• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Boas e novas

26 de março de 2020

Jesus não está em quarentena!

Jesus não está em quarentena!

Ele não se limita às doenças, à ansiedade ou ao medo. Ele continua sendo Deus!

Gravei o vídeo abaixo para uma série de devocionais da minha igreja, para este período de isolamento social, fazendo uma breve reflexão sobre o texto de Deuteronômio 8.10-14:

“Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao Senhor teu Deus pela boa terra que te deu.

Guarda-te que não te esqueças do Senhor teu Deus, deixando de guardar os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te ordeno;

Para não suceder que, havendo tu comido e fores farto, e havendo edificado boas casas, e habitando-as,

E se tiverem aumentado os teus gados e os teus rebanhos, e se acrescentar a prata e o ouro, e se multiplicar tudo quanto tens,

Se eleve o teu coração e te esqueças do Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão”. 

https://www.youtube.com/watch?v=fq_uqysxSJw

Vídeo completo aqui! 

Caso prefira um resumo do vídeo, enumerei três pontos: 

  1. Jesus não está em quarentena! Ele não se limita às doenças, à ansiedade ou ao medo. Ele continua sendo Deus, e pode entrar em sua casa sem risco algum de contaminação. Ao contrário, levará cura, salvação e transformação. 

  2. A quarentena acaba! É normal nos preocuparmos, ficarmos ansiosos, até porque a grande verdade é que queremos ter tudo no controle de nossas mãos. No entanto, é nesta hora que temos a chance de colocar em prática a nossa fé, pois ter fé é saber que o controle está nas mãos dEle. 

  3. Quando a vida voltar à normalidade, não nos esqueçamos de agradecer! Não corramos o risco de ficar vaidosos, esquecendo do Senhor, nosso Deus, que continua sendo o mesmo que nos tira da terra do Egito, nos livra das pragas e da casa de servidão. 

21 de março de 2020

Valor às coisas pequenas

Valor às coisas pequenas

Temos duas opções: cair em desespero, ou manter a fé no Deus que não muda com as circunstâncias


Quando éramos crianças, meus irmãos e eu adorávamos ir ao supermercado com nossos pais. Chegando em casa, íamos à despensa para colocar a compra do mês nas prateleiras, junto com o papai. Era uma grande festa! E eu me lembro de, várias e várias vezes, fazer uma oração silenciosa, agradecendo a Deus por ter ali alimento para os próximos dias. 

Hoje me lembrei desse episódio porque estamos vivendo dias que praticamente nos obrigam a dar valor às “pequenas” coisas, que em um contexto de normalidade não ganham tanta importância: sair de casa, trabalhar, cumprimentar as pessoas, fazer as unhas no salão, experimentar um novo prato num restaurante, dar um mergulho no mar. Tudo isso está suspenso por um tempo, o que nos faz sentir nossa fragilidade diante de um inimigo invisível. 

Nesta hora, temos duas opções: primeira, cair em desânimo e desespero; e segunda, que espero ser sua escolha, alimentar sua mente e coração com a fé no Deus que não muda com as circunstâncias, que não teme os novos vírus, e que não se abala com o cenário de guerra. 

Nestes dias de isolamento social, leia a Bíblia. Não sabe por onde começar? Que tal o livro de Habacuque? São apenas três capítulos, nos quais o profeta relata um cenário de guerra. Parece assustador no começo, mas descobriremos que apesar dos grandes desafios, Deus é Deus! O profeta encerra o seu livro dizendo estas palavras, que hoje, por estarmos vivendo estes dias difíceis, soam mais familiares a nós: 

“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;

Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.

O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas”. (Habacuque 3.17-19).

Contextualizando para o nosso tempo: ainda que não possamos sair de casa, mesmo que os abraços estejam suspensos, e as portas das igrejas estejam fechadas por uns dias; todavia, eu escolho me alegrar no Senhor, e exultar no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a nossa força! Ele nos ajudará a vencer! 


18 de fevereiro de 2020

Já conhece o Summit, maior recurso para capacitação de líderes do mundo?

Já conhece o Summit, maior recurso para capacitação de líderes do mundo?

Saiba quais cidades vão sediar este evento em 2020

Para quem colocou na listinha de planos para 2020 um maior investimento em si mesmo, para qualificação, está chegando uma grande oportunidade: Fortaleza (CE) será uma das mais de 40 cidades brasileiras que irão sediar o Global Leadership Summit, o maior recurso para capacitação de lideranças ao redor do mundo. O evento será nos dias 19 a 21 de março, e as inscrições podem ser realizadas pelo site summitbrasil.com. 

Além da capital cearense, o Summit Brasil vai acontecer em grandes cidades do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Recife, Florianópolis, Belo Horizonte, Campinas, Brasília, Belém, Salvador e Natal. 

Lista completa dos locais no link summitbrasil.org/locais

Em três dias, 13 palestrantes das mais diversas áreas vão compartilhar experiências, para o desenvolvimento pessoal e gerencial dos participantes, em uma combinação única de visão, inspiração e habilidades práticas. 

“Um líder, de qualquer que seja a área de atuação, tem a oportunidade de inspirar mudanças. O Summit é uma fonte de novas experiências e ideias práticas que vão ajudar os líderes a transformar a realidade ao seu redor e a fazer melhor por suas empresas, famílias, igrejas, comunidades e cidades”, afirma Hilquias Benício, facilitador do Summit em Fortaleza.

Sobre o Summit

O Global Leadership Summit é o maior recurso para capacitação de lideranças ao redor do mundo. Acontece atualmente em 135 países e já foi traduzido para mais de 60 idiomas. Tem uma seleção de palestrantes internacionais que oferece a combinação única de visão, inspiração e habilidades práticas que podem ser aplicadas imediatamente.

Já participaram do Summit líderes de classe mundial como Collin Powell, Jack Welch, Bono Vox, John Maxwell e Condolezza Rice.

No Brasil, o Summit é realizado pela Envisionar, com a direção de Josué Campanhã. A empresa nascida em 2012 tem como missão inspirar e capacitar líderes para gerar transformação em suas comunidades e no mundo. 

A Envisionar tem como meta alcançar 1% da população de cada cidade onde o Summit é realizado. Ter um Summit em cada capital do país. Ter um Summit em todas as cidades com mais de 100 mil habitantes. Ajudar cada líder cristão a ser melhor e influenciar sua cidade. Desafiar cada participante do Summit a influenciar um setor da sociedade.



29 de janeiro de 2020

Sinceridade sim, murmuração não

Sinceridade sim, murmuração não

É tênue a linha entre reclamação e pedido. Estão bem pertinho um do outro. Só que a primeira revela um coração ingrato, enquanto que o segundo demonstra dependência e submissão


É incrível e linda a relação que Moisés teve com Deus. Ele era sincero, abria o seu coração para o Senhor, e contava tudo o que estava sentindo. Medo, dúvida, cansaço, desânimo... Essas coisas com as quais todos nós nos deparamos até hoje.

Ele foi sincero desde o primeiro encontro que teve com Deus, quando uma sarça (arbusto) pegava fogo, mas não se consumia. Ali Deus chamou Moisés para ser o libertador dos israelitas, e logo ele reagiu, com total espontaneidade: “Quem sou eu, para que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?”. Na linguagem de hoje, seria mais ou menos assim: “Tem certeza que está falando com a pessoa certa?”.

Adiantando a história, bem conhecida, Moisés seguiu com sua transparência diante do Senhor. Já livre do jugo da escravidão do Egito, o povo, no deserto, sendo cuidado por Seu Pai dia e noite, passou a reclamar, pedindo carne. Estavam de saco cheio do maná. Não queriam mais aquele presente vindo do céu.

Moisés, em vez de simplesmente murmurar, como fez o povo, foi transparente com Deus: "não posso levar todo este povo sozinho. Esta responsabilidade é grande demais para mim. Se é assim que vai me tratar, mata-me agora mesmo; se te agradas de mim, não me deixes ver a minha própria ruína".

É tênue a linha entre reclamação e pedido. Estão bem pertinho um do outro. Só que a primeira revela um coração ingrato, enquanto que o segundo demonstra dependência e submissão.

Moisés pediu, clamou, orou. E sua oração sincera agradou a Deus. A murmuração do povo, não. 

O que você vai escolher fazer hoje?

07 de janeiro de 2020

Hoje eu estaria de luto...

Hoje eu estaria de luto...

Sem exageros. A essa hora, eu poderia estar a caminho da casa dos meus pais, para velar alguém que eu nunca mais veria.

Era pra eu estar de luto agora. Sem exageros. A essa hora, eu poderia estar a caminho da casa dos meus pais, para velar alguém que eu nunca mais veria. É um texto difícil de escrever, mas faço questão de agradecer a Deus publicamente pelo livramento que Ele deu ao meu pai na madrugada desta terça-feira, 07 de janeiro.

Ele viajava sozinho por volta de meia-noite quando foi surpreendido por uma árvore caída no meio da estrada. Ao desviar, perdeu o controle do veículo, que capotou (não sabemos quantas vezes, já que tudo acontece tão rápido...), e invadiu o matagal.

Depois de se debater por alguns instantes, sufocado pelo cinto de segurança, conseguiu se desprender. Buzinou e acendeu o pisca-alerta por alguns longos minutos, até que apareceu um morador da região, que o retirou do carro e o abrigou.

Meu pai nos contou o episódio depois de perceber que não tinha nenhum arranhão no corpo. Ele poderia ter morrido, mas recebeu mais uma chance de viver, de refletir, de pensar no quanto a vida é um sopro.

Foi isso o que eu fiz ao longo desse dia. Pensei no quanto somos frágeis, em como estamos suscetíveis a ter de mudar os planos da nossa vida ou a, de repente, não poder realizar mais nenhum deles. Lembrei da parábola que Jesus contou certa vez:

"A terra de certo homem rico produziu muito bem. Ele pensou consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. Então disse: ‘Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’. Contudo, Deus lhe disse: ‘Louco! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’. "Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus". (Lucas 12:16-21).

Lembrei também de Moisés, que fez uma linda oração, pedindo:

“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio”. (Salmo 90.12).

Hoje eu estaria de luto, mas pela graça de Deus estou com o coração cheio de gratidão, e sedento por alcançar um coração sábio, de forma que cada dia da minha vida esteja de acordo com a vontade dAquele que é Dono de Tudo. 

27 de dezembro de 2019

Planejar, alcançar, revisitar e agradecer!

Planejar, alcançar, revisitar e agradecer!

Deus gosta que seus filhos sonhem, e se agrada ainda mais quando eles sabem que dEle provêm todas as coisas

Até o início da minha juventude, meu pai e eu mantínhamos uma tradição de fim de ano: comprávamos a agenda do ano seguinte e, nas suas primeiras páginas, escrevíamos os planos para os próximos 365 dias que estavam por vir. Uma viagem em família, reforma na casa, comprar geladeira nova, trocar o carro... Fecho os olhos e vejo a letra dele na folha branca, ousando planejar os sonhos de acordo com o mês em que eles poderiam ser realizados. Ao final daquele ciclo, visitávamos aquela página, agora na agenda velha, para conferir o que tinha se tornado realidade. Algumas metas poderiam ter sido até superadas, outras ficariam para o ano seguinte.

Era uma delícia fazer isso. Sonhar, planejar, trabalhar para alcançar, revisitar, agradecer. Deus gosta que seus filhos sonhem, e se agrada ainda mais quando eles sabem que dEle provêm todas as coisas. Jesus disse aos seus discípulos certa vez:

Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta. (...) Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está no céu dará o Espírito Santo a quem o pedir" (Lucas 11:9-13).

Neste fim de ano, com esse clima de avaliação do que passou e planejamento do que está por vir, destaco dois textos bíblicos sugeridos pelo meu pastor, Hilquias Benício. Ele diz que no início do planejamento, deve ficar Mateus 6.33 – Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. E no final da lista, Salmos 33.20: “A nossa alma espera no Senhor; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo”.

São receitas prontas e certas de que darão certo. A lista de planos, sonhos e metas para 2020 pode ser extensa, mas se decidirmos, de todo o coração, buscar em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, tudo o que for necessário a nós será acrescentado por Ele. Se, neste novo calendário, nossa alma esperar nele, ele vai nos ajudar e nos guardar!

Feliz Ano Novo! 

24 de dezembro de 2019

Nasceu a Esperança!

Nasceu a Esperança!

Na cidade de Davi, nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor

Homens simples, que trabalhavam no campo como pastores, estavam no labor no meio da noite, enquanto todos dormiam. Surpreendidos por um anjo, receberam a notícia em primeira mão: “Não fiquem com medo, porque trago a vocês novas de grande alegria, que será para todo o povo: Na cidade de Davi, nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor”.

Os pastores saíram em busca do menino, que estava exatamente onde o anjo anunciou: envolvo em panos, deitado numa manjedoura (lugar onde se coloca comida para os animais, nos estábulos). Aqueles homens não precisaram ver Cristo numa cama de ouro para crer que ele era, de fato, o Cristo.

Assim como os magos do Oriente, homens que amavam a ciência, não precisaram encontrar o menino no palácio para acreditar que ele era o Salvador que a humanidade esperava.

Os idosos Simeão e Ana também não precisaram contemplar uma grande revolução política para ter certeza de que aquele bebezinho que adentrou o templo com seus pais, aos oito dias de nascido, era o Senhor.  

“Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; pois já os meus olhos viram a tua salvação, a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; luz para iluminar as nações, e para glória de teu povo Israel”.

Tudo isso ocorreu há muito tempo, mas a notícia continua sendo de grande alegria para todos, sem distinção. Pobres ou ricos, jovens ou velhos, brancos, negros, pardos. Nasceu a esperança! Como a multidão de exércitos celestiais declararam, hoje lembramos: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens”.

A esperança continua viva, e quer habitar em todos os corações que, como aquela simples manjedoura, recebeu o Salvador.

Feliz Natal! 

08 de dezembro de 2019

Que amor é esse?

Que amor é esse?

Jesus conta conosco para continuar a obra que Ele começou

"Senhor, me dá um povo".

Kelem Gaspar tinha apenas 15 anos de idade quando fez essa oração pela primeira vez. A questão é que Jesus ouve as orações, e cedo ou tarde Ele responde. 

Aos 19 anos, Kelem iniciou sua carreira missionária, indo à Bolívia cuidar do seu primeiro povo, que talvez poucos gostariam de amar. Índios bolivianos que tinham uma cultura de matar recém-nascidos com qualquer defeito físico, ou enterrar vivo o segundo bebê de uma gestação gemelar, para citar apenas alguns terríveis exemplos. 

Mas o Evangelho chegou ali, e quando ele chega a transformação acontece. Em poucos meses muitas daquelas famílias foram alcançadas pelo amor e pela verdade das Escrituras, que leva luz para onde só há trevas.

Depois de ter iniciado uma grande outra nesse local, Kelem passou a clamar por mais um povo. E Deus lhe deu. Com ele, novos e maiores inimigos, como a fome, que assolava a terra daqueles índios. Após três ou quatro dias caçando e pescando, voltavam pra casa de mãos vazias. Por que servir a um Deus que sequer mata a fome das famílias? Kelem se perguntava como consolar aquele povo, mas Jesus mesmo tratou de fazer isso, falando ao coração deles sobre o céu, onde Ele mesmo servirá um grande banquete...

Doente, magra, num leito de hospital, passando mais tempo desmaiada do que acordada, Kelem, quando tinha forças, orava baixinho: "Senhor, me dá um povo".

Mais uma vez Deus atendeu sua oração. São muitos os detalhes e milagres na vida desta missionária, mas vou resumir dizendo que ela partiu rumo a um povo indígena canibal, flecheiro e satanista. Quem amaria uma tribo assim? Somente quem entende que Jesus ama todas as raças, tribos e Nações, e entregou Sua própria vida por cada uma delas. 

Que alegria reside no meu coração por ter ouvido Kelem Gaspar relatar um pouco das suas experiências no campo missionário, durante o Congresso de Missões da AD Cidade, em Fortaleza. Se você quiser saber mais, confira a pregação completa aqui: 

https://youtu.be/ZtuzxuFTGcA

Deus poderia ter feito outro plano, mas Ele escolheu contar conosco para fazer Missões em toda parte! 

27 de outubro de 2019

Constranger para curar

Constranger para curar

Jesus, especialista em corações, mentes e almas, não tem problema em constranger aqueles a quem ama

Quando Jesus pede que a mulher samaritana tire um pouco de água do poço para ele beber, ela se assusta com o fato de um homem – ainda por cima judeu – dirigir a palavra a ela (judeus e samaritanos tinham desentendimentos históricos). Jesus afirma que, na verdade, ela é quem lhe pediria se soubesse que ele poderia oferecer a água da viva. Então ela diz: “Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la”.

Esta história (escrita em João 4:4-30) sempre me toca, mas desta vez foi diferente, porque pensei nas razões que levaram a mulher a fazer esse pedido. Imagino que suas motivações até então eram egoístas, tudo o que ela queria era não precisar ir, em pleno meio-dia, buscar água no poço. Ela escolhia esse horário para não ser vista por ninguém, para não precisar responder pergunta alguma das vizinhas, para não ter que dar explicações sobre quem era ou o que andava fazendo.

Mas Jesus, especialista em corações, mentes e almas, não tem problema em constranger aqueles a quem ama. Se ele tem a oportunidade, não se furta de tocar na ferida, não com o intuito de machucar, mas de aplicar remédio e sarar de uma vez por todas. Ele fez isso com a mulher samaritana, expondo os detalhes de sua vida: “tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido”.

Ela poderia ter fingido, fugido, voltado à sua rotina, e pensado “quem esse homem pensa que é para falar da minha vida?”. É o que muitos têm feito hoje, mentindo para si mesmos, fingindo que Jesus não é Jesus, que ele não é o próprio Deus. Mas ela fez a melhor escolha, e a partir daí mudou o foco da conversa, preocupada não mais com seus próprios interesses, mas em como agradar e adorar a Deus de verdade.

Foi quando ela soube que ali, em sua frente, estava o próprio Messias. Então, a mulher que, por vergonha, escolhia o pior horário do dia para ir buscar água, deixou seu cântaro e saiu correndo para anunciar a todos em sua cidade que Jesus Cristo passava por lá. Ela não mais se preocupou com os julgamentos, porque quem de fato poderia condená-la já havia lhe oferecido a água da vida.

Como não amar esse Deus, que inclui em sua agenda uma visita rápida a uma cidade, para ter um encontro especial com uma só pessoa? O mesmo Deus que se importou especialmente com a mulher samaritana também se importa com você e comigo. Deixe que Ele te constranja e toque em suas feridas! 

06 de outubro de 2019

E os planos para 2019?

E os planos para 2019?

O homem rico estava cheio dele mesmo: meus celeiros, meu produto, meus bens, minha alma...

Pisquei, e de repente é Outubro. O primeiro mês do último trimestre do ano. Esse período que gera na gente aquela sensação de “valha, meu Pai, o ano acabou, e o que eu fiz?”. Ainda não é hora de escrever os planos para 2020, e talvez já não dê tempo de marcar ok em toda a lista de projetos para este ano. Mas, pode ser um bom momento para dar uma revisitada neles...

Quem sabe, a partir daí, você perceba que janeiro não é único mês adequado para iniciar a prática de exercícios físicos. Pode ser que você descubra que uma terça ou quarta-feira do antepenúltimo mês do ano seja um bom dia para iniciar a leitura daquele livro que estava planejado para fevereiro. Ou, ainda, que é possível ler o Novo Testamento completo em três meses.

Planejar é bom, e revisitar os planos para corrigir o que foi mera empolgação de virada de ano também. O mais importante é que os projetos estejam de acordo com a vontade de Deus, que conhece as forças e fraquezas de cada um de nós, que perdoa, que compreende e que dá novas chances, desde que tenhamos um coração aberto a Ele, pronto para viver de forma equilibrada – sem ansiedades, vaidade e orgulho.

Um bom exemplo a não ser seguido é o homem rico da parábola que Jesus contou, escrita em Lucas 12. 16-21:

“O campo de um homem rico produziu com abundância.

E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos?

E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens.

Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te.

Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?

Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus”.

O homem rico fez planos, que poderiam não ser maléficos, se o desejo do coração dele fosse o de repartir, abençoar outras vidas, glorificar a Deus com os bens dele... Mas ele estava cheio dele mesmo – meus celeiros, meu produto, meus bens, minha alma...

Rico de si, pobre para com Deus, este homem não teve tempo de experimentar os prazeres simples e maravilhosos desta vida. Ele não pôde simplesmente desfrutar do cheiro da terra molhada de suas plantações; ou louvar a Deus pela capacidade de colher os frutos com as próprias mãos; e ainda de convidar os amigos para uma refeição feita com seus frutos. Ele não teve mais chance de fazer bons planos para o futuro...

E você, como estão os seus planos para os próximos dias? Jesus faz parte deles? Você quer viver os seus planos ou os dEle? Garanto que com Ele é bem melhor. Ele faz mais do que podemos imaginar, e tem feito isso na minha vida. Já posso olhar para janeiro-setembro e contemplar a bondade do Senhor, trabalhando no meu caráter, na minha fé; moldando as minhas vontades às dEle. E que seja assim até o fim do ano. Que seja assim por todos os meus dias, que são dEle! 

15 de setembro de 2019

Setembro Amarelo – o que parece o fim pode ser um novo começo

Setembro Amarelo – o que parece o fim pode ser um novo começo

Longe de querer apenas espiritualizar algo que necessita de acompanhamento profissional, quero focar em alguém que é o Maior Médico que já existiu, especialista em dores da alma

Decidir dar fim à própria vida não é algo novo. A própria Bíblia relata casos de suicídio, como o de Saul (1 Sm 31.4), o do rei Zinri (1 Rs 16.18), e o de Judas (Mateus 27.5). Em todos estes, o ato é acompanhado de desespero e aflição da alma, que fazem com que a pessoa ache que não há solução para suas angústias, a não ser a morte.

A mesma Bíblia que relata estes casos deixa claro que a vida não pertence a nós mesmos, por isso colocar nela um ponto final não é uma decisão que nos é facultada. Se você que está lendo este texto tem ideações suicidas, ou conhece alguém que tem apresentado comportamentos depressivos e que apontem para este risco, leia até o fim, e saiba, em primeiro lugar, que é melhor fazer algo de que se tenha a chance de se arrepender depois, do que perder de uma vez só todas as chances.

Longe de querer apenas espiritualizar algo que necessita de acompanhamento profissional (médicos, psicólogos, nutricionista, terapeutas, e todos mais que possam auxiliar), quero focar em alguém que é o Maior Médico que já existiu, pois antes mesmo de alguém saber que a depressão existia, Ele já era especialista em dores da alma. Ele já amava ouvir as pessoas, e sabia distinguir, através do olhar, quando a doença de alguém não era meramente física.

Foi assim com o paralítico que há 38 anos esperava uma cura no Tanque de Betesda. Quando Jesus chegou ali, Ele lhe perguntou: “Você quer ser curado?”. Óbvio que ele queria ser curado, mas o Médico queria lhe ouvir para entender de onde vinha a dor. E o homem lhe disse: “Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim”.

Em outras palavras, aquele paciente estava dizendo: “Doutor, eu me sinto sozinho. Ninguém me vê, ninguém enxerga as minhas dores, não há quem me estenda a mão”.

Mas o médico era especialista em curar a alma também, e naquela hora ordenou: “Levante-se (física e espiritualmente), pegue a sua maca (lugar de acomodação, de remoer sentimentos negativos) e ande (olhe pra frente, vá rumo às coisas novas, mexa-se, saia do lugar que lhe trazia memórias tristes)”.

Jesus, de graça e por graça, continua curando todos os tipos de enfermidades: câncer, Aids, dor de cabeça, ansiedade, depressão... Ele continua fazendo coisas novas, ampliando a visão e escrevendo histórias de vitória.

Leitor, converse com Ele. Conte tudo pra Ele. Conte em detalhes o que você tem pensado em fazer com sua vida, e permita que Ele faça o que Ele quer fazer. O que parece ser o fim, com Ele será um novo começo.  

01 de agosto de 2019

Nada melhor que a dor...

Nada melhor que a dor...

Um remédio pode apenas maquiar o problema. E é o que fazemos muitas vezes quando sentimos dor...

Comecei a escrever esse texto às três da manhã, dias atrás. Não, eu não tenho insônia. Na verdade acordei com muita dor no dente, uma dor insuportável... Tomei um remédio e fiquei esperando o alívio chegar. Enquanto isso, meditei sobre o quanto é ruim sentir dor (quando tudo está bem com a gente, não pensamos muito sobre isso) e comecei a orar por pessoas que sentem dores por diversas causas – um câncer, enxaqueca, problemas na coluna, enfermidades na alma...

Passaram-se uns 40 minutos, e a dor foi embora. Na verdade, deu uma trégua. O remedinho era apenas um paliativo. A solução para o problema foi um canal. Eu nunca tinha me submetido a esse procedimento, e espero que tenha sido a primeira e última vez na minha vida, mas foi necessário e restaurador passar por ele.

O remédio estava apenas maquiando o problema. E é o que fazemos muitas vezes quando sentimos dor. Tentamos embrulhá-la dentro de um papel qualquer, amassamos e escondemos em algum canto secreto do nosso coração. Porque a dor é desagradável, não nos deixa dormir... Então é melhor tomar um remedinho, postar um #tbt de um lindo dia com um belo sorriso, e fingir que tudo vai bem.

O efeito, porém, é provisório, e somente a cirurgia pode solucionar o problema. Cristo é o cirurgião. Ele é especialista em encontrar a causa da dor. Ele sonda corações e conhece os pensamentos mais ocultos. Para nos curar, Ele mesmo sentiu muitas dores:

Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados
”. (
Isaías 53:3-5)

Concluo esse post dizendo que a dor pode ser uma grande amiga, porque ela nos faz perceber o quanto somos pequenos e falhos, e o quanto os paliativos que usamos são incapazes de nos curar completamente. Somente o Senhor Jesus pode nos dar o alívio para nossos corpos, mente e alma.  

Cuide da sua saúde. Cuide da sua alma!

“O sofrimento é o megafone de Deus para um mundo ensurdecido”. (C.S. Lewis). 

01 de julho de 2019

Expoevangélica vai reunir 40 atrações musicais em quatro dias

Expoevangélica vai reunir 40 atrações musicais em quatro dias

Aline Barros, Cristina Mel e Ton Carfi são presenças confirmadas numa das maiores feiras do segmento gospel no país

Contagem regressiva para o início da 14ª edição da Expoevangélica, que acontece de 03 a 06 de julho, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Consolidado como uma das maiores feiras do segmento gospel do país, o evento vai reunir 40 atrações musicais, entre artistas regionais e nacionais. Aline Barros, André e Felipe, Cristina Mel, Daniela Araújo, Eli Soares, Gabriela Gomes, Priscilla Alcântara, Robson Monteiro e Ton Carfi são alguns dos nomes confirmados. 

Além dos shows musicais, a feira une tecnologia, literatura e produtos, fomentando também a economia no estado do Ceará, já que estima-se a movimentação de mais de três milhões de reais em negócios durante e pós-evento. Para a edição de 2019, a Expoevangélica conta com uma megaestrutura com mais de 70 expositores e 80 stands.

De acordo com o presidente da feira, Francisco Everton, a feira deve receber mais de 20 mil visitantes durante os quatros dias do evento, gerando cerca de mil empregos temporários diretos e indiretos. 

A programação da Expoevangélica inclui palestras, ministrações, tarde de autógrafos e shows de vários estilos musicais. As atrações que sobem ao palco da feira, fazem parte de algumas das principais gravadoras e produtoras do Brasil como Sony Music, Som Livre, Universal Music Group, Warner Music, Labidad, Central Gospel e Fonte Produções. 

De quarta a sexta-feira, os shows terão início às 17h. No sábado, a programação inicia às 10h da manhã com uma palestra direcionada para as mulheres. Às 14h, será realizado o Projeto Expo Infantil com atrações voltadas para as crianças, e a partir das 17h, os shows com as atrações principais.

Para ter acesso ao passaporte diário da Expoevangélica 2019, basta realizar a doação de 1kg de alimento não perecível. Os alimentos arrecadados serão destinados a projetos sociais e missionários no sertão do Ceará e na África. Desde a primeira edição, a Expoevangélica já doou mais de 200 toneladas de alimentos.


Com informações da Assessoria de Comunicação.