• TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Notícias É o bicho

23 de novembro de 2018

Câncer de próstata atinge até 4% dos cães

Em cães e gatos, o câncer de próstata é uma uma doença grave e na maioria das vezes fatal

A incidência de câncer de próstata, ou adenocarcinoma da próstata, que é uma neoplasia maligna, em cães é de aproximadamente 4%, já em gatos, é menos frequente. Porém em ambas as espécies, é uma doença grave e na maioria das vezes fatal. No caso da Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP), 8 em cada 10 animais não castrados são acometidos, esse aumento da próstata está relacionado com fatores hormonais, por isso não ocorre em animais castrados.

Muitos tutores têm medo de submeter seu animal à cirurgia de castração (orquiectomia), pois acreditam que eles podem ficar gordinhos e preguiçosos, porém com alimentação adequada e exercícios, a castração traz vários benefícios para seu pet. Quando castrado antes dos 8 meses de vida, há um menor desenvolvimento do tecido prostático devido à ausência da produção de testosterona, que inibe o crescimento da próstata. Esse procedimento não causa nenhum dano à saúde do animal, já que a única função da próstata é o apoio nutricional aos espermatozoides. A relação entre a castração e a prevenção do câncer de próstata, não é a mesma observada nas fêmeas, no tocante ao câncer de mama, porém, a castração antes da maturidade sexual (que acontece em média aos 9 meses de vida) é uma indicação para reduzir as chances de cães e gatos desenvolverem tumores prostáticos.

Mais de 90% das doenças prostáticas seriam evitadas durante a vida dos animais, se fossem castrados no primeiro ano de vida, dessa forma as campanhas do Novembro Azul visam conscientizar a população contra o câncer de próstata, não só em humanos, mas também nos animais. Afinal a partir de 7 anos de vida, em média, os animais machos não cadastrados têm 80% de chance de desenvolver doenças de próstata.

O tutor precisa estar atento, pois dificuldade de urinar e defecar são os sintomas mais comuns e demonstram que algo não está bem com a próstata do seu peludo e que o tamanho dela está causando algum desconforto. A próstata dolorida e o esforço constante para defecar podem gerar outras complicações, como o aparecimento de hérnia perineal,que causa o aumento do volume ao lado do ânus, causando mais dor e dificuldade ao fazer xixi e cocô. Mudanças de comportamento, diminuição de apetite, emagrecimento, devem ser investigados pelo médico veterinário, pois um diagnóstico precoce pode salvar vidas.

O diagnóstico de doenças relacionadas à próstata, pode ser realizado de acordo com o quadro clínico do animal e por meio do toque retal. A confirmação é feita pelo exame de ultrassonografia abdominale, se possível, pelacitologia. Metástases nos pulmões, cadeias linfáticas e ossos pélvicos e lombares podem ocorrer, mais um alerta para fazer o check–up do seu animal. O exame de próstata deve estar incluso no exame clínico de rotina, por isso sempre autorize os exames solicitados pelo médico veterinário, eles não são desnecessários.

O tratamento depende da origem do aumento da próstata, mas a castração do animal macho deve ser indicada para a todos os animais com aumento de próstata, seguido ou não de tratamento com antibiótico, quimioterapia ou radioterapia, podendo ser necessário a drenagem de cistos prostáticos ou mesmo remoção cirúrgica da próstata.

03 de novembro de 2018

Cuidados com pets no calor

Boca aberta o tempo todo, respiração ofegante e dificuldade para caminhar são comuns nessa época.

Passeios e brincadeiras ao ar livre são indispensáveis durante todo ano e o calor e sol não devem ser motivos para deixar seu amigo em casa. Boca aberta o tempo todo, respiração ofegante e dificuldade para caminhar são comuns nessa época. Pois algumas raças são mais sensíveis e podem apresentar pressão baixa, aumento da temperatura corporal, vômitos, insolação e até mesmo câncer de pele.

Com a chegada do horário de verão e a aproximação das férias os animais são levados para passeios em parques, regiões litorâneas, grama e mato, além do contato com pessoas diferentes do convívio diário. Por esse motivo, é importante que ele esteja com a saúde em dia. Então fique atento, pois é preciso adotar alguns cuidados para não passar nenhum sufoco com seu melhor amigo.

Atenção para o horário dos passeios, em cidades como Teresina, devem ser antes de 7 horas da manhã e após as 19 horas. Pois nos outros horários, tanto o ambiente quanto o chão estão muito quentes e não queremos que nossos animais corram o risco de queimar as patas (coxim) ao andar no asfalto ou calçada. A radiação solar que incide sobre o animal é tão prejudicial quanto ao raio de sol que reflete no chão e incide no pet. Animais com focinho curto (braquiocefálicos) sofrem ainda mais devido à sua anatomia, nossos amigos não possuem glândulas sudoríparas, por isso não transpiram para baixar a temperatura corporal, como os humanos, eles fazem isso através de troca de calor com o ambiente, através da respiração ou colocando a barriguinha no chão.

Como os pets não podem tomar banho ou se molhar todo dia, escove o pelo do seu animal sempre, principalmente quando ele tiver contato com areia e terra, pois o acúmulo de areia da praia ou terra do campo na pele do pet pode ser irritante e seu excesso deve ser removido. Se o pelo estiver com sal do mar ou cloro de piscina, o excesso deve ser retirado apenas com água da torneira, para evitar problemas de pele, lembre-se de secá-lo muito bem após essas atividades, isso é muito importante para a saúde do pelo e da pele desses pequenos. Animais com pelos longos necessitam de mais atenção, pois embaraçam e precisam de cuidados especializados, para não ficarem quebradiços, secos e sem vida. Sempre proteja com bloqueador solar áreas claras ou sem pigmentação, pois existe o risco de câncer de pele.

Não esqueça de estar atento as vacinas necessárias, vermifugação e prevenção contra pulgas e carrapatos, assim seu amigo estará protegido dos novos desafios que poderá enfrentar em novos ambientes. Em caso de diarreia e vômitos (provenientes de viroses ou ingestão de água do mar ou da piscina, com cloro), ambos os casos devem ser tratados pelo médico veterinário.

Não deixe seu animal dentro do carro com os vidros fechados sem ventilação adequada, mesmo que por pouco tempo, pois pode ser fatal. Nossos pets produzem calor e o ambiente externo também produz calor, não há troca de ar adequada dentro do carro, podendo ter consequências negativas como abandono de incapaz, maus-tratos e morte. Se estiver viajando, lembre-se de realizar paradas periódicas para seu amigo esticar as pernas, beber água e fazer suas necessidades, é importante levar o seu pet para uma consulta com um médico veterinário de confiança antes dessa aventura.

Passear com seu melhor amigo não tem preço. Lembre-se de certificar que esses passeios aconteçam em horários adequados, com água fresca disponível, protegido contra pulgas, carrapatos e doenças. Com atividades seguras na terra, no mar e na piscina será uma experiência incrível.





Enquete

Você tem visto policiamento nas estações de ônibus em Teresina?

ver resultado