Portal O Dia

Gestantes carentes têm direito a auxílio extra de R$ 32

Valor é acrescido ao benefício do Bolsa Família como auxílio para a gestante e lactante

15/12/2012 09:03

O programa federal Bolsa Família, que dispõe benefícios financeiros definidos pela Lei 10.836/04, passou a incluir mais um valor a mulheres cadastradas no programa durante a gestação e amamentação desde novembro de 2011. No entanto, pouca gente sabe da medida.

O programa assistencial do governo é ligado ao Fome Zero e passou a incluir benefícios de R$ 32 mensais a determinadas mulheres durante a gestação e amamentação do filho. O benefício poderá durar até 15 meses, sendo nove meses durante a gestação e seis meses após o bebê nascer, período de amamentação. A medida entrou em vigor em novembro de 2011, conforme anunciou a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.

Para ser inserida no programa Bolsa Família, a mulher grávida, entretanto, precisa se enquadrar nos critérios estabelecidos pelo programa.

O ganho não pode ser superior a R$ 140 por membro da família. Ela só pode ter no máximo quatro filhos com até 15 anos de idade. O benefício passará a ser contado quando o Sistema Único de Saúde (SUS) for informado sobre a gravidez. O auxílio para a fase de amamentação será de seis meses, a ser pago somente a partir do registro do recém-nascido.

Atualmente, cerca de 12 milhões de famílias são assistidas pelo Bolsa Família e a expectativa do Governo era que 180 mil grávidas seriam beneficiadas com a medida.

Adriana Pereira, 28, é gestante e beneficiada do Programa Bolsa Família pelo município de José de Freitas e não conhecia a medida. "Meu marido trabalha na roça e eu recebo os medicamentos pelo SUS. Recebo dinheiro do Bolsa Família, mas não ganho acréscimo por estar grávida".

Solange Campos, assistente social de maternidade, explica que a gestante é informada dos direitos que tem, mas o auxílio não é difundido como deveria. "A pessoa que é cadastrada e recebe auxílio do Bolsa Família, ganha um adicional na bolsa. Nós trabalhamos com a admissão, internação e acolhimento das gestantes. Nós explicamos os direitos básicos que a gestante tem, como: direito à informação, acompanhante e encaminhamentos.

"Quando a paciente chega na maternidade ela vem referenciada, já passou pelo pré-natal. É feito o reconhecimento da paciente, se ela chegou acompanhada ou não, se participa de algum programa do governo, e então trabalhamos com a humanização de forma multidisciplinar. As gestantes vêm encaminhadas,a única situação em que a maternidade precisa atender a gestante sem encaminhamento é quando ela está prestes a parir", continua a assistente.


Atualização cadastral deve ser feita até o dia 31

O programa Bolsa Família dispõe de benefícios financeiros definidos pela Lei 10.836/04, que são transferidos mensalmente às famílias beneficiárias. As informações cadastrais das famílias são mantidas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único), e para receber o benefício são consideradas a renda mensal per capita da família, o número de crianças e adolescentes até 17 anos e a existência de gestantes e nutrizes.

As auditorias e ações de fiscalização são realizadas também pelas instituições de controle interno e externo do Poder Executivo, que compõem a Rede Pública de Fiscalização (RPF): Ministérios Públicos Federal, Estaduais e do Distrito Federal, Controladoria-Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU).

Até o dia 31 deste mês, 566,1 mil famílias beneficiárias do Bolsa Família precisam atualizar suas informações no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Das 1,5 milhão de famílias que devem fazer a revisão dos dados, 37,1% ainda não procuraram a gestão do programa em seus municípios. Aquele que não se recadastrar tem o benefício bloqueado.

Outro benefício que consta na lei 10.836/04 é o benefício variável, destinado a unidades familiares que se encontrem em situação de pobreza e extrema pobreza e que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças entre 0 (zero) e 12 (doze) anos ou adolescentes até 15 (quinze) anos, sendo pago até o limite de 5 (cinco) benefícios por família.

Qualquer cidadão pode participar da fiscalização do Bolsa Família. Denúncias de possíveis irregularidades podem ser feitas pelo telefone 0800-707-2003.

Por: Victria Holanda - Jornal O DIA

Deixe um comentário

Tópicos bolsa família gestante auxílio programa fedral,

Veja também

há 18 horas
Moradores do Residencial Torquato Neto têm as casas invadidas pela água sempre que chove.
há 1 dia
Médica infectologista explica que sepse não é uma doença, mas sim uma síndrome. Pois, trata-se de um conjunto de sinais e sintomas que acompanham um quadro infeccioso
há 1 dia
Profissionais relatam ainda que muitos direitos são negados. Exemplos como este tornam a “Lei da Terceirização” ainda mais polêmica.
há 1 dia
Apesar do aumento no número, caiu a quantidade de municípios com casos da doença registrados.