Portal O Dia
  • Portal O Dia /
  • Mundo /
  • Conselho de Segurança da ONU aprova sanções à Coreia do Norte devido a lançamento de míssil

Conselho de Segurança da ONU aprova sanções à Coreia do Norte devido a lançamento de míssil

Conselho de Segurança da ONU aprova sanções à Coreia do Norte devido a lançamento de míssil

16/04/2012 14:20

 

Brasília –  O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) reforçou hoje (16) as sanções à Coreia do Norte. Na semana passada, os norte-coreanos lançaram um míssil de longo alcance – mas a tentativa foi frustrada. Segundo eles, o objetivo é apenas monitorar o espaço aéreo. Para a comunidade internacional, o satélite acoplado ao foguete é uma ameaça, pois tem fins nucleares e militares. As autoridades da Coreia do Norte negam as suspeitas.

Os 15 integrantes do conselho – cinco permanentes e dez provisórios – apoiaram de forma unânime as sanções que determinarão restrições aos bens de indivíduos e empresas norte-coreanas. A relação com os nomes deverá ficar pronta em duas semanas.

Na declaração, o conselho condena de forma veemente o lançamento do foguete classificando o ato como “grave violação” das resoluções da ONU que proíbem que a Coreia do Norte mantenha “qualquer atividade nuclear ou militar”. No comunicado, o conselho diz lamentar que o episódio tenha provocado preocupações na região.

O texto exige ainda que a Coreia do Norte não faça mais testes e abandone o programa de armamento nuclear. De acordo com a declaração, o Conselho de Segurança promete reagir de forma mais incisiva se a Coreia do Norte mantiver a decisão de lançar foguetes e o programa nuclear.

Depois de testes nucleares feitos pelos norte-coreanos, em 2006 e 2009, a Coreia do Norte foi submetida a uma série de restrições por parte da comunidade internacional. A Coreia do Norte está proibida de comercializar qualquer material nuclear e militar, assim como fazer testes nas duas áreas.

 

Fonte: Agência Brasil

Deixe um comentário

Tópicos

Veja também

há 16 horas
srael divulgou nota lamentando a morte de inocentes, mas afirma que vem lançando ataques em resposta a morteiros disparados das "imediações" em que moram civis.
há 20 horas
O anúncio ocorreu depois que um ataque israelense matou 20 palestinos refugiados em uma escola da UNWRA.
há 1 dia
Os números elevam as vítimas fatais do conflito a 1.156 palestinos.
há 1 dia
Disparos de morteiros a partir de Gaza deixaram 4 mortos e ao menos 8 feridos no sul de Israel.