• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Boas e novas

Quanta diferença faz um punhado de sal!

Nessa semana esqueci de colocar sal no meu arroz e entendi a brilhante comparação feita por Jesus

29/08/2013 23:41h

Descobri há pouco tempo que gosto de cozinhar (e gosto do que cozinho). É bom sentir o cheiro da comida ficando mais agradável a cada tempero acrescentado, e é uma delícia ver a cara, antes fria e crua do alimento, transformando-se e pedindo pra ser degustado. Nessa semana, porém, aconteceu algo interessante. Quando terminei de preparar o almoço e tirei a tampa da panela do arroz, senti um cheiro diferente, não sei explicar bem, mas na hora percebi que havia esquecido de colocar o sal no arroz. E quem cozinha sabe que existe a hora certa de se colocar sal, nesse caso não adiantava tentar remediar.

Pois bem, provei o alimento e confirmei a falha. O arroz, tão branquinho e soltinho, estava insosso. Ainda bem que tinha feijão pra aliviar a falta desse precioso tempero, misturando tudo deu pra disfarçar. Mas, esse episódio me fez lembrar do quanto a comparação feita por Jesus foi precisa:

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? (Mateus 5:13). Outras versões questionam: “como se restaurará o sabor?”.

É impressionante como o mestre Jesus tem sempre as palavras certas para usar na hora certa. O que sabemos a respeito do sal é que ele tem várias utilidades. Ele serve para conservar o alimento (que o digam os churrasqueiros, que não deixam a carne estragar graças a um punhado de sal), para aumentar o sabor (o meu arroz é uma prova) e é também um agente de purificação (usado, inclusive, no tratamento de doenças).

Quando fez esta declaração, Jesus conversava com seus discípulos. Então, conclui-se que este é um alerta a todos os que se dispõem a seguir a Cristo. A função destes é ser sal da terra, é fazer a diferença num mundo que se corrompe e apodrece a cada dia, com a violência, inversão de valores e imoralidade. A missão dos servos do Senhor é não se conformar com o mundo, mas serem transformados a cada dia pela renovação de suas mentes (Rm. 12:2). Interessante o sentido da palavra renovar, que é reafirmar, reforçar. Tal como um contrato feito entre duas pessoas, reafirmado sempre que necessário, devemos renovar com Cristo a aliança que um dia foi feita.

Nessa renovação, não há espaço para barganha, para acrescentar novidades deste século no nosso relacionamento com Ele e com as pessoas. O melhor para nós é aceitar viver conforme sua vontade, sempre, todos os dias, por mais que pareça estarmos andando na contramão do mundo. Foi exatamente assim que o próprio Cristo andou, de maneira simples, rejeitando toda aparência do mal, causando surpresa entre aqueles que esperavam outro tipo de Salvador. Sua mensagem foi e ainda é simples: “O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. (Marcos 12:29-31).

Que o Senhor nos ajude a sermos sal nesta terra, fazendo a diferença por onde andarmos!

Edição: Pollyana Rocha

Deixe seu comentário