• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Andarilhos

Carta ao texto

Quer dizer... À Vida!

15/01/2015 13:57h

Queridos,

Uma página em branco com linhas pretas delimitadas esperando que alguém, algum dia venha a escrever algo. Imaginem que seja mais ou menos como funciona a nossa vida. No início ainda há muito que percorrer e conhecer, mas o que será escrito depende de nós.

O início de um texto é sempre mais complicado porque não sabemos exatamente como introduzir algo que é desconhecido para nós e para os outros. Existem alguns rabiscos, mas como sabemos que é possível melhorar no decorrer da narrativa deixamos que as palavras corram. Assim, podem ser desenvolvidas com mais calma depois.

Quando o texto já está mais encaminhado é necessário mais atenção. Muito parecido com nossas vidas, em que uma escolha pode comprometer todas as estruturas. A diferença é que as palavras (unicamente escritas) podem ser apagadas. As ditas são irreversíveis. O texto em seu desenvolvimento exige uma boa elaboração, para convencer o leitor do que você quer que ele acredite. Na vida real é exatamente assim, mesmo que alguns digam não se importar com a opinião dos outros. Entretanto, se importam sim, mesmo que às vezes queiram só a desaprovação. E claro que você quer despertar uma reação em que lê, seja boa ou má.

E no final... Bem o final geralmente nos deixa querendo mais. Porém por algum motivo não nos é permitido continuar escrevendo. Provavelmente porque o desfecho exato não nos cabe ou não é compreensível. Ao findar um texto, colocamos nossa conclusão sobre as palavras, os atos ou pensamentos. Geralmente acompanhado de possíveis soluções ou dissoluções. Parecido com que o fazemos quando passamos por alguma experiência e tiramos conclusões do que ocorreu.

Não necessariamente o fim de um texto compete ao término o fechamento de um ciclo. Ele apenas encerra uma etapa para que uma nova, seja ela diferente ou não da anterior, possa ser iniciada. Exatamente como acontece com as nossas vidas.

Somos nossos próprios deuses interiores. Temos a capacidade de escrever nossas vidas, embora não sejam com fatos pré-meditados, mas escolhemos o caminho a seguir, as ideias a defender e os motivos para lutar. O que irá acontecer depois é impossível dizer, pois cabe apenas ao Deus exterior escrever tudo no papel infinito do universo.

Com carinho,

Por: Gabriela Aguiar

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas