• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia
Carreira & Negocios

Piauí é o 4º estado do NE em criação de vagas nos pequenos negócios

Levantamento do Sebrae leva em consideração vagas criadas no mês de julho

04/09/2019 10:46h - Atualizado em 04/09/2019 11:01h

Os pequenos negócios criaram, em julho, 95% das vagas de trabalho de todo o país, com um saldo de mais de 41 mil novos postos ocupados, ficando pela sexta vez consecutiva na dianteira da geração de empregos formais. O Piauí ficou em quarto lugar na região Nordeste, totalizando 896 vagas com carteira assinada, o que representa quase 17% dos postos criados em todo o Nordeste.

Esses dados constam no levantamento feito pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Caged, do Ministério do Trabalho.

“Os números reforçam a importância dos pequenos negócios para a economia do país, principalmente no que se refere à geração de emprego e renda. Nesse contexto, o trabalho do Sebrae se mostra cada vez mais relevante, especialmente as ações focadas no fomento ao empreendedorismo e na melhoria do ambiente de negócios”, comenta o diretor superintendente do Sebrae no Piauí, Mário Lacerda.


Pequenos negócios geraram 50 vezes mais empregos que as médias e grandes empresas - Crédito: Divulgação


O saldo positivo de empregos nos pequenos negócios, foi puxado pelo setor de Serviços, com 20 mil postos de trabalho, tendo destaque o ramo imobiliário (15,2 mil). Em seguida vieram as micro e pequenas empresas da Construção Civil com a geração de 14 mil novas vagas.

No acumulado de janeiro a julho deste ano, o total de vagas abertas pelos pequenos negócios foi 50 vezes maior que o saldo de empregos gerados pelas médias e grandes empresas, com 437,6 mil postos criados, resultado 2,4% acima do registrado em igual período do ano passado.

O setor de Serviços se manteve na dianteira da geração de empregos em todo o período, sendo responsável pela criação de 273,1 mil novos postos de trabalho, 62,4% do total de postos criados por esse nicho de empresas nesses sete meses de 2019.

Já as MPE ligadas ao Comércio continuam registrando saldo negativo de emprego, com o fechamento de 44,1 mil vagas, o que significa que mais demitiram do que contrataram este ano.

São Paulo segue liderando a geração de empregos em julho deste ano, com a criação de 12,8 mil novas vagas, seguido por Minas Gerais, com saldo positivo de 7,5 mil empregos. Com isso, a região Sudeste registrou o maior volume de postos de trabalho no mês passado no país, com mais de 20 mil novas contratações. A região Centro-Oeste assumiu a segunda posição no ranking nacional, com a geração de 6,7 mil vagas. E a região Nordeste ocupou a 3ª posição do ranking, com 5.375 vagas criadas, seguido das regiões Norte (4.613) e Sul (4.589) do país.

“Mais uma vez os pequenos negócios mostram que esse segmento alavanca a economia, sendo esse mais um motivo para investirmos na melhoria do ambiente de negócios do setor, diminuindo a burocracia e incentivando a competitividade e a produtividade das micro e pequenas empresas”, declara o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles.

O levantamento do Sebrae

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Caged, foi criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho, CLT.

É utilizado pelo Programa de Seguro-Desemprego, para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais, o que torna necessária a geração de estatísticas conjunturais sobre o mercado de trabalho celetista.

Este cadastro serve, ainda, como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

O Sebrae, atento ao comportamento do mercado, analisa esses fatores levantados em pesquisas de credibilidade apurada, a fim de verificar a situação dos pequenos negócios em todo o país. O levantamento feito pela instituição com base nos dados do Caged é um referencial para a melhoria das ações de apoio a microempresas, empresas de pequeno porte, Microempreendedores Individuais, potenciais empresários, potenciais empreendedores e produtores rurais.



Deixe seu comentário