Boas e novas

E no Dia da Mulher, eu descobri que sou uma menina...

Recebi muitas homenagens nesse dia, mas nenhuma foi mais marcante do que a que eu recebi de Deus

11/03/2014 20:48h - Atualizado em 12/03/2014 12:18h

Compartilhar no

O dia internacional da mulher, 8 de março, é comemorado em todo o mundo. É bastante comum nesta data recebermos homenagens de todos aqueles que nos têm em grande estima: pais, mães, irmãos, amores, amigos, amigas e colegas de trabalho que nos fazem perceber que somos verdadeiramente mulheres; mulheres com M maiúsculo que marcam a geração que vivem; sendo aquilo que socialmente é conceituado como grande mulher.

Eu mesma, sob a graça do Senhor, recebi muitas homenagens via sms, facebook, whatsapp e verbalmente. Até rosas eu recebi no restaurante que jantei (Tô me achando, hein?! Kkkkkkkk!). Mas nenhuma mensagem/homenagem me marcou tanto como a que eu recebi de Deus.

Talvez a maioria dos leitores deste texto devem estar pensando: “Deus deve ter dito que a Val é uma mulher forte, guerreira, “boa profissional”, equilibrada, paciente e aquele monte de coisa linda e marcante que todo mundo acha que a gente é”.

Mas na verdade ele disse, ou melhor, me fez descobrir algo que na minha cabeça jamais estaria no script. Ele me fez descobrir que sou uma menina. Sim, você leu direito! No dia internacional da mulher o Senhor me mostrou que mesmo com 27 anos, já tendo passado por tantas lutas, já ter uma experiência profissional “razoável” e ser “forte” em muitas circunstâncias eu ainda sou uma menina.

Uma menina que precisa esvaziar-se de si mesma e encher-se dEle a cada dia. Uma menina que necessita parar e conseguir entender o que Ele fala em todos os momentos; até mesmo no silêncio. Mas principalmente uma menina que reconhece que é plenamente dependente do Senhor e que continuamente deve buscar antes de tudo crescer em graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo; mesmo sendo uma mulher.


Autoria de Valquíria Fernandes, irmã em Cristo, pedagoga, colaboradora do Boas e Novas.

Compartilhar no
Edição: Pollyana Rocha

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas