• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Flávio Ricco

Dificuldades burocráticas começam a travar produção de séries no Brasil

Confira o texto publicado na coluna Canal 1 no Jornal O Dia.

15/09/2019 17:40h

Dificuldades burocráticas começam a travar produção de séries no Brasil

Já de algum tempo, mas muito mais agora, a nossa vida cultural tem enfrentado enormes dificuldades, que tornam inviáveis os lançamentos de novos trabalhos. Um drama que ninguém sabe mais como enfrentar. As grandes redes de televisão, e por aí todas se incluem, passaram a se valer do sistema de parcerias para viabilizar alguns dos seus projetos, em especial os relacionados com a dramaturgia. Mas as dificuldades enfrentadas para a liberação de verbas, mais que um enorme desestímulo, passaram a jogar contra a grande maioria dessas iniciativas.  Um, entre esses tantos casos, é a série “Z4”. Realizada pelo SBT e Formata, indicada ao Emmy e uma das finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, corre sério risco de não realizar novas temporadas. De acordo com os diretamente envolvidos, não há, dentro do atual cenário, a menor condição de nem ao menos se planejar qualquer coisa. Já exibido no SBT, Disney e Netflix, por questões burocráticas da Ancine, a Formata não recebeu até agora os R$ 2 milhões da sua produção. Nessas condições ninguém se atreve a fazer nada.

Olha só

Claudio Petraglia, 89 anos, maestro, compositor e um alguém com a vida inteira dedicada ao mundo das artes, foi convidado por Johnny Saad e está novamente prestando serviços na Band. É o mesmo entusiasmado de sempre.

Primeira encomenda

Aliás, nesta sua volta à Band, Petraglia já se dedica a um trabalho muito especial. A sua primeira missão é produzir um documentário sobre Cacilda Becker, no ano do cinquentenário da sua morte, e que é até hoje considerada uma das maiores atrizes do teatro brasileiro.

Dupla de hoje

Sandro Dalpícolo, da RPC, do Paraná, e Luana Borba, da Rede Amazônica, do Amazonas, neste sábado, formam a terceira dupla a apresentar o “Jornal Nacional” no rodízio comemorativo dos 50 anos do jornal. A ação, que começou no dia 31 de agosto e vai até 30 novembro.

Caminho de volta

Na Band que deu certo, o jornalismo e esporte sempre tiveram prioridade. E não é que, aos poucos, isso está voltando. Hoje, contando tudo, inclusive as suas recentes estreias, os telejornais passaram a ocupar 12 horas da grade diária. Fora os boletins.

A propósito

Rodolfo Schneider, escolhido para substituir André Luiz Costa na direção executiva de jornalismo da Band, vai assumir oficialmente o seu cargo no próximo dia 20. É o tempo necessário para providenciar sua mudança em definitivo para São Paulo.

Rádio Camanducaia

Uma das maiores atrações do “Show de Rádio”, do Estevan Sangirardi, foi a Rádio Camanducaia, criada pelo Odayr Batista que recentemente nos deixou. Alguns desses áudios ainda são possíveis de ouvir.

Só por acaso

Mas os últimos acontecimentos, essa chegada da CNN Brasil e as informações sobre as suas tantas contratações – incluindo por aí o recente caso do Cesar Tralli, fazem lembrar a Rádio Camanducaia. Cujo slogan era “quando não tem notícia, nóis inventa”.

Lugar reservado

Globo está confirmando a autora Cláudia Souto na fila das 19 horas. “Amor em Ação”, título provisório da sua novela, está aprovada e em desenvolvimento, já com vários capítulos escritos. História ambientada no Rio.

Trabalhando o elenco

“O Selvagem da Ópera”, supersérie sobre a vida de Carlos Gomes, escrita por Maria Adelaide Amaral, ainda não tem o seu elenco totalmente fechado. Ao contrário. A diretora Denise Saraceni tem trabalhado, inclusive, na escolha de alguns protagonistas. Vale lembrar que Alice Wegmann, Marjorie Estiano e Júlio Andrade, inicialmente escalados, não irão fazer mais.

(Marjorie Estiano / Crédito Raquel Cunha / TV Globo)

Espaço à disposição

A TV Cultura, sob a gestão de José Roberto Maluf, agora aposta na locação de estúdios e do seu teatro para produtoras, artistas e empresas que queiram realizar seus trabalhos.

Personalidades como Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello, além da Maurício de Sousa Produções, são alguns dos clientes que utilizaram recentemente as dependências da Fundação Padre Anchieta, na Água Branca.



Deixe seu comentário