Cá entre mães

Pequeno manual para visitas a recém-nascidos

Quando nosso filho nasce, é uma alegria receber visitas e dividir a felicidade com aqueles de quem gostamos. Mas é preciso que a visita entenda o novo momento na vida da mãe e do bebê e não cometa exageros.

24/09/2013 09:47h

Compartilhar no

Toda vez que nasce um bebezinho a gente fica logo doida pra ver, pra visitar, né? Afinal, todo mundo acha uma gostosura aquela criaturinha pequenina. Tem gente que não gosta de ir à maternidade, prefere visitar quando mãe e bebê já estão em casa.

O resultado disso é que, do nascimento até completar o primeiro mês de vida, o bebê vive uma rotina puxada, de adaptações à vida fora da barriga e de muitas visitas.

‰ claro que nós, mães, adoramos receber os amigos; dividir com aqueles de quem gostamos a nossa imensa felicidade. Mas é claro também que não sabemos o que é a canseira dos primeiros dias antes de vivenciá-los pela primeira vez.

Na nossa cabeça, a felicidade de estar com nosso bebê nos braços é tão grande, que a gente não vai se sentir cansada. Mas isso é só na nossa cabeça. Quando o bebê nasce, toda a família precisa se adaptar e isso nem sempre é super fácil.

Quando Laura nasceu, recebemos muitas visitas, na maternidade e em casa. E não tivemos problemas, porque os amigos tiveram o cuidado de ligar, combinar o melhor horário, essas coisas. Mas tenho ouvido muitas histórias, algumas assustadoras, rsrs. Por isso, resolvi escrever esse pequeno manual, que não é uma verdade absoluta, mas pode servir para consulta caso você deseje visitar um recém-nascido.

1.Bom senso, sempre - gente, bom senso nunca é demais; na verdade, essa poderia ser a única regra de todo o manual, mas como nem todo mundo tem ou usa, vamos detalhar um pouco mais as coisas.

2.Não precisa correria - sua melhor amiga acabou de ter um bebê e você está doida pra vê-la. Sei como é isso mas, por favor, respire. Não vá correndo para a maternidade. A mãe e a criança precisam de um tempo sozinhas, pra se olharem, pra estreitarem laços. Depois, se sua amiga fez uma cesariana, ela deve ficar sem falar nas primeiras doze horas após o parto. Então, não é nada confortável não poder falar e ter alguém lá, perguntando, falando e querendo saber como foi.

3.Não se demore - a visita ao recém-nascido, na maternidade ou em casa, deve ser breve. Mãe, pai, bebê e outros membros da família estão conhecendo uma nova rotina e a mãe precisa dormir nos horários em que o bebê dorme. Então, faça a visita, cumprimente seus amigos e não se demore. Você pode ver o bebê depois, quando ele passar mais tempo acordado.

4.Evite perfumes e balangandãs - se você vai visitar um bebê, por favor, evite usar aquele perfume doce e forte que você adora e com o qual faz muito sucesso na balada. O olfato dos bebês é muito sensível e a criança pode ficar irritada ou até desenvolver alergia. Do mesmo jeito, evite excesso de pulseiras e acessórios que possam machucar o bebê, caso você vá pegá-lo nos braços.

5.Não pegue o bebê sem a permissão dos pais - criança pequena é frágil e nem sempre os pais gostam de muita gente pegando (não por frescura, mas porque isso pode mesmo causar desconforto naquele corpo tão pequenino). Antes de pegar o bebê no colo, certifique-se de que os pais permitem e, antes de pedir permissão (e possivelmente constranger os pais), observe se tem mais alguém pegando a criança.

6.Lave as mãos, sempre - nem é necessário pedir. Lave as mãos ou passe álcool gel, antes de entrar no quarto da maternidade ou quando chegar à casa da sua amiga pra visitar o filhinho dela. Isso se chama higiene.

7.Se estiver gripado ou com outra doença, adie a visita - tenha a certeza de que a mãe do bebê não ficará chateada. Ao contrário, ela saberá o quanto você é cuidadosa com o bebê dela. Depois que a gripe passar (ou outra doença), agende a visita.

8.Agende antes de visitar - nem sempre o seu horário de saída do trabalho é o melhor momento para a nova mãe receber visitas. Por isso, agende antes. Ligue ou mande mensagem. Se ligar e a mãe do bebê não atender, não insista. Quando ela puder, certamente ela retornará. €s vezes, sua ligação é justamente no momento em que mãe e criança estão descansando.

9.Não acorde o bebê - é claro que você quer ver aquela coisinha fofa de olhos abertos, pegar, dizer com quem parece. Mas, por favor, nunca acorde o bebê. Você terá muito tempo para todas essas coisas. A criança necessita do sono. E se você é mesmo amiga da família vai querer o bem estar do mais novo membro, não é mesmo?

10.Não faça comparações - a mãe do bebê certamente não quer saber o quanto criança X é mais gordinha (ou mais magra), como mama mais, dá menos trabalho e blá blá blá. Cada bebê é único e lindo a seu modo. Não faça comparações e não dê conselhos, a menos que alguém os peça.

11.Não diga para a mãe não se preocupar - toda mãe se preocupa, não importa quantos filhos tenha. Eu vivi isso. Lá pelos 10 dias de nascida, Laura chorava demais e todo mundo dizia que era cólica. Aí, além de ensinar receita ou me mandar parar de comer determinada coisa, também dizia pra eu não me preocupar que aos três meses a cólica passaria. Ora! A menina tinha 10 dias e o povo querendo que eu esperasse tranquilamente enquanto ela chorava até completar três meses! Sei que a intenção era boa, mas a falta de tato me deixava irritada. Então, se a mãe está preocupada, ela tem razões para estar. Você pode tentar tranquilizá-la, dar conselhos (se ela pedir) ou até recomendar que ela converse com o pediatra, mas NUNCA, NUNCA diga que ela não deve se preocupar ou que a preocupação dela é bobagem.

12.Não critique - cada família escolhe a forma como vai educar seu filho, a postura que vai adotar a partir do nascimento. Se você não concorda, guarde para si. Aproveite a oportunidade de ficar calada. Afinal, não há livros de receita para criar filhos, cada um encontra a sua maneira, aquela que acha melhor. No lugar de criticar, anote mentalmente para não fazer aquilo que reprova quando tiver seus próprios filhos. 

13.Não beba demais - algumas família optam por receber os amigos com uma cervejinha ou outras bebidas. Cautela, muita cautela. Não se esqueça de que você está visitando um recém-nascido. Não beba demais, não fale alto e não se demore. Se quiser beber mais, vá a um barzinho.

14.Não faça cobranças - coisa mais chata aquela amiga que fica dizendo que a fulana se afastou depois que teve bebê, que não tem mais tempo para os amigos e mais meio mundo de comentários sem noção. Um bebê requer muita atenção, tempo e cuidados. E mesmo se assim não fosse, quando a gente tem um bebê, não consegue desgrudar os olhos, quer estar o máximo de tempo com ele, aproveitando enquanto está de licença do trabalho. Ademais, mesmo quando a criança cresce um pouco, a vida do casal se modifica mesmo depois de ter filhos. ‰ preciso dar preferência a lugares com espaço para crianças, essas coisas. Se você se irrita com isso, certamente não é tão amiga quanto diz.

15.O melhor presente é o carinho - ao visitar um bebê (ou qualquer outra pessoa), lembre sempre que o mais importante não é se você levou ou não um presente (e muito menos o preço dele), se a família decorou ou não a maternidade, se tem ou não bebida e comida. O que importa mesmo é o carinho. Leve seu afeto, suas boas vibrações, seu melhor sorriso. Isso é o suficiente.

Gente, isso foi o que consegui lembrar. Você lembra de mais alguma coisa? Comenta aqui!



É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Viviane Bandeira, jornalista e mãe da Laura

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas