Garrincha

Não sei porque mas o povo do futebol tem uma simpatia por “alemão”

Mais do que por Pelé porque tem muita gente que é preconceituosa que não gosta de preto. Nem de café.

30/04/2019 05:23h

Compartilhar no

Abril fechou

Sim, meus amigos, este mês de abril fecha hoje em trinta porque amanhã já o dia do Trabalho. Aliás, todo dia é dia de trabalho numa terra onde quem mais trabalha é o aposentado. Digo isso por mim que tanto trabalho como dou trabalho aos outros. Agora, por exemplo, tenho um trabalho danado para prover esta coluna de fatos que escorridos viram tripas neste futebol de meia tigela, como dizia o saudoso Ruy Dourado.Porque, gentes boas, o futebol teresinense atravessa uma fase muito delicada e desde os tempos em que aqui aportei para cumprir minha missão na terras dos Gaiosos, esta é a mais delicada, a mais quebrada de toda a história deste desporto inventado pelos ingleses. O mês de Abril está fechando e não se vê nenhuma perspectiva de melhora nesta atividade lúdica  e rentável se bem administrada porque o filósofo da Pedra Mole, Wiliam Bogea cognominado de “O Vei”, eternizou a frase lapidar: “Futebol é coisa séria” para servir de base a gregos e a pernambucanos como o presidente dos Altos e também aos dirigentes dos mais baixos times do Piauí, Brasil. E assim sendo, seu Rosendo, abril fechou a cadeado e nada foi realizado neste futebol piauiense profissional. No Albertão, nosso templo maior e nem no Lindolfinho, o menor. A catedral do futebol piauiense, semifechada e aberta aqui, acolá e isto quebra as pernas do Popó Cabeça de Pato e do Assis Pé de Pato, os donos do bares onde se vendem cervejas e tira-gostos a reduzidos clientes e ainda tem uns (da Semel) que depois que bebem dizem que é fiado. Que pagam no dia seis... Não dizem qual é o mês...Ah, meus amigos, futebol é coisa séria e a gente lê no jornal do Valmir que o Tiradentes vai receber o São Valério do Tocantins pelo campeonato brasileiro série A2, pelo Brasileirão, meu povo, primeira divisão! Aí a gente se lembra do Tiradentes de Câncio, de Canuto, do Brasil, do Genésio Araujo, do Castilho, do Toinho, do Sima, do Joel e tanta gente boa de bola que vestiu a camisa amarelona da time da “puliça”.Mas é o time mulher quem vai jogar pelo campeonato brasileiro porque o “team” dos homens tempo não mais existe faz é tempo. Foi “coisa que o tempo levou”, um programa de rádio que tinha na Ceará  Rádio Clube, do José Lima Verde, há mais de cinquenta anos e eu era menino e me lembro muito bem. Estão pois, as moças, as meninas representando este Estado no certame nacional, honrando nosso Estado já que nenhum time de sexo oposto conseguiu se classificar no mesmo nível do jogo de bola.Na falta de homens competentes, as mulheres são mais diligentes e vestem as camisas amarelas do time da Policia Militar para representar bem o nosso Estado de necessidade. Para frente, meninas!

Futebol de Floriano

Assis Fernandes/O DIA

O grupo Kalfix incentiva o futebol de Floriano dando apoio a escolinhas como esta, nas categorias de base. Uma equipe sub 18 cheia de saúde.

Um alemão

Não sei porque mas o povo do futebol tem uma simpatia, uma queda por “alemão”. Mais do que por Pelé porque tem muita gente que é  preconceituosa que não gosta de  preto. Nem de café. No jogo de bola profissional, a cor morena prevalece e a prova é que até hoje não se viu um rei do futebol que fosse branco. Nenhum alemão, russo ou inglês, ou polonês e olhe que foi lá na Inglaterra que  este jogo foi inventado, dizendo uns mas outros dizem que lá no Egito, onde pelada já se jogava e o Pelé de lá era um tal de Zé. Zé do Egito. Apelidado de “Faraó”.Mas, aqui na Teresina, cidade menina, chegou um Alemão. Este é um estrangeiro mesmo. Autêntico. E sabem de onde ele veio? Dos Estados Unidos de  Sobral, terra do Didi Mocó. Veio pro River.

Quinta no LM

Gentes boas, nesta quinta-feira, dia 2, tem jogo no Lindolfinho, de noitinha, depois da hora do Brasil. É o Altos contra o ABC de Natal. O time do Mobral. ABC. Vamos ensinar a eles o beabá do futebol porque que não tem cães caça com gatos e quem não tem River, nem Flamengo nem Piaui, caça com Altos. Perfeitamente. O time está sendo reforçado e o Warton Lacerda, um “magro de aço” tem se revelado um cartola eficiente e eficaz e entrou o futebol com gosto de gás. E é o jeito que tem o remédio que há, aprendi isto lá no Ceará. Quando não tem ele vai tu mesmo e na falta de um Galo para brigar no nosso terreiro tem aí o esquadrão “patricinho” defendendo e honrando o futebol piauiense. E somos todos altenses, consumidores de sua deliciosa coalhada.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas