• assinatura jornal

Obras para alargamento da BR 135 precisarão de novos contratos de licitação

O atual contrato contempla apenas 120 Km dos 430 de extensão da rodovia que necessitam de ampliação.

11/08/2017 13:15h

Após a sequência de acidentes com vítimas fatais na BR 135, no sul do Estado, o governo estadual iniciou o processo de alargamento da rodovia com a implantação de acostamentos e a melhoria do asfalto no trecho. Mas, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), responsável pela obra, informou que o contrato de licitação só contempla 120Km dos 430Km de extensão da BR que necessitam da ampliação.

De acordo com Valter Casemiro, diretor do DNIT, o órgão já está elaborando novos projetos para iniciar o processo de licitação para o alargamento dos 310Km restantes.  Segundo o gestor, todo o procedimento deve acontecer até o final e, com isso, Casemiro garantiu que as obras na BR 135 não serão paralisadas.

“Estamos trabalhando um aditivo a esse contrato para poder contemplar esse acostamento. Já tínhamos a previsão de 45km de acostamento e teremos mais, aproximadamente, 75km. O restante que falta para poder completar os 430km que a rodovia necessita será feita com novos contratos. A equipe do DNIT está elaborando um novo projeto para poder, ainda este ano, licitar. Vai ser continuo o processo de alargamento da plataforma, não vai ter paralização”, declarou.

Ontem (11), o governador Wellington Dias visitou a obra acompanhado do senador Ciro Nogueira (PP), o diretor do DNIT, Valter Casemiro, e o Secretário de Transportes do Estado, Guilhermano Pires.

O investimento inicial do Estado é de cerca de R$ 30 milhões. Além desses recursos, a bancada federal piauiense inclui a BR 135 como prioridade na Lei Orçamentária Anual (LOA) e, portanto, receberá emendas impositivas dos deputados federais e senadores. Só este ano foram registradas 39 mortes no trecho da BR que passa pelo Estado.

“Sabemos da dificuldade que é hoje para quem trafega nessa rodovia, que tem uma plataforma estreita e que precisa da colocação de acostamentos. A BR tem um nível de degrau da rodovia para o acostamento muito alto. Isso gera acidentes e sabemos o risco que é”, disse Valter Casemiro.

Por: Ithyara Borges - Jornal O Dia

Deixe seu comentário