• Unimed
  • assinatura jornal

PCC e mais quatro facções criminosas estariam atuando nos presídios do Piauí

Além do Primeiro Comando da Capital e do Bonde dos 40, existem ainda o Primeiro Comando de Campo Maior, o Primeiro Comando de Esperantina e a Facção Criminosa de Teresina

09/01/2017 14:51h

Um levantamento do jornal O Globo traçou o mapa das facções no Brasil e identificou cinco organizações criminosas atuando no Piauí. Além do Primeiro Comando da Capital e do Bonde dos 40, facções com atuação nacional, existem ainda o Primeiro Comando de Campo Maior, o Primeiro Comando de Esperantina e a Facção Criminosa de Teresina.

O Piauí está entre os cinco estados do Brasil onde a situação nos presídios foi classificada como tensa. De acordo com os setores de inteligência do Governo Federal, há risco de serem registrados conflitos violentos no sistema penitenciário do Piauí, Mato Grosso, Sergipe, Rondônia e Ceará. Os estados do Amazonas e Roraima já foram classificados como conflito deflagrado.

Diante dessa situação, a Secretaria de Justiça do Piauí realizará amanhã (10) uma reunião com instituições do sistema de justiça do Estado para tratar sobre o Protocolo de Segurança Prisional estabelecido pelo órgão.

O encontro entre diretores da Sejus, representantes do Tribunal de Justiça do Piauí, Ministério Público do Piauí, Defensoria Pública do Piauí, Secretaria de Segurança Pública, dentre outras entidades, acontece às 11h, na sede da Escola de Formação Penitenciária do Piauí.

O objetivo principal da reunião é, ao promover e incentivar a atuação conjunta das instituições ligadas ao sistema penitenciário, debater temas e fazer encaminhamentos que proporcionem medidas voltadas à solução de questões do setor.

As pautas serão o Plano de investimentos do Estado – incluindo a construção de novas unidades penais e a estruturação das já existentes –, procedimentos de segurança para prevenir e reprimir distúrbios nos presídios, equipamento e modernização das penitenciárias, além do reforço nas equipes de agentes penitenciários e policiais militares, vistorias e revista, monitoramento, inteligência e proteção externa.

Após a morte de quase 100 presos em massacres nos presídios da região Norte do País, o Ministro da Justiça Alexandre de Moraes convocou uma reunião com todos os secretários de Justiça e de Segurança Pública para o dia 17, em Brasília.

Por: Nayara Felizardo, com informações de O Globo

Deixe seu comentário