• Patrimônio 09/17
  • Unimed
  • assinatura jornal

Fábio Novo diz que Secult não vai destinar recursos para escolas de samba

Prefeitura de Teresina também disse que não irá financiar escolas e desfiles. Secretário orienta escolas a procurar parlamentares.

11/01/2017 07:49h

O secretário de Estado da Cultura, Fábio Novo, recebe hoje (11) representantes da Liga das Escolas Independentes de Teresina para tratar sobre possível apoio para realização dos desfiles na capital. No entanto, ao O DIA, o secretário adiantou que a pasta não vai destinar recursos de orçamento próprio para festas de carnaval, que são de responsabilidade dos municípios. 

Fábio novo diz que responsabilidade do carnaval é dos municípios e sugere recursos de emendas (Foto: Assis Fernandes/ O Dia)

Apesar de informar que não tem recursos para repassar à Liga das Escolas Independentes de Teresina, Fábio Novo afirmou que, durante a reunião, vai orientar à Liga a procurar parlamentares estaduais, que podem destinar recursos de emenda impositiva para as festividades de carnaval. “Não podemos tomar uma responsabilidade que não nos compete. Os carnavais são festas municipais. Como não temos dinheiro para promover carnaval em todas as cidades do Piauí, não é justo entregar recursos para realizar só aqui em Teresina. Agora, se um deputado destinar emenda, faremos todo o esforço para rápida liberação da verba”, pontuou o secretário. 
Nesta semana, a Prefeitura de Teresina divulgou a decisão de não fazer repasse financeiro as escolas de samba em 2017. Sem recursos, organizadores temem que não haja o tradicional desfile. O vereador Dudu (PT) tenta um acordo entre diretores de escolas e o poder público para tentar viabilizar a festa popular. A Prefeitura de Teresina alegou a escassez de recursos financeiros como motivo para não repassar o dinheiro. As escolas de samba argumentam que precisam de aproximadamente R$ 600 mil para organizarem as apresentações. 
“Não vamos ser irresponsáveis de dizer que não há um arrocho financeiro, mas tirar a verba de uma festa popular não é a solução. Queremos encontrar um caminho que permita que a festa aconteça”, esclareceu Dudu, acrescentando que na reunião com Fábio Novo, vai pedir que ele faça o intermédio com a Prefeitura e encontre a solução para que a festa popular continue. “É preciso que haja o entendimento de que cultura não é gasto e sim investimento”, ressaltou o parlamentar.
Por: João Magallhães

Deixe seu comentário