• VIP TAXI teresina
  • bbrock
  • assinatura jornal

Prédio antigo desaba e atinge carros no centro de Teresina

As paredes que caíram atingiram dois carros que estavam parados no sinal de trânsito. Um dos veículos ficou mais destruído,

11/01/2017 13:44h - Atualizado em 11/01/2017 16:26h

Um casarão antigo desabou no início da tarde desta quarta-feira (11), no cruzamento das ruas Areolino de Abreu com a rua Barroso, no centro de Teresina. O local está congestionado e o trecho foi interditado desde a rua 13 de maio. O Corpo de Bombeiros foi acionado e está no local fazendo a vistoria do prédio, pois há risco de novos desabamentos.

Área onde ocorreu desabamento foi isolada pelo Corpo de Bombeiros, para evitar que pessoas se ferissem, em caso de um novo desmoronamento (Foto: Cícero Portela / O DIA)

As paredes do imóvel atingiram dois carros que estavam parados no sinal de trânsito. Um dos veículos é um Sandero, que ficou bastante destruído e com o teto amassado. O outro, um Pálio, foi atingido principalmente na lateral. Em cada um dos carros havia apenas os motoristas, que sofreram ferimentos leves.

O servidor público Fernandes Lima (foto abaixo) ia buscar a esposa quando aconteceu o acidente. Ele, que é o proprietário do Palio branco, sofreu apenas um pequeno corte no dedo e estava muito nervoso com o ocorrido. 

Diogo Martins, comandante de socorro do Corpo de Bombeiros informou que os motoristas conseguiram sair ilesos porque abandonaram os veículos. Eles perceberam o início do desabamento e saíram pela porta do passageiro", disse o comandante.

O servidor público Fernandes Lima estava num dos veículos que foi atingido por destroços do prédio; por sorte, ele sofreu apenas um pequeno corte num dos dedos (Foto: Cícero Portela / O DIA)

Segundo o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, Paulo Roberto Ferreira, desabamentos como este já são esperados pelo Crea-PI, que há muito tempo solicita à Prefeitura e à Câmara Municipal a produção de uma lei específica para regulamentar a manutenção de prédios antigos. 

Paulo Roberto Ferreira critica a inércia dos gestores públicos em relação ao problema.

"Alertamos várias vezes para a situação desses casarões antigos. Existem muitos na cidade desse jeito, sobretudo no centro. E é possível que aconteçam novamente situações como essa. É visível a falta do nossos políticos em tomarem conta da nossa cidade. Nós já vínhamos batendo nessa tecla há muito tempo, para que Teresina tenha uma legislação própria de manutenção predial. Há uns anos atrás, na gestão do Elmano, um projeto passou [na Câmara] mas foi vetado por ele. Tentamos de novo [na gestão de Firmino] e não conseguimos. Agora está aí o resultado. Não foi o primeiro nem vai ser o último. Em todas as entrevistas que eu dei anteriormente eu falei que iria acontecer um acidente desses, que uma marquise iria cair, que uma parede iria cair. Caiu! E vão cair outros que estão sem manutenção", alerta o engenheiro.

Para evitar que um prédio antigo desabasse, seria necessário fazer manutenção e análise periódica na estrutura - de dois em dois anos.

"Não precisamos demolir os prédios antigos, e sim conservar os prédios antigos. É necessário que a Prefeitura tome conta disso, abrace isso, traga para si a responsabilidade, que é dela, que obrigue os proprietários a fazerem uma verificação nesses imóveis pelo menos de dois em dois anos, para que possam assegurar as pessoas que passam pela rua. Não podemos aceitar essa situação, de inúmeras pessoas passarem diariamente em frente a prédios como esse e terem suas vidas colocadas em risco. A questão não é o prédio ser antigo. A construção poderia ter centenas de anos e se manter em pé. O problema é que não se pode reformar apenas por fora e deixar a estrutura se acabando.", defende o presidente do Crea-PI.

De acordo o especialista, as vistorias e obras de manutenção devem ser realizadas a cada dois anos, em caso de prédios antigos, e a cada cinco anos, em imóveis novos.

A perícia vai avaliar se é necessário derrubar o restante do prédio. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil estavam no local aguardando a chegada do proprietário do imóvel, que não havia chegado até por volta das 15 horas.

Pedro Warison, leitor do Portal O DIA, chegou a fazer fotos (ao lado) do prédio pouco antes do meio dia. "Eu passei de ônibus e percebi que ia desabafar. Fiz o registro para postar nas redes sociais, alertando sobre o perigo, mas não deu tempo", relata. A imagem revela uma rachadura profunda e que a parede estava  torta.

Prefeitura diz que proprietário tem a responsabilidade sobre imóvel 

A Prefeitura de Teresina informou que o imóvel está contemplado num decreto de preservação do município, e ressaltou que a realização de vistorias e de reformas nos imóveis é de responsabilidade exclusiva dos proprietários.

Ainda segundo a PMT, os prédios históricos, que devem ser preservados, são isentos do pagamento de IPTU e da taxa de construção, que é cobrada sempre que se realizam reformas em imóveis. A medida é uma espécie de incentivo para que os proprietários façam periodicamente os reparos necessários à conservação dos prédios.

Quanto à fiscalização, a Prefeitura informou que ela é dificultada em casos de imóveis particulares que não estão sendo utilizados e permanecem fechados, uma vez que só é possível entrar em propriedades privadas com a autorização do dono ou com uma ordem judicial.

Por: Nayara Felizardo e Cícero Portela

Deixe seu comentário