Portal O Dia
  • Portal O Dia /
  • Piauí /
  • “Rato- rabudo” não passa de caça silvestre consumida no sertão piauiense

“Rato- rabudo” não passa de caça silvestre consumida no sertão piauiense

Rabudo é roedor da região do sertão e faz parte da cadeia alimentar

11/03/2013 14:40

Moradores do distrito de Brejinho, no município de Assunção do Piauí (273 km de Teresina) teriam o hábito de caçar roedores para complementar a alimentação. O rato-rabudo também é conhecido em partes do Nordeste como punaré ou rato-boiadeiro e gerou polêmica a partir de reportagem do site UOL pelo hábito da população da região de comer a caça.

De acordo com o Superintendente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) em Teresina, Manoel Borges de Castro, o "rabudo" é um preado do interior do mato. "É um roedor comestível e é um animal silvestre. O rabudo, como por exemplo, o mocó, são roedores da região do sertão e fazem parte da cadeia alimentar da região".

O superintendente explica que os roedores silvestres são diferentes dos ratos domésticos, que, por sua vez, são capazes de transmitir doenças e vivem em locais insalubres. "Quanto à alimentação dos roedores silvestres, eles comem frutos e oleaginosas, apreciam côco e sua carne possui bastante proteína. São animais sadios. O rato doméstico é problema, é que nem consumir peixe de rio poluído".

A bióloga especialista em gestão ambiental, Clayanne Santos explica que punaré é o nome de um animal mamífero, roedor da família dos Echimydeos, gênero Thrichomys, que ocorre no Leste do Brasil, no Paraguai e na Bolívia. "É um animal nativo da caatinga e habita zonas secas e pedregosas. É de pequeno porte, tem pelos macios, cauda longa e peluda. Também é conhecido, vulgarmente, como rato-boiadeiro e rabudo".

O animal habita áreas abertas e florestais da Caatinga, do Cerrado e do Pantanal, tendo registros dessa espécie em Minas Gerais, Goiás, Bahia, Rio Grande do Norte e Piauí, sendo encontrado principalmente na Caatinga. Vive em ocos de árvores, fendas rochosas e aglomerados de plantas espinhosas como a macambira. De tamanho um pouco superior ao de uma ratazana, o punaré é caça apreciada pelo sertanejo, que prepara armadilhas rústicas para sua captura.

O risco que o roedor poderia oferecer à população seria a servir de reservatório para a Doença de Chagas. No entanto, apenas dois gêneros de roedores foram até o momento, acompanhados experimentalmente em suas infecções pelo parasita Tripanossoma cruzi: Cavia e Thrichomys. Destes, apenas o segundo se encontra amplamente distribuído em algumas regiões do Brasil e pode ser considerado um potencial reservatório do parasito em algumas localidades.

O líder comunitário da Comunidade Brejinho em Assunção do Piauí, Caetano Silva, esclareceu à portal de notícia local sobre o hábito cultural da população em complementar a alimentação com o tipo de caça.

Deixe um comentário

Tópicos Rato- rabudo, seca, matéria, uol, fome, nordeste,

Veja também

há 13 horas
Sindicato repudia determinação da diretoria regional dos Correios, que aumentou o intervalo de abertura dos cofres para 45 minutos.
há 20 horas
Missa da Misericórdia reunirá milhares de fieis na Igreja da Primavera.
há 21 horas
Após sofrerem um acidente, Francisco de Assis e Santana Gomes estão internados em hospitais diferentes há 13 dias e seguem sem previsão de alta.
há 21 horas

Ocorrências aconteceram em Teresina, Amarante e Oeiras na última terça-feira (21).