• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia
Garrincha

Barra antipânica

Confira o texto publicado na coluna Prego na chuteira na edição desta quinta-feira (15) no Jornal O Dia.

15/08/2019 08:46h

Meus amigos, a gente é morrendo e aprendendo. Pois não é que agora inventaram uma tal de “barra antipânica” nas saídas dos estádios de fute-bol? Pois é, o avanço da tecnologia, uma barra para evitar que o povo se apavore, fique doido correndo para lá e para cá. As tais de barras já foram compradas na era Carcará e como ele é daquelas bandas, as barras contra o pânico devem ter sido adquiridas em Barras de Maratoan por um preço camarada. E elas serão instaladas no campo da capital e das prefeituras. É um negócio de engenharia, a barra antipânica na saída de emergência. Eu acho que ela liga um serviço de som com uma voz mandando o povo ter calma. Diz a nota que as barras já foram compradas. Favor não confundir “barras antipânico” com Barras de Maratoan. Coincidentemente, coube a um filho de Barras de Maratoan, Braun Carcará,mandar instalar nos vários campos de futebol sob a chefia da federação. Uma comissão gorda já foi criada para visitar os campos do interior. Picos, Helvídio Nunes, a primeira praça de esportes a ser vistoriada porque é lá que vai ter o primeiro jogo, o pontapé inicial do certame e com certeza deve ser dado pelo prefeito. Como manda o bom senso. Primo do Lato Senso. Mas o maior problema dos donos de campos é o tal de “laudo”, documento que a CBD exige para que haja jogo de bola profissional. E esses laudos são quatro a saber: o da Segurança,o da Vigilância Sanitária, o da Engenharia e o do Corpo de Bombeiros. Esse aí é que é fogo. Dizem que é o mais complicado porque é quente e eles botam é fervendo. Mas amigos, as cidades do interior do Estado que botaram time no campeonato estão todas de parabéns porque seus prefeitos mostraram espíritos esportivos e time nenhum vai para frente se não tiver ajuda municipal. Digo isso porque já fiz muito torneio “inter-municipal”. E o esporte, por sua vez, divulga a cidade e dá orgulho aos seus habitantes, pagadores de impostos principalmente, aos eleitores. E assim a bola rola, este escriba não enrola e merenda boa é pastel de dona Maria Divina com coca-cola. Mas as barras já foram encomendas porque todo campo de futebol oficial vai ter que ter umas barras “anti-medo” nos portões dos estádios. Isso vai ajudar aqueles torcedores frouxos que ficam se tremendo por qualquer briguinha nas gerais. E assim, a segurança é fundamental neste nosso tempo onde nem o seguro está morrendo mais de velho do que se coração.

Lembrando Gilberto... 

Nesta foto recordação vemos Tomaz Teixeira,Dionisio da Ponte,Carlos Augusto, Pedro Alcântara, um cabeludo e o Cavalcante. Em pé, Gilberto Melo de saudosa memória. Eram cabeludos...

Uma segunda 

A federação brauliana de futebol anuncia um campeonato B de futebol. Espero que seja B de bom e não B de .... deixa para lá. Mas vamos que vamos e lá nas Oeiras o povo  já está se “influindo” para o jogo que neste ano, a primeira capital quer repetir os seus bons tempos de Juarez Tapety. Quando o futebol era saboroso, na casca e no Miolinho. Neste certame tem também uma agremiação de nosso vizinho estado do Maranhão que é Timon de Chico Leitoa. Portanto, uma grande atração e com participação dos conterrâneos do doutor Gil Alves dos Santos.

Só Cinco... 

Acho muito pouco o número de clubes de futebol série B de bola para a disputa do certame estadual. Só cinco, os dedos da mão. Um certame mini intermunicipal, porque tem inscritos quatro municípios do Piauí e um do Maranhão, que é o nosso vizinho, o Timon City de Chico Leitoa. É um inter de luxo com Campo Maior, Floriano, Oeiras, Picos e um convidado interestadual que é Timon. Mas como dizia aquele comentarista que não se pode fazer “prognóstico antecipado”, vamos esperar prá ver o que vai dar. Ou quem vai dar. Às vezes quando a gente menos espera...


Deixe seu comentário