• Águas de Teresina
  • assinatura jornal

Notícias Polícia

15 de agosto de 2017

PRF prende casal com veículo roubado e drogas em Parnaíba

O veículo roubado é do modelo Toyota Hilux, de placa real QGP-6820/RN

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu, na manhã desta terça-feira (15), um casal com um veículo roubado e drogas no km 33 da BR-343, em Parnaíba, a cerca de 338 km de Teresina. Durante a abordagem, os policiais rodoviários federais teriam constatado que a documentação do veículo era falsificada e encontraram com os ocupantes do veículo trouxas de cocaína e crack.

Veículo roubado é uma Toyota Hilux de placa real QGP-6820/RN. (Foto: Divulgação/PRF)

Segundo informações da PRF, os policiais realizavam fiscalização no posto da PRF quando abordaram um veículo de modelo Toyota Hilux, de cor branca, que ostentava a placa QGZ-1920, conduzido por G.B.F, de 38 anos. Ao averiguarem a documentação apresentada pelo motorista, os policiais constataram que o documento do carro apresentava indícios de falsificação. Após análise mais detalhada, os agentes teriam atestado que o veículo seria um clone cuja placa real é QGP-6820, do Rio Grande do Norte, para a qual constava ocorrência de roubo/furto.

Casal será autuado por uso de documento falso, veículo recuperado e tráfico de drogas. (Foto: Divulgação/PRF)

Em seguida, ao revistarem o condutor e a passageira do veículo, a PRF teria encontrado cerca de 750g de substância análoga à cocaína e 100g de substância análoga ao crack dentro da bolsa da passageira, identificada como J.O.S., de 39 anos. A ocorrência foi encaminhada à Policia Federal de Parnaíba para a tomada das providências cabíveis. O casal será autuado por uso de documento falso, veículo recuperado e tráfico de drogas.

Substâncias análogas à cocaína e crack que teriam sido encontradas em posse dos suspeitos. (Foto: Divulgação/PRF)

PF desarticula quadrilha acusada de movimentar R$5,7 bi em drogas e mercadorias

A operação Hammer-on, realizada em parceria com a Receita Federal, visa ao cumprimento de 153 ordens judiciais, sendo 19 de prisão e 53 de condução coercitiva

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira operação para desarticular uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro e evasão de divisas acusada de movimentar ilegalmente 5,7 bilhões de reais principalmente para a compra de drogas e mercadorias do Paraguai, em especial cigarro.

A chamada operação Hammer-on, realizada pela PF em parceria com a Receita Federal, visa ao cumprimento de 153 ordens judiciais, sendo 19 de prisão e 53 de condução coercitiva, em diversas cidades dos Estados do Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais e Santa Catarina.

"As investigações, iniciadas em 2015, tiveram como foco um grupo criminoso composto de cinco núcleos interdependentes que utilizavam contas bancárias de várias empresas, em geral fantasmas, para receber vultosos valores", informou em nota a PF, que mobilizou 300 agentes para a operação.

De acordo com os investigadores, a quadrilha enviava dinheiro sujo para o exterior por meio de operações de "dólar-cabo", sem registro nos órgãos oficiais, e por meio de contratos de câmbio fraudulentos com instituições financeiras brasileiras, das quais duas já foram liquidadas pelo Banco Central.

A operação é um desdobramento de outras ações realizadas pela PF e a Receita Federal de Foz do Iguaçu, no Paraná, em 2014 e 2015, também para investigar negociações entre criminosos brasileiros e paraguaios.

PM de Porto prende suspeitos de roubo a agência dos Correios

Cofre da agência da cidade foi arrombado com explosivos no dia 7 de agosto; polícia ainda procura outros 3 suspeitos.

Atualizada às 8h51min:

Mais uma pessoa foi presa sob suspeita de envolvimento no roubo à agência dos Correios da cidade de Porto, a 160km de Teresina. Junto com o rapaz, os policias apreenderam uma motocicleta. 

Ao todo, cinco pessoas foram presas por suspeita de participar do roubo: quatro homens e uma mulher. A polícia ainda procura outras duas suspeitos: um da cidade de Porto e outro que estaria no Maranhão.


A Polícia Militar de Porto conseguiu localizar e prender quatro pessoas sob suspeita de participarem do roubo à agência dos Correios do município. três homens e uma mulher foram detidos. A polícia segue buscando outros três suspeitos.

O crime aconteceu durante a madrugada do dia 7 de agosto. O bando entrou pelos fundos da agência e abriu um buraco numa das paredes do local. Do lado de dentro, abriram o cofre com os explosivos e conseguiram fugir levando o dinheiro.

Material apreendido com os presos (Foto: Divulgação/ PM)

Segundo o cabo José Luiz, da PM de Porto, foram os próprios policiais militares que tiveram que fazer parte do trabalho de investigação, por conta do número reduzido de investigadores que a cidade dispõe.

“Conseguimos uma pista, de que eles haviam invadido uma casa no bairro Alto Bonito. E aí fomos arrumar uma estratégia, e tivemos êxito”, disse o cabo José Luis. As prisões aconteceram na manhã de hoje (15).

Foram presos três homens e uma mulher, das cidades de Matias Olímpio, Luzilândia e Coelho Neto. Há ainda três suspeitos de participação no crime: dois deles são da cidade de Porto, e o último estaria no Maranhão. “A gente espera colocar a mão em pelo menos um, ainda hoje”, disse o cabo.

Os policiais apreenderam com eles duas armas de fogo, munições, e a quantia de R$ 570 em dinheiro. 

14 de agosto de 2017

Vídeos mostram violência de PMs durante abordagens em Altos

Um dos policiais que supostamente aparece nas imagens já está sendo investigado pela Corregedoria da PM por excesso nas abordagens. Denúncia foi feita por morador de Altos.

Dois vídeos que circulam na internet mostram policiais militares do Piauí agredindo suspeitos durante abordagens no município de Altos, localizado a cerca de 40 km de Teresina.. No primeiro deles, aparecem dois PMs, com uniformes da Força Tática, dando socos em dois homens detidos e algemados numa delegacia. Enquanto um terceiro policial filma o “interrogatório”. No segundo, as agressões acontecem durante um evento. Nas imagens, é possível ver um homem sendo empurrado por um policial e nelas ainda é verificado a presença de outros dois PMs, também com uniformes da Força Tática.

Veja o primeiro vídeo


O Portal ODia recebeu a denúncia de um morador do município.  De acordo com ele, um dos policiais seria o sargento Carlos Alberto, conhecido na cidade como “Cacá”. Ele aparece nos dois vídeos e seria lotado na 2ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar. O mesmo policial apontado pela pessoa que gravou um dos vídeos está sendo investigado pela Corregedoria da Polícia Militar para averiguar excesso nas abordagens. A denúncia aponta que o sargento Carlos Alberto teria agredido fisicamente um morador (O DIA opta por não colocar seu nome para proteger a sua identidade).

Em contato com o Portal O Dia, ele afirmou que as supostas agressões teriam acontecido duas vezes, sendo a última no dia 2 de agosto deste ano. Segundo ele, o sargento agiria de forma truculenta e usaria palavras de baixo calão durante as abordagens. “Ele já me abordou duas vezes, e todas as duas vezes eu tentei me identificar. Eu não sou contra a abordagem. Sou contra a forma como a abordagem é feita. Nas duas vezes, ele me tratou com muita ignorância. Agrediu com um capacete e vários socos”, relata, que o militar em uma das abordagens não estava fardado.

Para ele, as vítimas das agressões não denunciam os abusos por medo de represálias. O morador informou ainda que a denúncia das agressões físicas foi formalizada na Corregedoria da Polícia Militar no início deste mês. Na ocasião, também foi registrado um boletim de ocorrência na Delegacia de Direitos Humanos e realizado exame de corpo de delito.

Veja o segundo vídeo


OAB condena a violência policial

Para a Comissão de Direitos Humanos da OAB, a truculência nas abordagens policias não é uma forma eficaz de enfrentar a criminalidade. De acordo com o presidente da comissão, o advogado Marcelo Mascarenhas, o excesso da força policial é uma das formas mais frequentes de desrespeito aos direitos humanos, pois, segundo ele, “é o Estado se tornando criminoso”.

“A Polícia mais eficiente que nós temos no Brasil é a Polícia Federal, e você não vê agentes da Polícia Federal agredindo ninguém no meio da rua. Porque não é a violência que faz uma polícia eficiente, e sim o treinamento, a inteligência, uma investigação bem-feita e investimentos em salários, formação e equipamentos”, explica.

Para o advogado, sob a desculpa de enfrentar a criminalidade, a Polícia acaba atuando com excesso e vitimando até mesmo pessoas inocentes. “Se já é reprovável o excesso da violência policial contra pessoas que praticaram crimes, ainda mais contra inocentes, que é o que acaba acontecendo, com se torna um padrão, a violência policial não distingue ninguém, acaba atingindo pessoas que praticaram delitos e pessoas que não cometeram nenhum crime”, pontua.

Contraponto

Em contato com a Polícia Militar, a reportagem do Portal O Dia foi informada de que a corporação já abriu um procedimento investigativo para apurar os supostos excessos praticados pelo policial da Força Tática de Altos. O coronel Raimundo Rodrigues, corregedor da Corporação, declarou que a denúncia contra o sargento foi recebida há 10 dias. “A informação que temos é que ele estaria sendo enérgico demais nas abordagens e que isso estaria causando certo constrangimento nas pessoas. Então abrimos um procedimento de investigação para ver até onde essas informações procedem e tomar as devidas providências caso elas sejam confirmadas”, afirmou o corregedor da PM.

O coronel Rodrigues ressaltou ainda que mesmo com as denúncias tendo chegado à Corregedoria, o policial não foi afastado de suas funções, porque ainda não se tem nada comprovado quanto à sua conduta. No caso de as informações serem confirmadas, a Polícia Militar poderá abrir dois procedimentos: um inquérito, caso seja comprovado que o PM cometeu algum crime, ou um processo administrativo, caso sua atitude se configure apenas como transgressão às normas de abordagem militar.

“Se for comprovado crime, ele é afastado de suas funções e nós encaminhados o processo para a Central de Inquéritos e ao Ministério Público que farão análise da denúncia e da possível condenação proporcional ao ato praticado. Mas se for comprovado somente transgressão às normas militares, ele deverá responder com uma advertência, com a perda da função, afastamento ou até mesmo com a prisão decretada pelo Comandante que tem poder para isto”, explica o coronel Rodrigues.

O Portal O Dia tentou contato com o sargento da Força Tática de Altos Carlos Alberto por meio da Assessoria da PM. No entanto, a reportagem foi informada de que o sargento não se manifestaria e que a PM-PI tem o mesmo posicionamento do corregedor.

Piauí registra 385 mortes violentas nos primeiros sete meses do ano

Somente no interior, foram contabilizados 186 crimes violentos letais intencionais e em Teresina esse número sobe para 199. A média é de quase duas pessoas mortas por dia.

O Piauí registrou 385 mortes violentas de janeiro a julho deste ano, é o que mostra o relatório de estatísticas criminais da Secretaria de Segurança Pública do Estado, divulgado nesta segunda-feira (14). De acordo com o relatório, os municípios do interior contabilizaram juntos 186 crimes violentos letais intencionais (CVLI), enquanto que na Capital esse número sobe para 199. A média é de quase duas pessoas assassinadas no Estado por dia.

Os crimes violentos letais intencionais compreendem homicídios dolosos, ou seja, quando há intenção de matar, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e estupro seguido de morte. Em Teresina, o mês mais violento do ano até agora foi junho, quando foram registrados 35 crimes violentos letais intencionais. Em contrapartida, fevereiro foi que teve os menores índices deste tipo de crime: 19 pessoas foram assassinadas no Estado no segundo mês do ano.


Foto: Arquivo O Dia

Com relação ao interior, o mês mais violento foi abril, que teve 39 casos de CVLI’s registrados pela Secretaria de Segurança, e assim como Teresina, fevereiro também foi considerado o mês mais tranquilo, com 22 ocorrências do tipo.

Em contrapartida, observou-se uma redução de 22,85% nos crimes violentos letais intencionais no mês de julho em Teresina. No último mês, a SSP contabilizou 27 casos na Capital piauiense, contra os 35 registrados em junho.  No interior do Piauí, o número de mortes violentas em julho foi o mesmo do ano passado: 22 casos.


Foto: Elias Fontinele/O Dia

“Esse número é resultado de um trabalho rotineiro das instituições que fazem a Segurança Pública. No caso da Polícia Militar, estamos intensificando as rondas nos bairros e a Polícia Civil vem realizando operações com o intuito de prender acusados de crimes. Para nós é uma grande conquista, porque enquanto os outros estados brasileiros registram aumento da violência, o Piauí tem se destacado pela redução ao longo do ano”, avalia o secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu.

Roubos

Até o início de agosto, a SSP já contabilizou 11.209 roubos em Teresina, sendo maio o mês onde se observou o maior registro deste tipo de ocorrência, com 1.860 registros, e abril o mês com o menor índice (1.446). Com relação aos roubos de veículos em Teresina, foram contabilizados este ano 1.250 ocorrências, sendo, novamente, maio o mês mais violento (197 roubos) e abril o mês mais tranquilo (151 roubos).

Assim como se observou com os crimes violentos letais intencionais, o número de roubo de veículos também sofreu redução significativa em Teresina no mês passado. Em julho, a Polinter registrou 173 casos. No mesmo período de 2016, foram contabilizadas 198 ocorrências, representando uma queda de 13%. Considerando os assaltos de uma forma geral, o decréscimo na Capital piauiense foi de 2%.

Há menos de um mês encarcerado, suspeito de matar PM foge da prisão

Essa é a segunda fuga do sistema prisional piauiense em menos de uma semana. No domingo, duas detentas da Penitenciária Feminina também fugiram.

Preso desde o dia 28 de julho, o suspeito de participar do assassinato do capitão Antônio Carlos Pinto de Farias, da Polícia Militar do Piauí, conseguiu fugir da Colônia Agrícola Penal Major César Oliveira, localizada em Altos, a cerca de 40 km de Teresina. Segundo a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), a fuga aconteceu na última quinta-feira (10).

O detento, identificado como Márcio Douglas Lima Vasconcelos, estava preso por roubo e porte ilegal de arma de fogo e ainda se encontra foragido. Em nota, a gerência da Major César informou que comunicou aos órgãos de segurança pública para realizarem os procedimentos de buscas. A gerência informou, ainda, que a Secretaria de Justiça do Estado também foi comunicada para que adote as providências necessárias. 

Márcio Douglas Lima Vasconcelos. (Foto: Divulgação/PM)

Essa é a segunda fuga do sistema prisional piauiense em menos de uma semana. No domingo (13), duas detentas, identificadas como Osmarina dos Santos e Cristiane de Brito Sousa, fugiram da Penitenciária Feminina de Teresina. A gerência da Penitenciária Feminina de Teresina informou, por meio de nota, que estão sendo feitas diligências para capturar as duas detentas. A ocorrência também foi comunicada à Secretaria de Justiça do Estado, que está investigando as circunstâncias em que se deu a fuga e colaborando nas buscas.

Entenda o caso

Márcio Douglas Lima Vasconcelos foi preso no último dia 28 de julho, ao se entregar na Central de Flagrantes de Timon, por ser apontado como participante do assassinato do capitão Antônio Carlos Pinto de Farias. De acordo com a PM, ele teria pilotado a motocicleta usada pela dupla no dia do crime. Segundo investigadores da Polícia Civil do Maranhão, Márcio Douglas disse que decidiu se entregar com receio de sofrer uma represália e acabar sendo morto, dada a grande comoção que o crime provocou na região metropolitana de Teresina, sobretudo entre os policiais militares.

O capitão Antônio Carlos foi assassinado no dia 26 de julho, depois que reagiu a uma tentativa de assalto. O crime aconteceu num restaurante localizado na Avenida Presidente Médici, em Timon, onde o militar estava almoçando. Ao reagir, Antônio Carlos ainda conseguiu atingir um dos suspeitos, mas acabou sendo baleado na cabeça e não chegou sequer a ser socorrido, morrendo no local.

O suspeito que foi atingido pelo disparo da arma do capitão chama-se Francisco das Chagas Fonseca, de 34 anos. Ele foi capturado ainda na quarta-feira, logo após o latrocínio, sendo conduzido até o Hospital de Urgência de Teresina Professor Zenon Rocha (HUT).


CEM registra a segunda fuga de adolescentes em apenas três dias

Na sexta-feira, oito internos conseguiram escapar do Centro e na madrugada desta segunda, mais quatro. Polícia faz buscas.

O Centro Educacional Masculino registrou na madrugada desta segunda-feira (14) a segunda fuga de internos em apenas três dias. Na sexta-feira (11), oito internos conseguiram escapar das dependências do CEM e hoje, mais quatro. Dos que fugiram na semana passada, seis já foram recapturados e reconduzidos para o Centro e dos que que fugiram hoje, nenhum foi encontrado ainda.

Procurada, a assessoria da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc) informou que as duas fugas aconteceram com um modus operandi parecido: os adolescentes serraram as grades dos alojamentos e escaparam pulando o muro da unidade utilizando uma teresa, uma corda feita com lençóis amarrados.


Foto: Marcela Pachêco/Arquivo O DIA

O comando de policiamento externo do CEM, em conjunto com policiais de batalhões da zona Norte de Teresina estão fazendo buscas pela região para tentar localizar os seis adolescentes que seguem foragidos: dois dos que fugiram na sexta-feira e os quatro que fugiram hoje.

A respeito das medidas que estão sendo tomadas no sentido de coibir novas fugas, a Sasc informou que vai abrir uma sindicância para apurar como os objetos cortantes utilizados para serrar as grades entraram nas dependências do CEM e investigar se por acaso houve facilitação das fugas por parte de algum agente do Estado.

13 de agosto de 2017

Polícia prende mulher ameaçando moradores no bairro Matinha

Isnha Graniely de Morais Sales estava circulando armada em um carro. Com ela, a polícia apreendeu armas e munições.

Policiais militares do Rone prenderam, no começo da manhã deste domingo (13) uma mulher de nome Isnha Graniely de Moraes Sales, 29 anos, que estariam ameaçando moradores do bairro Matinha. Segundo a assessoria de Comunicação da PM, ela circulava armada dentro de um veículo modelo Clio de cor vermelha, que acabou sendo interceptado em uma barreira policial montada na Rua Pará.

Em uma vistoria feita no carro, os policiais do Rone encontraram uma pistola ponto 40 e um carregador de pistola, ambos pertencentes à Secretaria de Segurança do Piauí e registrados como sendo de posse da Polícia Civil do Estado. Foram apreendidas também dez munições intactas.

Isnha foi autuada em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e também por crime de ameaça à segurança pública. De acordo com a polícia, ela estaria procurando por uma mulher de nome Renata Usiele Batista Brasil, mas as motivações de sua atitude não foram informadas.

Isnha foi encaminhada para a Central de Flagrantes onde permanece recolhida.

PM também apreendeu arma em casa de show

Policiais do Rone apreenderam também uma arma de fogo dentro de uma casa de shows no Loteamento Manoel Evangelista. Uma rapaz de 21 anos identificado como Pedro Daniel Freitas Vieira foi conduzido para a Central de Flagrantes como suspeito de ser o proprietário da arma.

A polícia fazia rondas de rotina pelo loteamento e quando fez uma vistoria na casa de shows, percebeu atitude suspeita por parte de Pedro Daniel. Ele teria tentado se desfazer da arma, um revólver calibre 38, mas continuou perto do local onde deixou o objeto. Junto com o revólver, a polícia apreendeu também uma porção de substância análoga a maconha, quatro invólucros de substância análoga a cocaína e cinco munições intactas.

Jovem executado na zona Sul foi morto por engano

Segundo a Delegacia de Homicídio, o alvo do adolescente suspeito não era João Paulo Lopes da Silva e sim o dono de um trailer próximo ao local do crime

Atualizada às 15h20min

De acordo com o coordenador da Delegacia de Homicídio, delegado Francisco Baretta, a vítima foi identificada como sendo o trabalhador autônomo João Paulo Lopes da Silva, 24 anos. O delegado informou que ele teria sido assassinado por engano, uma vez que o alvo do suspeito seria outra pessoa de nome Tiago.

“Esse Tiago é dono de um trailer nas proximidades do local onde aconteceu o crime e o objetivo do suspeito era justamente matar esse rapaz. Ele havia tentado assaltar o estabelecimento dele anteriormente, mas não havia conseguido e quando voltou para terminar o que havia começado, confundiu as pessoas e matou quem não tinha nada a ver”, relata o delegado.

O suspeito de ter cometido o crime, um adolescente de iniciais I.R.S foi apreendido pela Polícia Militar na manhã de hoje também no residencial Torquato Neto.

Iniciada às 12h48min

Um jovem de 24 anos foi morto a tiros na noite deste sábado (12) no Residencial Torquato Neto, zona sul de Teresina. Segundo testemunhas, dois homens numa motocicleta abordaram o jovem no momento em que ele chegava a um trailer.

A vítima faleceu logo após ser atingida pelos disparos, antes da chegada de socorro médico. O assassinato ocorreu próximo à parada final do residencial, por volta das 20 horas,e foi testemunhada por várias pessoas.

O coronel John Feitosa, chefe do setor de Relações Públicas da PM-PI, afirma que o crime tem características de execução, uma vez que os suspeitos não anunciaram assalto e, após atingirem a vítima, fugiram sem levar nenhum pertence ou quantia em dinheiro.

Como os autores do crime ainda são desconhecidos, a investigação será feita pela Delegacia de Homicídios.

12 de agosto de 2017

Polícia prende um dos suspeitos de matar comerciante no Parque Piauí

Tikim teria participado da morte do comerciante Edvar Pereira, na quinta-feira (10).

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios, prendeu na manhã de hoje (12), um dos suspeitos de participar do homicídio de um comerciante na última quinta-feira (10), no bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina. O suspeito foi identificado pela Secretaria Estadual de Segurança (SSP/PI) como Rodrigo Gomes da Silva, conhecido como “Tikim”. A prisão foi efetuada no bairro Promorar, também na zona Sul da capital.

Rodrigo Gomes da Silva, conhecido como “Tikim”. (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

Já o suposto autor do disparo que matou o comerciante foi identificado pela Polícia Civil como Luis André Evangelista de Santana, que seria integrante de uma facção criminosa da Vila Parque São Jorge. O suspeito encontra-se foragido. 

De acordo com a Secretaria de Segurança, os dois supostos autores do crime já respondem criminalmente pelos crimes de roubo, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. A Delegacia de Homicídios disponibiliza o número 181 para denúncias anônimas que levem a localização do referido acusado.

Luís André seria o autor dos disparos que matou o comerciante Edvar Pereira. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Entenda o caso

O comerciante Edvar Pereira, de 50 anos, foi assassinado na última quinta-feira (10) durante um assalto ao seu estabelecimento comercial, uma loja de frios próxima à Avenida Marechal Juarez Távora, no Parque Piauí. De acordo com a Polícia Militar, dois homens entraram no estabelecimento da vítima, enquanto dois ficaram na esquina para dar apoio na fuga. Durante o assalto, a vítima foi atingida com um tiro no peito mesmo depois de ter entregue todo o dinheiro do caixa.

Motorista morre ao ser atropelado por ônibus enquanto trocava pneu

Acidente ocorreu nas proximidades do município de Amarante. Segundo a PRF, a vítima não teria utilizado a sinalização de emergência.

Um motorista, identificado pelas iniciais R. S. S., de 51 anos, morreu por volta das 23h50 da noite de ontem (11), ao ser atropelado por um ônibus da empresa Princesa do Sul, nas proximidades do município de Amarante, localizado a cerca de 200 km de Teresina.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima trocava o pneu do veículo, uma caminhonete S10 de placa LWD 2361, no acostamento da rodovia, quando foi atingido por um ônibus. Com o impacto da batida, a caminhonete ficou totalmente danificada e condutor veio à óbito ainda no local do acidente.

Veículo ficou totalmente danificado com o impacto. (Foto: Divulgação/PRF)

Em depoimento à PRF, o motorista do ônibus, identificado pelas iniciais F. W. C. N, de 34 anos, afirmou que foi ofuscado por outro veículo que vinha no sentido contrário. Além disso, a PRF aponta que o condutor da S10 não utilizou sinalização de emergência obrigatória.

O inspetor da PRF, Jonas Mata, explica que, para evitar novos acidentes, é imprescindível que, ao trocar o pneu, o motorista use a sinalização de emergência, por meio do pisca-alerta e do triângulo de sinalização a uma distância mínima de 30m da parte traseira do veículo imobilizado. Assim, outros condutores que trafegam pela via podem ser informados de que há um veículo parado no acostamento.

Condutor do ônibus afirmou que foi ofuscado por outro veículo que vinha no sentido contrário. (Foto: Divulgação/PRF)

11 de agosto de 2017

Pais relatam pânico após van escolar com bebês ser levada por ladrões

Sete criminosos armados roubaram van com duas crianças, resgatadas pelos policiais. 'Se não fossem eles, eu não sei que entrevista eu estaria dando para vocês agora', disse mãe.

Os pais do bebê João, de 2 anos e sete meses, que estava dentro de uma van escolar roubada por criminosos na manhã desta sexta-feira (11), disseram que viveram momentos de pânico ao descobrirem que o veículo com a criança havia sido alvo de bandidos armados.

Ele contaram na delegacia que João saiu para a creche logo no começo da manhã. Em seguida, os pais ficaram sabendo que uma van havia sido sequestrada com crianças dentro e ligaram para a creche. Foi nessa hora que eles descobriram que o veículo não tinha chegado ao local.

"Em alguns segundos a vida passa, né? E é muito nervosismo e você fica pensando o que você faz com toda essa violência. A gente fica preso em casa, deixa o filho em casa? Não vai trabalhar? O filho fica sem estudar?", questionou Vivian Oliveira, mãe do bebê.

Ela também fez questão de agradecer aos policias que resgataram as duas crianças levadas pelos criminosos. "Eu venho aqui agradecer imensamente ao policial Azevedo e ao policial Renan, porque eles fizeram um trabalho perfeito. Se não fossem eles, eu não sei que entrevista eu estaria dando para vocês agora", afirmou Vivian.

"Então, agora eu posso dar entrevista e terminar ela sorrindo. Mas eu não sei, se não fossem os dois, o que seria. Peço a Deus e a quem possa valorizar o trabalho dos policias, que valorize, porque a gente precisa deles a todo momento", disse.

Van escolar foi encontrada por volta das 8h (Foto: Bruno Albernaz / G1 Rio)

Na delegacia, o motorista da van relatou os momentos difíceis que passou. "Eles estavam vindo de uma fuga de algum lugar. Eles bateram com o veículo que estavam, e eu estava parado do outro lado esperando uma criança. Eles viram a facilidade e me abordaram", disse Josedir Cordeiro.

O coronel Rui França, comandante do 7°BPM, explicou como foi a ação dos PMs. "Após termos a informação de que a van ingressou no morro da Coreia, que faz divisa com o Perelinho, na região de Neves, imediatamente acionamos uma equipe para o local e, a comando do cabo Azevedo, conseguimos localizar a van no interior da comunidade." Os bandidos acabaram fugindo.

"Com muita cautela, em razão do perigo dessa comunidade, os policiais ingressaram no interior da comunidade e conseguiram localizar a van com as crianças. E conseguiram, com muita segurança, fazer a retirada dessas crianças de dentro da comunidade", afirmou o coronel.

Criança foi levada por criminosos em van escolas na manhã desta sexta (11) (Foto: Bruno Albernaz / G1)

Ele fez também um balanço da ação dos policiais para recuperação da van e das crianças dentro da comunidade. "Eu elogiei bastante os policiais, em razão da preocupação inicial de fazer o acolhimento, fazer a proteção e estabelecer a segurança das crianças para fazer a retirada." O caso foi registrado na 73ª DP (Neves).

A delegada que acompanha o caso, Carla Tavares, também enalteceu a atuação da polícia militar ao resgatar a van com as duas crianças dentro da comunidade.

"Um motivo de muito orgulho, tanto para a Polícia Civil quanto para a Polícia Militar, foi a atuação da Polícia Militar. Eles foram extremamente cautelosos e conseguiram pegar as crianças em segurança, isso foi o mais importante. Agora, nesse momento, já estamos identificando os elementos e representaremos pela prisão", afirmou a delegada.

Delegacia investiga série de arrombamentos em escolas municipais

Falta de vigilante noturno em escolas municipais facilita ação de bandidos. Escola arrombada hoje soma-se a outras duas invadidas na semana.

Os funcionários da escola Domingos Afonso Mafrense se depararam com a sala da secretaria completamente revirada na manhã de hoje (11). Diversos equipamentos eletrônicos usados nas aulas foram roubados, e parte da estrutura do teto destruída. Apesar do susto, nenhuma surpresa: esta é a quarta vez que a escola é arrombada em menos de um ano.

Os arrombadores destelharam a sala da secretaria do colégio, onde ficam guardados os equipamentos de maior valor. Segundo a diretora, Abgail Nascimento, o alarme do prédio chegou a disparar, mas foi desligado pelos bandidos. Foram subtraídas duas caixas de som, aparelhos de DVD, data show e ventiladores das salas de aula.


Série de Crimes

Segundo o delegado Marcelo Dias, esta foi a terceira escola municipal arrombada em uma semana: A escola Afonso Mafrense, escola Jose Nelson de Carvalho e escola Antônio Gayoso.

“A gente está fazendo uma investigação sobre esses fatos. Temos algumas pistas e estamos colhendo dados em todos esses locais para saber se é uma quadrilha, ou uma pessoa”, disse o delegado Marcelo.

Tanto o delegado como Abgail Nascimento, a diretora da escola Afonso Mafrense, apontam a falta de um vigilante noturno nas escolas municipais como um facilitador para a ação dos bandidos. Segundo a diretora, o corte do adicional noturno obrigou as escolas a dispensarem os vigilantes, contando apenas com cercas ou alarmes.

“Isso dificulta muito o trabalho da Polícia”, comentou o delegado Marcelo. “Encontramos dificuldades para conseguir pistas, por que não tem um vigia com uma pista, uma informação, não tem uma câmera., não tem alarme, não tem nada”.

Quarto arrombamento em um ano

Abgail Nascimento assumiu a diretoria da escola Domingos Mafrense em maio de 2016. Ela conta que, de lá para cá, foram cinco arrombamentos. “Houveram dois grandes roubos em setembro e outubro. Este já é o segundo deste ano”, lembra. Além destes, ela relembra outros roubos menores, quando salas de aula são arrombadas e ventiladores subtraídos.

Segundo a diretora, a Secretaria Municipal de Educação só repõe os objetos roubados no final do ano. “O que eles levaram ontem, a gente já tinha comprado no final do ano, por que já tinham levado ano passado. Aí compramos novamente. Agora só quando chegar recursos, no final do ano. Nós não temos mais televisão na escola, por que levaram”, disse a diretora.

SEMEC

A Secretaria Municipal de Educação emitiu a seguinte nota sobre os arrombamentos:

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) explica que a presença de agentes de portaria no turno da noite não coíbe a ação dos vândalos, além de expor os agentes a situações de risco. A Semec já reforçou as estruturas das unidades de ensino com cercas e arames, mas reitera a responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública do Estado de manter a segurança na cidade.

FHC sugere que antecipação de eleições seria ‘gesto de grandeza’

Ex-presidente diz que não é possível prever se medida seria capaz de manter Temer no poder até a aprovação de uma PEC

Com o PSDB rachado e sob o risco de não ser uma alternativa eleitoral competitiva para 2018, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defende agora que um gesto de grandeza do presidente Michel Temer seria pedir antecipação de eleições gerais. A posição de FHC consta em uma nota encaminhada ao GLOBO na manhã desta quinta-feira.

No texto, que também foi enviado à agência Lupa, FHC começa dizendo que sua percepção sobre a situação política do Brasil tem sofrido “abalos fortes”. Para ele, falta “legitimidade” a Temer para governar e o país vive um tipo de “anomia” (falta de regras, desorganização). Diante desse cenário, o ex-presidente diz ter mudado de opinião de que seria um golpe a convocação de eleições antes do término do mandato de Temer, em 2018.

“A ordem vigente é legal e constitucional (daí ter mencionado como ‘golpe’ uma antecipação eleitoral) mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto", escreveu o tucano na nota.

O senador Tasso Jereissati, os governadores Geraldo Alckmin (SP), Marconi Perilo (GO), o ministro Bruno Araújo e o Prefeito João Dória (SP) durante reunião do partido em Brasília para decisão sobre permanência e apoio ao governo TemerBancada tucana na Câmara racha após decisão de cúpula do PSDB em apoiar Temer

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente interino do partido, conversa com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin'É uma incoerência que a História nos colocou', diz Tasso, sobre apoio do PSDB a Temer

A tese de eleições antecipadas para interromper o governo Temer é bandeira dos partidos de esquerda, liderados pelo PT. Essa possibilidade não havia encontrado abrigo no PSDB até então, inclusive FH se manifestou anteriormente classificando-a como golpe.

Para que haja eleições antecipadas, é preciso alterar a Constituição por meio de uma proposta de emenda constitucional no Congresso (PEC). FHC disse na tarde desta quinta-feira que não é possível saber se a medida seria capaz de manter Temer no poder até a aprovação de uma PEC.

"A volatilidade da conjuntura política é de tal ordem que qualquer prognóstico se torna precário. Vivemos, como diria o dr. Ulysses (Guimarães), sob os impulsos de sua excelência O Fato", afirmou.

O tucano também defendeu que uma eventual antecipação das eleições gerais de 2018 seja precedida de mudanças na legislação eleitoral. Mas não mencionou qual seriam elas.

"Não obstante e ainda mais por isso, devemos obedecer estritamente a Constituição. Novas eleições requerem emenda constitucional que, a meu ver, deveria ser antecedida por mudanças na legislação eleitoral. Portanto, tudo ocorreria mais facilmente com a anuência do presidente", comentou. 

O novo posicionamento do ex-presidente surge na mesma semana em que o PSDB sofreu novo desgaste político ao decidir que continuará no governo Temer, apesar de parte do partido pressionar pelo desembarque. A decisão expôs um racha na legenda. O ex-ministro de FH Miguel Reale Junior, autor o pedido de impeachment de Dilma Rousseff, anunciou sua desfiliação, acusando o PSDB de estar se “peemedebizando”.

Fernando Henrique diz na nota que os partidos precisam pensar no país e não em interesses partidários neste momento. “Ou se pensa nos passos seguintes em termos nacionais e não partidários nem personalistas ou iremos às cegas para o desconhecido”, escreveu.

Duas razões levaram o PSDB a permanecer no governo: evitar que o PMDB apoie uma cassação do mandato do senador Aécio Neves no Conselho de Ética do Senado e o rsico de que, numa queda de Temer, o deputado Rodrigo Maia assuma a Presidência. Lideranças do partido temem que ele se torne um adversário de peso na eleição presidencial de 2018.

O tucano, entretanto, evita se posicionar de forma clara sobre que atitude deveria tomar o PSDB imediatamente. Ele ainda condiciona uma tomada de decisão a uma deterioração maior das condições políticas. “A responsabilidade maior é a do presidente que decidirá se ainda tem forças para resistir e atuar em prol do país. Se tudo continuar como está com a desconstrução continua da autoridade, pior ainda se houver tentativas de embaraçar as investigações em curso, não vejo mais como o PSDB possa continuar no governo."

Para resumir o cenário, o tucano retoma a metáfora da “pinguela”, que usou ainda no início do governo Temer para resumir o papel do peemedebista naquele momento político brasileiro. “Preferiria atravessar a pinguela, mas se ela continuar quebrando será melhor atravessar o rio a nado e devolver a legitimação da ordem à soberania popular”, diz a nota.

Líder petista elogia declarações

No PT, a declaração de Fernando Henrique foi elogiada.

"O Fernando Henrique tem sensibildade. Está vendo que este governo não tem mais condições e está propondo a solução mais evidente e democrática, que é a antecipação das eleições", disse o líder do partido na Câmara, Carlos Zarattini (SP).

Tucanos ficaram surpresos com o discurso de FHC

A referência a uma eleição direta como saída para a crise política deixou surpreso o tucanato. Vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, disse acreditar que FH estava falando sobre hipóteses.

"Todos nós estamos procurando o melhor caminho para o Brasil no quadro atual. Isso explica as opiniões mais diversas e mesmo as contradições nos discursos como esse do FHC. São os males do presidencialismo que não tem flexibilidade e nos coloca em situação difícil. Fosse parlamentarismo e o gabinete teria caído com convocação de eleições gerais" disse Goldman.

O presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV), fundação ligada ao PSDB, José Aníbal, esteve ontem à noite com FH e disse que não há no partido nada sendo cogitado no sentido de viabilizar eleições diretas.

"É uma nota especulativa. A situação é grave que pode criar uma situação de travamento do governo. Ele está admitindo nessa nota que podemos estar chegando a isso e que, para recuperar a legitimidade, talvez se tenha que buscar a soberania do voto. Mas é uma reflexão apenas", afirmou Aníbal.

Leia a íntegra da nota de Fernando Henrique Cardoso:

“A conjuntura política do Brasil tem sofrido abalos fortes e minha percepção também. Se eu me pusesse na posição de presidente e olhasse em volta reconheceria que estamos vivendo uma quase anomia. Falta o que os políticólogos chamam de ‘legitimidade’, ou seja, reconhecendo que a autoridade é legítima consentir em obedecer.

A ordem vigente é legal e constitucional (dai o ter mencionado como "golpe" uma antecipação eleitoral) mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto.

É diante desta perspectiva que os partidos, pensando no Brasil, nas suas chances econômicas e nos 14 milhões de desempregados, devem decidir o que fazer.

A chance e a cautela a que me refiro derivam de minha percepção da gravidade da situação. Ou se pensa nos passos seguintes em termos nacionais e não partidários nem personalistas ou iremos às cegas para o desconhecido.

A responsabilidade maior é a do Presidente que decidirá se ainda tem forças para resistir e atuar em prol do país. Se tudo continuar como está com a desconstrução continua da autoridade, pior ainda se houver tentativas de embaraçar as investigações em curso, não vejo mais como o Psdb possa continuar no governo.

Preferiria atravessar a pinguela, mas se ela continuar quebrando será melhor atravessar o rio a nado e devolver a legitimação da ordem à soberania popular.

É este o sentimento que motiva minhas tentativas de entender o que acontece e de agir apropriadamente, embora nem sempre no calor dos embates diários e de declarações dadas às pressas tenha sido claro nem sem hesitações.”

Polícia Militar lança operação de fiscalização permanente em Teresina

Operação Mandacaru irá fiscalizar locais identificados como os de maior incidência de crimes, e não tem data para terminar

(Fotos: sargento Carvalho e Jardenya Bezerra)

O Comando Geral de Polícia Militar do Piauí, juntamente com a Secretaria de Segurança, lançam hoje (11) uma operação para fiscalizar os bairros de Teresina onde forem identificadas as maiores incidências de crimes. A Operação Mandacaru irá começar pelos bairros da zona Sul, mudando de local semanalmente, e sem data para terminar.

Segundo comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto, o objetivo é saturar determinadas áreas da capital, aumentando o número de abordagens nas entradas dos bairros, na periferia, na zona rural e em eventos. “A operação acontecerá em toda a cidade de Teresina, de acordo com a identificação dos locais com maior número de ocorrências, através dos serviços de inteligência”, explica o coronel.


(Fotos: sargento Carvalho e Jardenya Bezerra)

Os policiais militares farão barreiras policiais em pontos estratégicos. Além de carros e motos, os policiais terão apoio de um helicóptero para o patrulhamento da área designada. Segundo o coronel John Feitosa, o efetivo irá variar de acordo com a região, mas que contará com, no mínimo, 50 policiais. O principal objetivo da operação é coibir o uso ilegal de arma de fogo e o roubo a veículos. 

A operação será coordenada pelo coronel Alberto Menezes, coordenador geral de operações da PM. “A operação será cirúrgia”, disse o coronel. “Será colocada no local e hora que a estatística da semana anterior mandar”.

10 de agosto de 2017

Confusão entre motorista e agente da Strans acaba na Delegacia

Motorista teria sido confundido com "ligeirinhos" por transportar passageiras no banco de trás.

Uma confusão entre um motorista e um agente de trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) terminou com o motorista registrando um boletim de ocorrência no 1º Distrito Policial, denunciando a abordagem supostamente truculenta do agente de trânsito. Segundo o motorista do veículo, o autônomo Paulo César, a confusão começou durante uma fiscalização na tarde de ontem (09), na rua Rui Barbosa, Centro de Teresina. 

Em seu relato, o motorista conta que o agente, identificado apenas como Gilberto, se aproximou do veículo e pediu a documentação, em seguida, acusou o motorista de ser vinculado à plataforma Uber e solicitou que ele se retirasse do veículo, pois o mesmo seria recolhido por transporte ilegal de passageiros. “Ele agiu de forma totalmente truculenta, chegou batendo no vidro do carro e mandando todo mundo descer que o carro seria apreendido”, conta.

Confusão entre motorista e agente da Strans acaba na Delegacia. (Foto: Reprodução)

Para Paulo César, o agente teria confundido o motorista ao constatar que no banco de trás haviam três pessoas e o banco do passageiro na frente estaria desocupado. Ele conta que retornava da Associação de Amigos dos Autistas do Piauí (AMA/PI), local onde a sua filha recebe tratamento. No banco de trás estariam as duas filhas - uma é autista e a outra é portadora de uma síndrome rara - e a esposa do motorista.

“Eu não tenho obrigação de levar ninguém no banco da frente do meu carro. No banco de trás estavam as minhas duas filhas e a minha mulher”, considera o autônomo. Segundo ele, após a confusão, transeuntes e comerciantes da região intervieram em sua defesa e policiais militares que estariam dando suporte para o agente da Strans liberaram o veículo. 

Segundo caso

Esse é o segundo caso que se tem notícias em menos de três meses. Em junho deste ano, uma enfermeira relatou através das redes sociais também ter sido confundida com uma motorista da plataforma Uberao ser abordada de forma truculenta por um agente da Strans, em um shopping da capital. Na ocasião, a motorista relatou que também registrou um boletim de ocorrência reclamando da abordagem do agente, que não quis checar os seus documentos.

Contraponto

Segundo o diretor de fiscalização da Strans, o coronel Jaime Oliveira, o órgão irá apurar as denúncias após serem formalizadas. Ele explica que a abordagem ao motorista aconteceu por suspeita de que o mesmo seria integrante de um grupo conhecido como “ligeirinho”, responsáveis por realizar transporte clandestino de passageiros entre o Centro e a zona Norte de Teresina.

Ele conta que ao todo doze pessoas participam do esquema, e o veículo abordado também é suspeito de realizar esse transporte ilegal. “Nós chegamos até ele através de denúncias de que aquele veículo estaria fazendo esse tipo de transporte, e, inclusive, essas três mulheres teriam sido pegas nas proximidades de onde o carro foi abordado”, afirma o diretor.

O diretor explica ainda que o agente de trânsito não poderia ter solicitado a documentação das passageiras para verificar o parentesco, pois a conduta poderia ser considerada como ilegal. “Nós não temos o direito de solicitar o documento de ninguém nessas fiscalizações, a não ser que seja através de um trabalho investigativo. Os únicos documentos solicitados são a CNH do condutor e o documento do veículo”, finaliza.

Manifestação

Na manhã de hoje (10), mototaxistas e taxistas realizaram uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa. O ato reuniu mais de cem motocicletas e cerca de 50 carros. Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Ricardo Costa, afirmou que as duas categorias vem sendo prejudicadas pela falta de fiscalização. “O aplicativo Uber está tirando corridas das duas categorias, tanto táxi quanto mototaxistas. E a pirataria continua. Apesar de grande luta nossa, a fiscalização é quase inexistente”, argumentou.

Ao final da manhã, taxistas e mototaxistas saíram em passeata pelo centro de Teresina, passando pela Igreja São Benedito com destino à sede da Strans, na rua Pedro Freitas, na Vermelha.

Homem é assassinado durante assalto a loja de frios no Parque Piauí

Edvar Pereira tinha 50 anos e entregou todo o dinheiro que tinha aos bandidos que atiraram quando já iam saindo do estabelecimento. Polícia faz buscas.

Um homem de 50 anos, identificado como Edvar Pereira, foi assassinado a tiros quando abria seu estabelecimento comercial, uma loja de frios próxima à Avenida Principal do Parque Piauí, zona Sul de Teresina. Segundo a Polícia Militar, quatro homens são suspeitos do crime, sendo que dois entraram no estabelecimento para assaltar e os outros dois ficaram perto da esquina para dar apoio na fuga. O tenente Gomes, do 6º BPM, informou que a vítima foi atingida com um tiro no peito mesmo depois de ter entregado todo o dinheiro que possuí. A quantia levada não foi informada.

"Ele estava na companhia da esposa e tinha acabado de abrir a loja quando dois suspeitos se aproximaram. Nisso, eles anunciaram o assalto, mostraram a arma e a mulher dele mandou que ele entregasse tudo, todo o dinheiro do caixa e foi isso que ele fez. Quando os criminosos deram as costas, o Edvar, que estava sentado detrás do balcão, foi levantar e os bandidos entenderam isso como uma reação, atirando na mesma hora", relata o tenente Gomes.


Foto: Reprodução/Whatsapp

Ele conta que a ação dos criminosos foi bastante rápida. Eles fugiram em motocicletas na direção do bairro Promorar, onde geralmente agiam. Edvar ainda chegou a ser socorrido por populares que tentaram lhe fazer massagem cardíaca e o colocaram dentro de um táxi para levá-lo ao HUT, mas ele não resistiu ao ferimento e morreu a caminho do hospital. 

A Delegacia de Homicídios foi acionada e já está colhendo imagens das câmeras de segurança de casas e estabelecimentos comerciais próximos que possam ter registrado o momento do crime. A PM também faz buscas pelas ruas do Promorar, para onde os criminosos teriam fugido, mas até o momento ninguém foi preso.

Idoso oferece dois reais para estuprar criança de cinco anos no interior do PI

O suspeito é vizinho da vítima e frequentava a casa da família. Segundo a Polícia Civil, essa é a segunda denúncia contra o idoso pelo mesmo tipo de crime.

Um idoso identificado como Constâncio Alto José da Silva, de 75 anos, foi preso na tarde de ontem (09), suspeito de ter estuprado uma criança de apenas cinco anos, na cidade de Massapê do Piauí, a cerca de 380 km de Teresina. Segundo informações do titular da Delegacia Regional de Jaicós, o delegado Miguel Carneiro, o idoso ofereceu bombons e dois reais para atrair a vítima até à sua residência e praticar o crime.

De acordo com a Polícia Civil, o idoso é vizinho da família da menina e costumava ir até a casa onde a criança morava. Na ausência dos familiares, Constâncio Alto José da Silva teria oferecido dois reais para a vítima e a levou para a sua casa, local onde teria cometido o estupro. 

Ainda conforme o delegado, a mãe da menina teria notado o comportamento estranho e ao questionar o que teria acontecido, ela relatou o crime. A família, então, registrou um boletim de ocorrência contra o idoso na Delegacia, e, ao realizar o exame de corpo de delito, foi comprovado o estupro.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito possui outra denúncia junto ao Conselho Tutelar do município pelo mesmo tipo de crime, desta vez conta a própria neta. “Nós averiguamos que em 2014, a filha dele chegou a registrar uma denúncia contra ele no Conselho Tutelar por ter abusado sexualmente da própria neta”, conta o delegado. 

O idoso foi detido preventivamente e será encaminhado na tarde de hoje (11) para a Penitenciária João de Deus Barros, em Picos. Já a vítima tomou medicamentos para evitar a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis e está recebendo acompanhamento psicológico no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Massapê do Piauí.

Menino de 5 anos morre afogado ao cair em fossa séptica em Paulistana

No inquérito policial o delegado vai apurar se houve negligência por parte dos pais.

Um menino de cinco anos, identificado como Kauê Silva Sousa, morreu por volta das 19h30 desta quarta-feira (9), depois de cair numa fossa séptica na cidade de Paulistana, distante 469 km de Teresina. O trágico acidente ocorreu na casa onde a criança morava com a família, no bairro Santo Antônio.

No momento em que a criança caiu, apenas sua mãe estava em casa, cuidando do filho menor, que ainda é um bebê de colo.

Ao sentir falta de Kauê, a mulher saiu a sua procura no quintal da casa e percebeu que havia um buraco no local onde fica a fossa séptica. Ela, então, suspeitou que seu filho tivesse caído e pediu ajuda aos vizinhos. 

O menino foi retirado da fossa já sem vida, e a suspeita é que sua morte tenha ocorrido por afogamento.

O delegado Cícero de Oliveira informou que vai ouvir os pais e os vizinhos da família nos próximos dias. Ele explica que as oitivas não foram iniciadas ainda nesta quinta-feira porque a família viajou para uma localidade no interior de Paulistana, onde acontece o velório e o sepultamento do garoto.

No inquérito policial o delegado vai apurar se houve negligência por parte dos pais. "Nós vamos colher esses depoimentos para saber como de fato o acidente ocorreu e apurar a possível responsabilidade dos pais [...] Nesses casos, mesmo sendo comprovada a culpa dos familiares, há a possibilidade de haver o perdão judicial, uma vez que a morte em si do ente querido já causa uma dor e uma comoção muito grandes, o que acaba sendo uma punição. Porém, essa decisão caberá ao Poder Judiciário, a partir da análise do inquérito policial que iremos produzir", afirma o delegado Cícero de Oliveira.




Polícia Civil prende suspeitos de roubos, homicídio e latrocínio em Piripiri

Prisões foram efetuadas no início da manhã desta quinta-feira, por equipes de policiais civis comandados pelos delegados Jorge Terceiro e Ricardo Oliveira.

A Policia Civil do Piauí desencadeou no início da manhã desta quinta-feira (10) a "Operação Crates", destinada a prender suspeitos de realizar roubos na região de Piripiri, distante 164 km de Teresina.

Sob o comando dos delegados Jorge Terceiro e Ricardo Oliveira, os policiais deram cumprimento a mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva na cidade.

Foram presos Raul Carlos de Oliveira Sousa, 21 anos, e Alexandre da Silva Lima, 19 anos. 

Raul Carlos é suspeito de realizar vários roubos em Piripiri e em Piracuruca, principalmente de veículos. É também suspeito de participação no homicídio de um homem identificado como Vanderlei, crime que ocorreu no bairro Campo das Palmas em Piripiri, e que ainda está sob investigação da Polícia Civil.

Já Alexandre Lima teria praticado vários roubos de celulares, além de ter assaltado farmácias. Segundo a Polícia, ele costumava atuar juntamente com comparsas.

Uma terceira pessoa, identificada como Pedro Victor Santos Cavalcante, entregou-se voluntariamente à Polícia, e já se encontra encarcerado numa das delegacias da cidade.

Contra Pedro Victor haviam dois mandados de prisão preventiva - por porte ilegal de arma de fogo e por roubo. Além disso, ele é alvo de mais três inquéritos policiais por assaltos. 

Pedro Victor é suspeito de ser o autor de um crime de latrocínio ocorrido em junho deste ano, que teve como vítima um comerciante de Piripiri identificado como Edgar.

De acordo com o delegado Jorge Terceiro, a palavra "Crates", nome dado à operação, é proveniente do latim, e significa "grades", sendo uma alusão ao encarceramento dos suspeitos.

Todos os presos já estão sendo recambiados para o sistema prisional do estado.

  

Polícia Civil prende sete pessoas por tráfico em Parnaíba

Investigação iniciada há cerca de um ano foi deflagrada hoje no litoral do Piauí; Até o momento, sete pessoas foram presas, e vários carros foram apreendidos.

Atualizada às 10h45min:

O número de presos pela operação deflagrada em Parnaíba, na manhã de hoje (10), subiu para sete. Os policiais ainda detalharam como a quadrilha operava, e divulgaram outros crimes de que o grupo é suspeito, diversas ocorrências registradas no decorrer de 2017 e que fazem parte da investigação feita pela DEPRE.

Os presos são Walder Jonas, Herlane Erica, Rafael Pereira, Jean Carlos, Bruno Rocha, Fábio Junior e Chico. De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha operava da seguinte forma:

Jean Carlos operava como financiador, e entregava dinheiro para o casal Herlane Érica e Walder Jonas. Os dois compravam as drogas, e distribuíam para os outros membros: Bruno, Rafael, Fábio e Chico.

Organograma produzido pela DEPRE sobre como a quadrilha operava (Imagem: Polícia Civil)

Outras prisões

A DEPRE divulgou outras operações contra tráfico de drogas em que foram presas pessoas que tinham relação com a quadrilha. "Toda essa droga vinha para Parnaíba, e fazem parte do mesmo grupo. São outras prisões que fizemos durante o ano de investigação", conta o delegado Menandro Pedro.

A primeira ocorreu no dia 21 de março, quando foi presa Francimar Mendes da Silva, na cidade de Parnaíba. Com ela os policiais encontraram cerca de 13kg de drogas, entre maconha e crack, uma pistola .40 e R$ 6900 em dinheiro.

A segunda apreensão, também em Parnaíba, foi de 20kg de maconha. A droga estava sendo transportada por um jovem de 17 anos, que foi flagrado na rodoviária da cidade. Ele viajaria para Fortaleza (CE) com a maconha.

No dia 26 de junho, três pessoas foram presas na rodoviária de Teresina com mais e 45 barras de maconha escondida em malas. Os tabletes somam cerca de 40kg da droga. A droga teria vindo de Brasília, e seguia com destino à Fortaleza, no Ceará.

O caso mais recente foi no dia 25 de julho, quando dois homens foram presos no posto da Polícia Rodoviária Federal na cidade de Campo Maior. Seis tabletes de droga, entre maconha e crack, foram apreendidos, totalizando 6kg. O carro seguia no sentido Teresina-Parnaíba.

Crime no Ceará

A investigação em torno da quadrilha presa hoje ajudou a Polícia do Ceará a elucidar um crime bárbaro, em julho passado: o sequestro, tortura, assassinato e ocultação do cadáver de Wládya de Sousa, de 30 anos, em Pirambu, no Ceará. A vítima foi morta e seu corpo passou cerca de 20 dias desaparecido, até ser encontrado pela polícia em um mangue. O corpo foi encontrado no dia 14 de julho. Um adolescente foi apreendido após confessar que havia praticado o crime por conta de disputas envolvendo o tráfico de drogas.

Segundo o delegado Menandro Pedro, o grupo preso no Piauí tinha ligações com traficantes do Ceará que mataram Wládya. “Eles matinham contato com outros traficantes do Ceará. Nesses contatos, conseguimos tirar informações sobre a morte dessa jovem, e a Polícia do Ceará não tinha nenhuma pista. Nós pegamos toda a informações que tínhamos e enviamos para lá, e eles prenderam essa pessoa”, conta o delegado.


Iniciada às 7h45min:

Seis pessoas foram presas até o momento na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí, em uma operação da Polícia Civil contra o tráfico de drogas na região. A operação "Barlavento" busca cumprir sete mandados de prisão na cidade, e deve continuar até o final da manhã de hoje.

Veículos e uma arma de fogo foram apreendidos durante a operação (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Segundo o delegado Menandro Pedro, titular da DEPRE (Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpercentes), a operação é fruto de mais de um ano de investigação presidida pelo delegado Tales Gomes, também da DEPRE. "Durante esse período, foram cerca de 15 presos e mais de 100 quilos de drogas apreendidos. Hoje, já temos seis traficantes presos, e ainda podemos prender mais", declarou o delegado Menandro.

Além dos presos, armas de fogo já foram encontradas. A operação usará os cães farejadores do Canil da Polícia Militar para localizar drogas. Segundo o delegado Menandro, alguns dos suspeitos enterram a droga para escondê-las. Toda a contabilização das apreensões será feita após o cumprimento de todos os mandados.

09 de agosto de 2017

Moto taxista reage a assalto e é assassinado a tiros em Timon

O moto taxista esfaqueou um dos assaltantes e foi atingido por um tiro na barriga, vindo a óbito no local do crime.

Um moto taxista, identificado como Raimundo Ferreira Lima, de 63 anos, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (09), na Avenida Parnarama, na cidade de Timon – MA, após reagir a um assalto. Segundo informações do delegado regional de Timon, Humaitan Oliveira, o moto taxista foi abordado por um casal que tentava roubar a sua motocicleta e reagiu a abordagem dos assaltantes, esfaqueando um deles. 

Após ser atingido pela facada, um dos supostos assaltantes, identificado como Daniel San Brito Lima, atirou contra o moto taxista, que foi atingido na barriga e veio a óbito ainda no local do crime. Mesmo ferido, o assaltante e a comparsa, identificada como Raquel da Silva Teixeira, que seria sua namorada, tomaram a motocicleta do idoso e empreenderam fuga.

O casal foi encontrado pela polícia ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Promorar, na zona Sul de Teresina. “Ele foi buscar socorro médico na UPA, e após as investigações, conseguimos encontrar os dois nesse local”, explica o delegado. Com a dupla, a polícia encontrou a arma utilizada no crime, um revólver calibre 38 e a motocicleta da vítima.

Segundo o delegado, Daniel San é considerado de altíssima periculosidade e já possuí diversas passagens pela polícia por roubo. O suposto assaltante, que está internado e recebendo cuidados médicos, saiu há pouco tempo do sistema prisional e foi autuado em flagrante por roubo seguido de morte. A namorada de Daniel, Raquel Teixeira, também possuí passagens pela polícia por roubo e foi encaminhada para a Central de Flagrantes de Timon, onde será autuada pelo mesmo crime.

Operação desarticula tráfico de drogas na região de Floriano

Cinco pessoas foram presas e um menor apreendido em uma operação realizada após mais de sete meses de investigação.

A delegacia regional de Floriano deflagrou uma grande operação, denominada Dark Blue, para prender uma quadrilha acusada de tráfico de drogas na região. Cinco pessoas foram presas, dentre elas quatro homens e uma mulher, além de um menor apreendido. Segundo o delegado Éverton Férrer, gerente de policiamento do interior, o trabalho desarticula o tráfico não só em Floriano, mas em outras cidades vizinhas.

“O tráfico de drogas em Floriano influencia toda a região. Então com essa operação estamos desarticulando o tráfico em várias cidades”, comenta o delegado Éverton. Cerca de 50 policiais foram destacados para a operação, das delegacias de Água Branca, Amarante, Oeiras, Itaueira, Colônia do Gurguéia, Guadalupe, além de agentes do GPI e policiais militares do Canil.

Polícia apreendeu relógios, celulares, bonés, além de cerca de dois quilos de drogas (Foto: Polícia Civil)

AS prisões aconteceram todas em Floriano. Cerca de dois quilos de droga foram encontrados com os suspeitos, além de materiais de valor sem procedência conhecida, como óculos, relógios, celulares e bonés. Foram presos Joel Reis de Sousa, Alan Alves da Silva, Aldemir Rodrigues de Sousa Júnior, Samuel Alves Leite e Ingrid Araújo Gonçalves.

Segundo o delegado Everton, o material será somado à outras provas já colhidas previamente. “Foram sete meses de trabalho intenso, através da equipe de investigação e de delegados da Regional de Floriano, e já temos vasto material probatório”.

Para manter o equilíbrio financeiro, Governo cancela obras no Estado

Recursos captados através da regularização de recursos enviados ao exterior foi abaixo do esperado.

O governador Wellington Dias (PT) admitiu que precisou cancelar obras que estavam no orçamento para serem executadas na tentativa de manter o equilíbrio financeiro e os pagamentos do Estado em dias. Além do orçamento de R$ 8,5 bilhões para ser executado este ano, o Governo tinha a expectativa de receber o mesmo valor em recursos da repatriação que teve direito no ano passado. 

De acordo com Wellington Dias, os valores arrecadados pela União com a regularização de recursos enviados ao exterior foi abaixo do esperado, o que trouxe prejuízos aos investimentos dos estados. Além disso, por conta da crise, houve perdas significativas dos repasses para o Estado. 

Governador destacou que obras que estavam sendo planejadas foram adiadas para garantir a folha (Foto: Divulgação)

“Estou tendo que cancelar algumas obras que estavam no planejamento, com recursos no tesouro, para poder garantir o equilíbrio financeiro. A grande decepção foi com relação a repatriação. Havia toda uma expectativa que o Brasil recolheria aproximadamente o valor que foi recolhido no ano passado, algo em torno de R$ 50 bilhões. Eu, pessoalmente, achava que daria pelo menos 50%. Mas, o mais pessimista não imaginava que a gente fosse ter um saldo de R$ 1,6 bilhão apenas”, declarou Wellington Dias. 

Para o governador, a principal causa da baixa na arrecadação é a crise política e econômica do país, o que faz com que o dinheiro que deixou de ser injetado na economia brasileira seja usado em outros países. 

“Isso mostra que o ambiente que está no Brasil gera uma desconfiança, ou seja, um receio de não acreditar na pró- pria legislação. As pessoas que estão lá fora não acreditaram que terão segurança se trouxerem o dinheiro para o país. Isso causa prejuízo ao desenvolvimento, ao Brasil. Certamente, esse recurso está servindo em outros países”, pontuou. 

Governo vai regular contrato de empréstimo com a Caixa Econômica 

O governador Wellington Dias (PT) determinou uma alteração na aplicação do dinheiro obtido através do empréstimo com a Caixa Econômica no valor de R$ 315 milhões. Em reunião com os gestores da Secretaria de Governo, de Planejamento, da Fazenda, Procuradoria Geral e Controladoria do Estado ficou definida a elaboração de um regulamento que vai definir o destino dos recursos. 

De acordo com o Governador, o objetivo é garantir que o Estado tenha condições de executar os recursos e garantir a entrega das obras previstas com o dinheiro. A operação de crédito, que já foi aprovada pelo banco, precisava do aval da União para ser liberada ao governo do Estado, que foi concedido ainda no mês junho. 

“Vai sair uma regulamentação que permite dar um ritmo para o contrato de empréstimo com a Caixa Econômica, que tem as suas regras. Estamos trabalhando qual será o papel do órgão que vai executar obras da Controladoria, da Procuradoria, da Seplan e Sefaz”, explicou. 

Os recursos do empréstimo deverão ser investidos em obras de rodovias, saneamento básico, construção de pontes e mobilidade urbana, que será trabalhada em parceria com os municípios. As operações de crédito, , segundo Wellington Dias, são uma alternativa para aumentar a reserva do Estado para investimentos.

08 de agosto de 2017

Operário morto em Barra Grande tinha desafetos e polícia crê em execução

Delegado descarta que haja um homem armado circulando pela cidade e aterrorizando a população.

O operário Francisco das Chagas Viana, assassinado a tiros na última quinta-feira (03) na cidade de Barra Grande, teria sido morto por desafetos, é o que afirma o delegado Maykon Kaestner, titular da Delegacia do Município. De acordo com ele, a vítima teria dívidas acumuladas e teria despertado a ira de inimigos que resolveram acertar contas.

“As investigações apontam que o senhor Francisco das Chagas era uma pessoa problemática e que teria conflitos com gente perigosa aqui na cidade. A nossa linha de investigação é execução, acreditamos que o crime não tenha sido latrocínio nem morte por engano, mas que tenha sido premeditado e que ele era mesmo o alvo”, relata o delegado.

A polícia diz que já possui suspeitos de terem assassinado Francisco das Chagas, mas evita dar nomes por conta da investigação que ainda está em andamento. Pessoas próximas à vítimas já foram ouvidas. O delegado Maykon descartou a os rumores levantados de que um homem armado com uma espingarda estaria circulando pela cidade, causando terror ao moradores.

"Não tem isso de matador de aluguel nem de ninguém armado matando pessoas aleatoriamente, essa história não faz o menor sentido. Nós trabalhamos com fatos e provas e sabemos que o crime contra o senhor Francisco das Chagas tem características de execução, mas nada que envolva algum maníaco armado aterrorizando as pessoas", declara o delegado Maykon Kaestner.

Entenda

Francisco das Chagas Viana, 30 anos, foi morto com um tiro de espingarda na última quinta-feira (03) na cidade de Cajueiro da Praia. Quando a polícia esteve no local, populares informaram que teriam armado uma tocaia para a vítima. A Delegacia de Barra Grande ainda trabalha nas investigações. Até o momento, ninguém foi preso.

Francisco das Chagas era conhecido na região por prestar serviços de caseiro em casas de veraneio.

Médico é processado por acumular cargos em seis municípios

Caso foi denunciado por delegado de cidade onde médico era perito criminal; ausência dele ao trabalho atrapalhou investigação de latrocínio.

O Ministério Público de São Raimundo Nonato ajuizou ação civil pública contra um médico que teria acumulado ilicitamente onze cargos públicos no período de 10 anos. O médico, acusado de improbidade administrativa, teria cargos efetivos, que acumulou com outros de caráter temporário. Segundo o MP, ele teve cargos nas cidades de São Raimundo Nonato, São Loureço, Bonfim do Piauí, Coronel José Dias, Dom Inocêncio e Canto do Buriti.

O caso foi denunciado por um delegado de polícia de São Raimundo Nonato. Um dos cargos exercidos pelo médico era o de perito da Polícia Civil. Só que, segundo o delegado, a constante ausência dele provocou prejuízos à investigações criminais. Por exemplo, em um caso de latrocínio, ocorrido em abril de 2017, em que a vítima foi enterrada sem que fosse lavrado o auto de exame cadavérico. A negligência obrigou o promotor criminal a requisitar a exumação do cadáver.

Só em 2017, o médico tinha vínculos com a Secretaria Estadual de Saúde, Secretaria de Segurança Pública e com a Prefeitura de Lagoa do Barro, e trabalhava como servidor temporário no INSS.

“O requerido acumula mais de dois cargos públicos de médico, ferindo completamente os preceitos constitucionais. Ademais, seus rendimentos ultrapassam o teto constitucional e sua carga horária demonstra-se totalmente incompatível. Ainda que fosse possível cumular mais de dois cargos públicos de médico, é humanamente impossível uma pessoa desempenhar diversas funções e estar em diversos locais ao mesmo tempo”, ressalta a Promotora de Justiça Gabriela Santana, autora da ação.

Segundo ela, diversos horários dos trabalhos que o médico exercia se chocavam, tornando impossível que ele desempenhasse as funções. “Não houve denúncia de nenhum paciente, mas isso ficou evidente porque o médico chegou a cumular muitos cargos em certos períodos”, disse a promotora Gabriela Santana.

A promotora pediu o bloqueio de R$ 745.107,00 das contas do médico, para garantir o ressarcimento aos cofres públicos. Se a ação for julgada procedente, o servidor deve ser condenado às sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa: perda de bens obtidos ilicitamente, ressarcimento dos danos, perda da função pública, suspensão de direitos políticos, multa e proibição de contratar com o Poder Público.

Juiz que "passeou" com carro de Eike é condenado por peculato

Na sentença, o juiz é chamado de "hipócrita" por magistrado

O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio, condenou o juiz federal aposentado Flavio Roberto de Souza, que andou com o carro do empresário Eike Batista. O magistrado impôs a Flavio Roberto de Souza as penas de 7 anos pelo crime de peculato e 1 ano por crime de fraude processual. O juiz federal aposentado pode recorrer em liberdade.

Flavio Roberto de Souza atuava no julgamento de crimes financeiros do empresário Eike Batista. Em fevereiro de 2015, o magistrado foi afastado do caso depois de ser flagrado dirigindo o Porsche Cayenne do empresário, e de admitir que guardou o veículo na garagem do prédio onde mora, assim como fez com o Range Rover de Thor Batista, filho de Eike.


Juiz Flavio Roberto de Souza. Foto: Divulgação

Marcelo Bretas fixou o valor mínimo de reparação de danos em R$ 25.390,85 e determinou a perda do cargo de juiz federal e da aposentadoria.

O Ministério Público Federal relatou na denúncia que em fevereiro e março de 2015, o então juiz federal titular da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro "manteve custódia ilegal de valores apreendidos no curso de ação penal que tramitava naquele Juízo em desfavor de Eike Furhken Batista e se apropriou de parte desses valores".

O juiz Bretas narrou que em 27 de fevereiro de 2015, durante busca de bens e valores acautelados na sala de Flavio Roberto de Souza, "foi localizada sacola contendo notas de moedas estrangeiras, porém sem as Libras, Euros e Dólares americanos, anteriormente armazenados por ordem do próprio magistrado". Verificou-se ausência de R$ 27 mil.

A denúncia aponta que Flavio Roberto de Souza entrou em sua própria sala, "sem autorização, e devolveu parte do montante desaparecido com o fito de ocultar o delito de peculato".

"Por se tratar o acusado de profissional com vários anos de experiência nas atribuições que exerceu tanto no Ministério Público Federal quanto na Justiça Federal, na seara criminal, sua capacidade de compreender o caráter ilícito de seu comportamento era bem superior ao dos demais membros da sociedade. Um Juiz que aplica penas pela prática de crimes certamente considerou seus efeitos ao decidir, ele mesmo, delinquir. Pior do que isso, revelou-se um hipócrita", assinalou Bretas na sentença.

Marcelo Bretas determinou que a pena de 7 anos por peculato seja cumprida em regime semiaberto. Para o crime de fraude processual, o juiz determinou que a pena de um ano seja cumprida em regime aberto.

"Diante da inteligência do artigo 69 do Código Penal, as penas deverão ser cumuladas, eis que os delitos foram cometidos em concurso material, devendo ser executada primeiramente a pena mais grave, para o delito de peculato (reclusão), e posteriormente a pena para o delito de fraude processual (detenção)", ordenou o juiz.

07 de agosto de 2017

Dois são presos tentando passar drogas e celulares para preso da Irmão Guido

Os suspeitos estariam tentando arremessar o material para um detento, conhecido como Fabiano Múmia.

Duas pessoas foram presas, nesta segunda-feira (7), tentando passar drogas e celulares para dentro da Penitenciária Regional Irmão Guido. Segundo informações da Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus), um homem e uma mulher, identificados como Elaine Régia Farias Sucupira Silva Soares e Francisco Thiago Silva Rodrigues, foram presos na parte externa do presídio, tentando arremessar o material para os pavilhões. 

Uma das envolvidas foi identificada como Elaine Régia Farias Sucupira Silva Soares. (Foto: Divulgação/Sejus)

De acordo com a Sejus, os objetos seriam destinados ao detento Fabiano Pereira Castro, conhecido como Fabiano Múmia, que está preso por tráfico de drogas e é marido de Elaine. A informação é de que os três estavam sendo monitorados pelos serviços de Inteligência da Secretaria de Justiça e da Força Tática da Polícia Militar, tendo culminado com a prisão e apreensão do material que seria repassado para o detento.

Francisco Thiago Silva Rodrigues também foi preso por envolvimento no crime. (Foto: Divulgação/Sejus)

Os dois suspeitos, que estavam em um veículos de modelo Clio, foram detidos e encaminhados para a Central de Flagrantes de Teresina para realização dos devidos procedimentos legais. A Secretaria de Justiça deve remover o preso da unidade e vai comunicar o caso à autoridade judicial competente.

Material apreendido. (Foto: Divulgação/Sejus)

Outro caso

Na última semana, outras duas mulheres tentaram entrar com drogas e celulares na Casa de Custódia de Teresina, mas também foram presas pela equipe de revista da unidade. Entre os materiais ilícitos, foram apreendidos um smartphone, maconha, cocaína e 100 comprimidos do medicamento Rohypnol.

Na última quinta (3), as secretarias de Segurança Pública e Justiça deflagraram a Operação Conexão, que desarticulou uma organização criminosa que facilitava fugas e a entrada de celulares, drogas e outros objetos ilícitos nos presídios do Estado. Seis pessoas foram presas na Operação, entre elas um policial militar.


'Quero que ele seja preso pra sempre' diz criança vítima de estupro

Suposto estuprador teria violentado dois irmãos, de 6 e 9 anos.

Um enfermeiro da Unicamp foi preso na manhã desta segunda-feira, dentro do estacionamento de uma unidade de saúde da instituição, em Campinas, São Paulo, como suspeito pelo estupro de duas crianças. A polícia informou que ele trabalha no setor de nefrologia do Hospital de Clínicas.

As vítimas, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Luis Galazzo, são dois irmãos, de 6 e 9 anos, vizinhos do homem indiciado, que tem 52 anos. O mais novo escreveu uma carta, com o desenho de uma viatura da polícia, pedindo ao delegado que prendesse o agressor. Os envolvidos moram em Paulínia, bairro de classe média no Jardim Europa.

- Essa carta veio com um parecer técnico, foi elaborada na presença de uma psicóloga particular procurada pela família dos meninos em abril. Eles confirmaram tudo. A carta foi endereçada a mim - conta Galazzo.

No texto, o menino escreveu: "Eu quero que o xxx seja preso para sempre. Para o delegado. Assinado xxx".

Um primo das vítimas também teria sofrido abuso sexual do mesmo vizinho quando tinha 15 anos, segundo informações da polícia.

Por se tratar de um crime hediondo, o suspeito foi submetido a uma prisão temporária de 30 dias, enquanto as diligências estão em andamento.

A assessoria de imprensa do Hospital de Clínicas enviou uma nota informando que o profissional estava afastado do cargo até a última sexta-feira, por uma licença.

"A respeito da prisão do profissional de saúde xxx, lotado no Departamento de Enfermagem do HC da Unicamp, a administração da Universidade esclarece que de fato o funcionário estava afastado até dia 04/08. A Unicamp irá se manifestar sobre o caso, assim que for comunicada da decisão e está à disposição das autoridades responsáveis", diz o comunicado.

‘Nunca viria para o Rio’, diz motorista de caminhão sequestrado

Caminhoneiro foi mantido refém por três horas na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro.

“Essa profissão é cada vez mais perigosa. Se eu tivesse minha própria carreta, nunca viria para o Rio de Janeiro. De todos os estados que já fui, aqui com certeza é o mais perigoso”. O desabafo revoltado é do o caminhoneiro mineiro Antônio Euclides Ribeiro, 36 anos, que ficou por cerca de três horas sob a mira de um bandido, na Avenida Brasil, na altura de Deodoro, e só foi liberado na madrugada desta segunda-feira.

- Mantive a fé em Deus e pensei muito na minha família, nos meus dois filhos. O bandido estava mais nervoso do que eu. Quando ele apontou a arma para a minha cabeça, só tentei não ter nenhuma reação. O meu grande medo era dele se descontrolar e acabar atirando em mim – conta Antônio que é morador de Visconde de Rio Branco, em Minas Gerais, e pai de dois filhos.

O caminhoneiro ainda conta que foi rendido por criminosos armados, quando passava pela altura do bairro da Penha, na Zona Norte do Rio. No momento da ação, um taxista que passava pela localidade informou à Polícia Militar sobre a ocorrência. Minutos depois, a PM com ajuda de homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), iniciaram uma perseguição e chegaram a atirar contra os pneus do caminhão. Os criminosos que estavam fazendo a escolta da carga conseguiram fugir, mas o sequestrador, Emerson Miranda, de 19 anos, que estava na cabine do veículo, manteve o motorista como refém. Só o libertou depois que a mãe dele, Fabiana Garcia dos Santos, pediu que se entregasse.

Durante a ação, Antônio acabou sendo atingido por estilhaços e o sequestrador foi baleado na perna. Os dois foram levados para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo. Após receber cuidados médicos, o bandido foi levado à Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

Mesmo com medo de voltar a fazer viagens para o Rio de Janeiro, Antônio admitiu que não pode negar serviços:

- Não posso ficar recusando viagem. Sou cooperado, se eu me negar, colocam outro no meu lugar e eu perco dinheiro. Sei que é muito perigoso, principalmente aqui (no Rio), mas é o que eu sei fazer, e é de onde tiro o sustento da minha família.

Acusados de matar cabo do BOPE serão investigados por fraude ao INSS

Na ocasião da prisão dos suspeitos foram encontrados indícios de fraudes em aposentadorias. As investigações serão conduzidas pela Polícia Federal.

Ocionira Barbosa de Sousa e Leonardo Ferreira de Lima, ambos acusados de envolvimento no assassinato do cabo do BOPE, Claudemir de Sousa, em dezembro de 2016, serão investigados por suspeita de fraudes ao INSS. A determinação foi dada nesta segunda-feira (07) pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, Antônio Nollêto, após serem encontrados documentos que apontam indícios do crime nas residências dos supostos envolvidos no homicídio do policial.

Acusados participam de audiência sobre morte do cabo do BOPE. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

De acordo com o delegado Gustavo Jung, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), os documentos foram encontrados ainda durante as investigações do assassinato do cabo Claudemir.  Para o delegado, a quantidade de material encontrado na residência dos dois acusados de serem coautores no homicídio são indícios concretos da prática de fraudes ao INSS e autenticação de documentos falsos.

Durante vistorias às residências de Ocianira e Leonardo, a Polícia encontrou documentos como processos de aposentadoria, agendas de contabilidade com atribuição de altos valores em nome dos dois, selos de cartório, carimbos de tabelionato de notas, entre outros objetos que apontam a prática criminosa. “Como nenhum dos dois trabalha em cartório ou órgãos judicias em que esses materiais são utilizados, há indícios muito fortes de que estariam sendo usados para prática criminosa”, afirma.

Além disso, a suspeita, segundo a Polícia Civil, é de que os dois acusados seriam parceiros na atividade ‘profissional’, e acabaram se envolvendo amorosamente. “Nós acreditamos que eles já praticavam esses crimes e acabaram se envolvendo, culminando na morte do cabo no final do ano passado. Durante as investigações nós encontramos esses documentos e anexamos ao inquérito, no entanto, ainda não havia sido dada a autorização para a Polícia Federal investigar”, explica o delegado Gustavo Jung.

Por se tratar de suspeita de fraude a uma instituição federal, a investigação será conduzida pela Polícia Federal.

Homicídio 

O cabo do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (BOPE), Claudemir de Paula Sousa, foi morto no dia 06 de dezembro de 2016, ao sair de uma academia no bairro Saci, zona Sul de Teresina. Claudemir Sousa se dirigia para seu veículo que estava estacionado na porta do estabelecimento, quando foi abordado por dois homens e não teve chance de defesa.

Cabo Claudemir Sousa (Foto: Arquivo Pessoal)

Na ocasião, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado confirmou o indiciamento de Ocionira Barbosa de Sousa como coautora intelectual do crime, junto com Leonardo Ferreira Lima. A acusada era diretora do Hospital Areolino de Abreu e mantinha um relacionamento com Claudemir desde 2013, ao mesmo tempo em que se relacionava com Leonardo. 

Segundo a Polícia Civil, o assassinato de Claudemir envolveu nove pessoas. Além de Ocionira e Leonardo, que são os autores intelectuais, foram indiciados José Roberto Leal da Silva, Francisco Luan de Sena, Igor Andrade Sousa, Flávio Willame da Silva, Wesley Marlon Silva, Thaís Monait Meris de Oliveira e Wagner Falcão. 

Cargas roubadas de supermercados de Teresina foram avaliadas em 330 mil reais

A quadrilha é especializada nesse tipo de crime e o líder, um estudante de direito, já possuí passagens pela polícia pelo mesmo delito.

As duas cargas roubadas na semana passada nas cidades de Valença e Elesbão Veloso, foram avaliadas em cerca de R$ 330 mil. A informação é da Secretaria Estadual de Segurança (SSP/PI). As cargas de eletrodomésticos, utensílios de cozinha e materiais alimentícios pertenciam a dois supermercados, ambos em Teresina. Segundo a SSP/PI, a quadrilha é especializada nesse tipo de crime e o líder já possuí passagens pela polícia pelo mesmo delito.

Cargas roubadas de supermercados de Teresina foi avaliada em 330 mil reais. (Foto: Divulgação/SSP/PI)

De acordo com as informações da Secretaria de Segurança, um estudante de direito, identificado como Cledilson Araújo, de 20 anos, foi apontado como sendo o líder da quadrilha. Após a prisão do jovem, no último sábado (05), a polícia conseguiu chegar à mercadoria roubada, localizada em um sítio, no povoado Nova Olinda, zona Rural de Timon, no estado do Maranhão.

Passo a passo

A primeira apreensão foi realizada na última sexta-feira (04), quando quatro integrantes foram detidos pelo Núcleo de Inteligência da Polícia Militar do Piauí, na BR-316, nas proximidades do Povoado Baixão Grande. Segundo informações da Polícia Militar, o bando havia tomado de assalto um caminhão de produtos alimentícios na cidade de Valença, com objetivo de roubar a carga. Durante a ação, a quadrilha fez o motorista do caminhão e um estivador de reféns. A carga roubada seria levada para a cidade de Timon-MA.

Caminhão roubado na sexta-feira (04). (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Após rondas pela região, na manhã do sábado, a Polícia conseguiu prender o líder da quadrilha. Cledilson Araújo foi capturado nas proximidades da cidade de Monsenhor Gil, enquanto tentava fugir da polícia. Após ser detido e questionado sobre notas fiscais do Comercial Carvalho que haviam sido encontradas dentro do veículo usado de apoio para roubar o caminhão de Valença, o líder da quadrilha informou que a mercadoria havia sido roubada no último dia 01 de julho, na cidade de Elesbão Veloso.

Frontier utilizada pelos assaltantes. (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Durante o depoimento, o estudante apontado como líder da quadrilha, relatou que a carga do Comercial Carvalho estava em um sítio na zona Rural de Timon. Ainda durante a manhã, equipes da Greco se deslocaram até o local apontado por Cledilson e encontraram os eletrodomésticos e utensílios de cozinha que teriam sido roubados. O dono do sítio, identificado como sendo Luís Flor Sobrinho, foi conduzido para a Central de Flagrantes de Timon e autuado por associação criminosa e receptação de produto roubado.

Já Cledilson e os outros três integrantes da quadrilha presos na sexta-feira, apontados como sendo Clidenor Silva Pereira, vulgo Branco, Josivaldo Ferreira, conhecido por Cigano, e Rafael da Silva Sousa, foram autuados por roubo qualificado e associação criminosa. Além das cargas roubadas, também foram encontrados em posse dos suspeitos, três armas de fogo, sendo uma pistola e dois revólveres, e uma caminhonete Frontier branca, que também teria sido tomada de assalto pelos envolvidos.

Mercadoria do Comercial Carvalho que estava em posse dos suspeitos. (Foto: Divulgação/SSP/PI)

Padre é sequestrado e agredido a coronhadas no município de Boa Hora

Sequestro ocorreu na madrugada desta segunda-feira. Bandidos agrediram pároco mas não roubaram nada.

Um padre do município de Boa Hora foi sequestrado na madrugada desta segunda-feira (7) e sofreu diversas agressões. Segundo a Polícia Militar, um grupo de aproximadamente cinco homens invadiu a casa do padre Allan Kardek e o raptaram, levando também uma picape Ford Ranger, que pertence ao clérigo. O crime ocorreu por volta de uma hora.

O padre Allan Kardek Ferreira de Araújo (Foto: Divulgação / Diocese de Campo Maior)

De acordo com a tenente Juliane Vilela, do 15º Batalhão da PM-PI, o padre estava com o irmão na sua residência no momento em que o grupo de criminosos invadiu o local. Mas apenas o pároco foi sequestrado.

A militar afirma que ainda não se sabe exatamente qual a motivação do crime, o que será investigado pela Polícia Civil.

"Bagunçaram a casa, levaram o padre como refém e também um carro que estava lá, uma Ford Ranger. Os suspeitos agrediram bastante o padre, deram coronhadas nele e o abandonaram na zona rural do município, sem levarem nada", detalha a tenente Juliane.

O padre foi deixado a cerca de 10 km do centro de Boa Hora. Ele foi socorrido por populares e levado para um hospital da cidade, onde recebeu atendimento médico e foi liberado ainda na manhã desta segunda-feira.

Os bandidos usaram um carro de passeio para ir até a casa do padre e para fugir, após as agressões. Até o início da tarde desta segunda-feira ninguém havia sido preso.

Agentes impedem que celulares, facas e drogas entrem na Irmão Guido

Pessoas tentam arremessar objetos ilícitos por cima dos muros da unidade; segundo sindicato, até munição já foi interceptada.

Os agentes penitenciários de plantão na penitenciária Irmão Guido conseguiram interceptar seis celulares, carregadores, baterias e uma porção de maconha, durante a tarde de domingo (6). O material seria arremessado de fora para dentro da penitenciária por pessoas contratadas pelos detentos.

Além desse flagrante, no dia anterior (5), os agentes conseguiram evitar a entrada de uma faca, um punhal e diversos chips de celular, que também seriam arremessados por sobre o muro da mesma unidade. Segundo o relato de um agente penitenciário, esse tipo de crime tem se tornado mais comum nos finais de semana, quando a quantidade de agentes e policiais militares diminui.

As informações são do presidente do Sinpoljuspi (Sindicato dos Agentes penitenciários do Piauí), José Roberto Pereira. Segundo ele, diariamente há pessoas tentando fazer entrar objetos ilícitos dentro das penitenciárias do Piauí.

Celulares interceptados pelos agentes penitenciários no último domingo (6) (Foto: Reprodução)

“No final de semana, na Irmão Guido, a atividade é menor, e o número de pessoas que podem vigiar e perceber algo estranho diminui. Essas pessoas contratadas pelos detentos para arremessarem esses materiais ilícitos veem nisso uma facilidade. Mas não é apenas no final de semana, acontece em todos os dias, de manhã, à tarde e à noite”, relata o presidente do Sinpoljuspi.

Os materiais mais flagrados pelos agentes são celulares, carregadores, pilhas, facas, serras e garrafas de bebida alcoólica, mas de acordo com José Roberto, já foram encontradas munições entre objetos que seriam arremessados por cima do muro das unidades prisionais.

“Nosso medo é de que também tenham armas com presos dentro das celas das prisões do Piauí, que poderia causar, em algum motim ou rebelião, um confronto armado entre os detentos e os agentes e PMs”, disse José Roberto. “Afinal, qual a serventia da munição se eu não tenho a arma?”.

 O plantão da penitenciária Irmão Guido, durante o final de semana, conta com apenas seis agentes penitenciários para exercer funções dentro do presídio. Segundo José Roberto, o número reduzido já impede que algumas atividades internas da penitenciária sejam executadas, e os agentes precisam ainda patrulhar as áreas externas.  “Esta não é uma atribuição nossa. Os agentes já são poucos para dar conta dessa sobrecarga de trabalho, e ainda tem que ficar se preocupando com algo que não é da nossa alçada”, disse.

06 de agosto de 2017

PM apreende caminhão com mercadoria sem nota fiscal no sul do estado

Ainda durante a blitz, os policiais militares abordaram dois homens com droga e um suspeito de tentativa de homicídio.

Policiais militares do 20º Batalhão apreenderam neste sábado (5) um caminhão que estava carregado de bebidas e cereais sem nota fiscal. O veículo foi abordado pela Força Tática da PM-PI na divisa dos municípios de Queimada Nova (PI) e Afrânio (PE) - cerca de 550 a sudeste de Teresina.

O caminhão foi levado para o Posto Fiscal de Pipocas, no município de Acauã, de onde só deverá ser liberado após o pagamento dos tributos devidos e da multa.

Ainda durante a blitz, os policiais militares abordaram dois homens de 23 e 24 anos que estavam numa motocicleta modelo Honda CG Fan, de cor preta, e portavam uma pequena quantidade de maconha e pouco mais de R$ 100. Os dois foram conduzidos até a Delegacia de Paulistana.

Segundo o major Estanislau Felipe, comandante do 20º BPM, os dois flagrantes ocorreram numa estrada vicinal que é conhecida na região por ser usada como rota para o tráfico de drogas e de mercadorias contrabandeadas e sem nota fiscal.

Tentativa de homicídio

Ainda no sábado, a PM recebeu a informação de que um caminhoneiro havia atentado contra a vida de outro colega de profissão, na vizinha cidade de Jacobina.

Após cometer a tentativa de homicídio, o suspeito deslocou-se em direção à cidade de Petrolina (PE), mas acabou sendo interceptado pelos policiais militares.

Em poder do caminhoneiro foi encontrado um revólver calibre 38 com seis cápsulas, uma das quais estava deflagrada - supostamente, a que foi disparada contra a vítima.

"Estamos sempre tentando intensificar essas barreiras em toda a área do Batalhão, principalmente nesse período crítico de começo de mês, a fim de tentar barrar os planos de investidas contra as instituições financeiras das pacatas cidades que compõem a nossa área", pontuou o major Felipe.

Operações do Greco revelam furtos de energia em empresas e casas de luxo

Prejuízos somam R$ 120 milhões por ano e cerca de R$ 25 milhões deixaram de ir aos cofres públicos por meio do ICMS

Firmado ainda em 2016, um convênio entre a Eletrobrás e a Polícia Civil do Piauí tem revelado diversos casos de furto de energia praticados por pessoas de alto poder aquisitivo e grandes empresas. O famoso “gato de energia”, prática comumente atribuída a pessoas que moram em comunidades pobres e favelas, gera prejuízos milionários à empresa e ao Estado, apesar de, na opinião do delegado Laércio Evangelista, ainda ser considerado por muitos um “crime menor”.

O delegado Laércio, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) foi destacado para lidar com os casos de furto de energia. Segundo ele, o mais recente foi descoberto na última quinta-feira (03). A gerente da fábrica de cachaça Raízes Amargas, Suzana Lins Maranhão, filha do dono da fábrica, foi presa por furto qualificado.

Os policiais e técnicos da Eletrobrás descobriram uma fraude no medidor de energia do local. O fato de haver uma adulteração no medidor torna o crime mais grave, e não cabe o aditamento de fiança. “Estamos atuando em empresas grandes e por todo o estado”, comenta o delegado Laércio.

Renan de Sousa Carvalho, gerente de fiscalização de operação e engenharia da medição da Eletrobrás, afirma que cerca de 75 mil unidades consumidoras foram fiscalizadas apenas em 2017, e que foram constatadas irregularidades em mais de 40 mil delas. O prejuízo causado por esses crimes atinge a marca de R$ 120 milhões por ano à Eletrobrás, e cerca de R$ 25 milhões deixaram de ir aos cofres públicos por meio do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Somente em 2017, mais de 60 casos de fraudes foram descobertos pelo Greco. Em cerca de metade dos casos são flagrados medidores com indícios de adulteração. A manipulação do equipamento demanda um conhecimento técnico mais avançado do que para fazer desvio de energia simples, e isso gera um agravante que impede o aditamento de fiança.

Segundo Renan, os valores que grandes residências deixam de pagar com furtos de energia dificilmente são menores que R$ 10 mil. “Já tivemos casos de R$ 30 mil, R$ 40 mil. As pessoas argumentam que estão fazendo isso porque a tarifa é cara, mas é um crime como outro qualquer”, disse.  

O delegado Laércio Evangelista comentou que é comum as pessoas acharem que o furto de energia é como um crime sem gravidade. “Há essa inversão de valores. As pessoas, principalmente de alto padrão, acham que é um crime simples, têm aquela sensação de impunidade e acabam incidindo nessa prática”, disse.

Há ainda casos em que técnicos da Eletrobrás foram ameaçados por moradores indignados com a fiscalização. “A Polícia Civil tem dado apoio nesses casos, mas isso tem ficado comum”, comenta o delegado Laercio. Em junho, na cidade de Esperantina, um policial militar foi preso após ameaçar uma equipe da Eletrobrás.

Repercussão dos crimes

E a conta das fraudes não fica só para a Eletrobrás e o Estado, mas também para a população. O gerente de fiscalização da Eletrobrás, Renan Carvalho relembra o caso de um hotel, localizado na zona Leste de Teresina, onde foram descobertos mais de 100 aparelhos de ar condicionado funcionando sem passar pelo medidor de energia. “Um hotel com a carga que ele tem lá deveria receber um fornecimento exclusivo em média tensão, e acaba retirando da baixa tensão uma carga muito alta. Isso repercute nos vizinhos, que sentem a qualidade da energia não adequada. Prejudica também a vizinhança”, disse.

Há ainda a concorrência desleal que estes estabelecimentos praticam. A economia causada pelo furto incide diretamente no preço dos produtos e causam vantagem indevida. “Imagine um supermercado usufruindo de furto de energia. O mercadinho honesto vai acabar tendo prejuízo e até fechando, porque não vai ter como fazer concorrência”, comenta Renan Carvalho. “A sociedade como um todo perde”, conclui.

05 de agosto de 2017

Disque Denúncia oferece R$ 30 mil por chefes do tráfico no Rio

Operação Onerat acontece desde a madrugada deste sábado (5). Canal pede que a população ajude o trabalho da polícia denunciando esconderijos de bandidos e armas.

O Disque Denúncia aumentou de R$ 10 mil para R$ 30 mil a recompensa por informações sobre Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como Da Russa, um dos chefes do tráfico de drogas no Conjunto de Favelas do Lins, na Zona Norte do Rio. Ele é um dos alvos da megaoperação integrada das forças de segurança estadual e federal, deflagrada neste sábado (5).

Por informações de outros envolvidos no crime na região, o Disque Denúncia oferece recompensa de R$ 1 mil. Além das recompensas, o canal pede que a população ajude o trabalho da polícia denunciando esconderijos de bandidos e armas. O telefone para contato é 2253-1177.

Disque-Denúncia oferece recompensa por informações que possam levar à prisão de criminsos (Foto: Disque-Denúncia)

As Forças Armadas e as polícias estaduais e federais realizam, desde a madrugada deste sábado (5), a Operação Onerat, para combater o roubo de cargas e o tráfico de drogas no Rio de Janeiro. A ação, iniciada com investigação da 26ª DP (Todos os Santos), marca o começo da segunda fase da integração da segurança com o Governo Federal e tem como objetivo cumprir 55 mandados: 40 de prisão e 15 de busca apreensão.

A coordenação é feita pela Secretaria de Estado de Segurança do Estado (Seseg), por meio da ação das polícias Civil e Militar, com o apoio do Comando Militar do Leste, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional de Segurança Pública.

Segundo a Seseg, os agentes atuam nos Complexos do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte. Há ainda operações nos Morros de São João, no Engenho Novo, também na Zona Norte, e Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Greco recupera carga de eletrodomésticos roubada do Comercial Carvalho

Segundo o Greco, a quadrilha é a mesma suspeita de ter roubado ontem (04), uma outra carga de produtos alimentícios em Valença.

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), em parceria com a Polícia Civil do Maranhão, recuperou na manhã de hoje (05), uma carga do supermercado Comercial Carvalho, roubada na última terça-feira (01). O material foi encontrado no povoado Nova Olinda, zona Rural de Timon, no estado do Maranhão.

Segundo informações da Secretaria Estadual de Segurança, a carga de eletrodomésticos e utensílios de cozinha havia sido roubada por quatro assaltantes em um posto de gasolina, na cidade de Elesbão Veloso, a cerca de 164 km de Teresina. Ainda de acordo com a Secretaria de Segurança, a quadrilha é a mesma suspeita de ter roubado ontem (04), uma outra carga de produtos alimentícios no município de Valença, região Sul do Piauí.

O proprietário do sítio onde a carga do Comercial Carvalho foi recuperada, identificado pelo Greco como sendo Luís Flor Sobrinho, está sendo apresentado na Central de Flagrantes de Timon para a lavratura do procedimento policial.

Outro caso

Ainda na tarde de ontem, quatro integrantes da mesma quadrilha foram detidos pelo Núcleo de Inteligência da Polícia Militar do Piauí, na BR-316, nas proximidades do Povoado Baixão Grande. Segundo informações da Polícia Militar, o bando havia tomado de assalto um caminhão de produtos alimentícios, com objetivo de roubar a carga, feito dois reféns na cidade de Valença e teriam como destino o município de Timon.

Caminhão com carga de produtos alimentícios roubada ontem (04). (Foto: Divulgação/PM)

Na ocasião, o titular do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), o delegado Willame Moraes, explicou que as prisões são resultado da investigação de um bando suspeito de assaltar veículos na capital. As informações dão conta de que os criminosos, além de roubarem os veículos, estariam se deslocando da capital para o interior, para realizarem assaltos a bancos e cargas.

'Frio e assustador', diz delegado sobre suspeito de matar menina de 6 anos

Segundo a polícia, o suspeito relatou, em depoimento, sem mostrar nenhum arrependimento como cometeu o crime.

"Um cara frio e assustador". É dessa forma que o delegado Daniel Rosa, da Divisão de Homicídios (DH), classificou Alexandre da Silva Alves, o Maluquinho, de 43 anos, suspeito de matar a menina Agatha Nicole Silva Victorino, de apenas 6 anos. A menina foi levada por ele na quinta e teve o corpo encontrado na madrugada de sexta. De acordo com as investigações, Alexandre, após violentar a criança, colocou Agatha, ainda viva, dentro de uma mala de viagem e a jogou num córrego no Engenho Novo, Zona Norte do Rio.

Alexandre foi indiciado por ter estuprado e agredido a vítima. (Foto: Divulgação)

— Ele causou perplexidade inclusive em policiais que trabalham há anos nesse tipo de investigação, de homicídio. Ele relatou, no depoimento, sem mostrar arrependimento nenhum, que a levou para a casa dele (na Rua 24 de Maio, a mesma em que morava Ágatha), estrangulou a menina, manteve relação sexual com ela e fez uma cova na cozinha da casa — conta o delegado, revelando que também ficou assustado com a frieza do homem.

Segundo Rosa, o suspeito ficou preocupado e desistiu de enterrar a menina na residência por medo de uma possível represália de parentes, que sentiriam o cheiro do corpo em decomposição.

— Depois, ele colocou a menina na mala de viagem, a fechou e a arremessou, com a criança ainda viva, no rio, que fica a 300 metros de sua residência. Ela morreu de asfixia e afogamento, e ele voltou para casa e se trancou — revelou o delegado, acrescentando que Alexandre falou tudo isso sem mostrar arrependimento algum.

O suspeito, que se entregou à polícia na tarde desta sexta-feira, tem 10 filhos. Desses, quatro são mulheres, sendo três adolescentes (de 11, 13 e 15 anos). Ele prestou depoimento na Divisão de Homicídios (DH). A polícia conseguiu a prisão temporária do suspeito, que foi expedida pelo Plantão Judiciário. Alexandre foi indiciado por estupro de vulnerável e homicídio qualificado.

— É um caso assustador e que demonstra total desprezo pela vida humana. Ele não pode conviver em sociedade, tem que ser preso e ressocializado. O sistema criminal tem que agir para ele não voltar para rua e cometer novos crimes. Essa pessoa precisa de uma atenção especial — disse Rosa, comentando que Alexandre já havia sido preso duas vezes por tráfico e uma por tentativa de homicídio, após tentar matar PMs quando ele ainda era traficante do Jacaré, em 1999.

Enterro em Irajá

A menina Agatha Nicole. (Foto: Reprodução)

A pequena Agatha será enterrada neste sábado, no Cemitério de Irajá, também na Zona Norte, às 16h. O corpo da menina, que sofreu violência sexual antes de morrer, já está sendo velado pela família.

— É uma manhã muito dolorida. Até as três irmãs mais novas dela (5, 3 anos e uma bebê) já sabem da morte da Agatha. Elas eram muito apegadas, não tinha como não contar — disse o avô materno da menina, Rogério Epifânio da Silva.

Megaoperação de Forças Armadas e polícia tem 18 presos e dois mortos

Grajaú-Jacarepaguá foi fechada em ambos os sentidos. Ação marca início da 2ª fase da operação da Seseg com forças federais. Um baleado foi hospitalizado. Disque Denúncia oferece recompensa por procurados.

O secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, informou, durante coletiva neste sábado, que 15 mandados de prisão foram cumpridos durante a segunda fase da operação de segurança no Rio. No entanto, nove deles são contra pessoas ques já estavam presas. Outros três suspeitos foram presos em flagrante; dois menores foram apreendidos; e dois homens morreram durante a ação.

— Nossos objetivos de mandados de prisão e busca estão sendo cumpridos, respeitando e sem colocar em risco a segurança dos moradores. Basta ver que dois morreram em confronto, um com a polícia civil e com a policia militar. Nenhum civil foi ferido. Temos que aprender de atuar assim. A expectativa de apreender — afirmou secretário de Segurança, durante coletiva no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, onde representantes de todas as instituições envolvidas na operação estão acompanhando e orientando os desdobramentos da ação.

Segunda fase da operação de segurança no Rio começa nas zonas Norte e Oeste. (Foto: Gabriel de Paiva)

De acordo com Roberto Sá, não houve vazamento da operação, mas os criminosos podem ter se escondido ou fugido das comunidades.

O secretário Nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Santos Cruz, disse que a ação deste sábado mostra que as forças de segurança estão integradas:

— O Estado vai onde ele quiser. Não existe domínio territorial de facção no Rio de Janeiro. A operação de hoje mostrou que as tropas federais e estaduais, devidamente integradas, elas fazem as ações necessárias de acordo com a lei. O valor não é possível calcular agora. Não é possível declarar quanto isso aí custa. É um cálculo logístico que precisa ser mais elaborado — disse o general.

A segunda fase da operação, batizada de Onerat, começou por volta das 4h30m deste sábado. A Secretaria de Segurança informou, em nota, que policiais civis e militares estão vasculhando vários pontos nos complexos do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte; no Morro São João, no Engenho Novo, também na Zona Norte; e no Morro da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Os policiais contam com apoio de 3.600 homens das Forças Armadas. Há também agentes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional de Segurança Pública.

As Forças Armadas estão responsáveis pelo cerco em algumas dessas regiões e baseadas em pontos estratégicos. Algumas ruas estão interditadas e os espaços aéreos estão controlados para aeronaves civis nas áreas sobrepostas aos setores de atuação das Forças Armadas. Não há interferência nas operações dos aeroportos.

04 de agosto de 2017

Quadrilha de assaltantes fazem motorista de refém para roubar carga

Suspeitos foram presos pela Polícia Militar. Entre os supostos assaltantes está um foragido do sistema prisional do Piauí.

O Núcleo de Inteligência da Polícia Militar do Piauí interceptou e prendeu, nesta sexta-feira (04), uma quadrilha de assaltantes de carga, na BR-316, nas proximidades do Povoado Baixão Grande. Segundo informações da Polícia Militar, o bando havia tomado de assalto um caminhão e feito dois reféns na cidade de Valença, a cerca de 216km de Teresina, com destino ao município de Timon, no Maranhão.

Caminhão roubado pelos supostos assaltantes. (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

De acordo com o Núcleo de Inteligência da PM/PI, os supostos assaltantes haviam tomado o caminhão de assalto com o intuito de roubar a carga e, durante a ação, fizeram o motorista do caminhão e um estivador de reféns. Na abordagem, a Polícia encontrou em posse dos suspeitos, além do caminhão, duas armas de fogo, sendo uma pistola calibre 380 e um revólver calibre 38, e uma caminhonete Frontier de placa ODX-2614, veículo usado no assalto.

Caminhão foi abordado por três homens em uma caminhonete de placas ODX 2614. (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

O titular do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), o delegado Willame Moraes, explica que as prisões são resultado da investigação de um bando suspeito de assaltar veículos na capital. As informações dão conta de que os criminosos, além de roubarem os veículos, estariam se deslocando da capital para o interior, para realizarem assaltos a bancos e cargas.

“A partir dessa informação, a Polinter entrou em contato com a Greco e nós solicitamos a ajuda da Inteligência da Polícia Militar, através do 8º BPM. Nós fizemos uma barreira e houve a interceptação desses veículos”, explica. Segundo o delegado, ainda não há confirmação de que a caminhonete utilizada pelos assaltantes também seria fruto de roubo. “Mas há uma grande probabilidade de que seja”, conclui.

Entre os supostos assaltantes está um foragido do sistema prisional do Piauí, identificado como Clidenor Silva Pereira, vulgo Branco. Além dele, também foram detidos mais dois envolvidos no assalto, identificados como Josivaldo Ferreira, conhecido por Cigano, e Rafael da Silva Sousa.

Os três envolvidos foram encaminhados para a sede do Greco para os devidos procedimentos legais e deverão ser autuados por roubo com cárcere privado.

Polinter prende 'Nego Wilson', que diz ter matado mais de 15 pessoas

Wilson Barreto foi preso pelo roubo de um veículo em junho deste ano, mas já responde a ações penais por outros crimes, como homicídio e porte ilegal de arma.

No início da manhã desta sexta-feira (4), a Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) deflagrou a operação "Acossar". Sob o comando do delegado Luciano Alcântara, os policiais civis efetuaram a prisão de Wilson da Silva Barreto, conhecido como "Nego Wilson", que tem uma vasta ficha criminal e é considerado uma pessoa altamente perigosa. 


Wilson da Silva Barreto, vulgo 'Nego Wilson' (Foto: Divulgação / Polícia Civil)


O suspeito foi preso numa residência na Vila Santa Cruz, zona sul de Teresina, e a Polícia Militar deu apoio à operação da Polinter. Nenhuma arma foi localizada no local.

Os investigadores deram cumprimento a um mandado de prisão pelo crime de roubo de um veículo em junho deste ano. Mas o delegado Luciano Alcântara ressalta que Wilson Barreto já responde a outras cinco ações penais por homicídio, tentativa de homicídio, roubo, porte e posse ilegal de arma de fogo. Todos os crimes foram praticados a partir de 2009.

A Polinter informou que, por enquanto, só foi comprovada a participação de Wilson Barreto no roubo de uma picape modelo Volkswagen Saveiro, no dia 7 de junho deste ano, na região do Grande Dirceu, na zona sudeste. Mas a Polícia Civil ainda investiga o envolvimento dele em outros roubos de veículos.

Neste caso, especificamente, Wilson teria agido com mais quatro pessoas, inclusive um adolescente. E o veículo foi recuperado poucas horas após o assalto, mas apenas o menor de idade foi apreendido.

O delegado Luciano Alcântara (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

"O roubo ocorreu pouco depois da meia-noite, e por volta das 13 horas do mesmo dia nós conseguimos localizar essa Saveiro, que estava escondida num matagal, na região da Prainha. Fizemos, então, uma campana no local, para realizar a prisão dos suspeitos, mas apenas um adolescente foi apreendido na ocasião", detalha Luciano Alcântara.

Os suspeitos chamaram um motorista da Uber para ir até o local onde haviam deixando a Saveiro roubada, mas o adolescente foi o primeiro a descer do carro. Wilson Barreto percebeu que a Polícia estava à sua espera e ameaçou o motorista com uma arma, ordenando que ele iniciasse uma fuga.

Poucos minutos após iniciada a perseguição, o veículo da Uber acabou colidindo com uma viatura da Polícia Militar, e Wilson Barreto conseguiu escapar, juntamente com outra comparsa.

"Policiais civis que o viram correndo no momento da fuga conseguiram identificar que se tratava do conhecido 'Nego Wilson', e, a partir daí, nós iniciamos as investigações, que culminaram com sua prisão, nesta sexta-feira", acrescenta Alcântara.

Além das outras ações penais que já responde na Justiça, neste caso da Saveiro tomada de assalto ele será indiciado por roubo, associação criminosa e corrupção de menores, tendo em vista que um adolescente participou do crime. "Nós descobrimos que ele costuma aliciar menores para participar desses assaltos. Ele, na verdade, era o líder. No início, ele apenas fornecia o veículo e as armas que eram usadas para realizar os roubos, mas, depois de um tempo, ele próprio começou a participar dos assaltos. As outras investigações ainda acontecem em segredo, para que a gente possa comprovar a materialidade e a autoria, mas neste caso já está tudo comprovado", esclarece o delegado da Polinter.

Para garantir a prisão de Wilson Barreto, a Polinter solicitou à Justiça vários mandados de busca, em diferentes residências - no Parque Piauí, no Promorar, no Lourival Parente e na Vila Santa Cruz -, todas pertencentes a familiares ou amigos de "Nego Wilson".

"Ele é um rapaz perigoso. Como ele mesmo diz, já praticou vários homicídios, e, por essa razão, não tem o costume de ficar dormindo numa mesma residência por muito tempo. Por isso, solicitamos mandados de busca para várias casas", destaca o delegado.

'Nego Wilson' teria ameaçado o capitão Fábio Abreu de morte

Ainda de acordo com Luciano Alcântara, alguns anos atrás, quando o capitão Fábio Abreu ainda era comandante do Batalhão da Rone (BPRone), "Nego Wilson" teria ameaçado o militar de morte, caso ele e seus comandados "entrassem na Vila Santa Cruz", região onde o suspeito atuava.

"Ele se vangloria de ter cometido mais de quinze homicídios, mas essa informação ainda não podemos confirmar", afirma o delegado Luciano Alcântara.

Veículos roubados são destinados para desmanches ou revendidos após adulteração

Segundo a Polinter, as quadrilhas especializadas no roubo de veículos costumam destiná-los para desmanches ou revendê-los após a adulteração dos chassis e das placas. 

"Eles adulteram o veículo e repassam para outras pessoas como se o veículo fosse legal", detalha Luciano.

Homem é preso por estupro após usar fotos íntimas para chantagear a ex

Homem criou perfis falsos no Facebook, e ameaçou divulgar fotos em que a vítima está nua, caso ela não enviasse novas imagens e vídeos íntimos.

Um caso de coação, ameaça e estupro na modalidade virtual terminou com o cumprimento de dois mandados de prisão realizados pela Delegacia de Repressão aos Crimes Virtuais na manhã desta sexta-feira (4). Segundo a investigação, uma universitária estava sendo coagida pelo ex-namorado que ameaçava divulgar fotos íntimas da vítima, e ordenava que ela produzisse novas imagens e vídeos e enviasse para ele.

Os policiais também cumpriram mandado de busca e apreensão, recolhendo um computador, HDs e os celulares do suspeito e de seus familiares. Todos os equipamentos vão passar por perícia.


Delegado da Delegacia de Repressão aos Crimes Virtuais, Daniel Pires (Foto: Elias Fontinele/ODIA)

O delegado Daniel Pires explicou que foram expedidos dois mandados de prisão preventiva porque a Polícia não sabia exatamente qual dos homens que moravam na mesma casa tinham praticado o crime - se o ex-namorado ou um familiar seu. Após confirmar a autoria, o suspeito permaneceu preso e seu parente foi liberado.

O caso chama atenção pelo uso do termo “estupro na modalidade virtual”. A Secretaria de Segurança Pública explicou, por meio de nota, que o crime se caracteriza pela exploração sexual ou pornográfica de uma pessoa mediante ameaça através da internet. No caso revelado hoje, o homem exigia que a vítima enviasse fotos e vídeos se masturbando.


A investigação apurou que o acusado roubou fotos íntimas da vítima, feitas na época em que eles mantiveram um relacionamento. Ele também teria feito imagens enquanto a mulher estava dormindo, sem que ela permitisse, conta o delegado Daniel Pires.

Com essas fotos, o homem criou três perfis no Facebook. Através de um deles, entrou em contato com a vítima e passou a exigir novas imagens e vídeos sob a ameaça de divulgar as primeiras. No segundo perfil, o acusado fez um álbum com as fotos e deixou no modo privado, mas ameaçou torná-lo público. No terceiro perfil ele postou imagens de familiares da vítima, inclusive do filho, menor de idade.

As ameaças começaram no final de junho e persistiram por dois dias, as investigações apontam que o acusado fez isso por estar sendo ignorado pela universitária. Com medo e muito abalada emocionalmente, a vítima atendeu às exigências do acusado e enviou as imagens e os vídeos de conteúdo íntimo.

A Polícia Civil solicitou que os perfis fossem cancelados pelo Facebook, o que foi atendido.   “A vítima está bastante abalada emocionalmente e chegou a chorar em várias ocasiões quando prestou depoimentos. Ela não conseguia sequer escrever direito o próprio nome nos termos de declaração, de tão nervosa”, conta o delegado Pires 

O caso foi resolvido em 40 dias. “As vítimas desse tipo de crime geralmente são revitimizadas, porque são expostas e muitas vezes se sentem culpadas pelo crime, que é cometido pelo parceiro ou ex-parceiro. Mas é importante salientar que a vítima não deve se sentir culpada”, afirmou o delegado.

O homem vai responder pelo crime de estupro, que é hediondo e, portanto, inafiançável. Para preservar a identidade da vítima, o nome do acusado não foi revelado. A Polícia informou apenas que ele trabalha como vigilante e a mulher é estudante universitária.

Chico Lucas reúne-se com Riedel e pede o afastamento preventivo de delegado

Imagens feitas pelas câmeras internas da Central de Flagrantes mostram o momento da discussão entre delegado e advogados.

Última atualização às 13h15

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Piauí, Chico Lucas, reuniu-se nesta sexta-feira (4) com o delegado-geral Riedel Batista para tratar da discussão envolvendo o delegado Anchieta Pontes e dois advogados, os irmãos Leonardo Carvalho Queiroz e Renato Queiroz - fato ocorrido na sexta-feira passada (28), na Central de Flagrantes de Teresina.

Riedel Batista, Chico Lucas e Andrea Magalhães reuniram-se na manhã desta sexta-feira para tratar de incidente envolvendo delegado e advogados (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Imagens feitas pelas câmeras internas da Central mostram o momento em que o delegado empurra os advogados. Os registros foram repassados para a OAB-PI e comprovam que, de fato, o delegado Anchieta Pontes chega a sacar sua arma, conforme a versão apresentada pelos irmãos.

Além de Chico Lucas e de Riedel, também participaram da reunião a delegada Andrea Magalhães, presidente do Sindepol-PI, outros delegados da Polícia Civil do Piauí e membros da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Advogados. 

Durante a reunião, Chico Lucas chegou a pedir o afastamento de Anchieta Pontes. A delegada Andrea Magalhães, por sua vez, disse que a OAB-PI está agindo de forma "parcial", ao pedir uma punição antes de permitir que ocorra o devido processo legal, com a garantia da ampla defesa e do contraditório para as partes envolvidas.

O advogado Chico Lucas, presidente da OAB-PI (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Chico Lucas rebateu afirmando que, de fato, a Ordem dos Advogados sempre agirá com "parcialidade" na defesa da classe. Ele disse que o delegado Anchieta Pontes agiu com abuso de autoridade, ao agredir dois advogados no exercício de sua profisssão. Por esta razão, a OAB decidiu pedir o seu afastamento imediato, com base na Lei Complementar nº 13, que dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Piauí.

"A OAB está pedindo o afastamento preventivo dele, com base na Lei Complementar 13, bem como as representações criminais e o inquérito, para que ele seja responsabilizado e não volte a praticar atos criminosos contra cidadãos e contra profissionais", declarou Chico Lucas.

A presidente do Sindepol afirma que as imagens divulgadas para a imprensa, e que estão circulando nas redes sociais, foram editadas de maneira a passar a impressão de que apenas o delegado teria se exaltado, sem justificativa para isso. No entanto, ela sustenta que o advogado Leonardo Queiroz desrespeitou e desacatou o delegado Anchieta por reiteradas vezes. "As imagens foram editadas. Foram promovidos cortes, e só está sendo mostrado o momento final, depois de todas as provocações, depois de toda a situação. A gente vai veicular outro vídeo, mostrando o comportamento do Leonardo na Central, e tudo o que aconteceu. Houve desacato e houve desobediência, porque o delegado pediu para ele sair (do seu gabinete) e mesmo assim ele entrou no local duas vezes. Houve vários comportamentos que serão imputados ao advogado", acrescenta Andrea.

A delegada Andrea Magalhães, presidente do Sindepol-PI (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

A delegada afirma que Anchieta Pontes apenas estava exercendo seu trabalho, e sofreu uma interferência indevida de Leonardo Queiroz. "O advogado quis interferir antes da feitura do procedimento. A prerrogativa da OAB não dá direito a isso. Ele tem direito ao acesso às provas produzidas e à defesa do cliente dele, o que em nenhum momento foi cerceado. Só que ele queria interferir no depoimento da suposta vítima e das testemunhas, e ele não tem prerrogativa pra isso", argumenta Andrea Magalhães.

"O que a gente lamenta é que a OAB está sendo parcial, como o próprio presidente Chico Lucas admitiu. A OAB deveria instaurar um procedimento para apurar o comportamento dos advogados, da mesma forma como nós estamos fazendo com o delegado envolvido", concluiu Andrea, enfatizando que a OAB, o Sindepol e a Polícia Civil do Piauí precisam lidar com este imbróglio de forma "diplomática".

O presidente da OAB-PI afirma que o caso está, sim, sendo analisado pelo seu tribunal de ética da Ordem, mas ressaltou que o fato principal a ser apurado é a "violência do delegado". "Nós não podemos desmerecer e desqualificar os profissionais. Mesmo que eles tenham falado alguma coisa que merece reprenda, isso não justifica a violência policial", ponderou Chico Lucas.

Delegada Andrea pediu que caso seja tratado com diplomacia (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Caso gerou crise entre OAB-PI e Sindepol-PI

Momentos após o incidente, integrantes da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Advogados (CDPA) dirigiram-se até a Central de Flagrantes para dar suporte aos dois advogados envolvidos na discussão. No mesmo dia, a advogada Roberta Oliveira, presidente da comissão, informou que a Ordem dos Advogados ajuizaria um procedimento criminal contra o delegado.  “Não podemos permitir atitudes como esta. A OAB-PI tomará todas as medidas cabíveis para que o delegado possa responder por seus atos. Estamos diariamente vigilantes na luta pela defesa das prerrogativas, combatendo atos de tal natureza”, afirmou Roberta, na ocasião.

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil de Carreira do Estado do Piauí (Sindepol-PI), por sua vez, saiu em defesa de Anchieta Pontes, ressaltando que "as prerrogativas foram totalmente preservadas, mas estas não podem ser instrumento para abusos". A entidade informou, ainda, que iria representar contra o advogado Leonardo Carvalho Queiroz, junto ao Conselho de Ética da OAB-PI, alegando que ele teria desacatado o delegado Anchieta, que estava de plantão na Central de Flagrantes.

O sindicato afirmou também, por meio de nota, que a classe dos advogados ficou revoltada com o caso, sustentando que o delegado teria apenas "colocado a mão sobre sua arma", com o intuito de garantir a preservação da sua integridade física.

Confira as imagens divulgadas:

Ainda segundo o Sindepol-PI o embate teria iniciado porque o advogado Leonardo Queiroz teria impedido que Anchieta Pontes realizasse seu trabalho, "interferindo na narração de terceiros, impossibilitando assim a fiel conclusão do serviço e a apuração da verdade dos fatos". Na nota, o sindicato afirma que o advogado "não agiu com urbanidade" e foi "extremamente agressivo".

O Sindepol-PI também criticou o fato de Leonardo Queiroz ter exigido que o delegado apresentasse sua carteira funcional da Polícia Civil.

O delegado Carlos André foi designado para acompanhar o caso. 


Notícia relacionada:

Corregedoria e OAB apuram discussão entre delegado e advogados 

03 de agosto de 2017

Pedófilos são presos no interior do Piauí; uma vítima está grávida

Em Paulistana, padrasto foi preso acusado de estuprar dois enteados; em Corrente, professor abusada de aluna de 13 e mandava fotos nu.

Duas investigações de crimes de pedofilia tiveram uma conclusão, em duas cidades do Piauí, com a prisão de dois acusados. No caso mais recente, um homem foi preso acusado de estuprar os dois enteados, um menino de 7 e uma menina de 5 anos, na cidade de Paulistana. Já em Corrente, um professor acusado de estuprar uma aluna de 13 anos se apresentou à Polícia após ter seu mandado de prisão expedido pela Justiça. Outro homem acusado de abusar da mesma vítima segue foragido. A menina está grávida.

Padrasto  

A Polícia Civil de Paulistana conseguiu prender um homem acusado de estuprar duas crianças, uma menina de 5 anos e um menino de 7, que seriam seus enteados. A prisão foi efetuada nas primeiras horas da manhã, no povoado Caldeirãozinho, zona rural do município, onde o acusado estava escondido.

O delegado Ítalo Vasconcelos, da Polícia Civil de Paulistana, comenta que o acusado, um homem de 25 anos, estava foragido há cerca de três meses, desde que soube que havia sido denunciado.

“O presidente do inquérito é o delegado Cícero, mas aproveitei a oportunidade que soube que ele estava na região. Até então ele estava sendo procurado. Assim que tive a informação de onde ele estava, na zona rural, eu reuni a equipe e dei cumprimento ao mandado”, relata o delegado Ítalo.

Os crimes foram denunciados pela mãe das crianças, ex-companheira do acusado. Desde então, o acusado se manteve escondido na casa de amigos, na zona rural.

Professor

A justiça pediu a prisão de dois homens acusados de estuprar a mesma menina de 13 anos, entre eles um professor do ensino fundamental. A investigação, iniciada em meados de 2016, resultou no pedido de prisão preventiva. O professor se apresentou na delegacia, enquanto o outro homem encontra-se foragido. A menina hoje tem 14 anos e está grávida.

O caso foi denunciado à Polícia Civil da cidade de Corrente em 2016. O professor se entregou e foi preso há cerca de uma semana. A investigação foi iniciada pelo delegado Welton Martins, quando o professor foi denunciado e depoimentos foram colhidos. Desde então, os policiais conseguiram reunir elementos para pedir a prisão dele à Justiça.

De acordo com o delegado Leandro Damasceno, que preside a Delegacia de Corrente hoje, entre os materiais encontrados haviam fotos do professor nu, que ele enviava para a menina. Ele ainda atuava como professor na mesma escola e sala da vítima, mesmo após a denúncia. “Ainda era professor dela”, comentou o delegado Leandro.

Além dele, a investigação descobriu que outro homem abusou da menina quando ela tinha 13 anos. “Ele conheceu ela de passagem. Era um vendedor de Picos”, disse o delegado Leandro. O homem, identificado pelas iniciais S.P.S., encontra-se foragido.

Tenente que matou a namorada será transferido para presídio a partir do dia 5

Sem ter o tempo de permanência prorrogado no Exército, o suspeito de matar Iarla Lima Barbosa passa a ser da reserva e perde o direito de ficar preso do 2º BEC

O exército revogou a permanência do tenente José Ricardo da Silva Neto, suspeito de matar a namorada Iarla Lima Barbosa e tentar matar, respectivamente, a irmã e a prima da vítima Ilana Lima Barbosa e Josiane Mesquita da Silva, no dia 19 de junho.

Sem ter o tempo de permanência prorrogado no Exército, onde já atuava desde 2014, José Ricardo passa a ser da reserva e perde o direito de ficar preso do 2º Batalhão de Engenharia e Construção.

O Exército ainda não concluiu o processo administrativo contra tenente, que poderá perder a farda definitivamente se for condenado ao final do procedimento.

Segundo o promotor Ubiraci Rocha, a decisão do comando da 10º Região Militar será formalizada no próximo sábado (05). “Depois disso, ele não poderá mais ser custodiado no 2º BEC e será transferido para o sistema prisional comum”, afirmou o promotor. Ele acredita que José Ricardo será transferido para a Casa de Custódia ou para o presídio de Altos.

O tenente foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, pelo feminicídio em razão de menosprezo ou discriminação à condição de mulher e pela utilização de recurso de dificultou ou tornou impossível a defesa de Iarla. Ele também poderá responder por tentativa de duplo homicídio.

Na denúncia oferecida à justiça, Ubiraci Rocha frisou a relação de menosprezo que o suspeito demonstrou em relação à condição da mulher e destacou que o acusado agiu de forma premeditada, pois só manifestou o intuito de matar após as vítimas se encontrarem no interior de seu veículo, aguardando o deslocamento para as suas respectivas residências. 

Polícia Civil de Piripiri recupera dezenas de celulares roubados

Até o momento, 22 celulares foram recuperados. Segundo o delegado, os aparelhos foram encontrados em posse de 'pessoas comuns'.

A Policia Civil de Piripiri, por meio do 1º Distrito Policial e 2º Distrito Policial do município, deflagrou a 3ª Fase da Operação ‘Graham Bell’ que visa combater furtos, roubos e receptação de aparelhos celulares em Piripiri e cidades circunvizinhas. Até o momento, 22 aparelhos celulares de diversas marcas já foram recuperados na localidade.

Segundo o titular do 1º Distrito Policial, o delegado Jorge Terceiro, a operação visa identificar os receptadores dos aparelhos furtados e, assim, reduzir ainda mais o número de ocorrências desse tipo na região.  Desde o início da operação, em abril deste ano, o registro de furtos e roubos de aparelhos celulares no município caiu em torno de 80%. 

Até o momento, 22 celulares foram recuperados pela Polícia Civil de Piripiri. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O delegado aponta que grande parte das pessoas que foram flagradas em posse dos aparelhos eram pessoas comuns que haviam adquirido os celulares por um preço abaixo da média e sem nota fiscal ou caixa dos produtos. “Nesses casos, essas pessoas foram conduzidas até a delegacia e foram registrados boletins de ocorrência por receptação culposa”, afirma o delegado. 

Outros receptadores, no entanto, apontaram que adquiriram os aparelhos em estabelecimentos comerciais da região. Em razão disso, diversos procedimentos estão sendo instaurados, podendo resultar em novas fases da operação no futuro. Por isso, é importante que a população evite comprar aparelhos celulares abaixo do preço de mercado, e sem nota fiscal ou a caixa do aparelho. “Comprando esses aparelhos, sem a devida documentação, você pode estar fomentando o aumento da criminalidade”, destaca o delegado Jorge Terceiro.

Proprietários dos celulares devem comparecer ao Complexo da Polícia Civil em Piripiri. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O delegado destaca ainda que a Polícia Civil ainda está em diligências em busca de outros aparelhos. A estimativa é de que, até o fim da operação, cerca de 50 celulares sejam recuperados pelos agentes policiais. A Polícia Civil também está entrando em contato com os proprietários dos aparelhos recuperados para que compareçam no Complexo de Delegacias de Piripiri para a restituição dos aparelhos.

Assaltantes de banco pagaram R$ 50 mil para fugir da Casa de Custódia

A Polícia Civil monitorou durante vários meses a organização criminosa e flagrou o líder da quadrilha repassando objetos e dinheiro para o PM; veja vídeo

Os quatro detentos que fugiram da Casa de Custódia no dia 02 de março pagaram cerca de R$ 50 mil para a organização criminosa presa nesta quinta-feira (03), na Operação Conexão. Carlos Souza Silva, Leônidas da Silva Gomes, Anderson Teodoro de Sousa e outro homem identificado como Vilmar foram presos suspeitos de participação em assaltos a bancos no Piauí.


Segundo o delegado Carlos César Camelo, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), os assaltantes fugiram pela guarita da Casa de Custódia, passando por uma área onde somente policiais tinham acesso. “Isso levantou suspeitas quanto à participação de homens da segurança do presídio”, disse o delegado.

O pagamento do valor de R$ 50 mil pela facilitação da fuga teria sido negociado parte em dinheiro e a outra com um carro modelo Gol. O veículo foi apreendido em Timon e estava com Ivoneide Ângela Silva Ribeiro, que também foi presa por participação na quadrilha.

Monitoramento

A Polícia Civil monitorou durante vários meses a organização criminosa, liderada pelo ex-detento Josimar Carvalho da Silva, com a participação do policial militar Cláudio Rodrigues do Nascimento, da mãe e esposa de detentos Ivoneide, do filho dela Paulo Reis Silva Ribeiro e de mais duas pessoas identificadas como Israel Alves da Silva e Ismael Ferreira da Silva.


As imagens gravadas durante as investigações mostram Josimar entregando celulares, acessórios e dinheiro para o PM. Outra gravação mostra Josimar entregando objetos para Ivoneide.

Revistados

O secretário de Justiça Daniel Oliveira informou que está editando uma portaria determinando que policiais militares, agentes penitenciários e demais servidores que atuam na Casa de Custódia passarão a ser revistados da mesma forma que os visitantes de detentos.


Segundo ele, o procedimento é necessário para evitar a entrada de objetos ilícitos no presídio. “Vamos garantir que agentes públicos corrompidos por organizações criminosas não tenham lugar na segurança pública”, disse Oliveira. A portaria passa a valer assim que a portaria for publicada.

O secretário de Segurança Fábio Abreu informou que já foi aberto processo na Corregedoria da Polícia Militar para afastamento do policial Cláudio Rodrigues, que era cabo e tinha mais de 20 anos na corporação. 

Esquema

A investigação revelou como funcionava o esquema da quadrilha. O Josimar era o líder do grupo, responsável por cooptar o policial e os outros envolvidos na organização. Ele mantinha contato com familiares de presos e também com os próprios detentos, por meio do policial militar.

Os celulares e as baterias eram entregues para Israel Alves, conhecido como Siri, pela Ivoneide, cujo filho - Paulo Reis - e o marido - Francisco de Paula - estão presos na Custódia. 

Josimar recebia do Siri os aparelhos eletrônicos, em sua maioria roubados e arremessava para dentro dos pavilhões C, F e H os objetos enrolados em fita isolante.

Já dentro do presídio, Ismael e Paulo Reis revendiam os aparelhos para outros detentos. Os celulares custavam cerca de R$ 1.500. As baterias e os carregadores valiam em torno de R$ 600.

Josimar foi preso na Vila Irmã Dulce e já tinha contra ele um mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas. O Policial Militar está preso no presídio militar.

Envolvido na morte de Emídio Reis é executado com a mãe idosa e cuidadora

Segundo delegado, possibilidade de as execuções terem relação com assassinato do ex-vereador é uma "linha muito forte de investigação".

Mais um envolvido no assassinato do ex-vereador Emídio Reis da Rocha, em 2013, foi executado a tiros. O crime ocorreu na noite desta quarta-feira (3), na zona rural de Alagoinha do Piauí, 397 km a sudeste de Teresina.

O ex-vereador Emídio Reis foi morto em fevereiro de 2013 (Foto: Arquivo da família)

Além de Antônio Sebastião de Sá, conhecido como Antônio Virgílio, também foram assassinados sua mãe, que já era idosa, e uma mulher que trabalhava como sua cuidadora. A acordo com a Polícia, Antônio de Sá seria um dos executores de Emídio Reis.

O crime ocorreu na casa da idosa, na localidade São João, entre 23 horas e meia-noite. Segundo o delegado Everton Férrer, está claro que o crime se trata de uma execução, já que as vítimas foram atingidas a queima-roupa e nada foi levado da residência.

Os investigadores encontraram no local capsulas que aparentam ser de pistola 380, mas apenas ao final do trabalho da perícia será possível determinar a arma usada no triplo homicídio.

O delegado Aureliano Barcelos, da Delegacia de Pio IX, foi até o local do crime com sua equipe, e vai coordenar o inquérito. Policiais civis de Picos também acompanharam o delegado na diligência.

O delegado Everton Férrer afirma que a possibilidade de as execuções terem relação com o assassinato do ex-vereador Emídio Reis é uma "linha muito forte de investigação". 

"Outras linhas não podem ser descartadas, mas esta é uma das principais linhas", afirma Férrer.

Um citado e um acusado no caso 'Emídio Reis' também morreram

Em novembro do ano passado, um homem identificado como João Elísio Pereira foi executado com pelo menos seis tiros a queima-roupa no povoado Mandacaru, zona rural de São Julião. Segundo testemunhas, a vítima teria sido alvo de dois homens armados que estavam numa motocicleta e usavam capacete.

Em 2013, João Elísio chegou a ser investigado pela Polícia Civil por suspeita de ter fornecido as armas usadas na execução do ex-vereador. Mas ele acabou não sendo indiciado, pois os investigadores não encontraram indícios suficientes para comprovar seu envolvimento no crime.

Um ano após a execução de Emídio Reis, João Elísio voltou a ser preso depois de ter efetuado disparos contra uma jovem de 17 anos, que seria sua namorada, e contra a mãe da adolescente.

Em fevereiro de 2016, Joaquim Pereira Neto, conhecido como Joaquim do Gabriel, morreu após sofrer um acidente de moto no centro de São Julião. Ele teria se desequilibrado ao passar por um quebra-molas e acabou caindo do veículo, morrendo no local.

A Polícia afirma que Joaquim Pereira Neto teria atuado como o agenciador da execução do ex-vereador Emídio Reis.

Emídio Reis foi alvo de tiros e enterrado ainda com vida; morreu asfixiado pela areia

A execução do ex-vereador Emídio Reis teria sido encomendada pelo vice-prefeito de São Julião, José Francimar Pereira (PP).

Em novembro do ano passado, ele e o prefeito da cidade, José Neci (PT), foram afastados do comando do Executivo pelos vereadores da cidade. Antes disso, eles também foram cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Uma das suspeitas da Polícia Civil é que a execução do ex-vereador José Emídio foi encomendada depois que ele denunciou supostas práticas de abuso de poder econômico, abuso de poder político e compra de votos pelos gestores da cidade.

Em abril de 2016, José Gildásio Brito, apontado como um dos executores de Emídio Reis, foi condenado a 39 anos de prisão, por um júri popular.

Em abril de 2013, a Polícia Civil divulgou os resultados do laudo cadavérico de Emídio Reis Ele foi atingido por dois projéteis e enterrado numa cova rasa ainda com vida. O ex-vereador resistiu aos ferimentos à bala, mas morreu asfixiado pela areia.

Por plantão, PM levava 40 celulares para presos e faturava R$ 5 mil por semana

Polícia Civil e a Secretaria de Justiça deflagraram hoje (03) a Operação Conexão, para desarticular uma quadrilha que atuava dentro dos presídios do Piauí.

Um policial militar foi preso na manhã desta quinta-feira (03) durante a Operação Conexão, deflagrada pela Polícia Civil, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), em conjunto com a Secretaria de Justiça do Piauí. A ação visa a desarticular uma organização criminosa responsável por articular a entrada e comercialização de aparelhos celulares, baterias e carregadores dentro das Unidades Prisionais do Estado.

Até o momento, seis pessoas já foram presas, sendo cinco em Teresina e uma em Timon. Os presos foram identificados como Josimar Carvalho da Silva, assaltante e apontado como o líder da organização criminosa, Cláudio Rodrigues do Nascimento, o PM que trabalhava na Casa de Custódia, Ismael Ferreira da Silva, Ivoneide Ângela Silva Ribeiro, Israel Alves da Silva e Paulo Reis Silva Ribeiro, que é filho de Ivoneide.

De acordo com a Sejus, o PM teria facilitado a fuga ocorrida na Casa de Custódia em 02 de março deste ano. A investigações apuraram ainda que o policial facilitava a entrada de celulares, baterias e carregadores no presídio, com cerca de 40 aparelhos sendo levados para dentro da unidade prisional a cada plantão seu. A Sejus informou que os detentos pagavam o PM para poderem receber os aparelhos. 

Ao todo, estão sendo cumpridos seis mandados de prisão preventiva, quatro de condução coercitiva, sete mandados de busca e apreensão e dois sequestros de bens e imóveis, além de uma busca e apreensão nos pavilhões da Casa de Custódia, de Teresina. Os presos foram encaminhados para a sede do Greco, onde prestam depoimento ao delegado Charles de Holanda, que preside as investigações.

A Operação Conexão foi deflagrada com o apoio de cem policiais civis e militares. Os mandados foram expedidos pelo juiz Luiz Moura, da Central de Inquéritos de Teresina.

De acordo com o delegado Gustavo Jung, do Greco, Josimar é o elo entre criminosos na parte de fora do presídio e o sistema prisional. Ele repassava os aparelhos eletrônicos para o cabo da PM que os vendia aos presos da Custódia. Segundo informações do secretário de Segurança, Fábio Abreu, os celulares chegavam a ser repassados por até R$ 1.500,00 e esse preço variava de pavilhão para pavilhão.

A Secretaria de Segurança, até o momento, descarta o envolvimento de agentes penitenciárias no esquema criminoso. No final de junho, três agentes foram presos acusados de facilitar a entrada de drogas e celulares na Penitenciária de Parnaíba. no entanto, a polícia afirmou que não há elementos que ligue a atuação destes agentes com o grupo que atuava na Casa de Custódia.

As investigações iniciaram há cinco meses após a fuga de quatro assaltantes de banco da Casa de Custódia. O delegado Charles de Holanda, que presidiu o inquérito, informou que a quadrilha tinha seus membros atuando em funções bem definidas e que os criminosos chegavam a faturar valores em torno de R$ 5 mil por semana com a comercialização de celulares dentro do presídio.

A movimentação da polícia começou ainda durante a madrugada,


Aguarde mais informações

02 de agosto de 2017

Mulher é flagrada entrando com droga na Casa de Custódia

Este é o segundo caso de prisão de mulher tentando levar objetos ilícitos para o presídio em menos de uma semana

Uma mulher foi presa na manhã desta quarta-feira (02) tentando entrar com drogas na Casa de Custódia de Teresina. A prisão de Ana Cleide de Carvalho foi feita pela equipe de vistoria da unidade. Ela estava com cocaína, maconha e 100 comprimidos de rohypnol. A droga seria destinada para o detento Markson Pereira da Silva.

Este é o segundo caso de prisão de mulher tentando levar objetos ilícitos para o presídio em menos de uma semana. Na última sexta (28), Erieles Rodrigues de Morais foi presa na Casa de Custódia tentando passar um celular smartphone e maconha para o detento Witalo Gregório. Em ambos os casos, os objetos ilícitos estavam escondidos nas partes íntimas. As tentativas de entrar com o material foram identificadas durante os procedimentos de revista.

 O presidente do Sinpoljuspi (Sindicatos dos Agentes Penitenciários do Piauí), José Roberto, comenta que esses acontecimentos não são tão raros no Estado. “Infelizmente é algo comum. Depois de várias reclamações, deixou de ser feita aquela revista tida como “vexatória”, o problema é que ela só aumentou os casos, pois na maioria das vezes a visitante esconde os objetos ilícitos nas partes íntimas”, disse.

Como medida de combate à prática, José Roberto explica que o ideal seria um scanner corporal humano, que funciona como raio-x e mostrase há algo escondido no corpo do visitante. “Hoje temos detectores de metal em alguns presídios, mais o scanner seria o mais eficiente e menos constrangedor para todos”, afirma José Roberto.

Segundo o levantamento feito pelo Sinpoljuspi, a maioria das mulheres hoje que estão na penitenciaria feminina do Piauí cumprem pena por tentarem entrar com drogas nos presídios do Estado. 


Suspeito é baleado em troca de tiros com a PM e morre no HUT

Segundo a Polícia Militar, David Anderson da Cruz teria realizado assaltos na região do Promorar e teria reagido a uma abordagem feita por policiais.

Um homem identificado como David Anderson da Cruz, 27 anos, faleceu na noite da última terça-feira (1) no Hospital de Urgência de Teresina Professor Zenon Rocha (HUT). Ele teria sido baleado durante uma troca de tiros com a Polícia Militar por volta do meio-dia de terça, nas imediações do bairro Promorar, zona sul da capital.

David foi atingido por três projéteis - no tórax, na perna e no braço. Ele deu entrada no HUT às 13h49. Durante o dia ele chegou a passar por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

No atestado de óbito consta que David da Cruz faleceu após uma parada cardiorrespiratória, por volta das 20 horas.

Segundo a PM, na manhã de terça-feira algumas pessoas relataram ter sido assaltadas, e uma das vítimas entrou numa viatura para auxiliar os militares a encontrar o suspeito.

Ao encontrarem David, a vítima teria indicado que ele seria o autor do assalto. Os policiais, então, fizeram a abordagem e o suspeito teria reagido, efetuando disparos contra os militares - ainda de acordo com a versão dos próprios PMs.

O capitão Paulo Silas, comandante da Companhia do Promorar, afirma que David usou um revólver calibre 38 para realizar os assaltos e agiu sozinho. Com a mesma arma ele teria disparado contra os PMs. 

"Ele fez vários roubos na região do Promorar e, por último, ele assaltou um restaurante. Entrou no local, roubou a proprietária e os clientes. Logo depois, uma das vítimas entrou na viatura de uma das nossas equipes, e os policiais começaram a diligenciar na tentativa e localizá-lo. Poucas quadras à frente ele foi localizado. Os policiais deram voz de prisão, mas ele não atendeu. Pelo contrário. Ele reagiu e efetuou disparos contra os policiais, que também dispararam e o atingiram", detalha o capitão.

David da Cruz faleceu por volta das 20 horas de terça-feira (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Operação Fantasma: irmão seriam os líderes da organização criminosa

Prejuízo causado pela quadrilha é de, pelo menos, R$ 81 milhões. Segundo MP, todo os 14 mandados de prisão foram cumpridos.

Chegou ao fim a Operação Fantasma, com a prisão de nove pessoas em Teresina, Campo Maior e em Jericoacoara, no Ceará, a apreensão de três carros e o bloqueio de aproximadamente R$ 157 mil das contas dos alvos da operação. Dos 14 mandados cumpridos, nove pessoas foram presas.

A quadrilha era organizada de forma hierarquizada verticalmente, com os três irmãos empresários no topo: Mirtdams Júnior, João Canuto Neto e Williams de Melo.

Abaixo deles, haviam pessoas que trabalhavam como recrutadores, apesar de atuarem também como laranjas. Nesse grupo, está inclusive a mãe dos empresários, Vera Lucia de Melo Leite. De acordo com a investigação, Vera Lucia possui dois CPFs, e é a dona da empresa Cerealista Melo, cujo endereço e nome fantasia é o mesmo da empresa Armazém M. Junior, do filho Mirtdams Júnior. A empresa no nome de Vera Lucia, a Cerealista Melo, é a maior devedora do Fisco estadual.

Entre os recrutadores, está o motorista dos líderes da quadrilha Deodato Neto, que seria dono de 14 empresas; a secretária dos líderes Antônia Sandra Silva, dona de 7 empresas; e a recrutadora Gilmara Vieira, dona de 23 empresas.

No nível mais baixo da hierarquia da quadrilha, haviam os laranjas recrutados, pessoas que emprestam seus documentos para a abertura de empresas de fachada. Seis pessoas foram identificadas, mas nenhuma delas foi presa. Os valores pagos para que participassem do esquema varia de R$ 300 a 1 mil. Há ainda entre eles pessoas que tiveram seus documentos conseguidos após serem enganados pelos recrutadores.

Além dos líderes e recrutadores, foi preso ainda o contador Francisco Nilton Barros Trindade, contador acusado de ser o operador da fraude. 

Esquema 

O Grupo Interinstitucional de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (GRINCOT) detalhou como era feita a fraude tributária que a Operação Fantasma busca combater. Segundo nota do Grincot, o esquema partiria de três irmãos: Mirtdans Júnior, Williams de Melo e João Canuto Neto. A investigação já apurou que a quadrilha teria gerado um prejuízo de, pelo menos, R$ 81 milhões aos cofres públicos, mas é possível que este valor aumente em cerca de R$ 100 milhões, com a continuidade das investigações.

Empresários Mirtdams Júnior, João Neto e Williams de Melo (Foto: Reprodução/ Facebook)

O Grincot explica que os irmãos contatavam empresários interessados nas fraudes ou utilizavam empresas “fantasmas” para usar em suas empresas reais. Eles arregimentavam laranjas entre pessoas simples que precisavam de dinheiro. A quadrilha oferecia entre R$ 500 e R$ 1000 para que cedessem seus documentos, os quais seriam utilizados na abertura de empresas “fantasmas”. 


Aparente líder do grupo, Mirtdams ainda é suspeito de usar diversos veículos de luxo que não estavam em seu nome, mas de parentes. Contra os alvos já tramitam seis processos criminais e três inquéritos, referentes a crimes praticados com modus operandi semelhante.


Iniciada às 7h51min

Nove pessoas foram presas na manhã de hoje (2) sob suspeita de fazer parte de uma organização criminosa que praticava fraudes tributárias. A Operação Fantasma, fruto do trabalho conjunto da Polícia Civil, Ministério Público, Secretaria de Fazenda e Procuradoria Geral do Estado, já conseguiu identificar que a organização gerou um prejuízo de, pelo menos, R$ 81 milhões aos cofres públicos.

(Foto: Polícia Civil)

A operação Fantasma busca cumprir 11 mandados de prisão temporária, três mandados de prisão preventiva, 15 sequestros e remoção de bens, além de 23 mandados de busca e apreensão. 

Segundo o promotor Plínio Fabrício de Carvalho, a organização criminosa seria operadora de cerca de 60 CNPJs – a maioria empresas de fachadas – através dos quais praticaram fraude tributária, emitindo notas frias para mercadorias que eram vendidas em outras empresas, enquanto os impostos ficavam para as empresas fantasma. 

Entre as empresas usadas na fraude, constam três dentre as dez maiores devedoras do fisco estadual. “Eles provocaram uma lesão no ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), e levaram dos cofres públicos, comprovadamente, R$ 81 milhões. Mas já temos informações de que teria sido mais”, declarou o promotor Plínio.

Os investigados foram presos nas cidades de Campo Maior,  Teresina, e em Jericoacoara, no Ceará. Mais de cem pessoas participam da operação Fantasma. Segundo o delegado Riedel Batista, as informações e materiais apreendidos durante a operação poderão possibilitar o início de novas investigações em breve.

Nota de esclarecimento

Em nota, o Conselho Regional de Contabilidade do Piauí (CRC-PI) esclareceu que Francisco Nilton Barros de Morais Trindade, identificado como um dos suspeitos de fraudes tributárias e fiscais nos estados do Piauí e Ceará, não possui registro de profissional contábil no CRC, portanto não pode ser designado como contador. 

O Conselho informou ainda que irá apurar o caso e adotar os devidos procedimentos legais, tendo em vista que exercer qualquer profissão regulamentada por lei sem ter a formação específica e sem ter a habilitação legal é considerado crime. "O Conselho declara ainda que repudia qualquer ato ilícito e o exercício ilegal da profissão, bem como toda e qualquer conduta que atente contra a Ordem Tributária no país", destacou o CRC-PI.

01 de agosto de 2017

Polícia prende suspeito de ter matado travesti no interior do Piauí

Justino da Costa e outros dois homens teriam assassinado a travesti Aurinete Sousa por transfobia.

Um dos suspeitos de participar do homicídio de Aurinete Sousa, morta na madrugada de hoje (01) no povoado Cajueiro, zona rural do município de Patos do Piauí, foi detido pela polícia na tarde desta terça-feira. Segundo informações do comandante da Polícia Militar de Picos, coronel Edwaldo Viana, a vítima teria dito o nome do suspeito antes de morrer.

Segundo a PM,  a motivação do crime seria transfobia. (Foto: Reprodução)

No momento da prisão, o suspeito de envolvimento no crime, identificado como Justino da Costa Figueiredo, revelou o nome de outros dois homens que também teriam participado do assassinato. Segundo o comandante da PM, os três envolvidos e a vítima estavam bebendo em um bar, localizado no povoado Cajueiro, e por volta de 1h da madrugada, a vítima foi levada até uma rua deserta, na entrada da localidade Morro da Onça. 

No local, que fica apenas a 50 metros da casa onde Aurinete Sousa residia com a família, Justino e outro homem, identificado apenas como Assis, teriam segurado a travesti, enquanto um terceiro envolvido, identificado como David, teria desferido o golpe atingindo o pescoço da vítima. Aurinete conseguiu fugir e chegar em casa. Ela foi socorrida e levada para o Hospital Regional de Picos, mas não resistiu.

Ainda de acordo com o comandante Edwaldo Viana, a motivação do crime seria transfobia, que é o preconceito e a intolerância contra pessoas travestis e transexuais, que pode ser manifestado pelas mais diversas formas de violência, entre elas a violência física. “Eles mataram a vítima apenas por ser uma travesti. Nós conversamos com pessoas que viram os três bebendo e eles afirmam que não havia nenhum motivo para terem cometido esse crime”, destaca o comandante.

A Polícia ainda está em diligência em busca dos outros dois suspeitos de terem participado do crime. O homicídio será investigado pela Delegacia de Jaicós.

Governo corre para conseguir votos para barrar denúncia contra Temer

Denúncia será analisada nesta quarta-feira (2/8), no plenário da Câmara dos Deputados. Especialistas apostam que o presidente conseguirá barrar o pedido de investigação

Antes da votação decisiva em que Michel Temer poderá se tornar o primeiro presidente em exercício réu na Justiça, o peemedebista buscou demonstrar tranquilidade aos interlocutores. Amanhã, o plenário da Câmara dos Deputados apreciará a denúncia de corrupção passiva feita contra Temer pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Analistas e fontes próximas ao governo acreditam que haverá quórum para que a votação seja realizada e que o processo será barrado pelos parlamentares.

Infográfico: Correio Braziliense

O deputado federal Danilo Forte (PSB-CE), após reunião no Planalto, contou que o presidente estava “muito tranquilo”. Segundo o parlamentar, o governo tem pressa e quer virar logo essa página. “Temer quer começar um novo momento do governo na quinta-feira e pretende deixar um legado com as medidas reformistas, e, assim que barrar a denúncia, vai encaminhar a proposta da modernização tributária”, disse.

Mas, para virar essa página, é preciso um quórum de 342 dos 513 parlamentares da Câmara para abrir a sessão para a votação amanhã. E essa é a grande barreira enfrentada pelo peemedebista. Fontes palacianas evitam falar oficialmente em números e não comentam sobre as divisões dentro do PMDB e do PSDB. Pelas estimativas de parlamentares governistas, Temer conseguiu reunir 250 votos favoráveis ao relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que é pela rejeição da denúncia da PGR e contra o afastamento do presidente. Esse número é suficiente para evitar que o processo seja enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas não garante a votação.

A queda de braço pelo quórum foi motivo para marcar reunião emergencial no Palácio da Alvorada, no último fim de semana, para a contagem de aliados, opositores e indecisos. Já está certo que os ministros que têm mandato na Câmara deixarão seus postos temporariamente e voltarão ao plenário amanhã para a votação. Vale lembrar que, em maio, antes da crise política com a delação dos donos da JBS, Temer tentava convencer 50 parlamentares para aprovar a reforma da Previdência — que precisa de 342 votos para passar na Câmara. “O governo sabe que precisa mobilizar a base, mesmo que informalmente, para conseguir o quórum para abrir a sessão. Não é sua tarefa, mas será um sinal de força se ele conseguir iniciar a votação”, avaliou o cientista político Rafael Cortez, da Tendências Consultoria. Ele lembrou que Temer ainda precisará enfrentar as próximas denúncias da PGR que estão por vir. “Vai ser um desgaste atrás do outro e, certamente, será difícil aprovar a reforma da Previdência, que disputará preferência com a reforma política, que deverá entrar na pauta devido ao calendário eleitoral”, alertou.

Análises

As previsões são de vitória de Temer. Para a Arko Advice, haverá quórum amanhã para a votação e o apoio ao presidente será de 257 a 270 deputados, podendo chegar a 285. As estimativas da consultoria Eurasia Group são de que 250 a 270 deputados votarão a favor de Temer, “com potencial de esse número ser maior”. “O importante será o resultado dessa votação. Se o governo conseguir mais de 257 votos, ele conseguiu manter certa unidade na base e terá menos dificuldade para aprovar as reformas. Mas, se barrar a denúncia com menos de 257, criará uma dinâmica desfavorável”, afirmou o cientista político Carlos Melo, professor do Insper.

O líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), disse ontem que a oposição vai propor quórum acima de 400 parlamentares para que a votação da denúncia seja aberta. Em campanha para esvaziar o plenário, o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) enviou mensagens em aplicativos tentando convencer colegas a faltarem à votação.

Cerca de 200 dos 513 deputados devem votar contra o presidente, mas 63 ainda estão indecisos. Nos bastidores da República, comenta-se que Temer trabalha para convencer pelo menos 20 deputados para ter uma margem superior ao mínimo de 172 para barrar a denúncia. As moedas de trocas seriam as emendas parlamentares e a distribuição de cargos públicos, ambas denunciadas pela oposição ao Ministério Público. “O governo precisa de apoio a qualquer custo, e isso vai causar um retrocesso de 100 anos no Brasil”, alfinetou o deputado Ivan Valente (PSol-SP). Como resposta, fontes do Planalto disseram que estão sendo liberadas emendas “para todos os partidos”, inclusive, os da oposição.

O mercado ontem abriu a semana em clima de que Temer conseguirá barrar a denúncia da PGR. A Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, subiu 0,65% e o dólar recuou 0,45%. “Para boa parte do mercado, a votação de amanhã é um evento menos importante, porque a equipe econômica continuaria no governo, independentemente de Temer ficar ou ser afastado para Rodrigo Maia (presidente da Câmara) assumir com a abertura da investigação pelo STF. Alguma mudança nesse cenário só ocorrerá se houver uma nova surpresa”, explicou Alexandre Espirito Santo, economista da Órama. Ele criticou a falta de cautela dos agentes econômicos. “Há um excesso de otimismo e vários riscos eventuais não estão sendo considerados, tanto internamente quanto no cenário externo”, alertou.