• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Carreira & Negocios

Empreendedores investem na qualidade de vida de comunidade

O núcleo das atividades reúne mais de 150 pessoas, duas vezes por semana

13/08/2019 09:52h

Sem investimento em material nem estrutura física, mas executado ao ar livre, o Projeto Dance e Balance, desenvolvido por uma dupla de educadores físicos está oferecendo melhor qualidade de vida a pessoas de todas as idades nos bairros e vilas localizados na região do Vale Quem Tem, na zona Leste de Teresina, a custo zero. O núcleo das atividades é a praça que leva o nome do loteamento Juruá onde mais de 150 pessoas, duas vezes por semana, se encontram para exercitar os músculos do corpo através da dança zumba e de movimentos orientados pelo professor de Zumba Pedro Miguel Fernandes, 33 anos, e a técnica de Enfermagem Maria Clara, 22 anos.

O desenvolvimento do projeto no loteamento Juruá começou em setembro do ano passado e o negócio ganhou projeção a partir dos resultados obtidos por alguns participantes das atividades. Com os exercícios físicos praticados durante a dança Zumba e as coreografias, além de movimentos lúdicos e rítmicos para trazer benefícios a cada pessoa, como por exemplo a perda de peso, pessoas foram aparecendo para se integrarem ao grupo que a cada dia vem crescendo, atraindo jovens, adultos e idosos.

"Esse projeto social, na verdade, foi idealizado por Maria Clara, e conta com a minha parceria na dança e na execução dos movimentos durante a prática da zumba. São epenas duas vezes por semana, terça e quinta-feira, das 18h às 20h, na praça do Juruá", explicou Pedro Miguel, acrescentando que as pessoas são as próprias protagonistas do projeto e isso tem atraído participantes dos bairros circunvizinhos, como Cidade Leste, Vale do Gavião, Alvares Verdes, Taquari, Planalto Uruguai, Vila Maria, Satélite e Piçarreira, entre outras comunidades da área. 

Ainda segundo o professor, pela dança zumba, é possível englobar todas as pessoas com ou sem deficiência na atividade. Vale destacar que a iniciativa era destinada para integrar, promover interação entre os participantes, elevar a autoestima e prevenir depressão e o suicídio. Porém, a partir deste ano, o “Dance e Balance” passou a incluir como proposta de atividades, o desenvolvimento de ações sociais e passeios a pontos turísticos no Piauí e fora do Estado, a exemplo de Camocim, no Ceará. "Esse projeto está aberto a todos os públicos. O único pré-requisito é ter interesse em dança, em interagir com outras pessoas", pontua Maria Clara, informando que os benefícios alcançados pelas pessoas têm contribuído para aumentar o grupo de participantes.

Para a dupla de professores, o projeto é um espaço de possibilidades das potencialidades de cada pessoa, pois, muitas vezes, elas são tidas como incapazes de alcançar, por exemplo, perda de peso. Com os exercícios realizados durante a dança, participantes obesos têm perdido peso, melhorado a autoestima, enfim, alcançado benefícios que têm melhorado a qualidade de vida. "Aqui, nós a entendemos como nós e como elas são portadoras de poder e o esforço que cada um faz, contribui para que o projeto alcance seus objetivos”, ressaltam os educadores físicos. 

Pedro Miguel e Maria Clara argumentam que a dança é um exercício saudável para o corpo como atividade física, melhorando a disposição de cada pessoa participante do "Dance e Balance" para as atividades do dia a dia. E isto, acrescentam, proporciona a pessoa que a pratica, força muscular, estética corporal e autoestima, por intermédio dos movimentos físicos realizados na dança zumba. "Temos participante do grupo que já perdeu peso com os exercícios durante a dança. O aposentado Pedro Sales Brito, 72 anos, é um exemplo. Dos 84 quilos que tinha quando começou a participar do grupo Dance e Balance, hoje se orgulha em dizer que perdeu oito quilos, isto é, está com 76 quilos atualmente", enfatizou o professor Miguel, acrescentando que outro exemplo é o de dona Maria de Jesus, 59 anos, a dona Dudu, como é carinhosamente conhecida. Dos 111 quilos que pesava hoje está com apenas 90 quilos, perdeu 21 quilos com os exercícios durante a dança. 


Projeto investe em eventos de ações sociais

Além das atividades desenvolvidas com a prática da zumba e dos exercícios com a dança, o projeto Dance e Balance aposta também na promoção de eventos que ajudem na conscientização das pessoas sobre a prevenção de doenças e na melhora da autoestima. Em março, por exemplo, os participantes do grupo são mobilizados nas caminhadas de combate à violência contra as mulheres e no "Setembro Amarelo", de prevenção ao suicídio, bem como no "Outubro Roso", do câncer de mama". 

Além das caminhadas, a cada dois meses, com o apoio das comunidades que ajudam na busca de parcerias para executar as ações, o projeto promove o "Lanche Coletivo" e arrecadação de donativos como roupas para distribuir às famílias carentes. Essas ações do projeto conta com o apoio da Associação dos Moradores do Loteamento Juruá, presidida por Daniel Soares. "O nosso capital é o humano, a participação de cada pessoa da comunidade na execução de tarefas para alcançamos o nosso objetivo, que é proporcionar benefícios a todos, principalmente quem mais precisa de ajuda", enfatiza o líder comunitário.

A professora Maria Clara conta que as pessoas vão conhecendo o trabalho desenvolvido com a dança e as ações sociais e, aos poucos, vão se integrando, dando suas contribuições, ajudando na execução dos trabalhos. "O projeto é um negócio social que vem dando certo, sem custos, não há cobrança de mensalidade nem compra de material para a execução das atividades. Nas danças, utilizamos apenas uma caixa de som, e o resto é feito por nós que orientamos as atividades físicas durante a dança", disse a educadora, acrescentando que o projeto também está em execução nos bairros Taquari, Parque Universitário e Santa Bárbara.

Por: Luiz Carlos de Oliveira - Foto: Jailson Soares/O DIA

Deixe seu comentário