• Unimed
  • assinatura jornal

Polícia prende mais um acusado de estupro no interior do Piauí

Foi a terceira prisão por abuso sexual efetuada pela polícia em menos de 24h. Em Floriano, um vigia e um cuidador de crianças já havia sido detidos pelo mesmo crime.

06/12/2017 07:24h

Dando continuidade a uma série de ações para coibir crimes sexuais no interior do Piauí, a Polícia Civil prendeu, nessa terça-feira (05) mais um homem acusado de estupro, desta vez na cidade de Elesbão Veloso, a 169 quilômetros de Teresina. Trata-se de José Paixão Gomes da Silva, acusado de ter violentado uma mulher na manhã de ontem no município.

De acordo com a Polícia Civil, José teria invadido o quarto da vítima, identificada pelas iniciais M.N.B, e teria tentando força-la a manter relações sexuais com ele. A jovem ainda teria resistido e tentado se defender do agressor, chegando a se lesionar, mas não conseguiu impedi-lo.

Acionada, uma equipe da Delegacia Regional de Elesbão Veloso deu início às diligências e conseguiu efetuar a prisão de José em sua residência no Município horas depois do crime. O acusado confessou a autoria do delito e foi autuado em flagrante por estupro e lesão corporal.

Terceira prisão em 24 horas

Além de José Paixão Gomes da Silva, a Polícia Civil prendeu, dessa vez na cidade de Floriano, a 247 Km de Teresina, mais dois homens acusados de estuprar crianças . Um deles, de nome Alan Kardec Alves Reis, teria abusado sexualmente das próprias filhas e ameaçado a esposa.

O acusado trabalhava como cuidador de crianças com necessidades especiais em Floriano e, diante da informação, a Delegacia da Mulher, que coordenou a ação, está investigando a possível existência de outras vítimas de Alan Kardec, além das próprias filhas do acusado.

O segundo acusado foi identificado como sendo Paulo de Tarso Oliveira Varão, que trabalhava como vigia em uma escola particular da cidade. Segundo a polícia, ele é suspeito de abusar sexualmente de quatro crianças de seis anos, de ambos os sexos, dentro da escola onde exercia seu posto.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário