e elevado apreço muito mais do que mereço e informo que estou no mesmo endereço. E assim sendo, reverendo,  a bola rola, este escriba não enrola e samba e futebol não se aprende em escola, embora no Rio de Janeiro om pau que rola é “escola de samba” e “escolinhas” de bairros. Mas agradeço a lembrança de  Robert Brown Carcará da Silva, da Federação Piauiense de Futebol. Eu estava Luis Correia, um final de semana praiano onde constatei  uma coisa que me deixou bastante triste, cabisbundo e meditabaixo. O desamor  de nossa juventude pelo esporte, pelo jogo de bola e a amigação, o apaixonamento pelo  telefone celular, hoje o melhor amigo do homem, num profundo desamor e  cabal desprezo ao cachorro milenarmente conhecido como o mais fiel companheiro do ser humano. Meus amigos, o caso é sério  e merece  um estudo profundo por esta mudança de comportamento humano e canino. Constatei, recentemente. lá nas praias  parnaibanas. Ninguém leva mais s seu cãozinho  de estimação para passear. Para o bichinho fazer seu cocozinho lá fora e não na sala de jantar. Não  existe mais  aquele “  velha intimidade’. Agora  é o celular o dono do pedaço e “aí e ui”. E assim a vida passa e nós vamos passando também.  Uns passam até  fome mas estão com televisão ligada vendo a Ana Maria  Braga de luvas prêtas fazendo  e comendo brigadeiros e outros menos  graduados na praça que não é nossa. E lá nas Barras teve jogo de futebol entre os “amigos dele” e os veteranos de Barras, tudo gente  de  casa, numa confraternização arretada sem  preocupação de placar e sem ninguém dar porrada em ninguém e  muitos evitando dar cabeçadas para não furar a bola. E assim foi a festa da Carcará  na  sua terra natal, Barras de Maratoan.Aproveito pra agradecer o convite onde  está  escrito “ Vossa Senhoria será uma das ilustres personalidades  que serão homenageadas pela FFP-PI pela contribuição ao esporte do Piaui”. Infelizmente  não pude ir ao evento mas agradeço  a lembrança, desejando ao presidente da  entidade maior de nosso futebol uma  profícua e progressiva administração e bola prá frente. Deve ter sido uma bela uma bela festa  e Franci Monte deve ter  brilhado com seu talento musical.  Daqui mandamos os votos de  progresso para o presidente de nossa entidade maior  do futebol e bola prá frente que atrás vem gente!

El Rei Carcará I

Atual presidente da Federação de Futebol do Piaiuí, sucedendo á Cesariano  Oliveira ,de saudosa memoria, que deixou o campo de vida antes do tempo regulamentar atendendo ao chamado superior, Robert Braunw Carcará comemorou seus anos em sua terra natal, as Barras de  Maratoan.

Retrato  no interior

Aquele jogador de futebol, revelação , saiu de sua  cidadezinha do interior, bem do interior mesmo, comprou uma câmera  digital e levou quando voltou para sua terra natal. Chegando lá com aquele novidade que nunca ninguém tinha visto, ele disse:“- Pessoal, vamos todos nós para a pracinha que vou tirar um retrato de lembrança  de vocês.” Chegando na pracinha, ele reuniu a galera junto  ao coreto, programou o automático e  saiu correndo também, tropeçando em tudo que é lugar. Vendo isto, ele gritou:- O que é que está acontecendo aqui ?  Sua tia, que estava no meio da turma, respondeu:- Se você que conhece esse negócio, ficou com medo, imagina nós não conhece o trem... (Do livro”As melhores piadas sobre futebol”) Mário Brito.

Teste

“Nas aulas de cultura geral, o professor  estava ensinando o uso do feminino para os jogadores:- “-Qual é o feminino de duque ?” Responde o zagueirão:- Duquesa !” Muito bom ! Qual é o feminino de Barão ?”. O goleiro ,levanta a mão  e responde:- Baronesa !- E o de rei ? O centro-avante, na lata:”- -Rainha.” Esta é mais difícil... qual é o feminino de cônsul? O beque lateral que já tinha jogado no exterior  e tinha trazido uma experiencia internacional levanta o braço e solta: Brastemp !” Estes  dois tópicos  foram pescados do livro  acima citado, o mineiro Mário Brito, Editora Leitura que ganhei do Anchieta. O futebol cujo instrumento principal é uma esfera de couro nos proporciona boas bolas e algumas também murchas. O negócio é chutar.


Deixe seu comentário