• Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Concursos

15 de dezembro de 2017

Nando Reis discorda de gabaritos em prova que usou sua música

Procurado por um fã que prestou o concurso, ele deu interpretações diferentes daquelas apontadas pela banca.

O cantor e compositor Nando Reis discordou das alternativas apontadas como corretas em um concurso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que usou como tema a sua letra da música "Vou te encontrar". Procurado por um fã que prestou o concurso, ele deu interpretações diferentes daquelas apontadas pela banca.

A prova foi realizada no domingo (10). A música, cantada por Paulo Miklos, foi base para todas as 20 questões da área de língua portuguesa na prova objetiva.

Em uma das questões, de número 17, o exame perguntou: "Em “Vivo, como você quer”, a alternativa que contém o significado mais adequado para a palavra destacada é: A) perdurar, B) aproveitar a vida, C) comportar-se em vida, D) sustentar-se, E) morar".

De acordo com o gabarito, a resposta correta é A. Para o cantor, a correta seria a letra D, "embora ache que o verso só poderia ser analisado dentro do contexto da estrofe".

Já a questão de número oito perguntava: "Em “Vou te encontrar… vou te encontrar”, o emprego das reticências indica: A) pausa, B) segurança, C) hesitação, D) certeza, E) reflexão".

De acordo com o gabarito oficial, a resposta correta é a letra C. Para o cantor, a alternativa correta é a letra D. "As reticências NÃO existem na versão original", escreveu Nando. O fã termina a troca de mensagens agradecendo e diz que irá recorrer.

Procurada pelo G1, a UFRJ afirmou que está checando junto à organizadora do concurso os detalhes sobre a aplicação da prova e eventuais considerações após o pronunciamento do cantor.

30 de novembro de 2017

Justiça anula decreto que invalidou concurso público em Barras

A atual gestão do Poder Executivo, valendo-se da capacidade de autotutela da administração pública, havia instituído grupo de trabalho com o objetivo de apurar a legalidade dos atos relativos ao certame instaurado pela administração anterior.

A Justiça determinou, nesta quarta-feira (29), a anulação do decreto que invalidou um concurso público realizado pela Prefeitura do município de Barras.

O juiz Danilo Melo de Sousa, da Vara Única de Barras, é o autor da decisão, que concedeu liminar requerida pelo Ministério Público do Estado do Piauí.

Em setembro, a 2ª Promotoria de Justiça de Barras ajuizou ação civil pública questionando a legalidade e a constitucionalidade do Decreto Municipal n˚ 12/2017, que invalidou o concurso regido pelo Edital n˚ 01/2016, destinado ao provimento de cargos públicos municipais em diversas áreas.

A atual gestão do Poder Executivo, valendo-se da capacidade de autotutela da administração pública, havia instituído grupo de trabalho com o objetivo de apurar a legalidade dos atos relativos ao certame instaurado pela administração anterior.

Concluídos os trabalhos da comissão técnica, o prefeito de Barras, por meio de decreto editado em junho, anulou o concurso público, alegando descumprimento, por parte do antigo gestor, dos dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal relativos às leis orçamentárias e aos limites para gastos com pessoal.

Diante da situação, o Ministério Público instaurou o inquérito civil público n° 19/2017, com objetivo de averiguar a base jurídica do Decreto n°12/2017. E o promotor de Justiça Glécio Paulino Setúbal expediu a recomendação administrativa n° 08/2017-2ª PJB, requerendo ao prefeito de Barras a imediata anulação do disposto.

Contudo, apesar de tomar conhecimento do conteúdo da recomendação do Ministério Público, o gestor municipal não apresentou manifestação dentro do prazo fornecido, informando posteriormente o não atendimento da recomendação expedida, o que tornou necessário o ajuizamento da ação.

“Esse decreto vem gerando situações esdrúxulas de flagrante atentado aos princípios da legalidade, eficiência e moralidade administrativa, pois, além do Decreto n° 12/2017 apresentar vícios quanto à forma, finalidade e motivo, a situação vem causando prejuízos às pessoas aprovadas no certame público, já que até então aguardam nomeação, deixando, também, o Município réu de bem e eficientemente prestar seus serviços públicos através daqueles melhor qualificados para tanto, selecionados via concurso público”, frisou Glécio Setúbal.

Em sua decisão, o juiz também considerou a análise conduzida pelo Tribunal de Contas do Estado, segundo o qual “o decreto n° 12/2017, que anulou o Concurso Público 001/2017 da Prefeitura de Barras, possui vícios quanto ao motivo, à finalidade e à forma, tendo em vista não se coadunar com os princípios da economicidade, da eficiência administrativa e do devido processo legal”.

O relatório de auditoria do TCE endossou os argumentos do Ministério Público.

Foi fixado o prazo de cinco dias para que a administração municipal comprove o cumprimento da decisão, com aplicação de multa diária de R$ 1 mil, incidente sobre o patrimônio pessoal do gestor, em caso de inobservância.

20 de novembro de 2017

Nucepe divulga gabarito oficial da prova do Concurso do Corpo de Bombeiros

Os resultados oficiais da prova escrita objetiva e da prova dissertativa argumentativa deverão ser divulgados, respectivamente, até os dias 05 e 12 de dezembro.

O Nucepe divulgou, no início da tarde desta segunda-feira (20), o gabarito oficial da prova escrita objetiva do concurso do Corpo de Bombeiros do Piauí. Ao todo, são disputadas 110 vagas para o cargo de soldado do Corpo de Bombeiros Militar, sendo 100 para candidatos do gênero masculino e 10 para candidatas do gênero feminino. De acordo com Núcleo de Promoção de Eventos e Concursos da Uespi (Nucepe), a taxa de abstenção do certame foi de 30%, dos mais de 5 mil inscritos.

Nucepe divulga gabarito oficial da prova do Concurso do Corpo de Bombeiros. (Foto: Arquivo O Dia)

Os resultados oficiais da prova escrita objetiva e da prova dissertativa argumentativa deverão ser divulgados, respectivamente, até os dias 05 e 12 de dezembro. O concurso ainda terá outras quatro etapas: exame de saúde (médico e odontológico), teste de aptidão física, exame psicológico e investigação social. Já o resultado final da seleção deverá ser divulgado até o dia 26 de abril de 2018. 

Prova escrita

A prova escrita objetiva foi composta de 60 questões de conhecimentos gerais e específicos, como língua portuguesa, matemática, química, física, noções de informática, legislação institucional e noções de direito. Além da prova objetiva, os candidatos também tiveram que escrever um texto dissertativo argumentativo, com o tema “A preservação dos valores humanos em nosso tempo: um exercício possível?”. 

Confira o gabarito da prova tipo 01  

Confira o gabarito da prova tipo 02 

Confira o edital 

O tema da redação contava ainda com três textos de apoio: um sobre os valores humanos, o outro sobre o caso de uma professora que entrou em luta corporal com o autor do incêndio em uma creche em Goiás e uma ilustração retratando que ninguém está imune à maldade humana.

Em entrevista ao portal O Dia, o coordenador do Nucepe, Pedro Júnior, afirmou que a etapa da prova escrita objetiva foi considerada um sucesso e transcorreu de forma tranquila, sem imprevistos que comprometessem o andamento do certame. “Nós montamos todo um aparato para evitar fraudes e não detectamos nenhuma irregularidade em qualquer dos centros de aplicação”, destaca.

Classificados em concurso da Sejus protestam no Karnak por convocação de 316

Governo pretende iniciar curso de formação com apenas 75 alunos. No entanto, sindicato denuncia condições precárias de trabalho e exige nomeação dos 316 classificados.

Um grupo de classificados no concurso da Secretaria Estadual de Justiça para o cargo de agente penitenciário realizou, na manhã desta segunda-feira (20), uma manifestação em frente ao Palácio de Karnak, para exigir que o curso de formação inclua 316 classificados, e não apenas os 75 primeiros colocados, conforme planeja o Governo.

Segundo José Roberto Pereira, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), a convocação de apenas 75 aprovados corresponde a apenas 

Atualmente, o sistema prisional piauiense conta com aproximadamente 4.500 presos distribuídos em 16 unidades penais, e apenas cerca de 800 agentes penitenciários.

O Sinpoljuspi afirma que o Governo deveria nomear pelo menos mil servidores, para que os problemas observados no sistema fossem atenuados. José Roberto Pereira cita uma resolução de 2009 do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, que determina que seja respeitada a proporção de um agente para cada cinco presos, por plantão.

Além da sobrecarga de trabalho, o Sinpoljuspi denuncia que outros problemas graves continuam existindo no sistema prisional do Piauí, como a superlotação dos presídios e a estrutura precária de boa parte das unidades. 

"O Governo diz o que quer, para enganar o povo, para enganar a sociedade. Nós sabemos que se eles iniciarem o curso de formação apenas com 75 alunos, os demais classificados vão ficar a ver navios", afirma José Roberto.

O sindicalista lembra que quase oito mil pessoas inscreveram-se no concurso da Sejus, o que gerou uma gigantesca arrecadação de recursos para o Governo do Estado. E isso, opina José Roberto, torna ainda mais despudorada a decisão do Governo de convocar apenas 75 aprovados para o curso de formação.

"Nada impede que o estado coloque todos os 316 classificados dentro das unidades prisionais. No entanto, eles usam a Lei de Responsabilidade Fiscal para justificar esse número limitado de convocações. O interessante é que em muitas situações eles não respeitam essa lei, mas quando se trata do sistema penitenciário eles sempre colocam a LRF como um entrave. Mas nós não engolimos isso de jeito nenhum", afirma o presidente do Sinpoljuspi.


José Roberto alerta que os agentes penitenciários vivem num ambiente de trabalho extremamente inóspito e estressante, submetidos de forma permanente a situações que colocam suas vidas em risco. 

Como exemplo ele cita a Casa de Custódia, onde há mais de mil presos e apenas dez agentes penitenciários de plantão. "Naturalmente, nós já vivemos em risco. Mas ainda sofremos ameaças de morte e pressões psicológicas. Isso tudo acarreta danos à saúde física e mental do servidor [...] Para completar, o Governo ainda retirou agentes da Casa de Custódia para colocar na Penitenciária Regional de Campo Maior, que foi inaugurada recentemente. No entanto, a quantidade de presos não diminui, só aumenta", denuncia o sindicalista.

O Sinpoljuspi afirma que já ingressou com uma representação junto ao Ministério Público do Estado, para que os 316 classificados sejam convocados para o curso de formação.

Nikholay Ullianov, um dos classificados no concurso da Sejus, afirma que o Governo está fazendo distinções injustificadas entre o concurso da Polícia Militar e o certame para a nomeação de agentes penitenciários.

"Se nosso concurso teve 316 aprovados, por que o curso de formação vai ter apenas 75? [...] Enquanto isso, o curso de formação da Polícia Militar vai ter 331 alunos, que corresponde a todos os classificados. Além disso, nosso certame é bem mais antigo. O edital do concurso da Sejus foi lançado em agosto de 2016, e o da PM só em março de 2017. Mas as etapas do concurso para policiais foram realizadas com muito mais agilidade que as do nosso. A gente não entende, porque os recursos públicos são os mesmos, e os agentes penitenciários são tão importantes para a segurança pública do estado quanto os PMs", afirma Nikholay.

15 de novembro de 2017

Nucepe divulga cartão de informações do concurso do Corpo de Bombeiros

A prova objetiva acontece no próximo domingo, dia 19 de novembro, no período de 8h30 às 13h30.

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) disponibilizou nesta quarta-feira (15), em seu site, o cartão de informações com os dados dos candidatos inscritos no concurso para o Corpo de Bombeiros Militar do Piauí.

A prova objetiva acontece no próximo domingo, dia 19 de novembro, no período de 8h30 às 13h30. Os portões estarão abertos para ingresso dos candidatos a partir das 7 horas, e serão fechados rigorosamente às 8 horas, conforme estabelece o edital do certame.

Remuneração inicial para soldado do Corpo de Bombeiros é de R$ 3.100 (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

O Nucepe reforça que nenhum atraso será tolerado, e chama atenção dos candidatos inscritos no certame para que eles se abstenham de levar para os locais de provas objetos como capacetes, óculos esporte, relógios, aparelhos de telefone celular, bolsas ou qualquer outro equipamento, especialmente eletrônicos. A entrada nos locais de aplicação das provas com quaisquer desses objetos está vetada.

“Insistimos para que os candidatos observem o que está no edital. Se chegar atrasado ao local de prova, não entra. Se levar qualquer objeto, não entra com ele. Só é permitido ao candidato portar na hora de ingressar no local de prova uma caneta esferográfica azul ou preta, transparente e o documento de identificação que tem que ser original e com foto”, lembra o presidente do Nucepe, Pedro Soares Junior.

A entrada com garrafas de água só será permitida se elas forem transparentes e estiverem sem o lacre. Garrafas opacas também não serão permitidas.

Já alimentos como frutas ou biscoitos devem ser guardados em saquinhos transparentes.

O concurso oferece 110 vagas, sendo 100 vagas para soldado masculino e 10 para soldado feminino. Os candidatos precisam ter ensino médio completo ou equivalente.

Além da prova objetiva (de caráter  classificatório e habilitatório), o concurso terá outras quatro etapas: exame de saúde, teste de aptidão física, exame psicológico e investigação social (estas quatro últimas apenas de caráter habilitatório).

A remuneração inicial para o cargo de soldado do Corpo de Bombeiros Militar é de R$ 3.100.  

Veja o edital. 

08 de novembro de 2017

149 vagas não são preenchidas no concurso da Polícia Militar do Piauí

Ao todo, foram oferecidas 480 vagas, mas apenas 331 candidatos foram aprovados. Resultado final do certame foi anunciado hoje; veja lista

Foi divulgado nesta quarta-feira (8) o resultado final do concurso para o cargo de soldado da Polícia Militar do Piauí. Após muitas polêmicas, o certame foi concluído com 331 aprovados. Ao todo, foram oferecidas 480 vagas, mas com as eliminações no exame de aptidão física e no exame psicológico 149 vagas acabaram não sendo preenchidas.

Segundo Pedro Soares, presidente do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), muitos candidatos se preparam para a prova objetiva, mas descuidaram do treinamento físico.

Lista de aprovados. 

Subcomandante afirmou que há a possibilidade de um novo concurso ser realizado já no próximo ano (Foto: Moura Alves / O DIA)

Bárbara Melo, reitora em exercício da Uespi, participou da coletiva de imprensa realizada na Quartel do Comando Geral (Foto: Moura Alves / O DIA)

"Foram mais de 32 mil inscritos para 400 vagas, e foram aprovados 331 [candidatos]. Há dois vieses para essa questão. O primeiro deles realmente é o grau de complexidade do concurso. É um concurso que envolve cinco etapas, e em cada uma dessas etapas alguns candidatos vão ficando fora. Além disso, é bom lembrar que a primeira etapa do concurso foi reaplicada. Houve uma tentativa de fraude, que foi detectada e abortada, mas em nome da lisura e da transparência, o Nucepe e a Polícia Militar resolveram reaplicar. Mas a gente atribui, principalmente, ao grau de complexidade. Nós selecionamos muito bem essas pessoas que vão cuidar da segurança do nosso estado. É um concurso que não é fácil", afirmou a professora Bárbara Melo, reitora em exercício da Uespi, que foi quem fez a leitura dos nomes dos primeiros colocados - homem e mulher - para cada um dos batalhões.

A reitora também comentou os casos de alguns candidatos que não conseguem ser aprovados em alguma das etapas de concursos realizados pelas Polícias, mas acabam conseguindo ingressar nas corporações graças a decisões judiciais, como ocorreu com o capitão Alisson Wattson, que é acusado de matar a namorada, Camila Abreu, desaparecida no dia 25 de outubro, e cujo corpo foi achado no dia 31.

"A gente obedece as decisões judiciais, mas o exame psicológico é muito importante. Tanto que, agora, a nossa briosa Polícia Militar, passa por essa situação constrangedora, de ter tido um capitão envolvido num crime de feminicídio. Então, eu acho que isso é um alerta para todos nós. Se tem uma banca técnica qualificada num concurso como esse, as questões judiciais devem ser muito bem estudadas e analisadas. A gente não pode afirmar com precisão que este capitão não cometeria esse crime se tivesse sido aprovado no exame psicológico. Mas, com certeza, é um aspecto a ser considerado. Se não houver nenhuma evidência de que o exame psicológico foi falho, ele não deve ser questionado", opina Bárbara Melo.

Lindomar Castilho, subcomandante da PM-PI (Foto: Moura Alves / O DIA)

O tenente coronel John Feitosa, chefe do setor de Relações Públicas da PM-PI, informou que o comandante-geral Carlos Augusto retorna ao Piauí nesta sexta-feira (10), após participar de um encontro de comandantes em outro estado, e deve tratar sobre o certame com o chefe do Executivo. “Ele vai conversar com o governador Wellington Dias para definir a data da homologação do concurso”, disse Feitosa.

Segundo o coronel Lindomar Castilho, subcomandante da PM-PI, a previsão é de que o curso de formação inicie entre dezembro e janeiro, e que os policiais estejam nas ruas a partir do segundo semestre de 2018. "Trabalhamos com a hipótese de estar com esses policiais formados no mês de maio ou junho. E a tradição é que o governador nomeie todos de uma vez", afirma Castilho.

Novo concurso - O coronel também afirmou que um novo concurso pode ser realizado no próximo ano, tendo em vista que este certame não conseguiu preencher todas as vagas ofertadas no edital. "Há uma possibilidade. Isso vai ser discutido pelo governador com o nosso comandante, para ver se é possível fazer outro concurso no próximo ano", afirmou.

Caso 'Camila Abreu'

O subcomandante da PM-PI também falou sobre a situação do capitão Alisson Wattson, que segue preso num quartel da corporação, por ter assassinado a namorada, Camila Abreu.

Segundo Lindomar, foi formado um Conselho de Justificação que irá julgar administrativamente o capitão, para decidir se ele será ou não expulso da PM-PI.

"Esse conselho é composto por um coronel, um tenente-coronel e por um major. O coronel é o presidente, o tenente-coronel é o interrogante e relator do conselho, e o escrivão é o major. São todos oficiais superiores da PM, e também com posto superior ao do acusado. Eles vão se reunir para analisar as provas, a documentação e para ouvir as pessoas envolvidas nesse caso", explica Lindomar Castilho.


06 de novembro de 2017

Prefeitura de Oeiras convoca 09 aprovados em concurso público

Os aprovados devem comparecer à sede da Prefeitura Municipal, no centro de Oeiras, no período de 20 a 24 de novembro de 2017

O prefeito José Raimundo autorizou a convocação de nove aprovados no concurso público realizado pela Prefeitura de Oeiras em 2014. Os convocados deverão ocupar funções de técnico agrícola, auxiliar administrativo, agente administrativo e um turismólogo.

Os aprovados devem comparecer à sede da Prefeitura Municipal, situada na Praça das Vitórias, 37, no centro de Oeiras, no período de 20 a 24 de novembro de 2017, munidos da documentação citada no edital.

A solenidade de nomeação dos candidatos habilitados, que comparecerem no período estipulado, será marcada após a entrega da documentação.

Confira os convocados:

CARGO: TÉCNICO AGRÍCOLA – Secretaria Municipal da Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente

Francisco das Chagas dos Santos Carvalho – Inscrição 3.360

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO – Secretaria Municipal de Assistência Social

Maria Luzilene Silva da Costa – Inscrição 3.036

Francisco Ramos de Aquino – Inscrição 1.474

CARGO: AGENTE ADMINISTRATIVO – Secretaria Municipal de Assistência Social

Vanessa Ferreira da Silva – Inscrição 1.980

Jonas Gonçalves de Moura – Inscrição 1.198

Luiz Henrique Barbosa Nunes – Inscrição 1.172

Herlandio Andrade Silva – Inscrição 3.714

Francildo Miranda Vieira – Inscrição 3.550

CARGO: TURISMÓLOGO – Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

Luziane Barroso de Moura Sousa – Inscrição 580

Abertas inscrições de concurso para professor efetivo da UESPI

São 197 vagas distribuídas em 26 áreas do quadro de docente efetivo. As inscrições devem ser feitas no site

Estão abertas as inscrições do Concurso Público para o provimento de 197 vagas distribuídas em 26 áreas do quadro de docente efetivo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). As inscrições devem ser feitas no site do Núcleo de Concursos e Promoções e Eventos (NUCEPE) e seguem até o dia sete de dezembro. O salário varia de R$ 1.686,82 a R$ 7.590,70.

Os cargos de docente efetivo da UESPI para este Concurso, compreenderão as Classes: Professor Auxiliar (Especialista), Professor Assistente (Mestre) e Professor Adjunto (Doutor). Os docentes admitidos pela seleção serão submetidos aos regimes de trabalho Tempo Parcial (20 horas) ou Tempo Integral (40 horas).

No ato da inscrição, o candidato deverá optar expressamente pela Área, Cargo, Classe e Regime de Trabalho ao qual pretende concorrer. A taxa de inscrição é de R$100,00 (cem reais) para a Classe de Professor Auxiliar; R$150,00 (cento e cinquenta reais) para a classe de Professor Assistente; e R$ 180,00 (cento e oitenta reais) para a classe de Professor Adjunto.

O candidato deverá enviar via SEDEX ou entregar presencialmente a documentação comprobatória de sua adequação ao perfil exigido para o cargo, de acordo com a classe para a qual se inscreveu, até às 13h do dia 07 de dezembro. A entrega da documentação deverá ser feita no Posto de Atendimento do NUCEPE (próximo ao Anfiteatro do Centro de Ciências da Natureza, Campus Poeta Torquato Neto), enquanto que a opção de envio via SEDEX deverá ser feito para a Sede do NUCEPE, localizados na Rua João Cabral, nº 2231/Norte, CEP: 64.002-150, Bairro Pirajá, Teresina.

O concurso público compreenderá as seguintes etapas: a) prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório, com peso 5 (cinco); b) prova didática, de caráter eliminatório e classificatório, com peso 4 (quatro) e; c) prova de Títulos, de caráter classificatório, com peso 1 (um).


27 de outubro de 2017

Uespi lança edital para concurso de professor; inscrições começam dia 6

A prova escrita acontecerá no dia 28 de janeiro. Uespi quer professores em sala de aula no segundo semestre de 2018; veja o edital

Está lançado o edital do concurso que vai ofertar 197 vagas para professor efetivo da Universidade Estadual do Piauí. A solenidade aconteceu na manhã desta sexta-feira (27), no gabinete da reitoria do Palácio Pirajá. As inscrições para o certame começam no dia seis de novembro e vão até o dia 7 de dezembro. A prova escrita acontecerá no dia 28 de janeiro. O edital prevê ainda a prova didática e de títulos.


Ailma do Nascimento, presidente da Comissão Geral do Concurso para Docente Efetivo da Uespi (Foto: Andrê Nascimento/ODIA)

Segundo a presidente da Comissão Geral do Concurso para Docente Efetivo da Uespi e pró-reitora Ailma do Nascimento, a expectativa é de que todas as etapas do concurso estejam concluídas até o dia 18 de abril, aguardando apenas a homologação. “No segundo semestre de 2018, queremos esses professores já em sala de aula”, afirmou.

O concurso oferece vagas para todas as 26 áreas, com exceção do Centro de Ciências da Saúde em Teresina. Serão 182 professores contratados com 40 horas e 15 com 20 horas. “Embora esse número não seja suficiente para suprir todas as carências da Uespi, já vãos conseguir formar o Núcleo Docente Estruturante (NDE) de todos os cursos”, comemora Ailma.

O NDE é uma exigência constitucional que obriga os cursos a terem pelo menos cinco professores efetivos. Segundo a reitora em exercício Bárbara Melo, sem o Núcleo, os cursos ficam denegados, ou seja, recebem um prazo para se regularizar e, até que isso aconteça, ficam impedidos de ofertar novas vagas. Alguns dos cursos que não tinham o NDE completo estavam sem receber novos alunos desde o ano de 2015. "A realidade da Uespi hoje é de ausência desse número mínimo por curso. Agora, cada curso terá pelo menos seis professores efetivos," disse a Bárbara Melo. 


Edital 

Quadro de vagas por área 

Cronograma 


Pelo menos 13 cursos, distribuídos em diversos campi da Uespi pelo estado, apresentavam essa deficiência. A maioria dos cursos que estavam impedidos de ofertar vagas ficam em campi no interior do Piauí. "Em Oeiras, por exemplo, os cursos de Matemática, Pedagogia e Letras estão sem o número mínimo. Em Teresina, só o curso de Matemática do Campus Clóvis Moura", comenta a professora Bárbara.

22 de outubro de 2017

Futuros servidores largam emprego atual para se dedicar somente aos concursos

Com a crise na segurança pública, muitos concurseiros têm optado pela carreira policial, como modo de ajudar a diminuir os índices de violência no país

O perfil dos futuros servidores públicos é formado geralmente por jovens que sonham com a estabilidade financeira alcançada através da aprovação em um concurso público. Para isso, eles estão dispostos a largar os empregos na iniciativa privada e investir tempo e dinheiro.

Alynne Teixeira é formada em pedagogia, e conta que desistiu do trabalho para se dedicar integralmente aos estudos. Participando de seleções há 10 anos, a concurseira está desempregada há três meses e, durante esse tempo, dedica pelo menos 6 horas por dia para estudar.

Insatisfeita com o trabalho de professora temporária, Alynne decidiu prestar concursos para tentar mudar de vida. Para ela, ter um trabalho fixo e ter sua independência financeira é um sonho que pretende alcançar. “Eu quero parar de depender do dinheiro do meu pai, então eu prometi que, se eu passar, vou trabalhar na empresa e no outro horário vou trabalhar voluntariamente em alguma instituição de caridade”, diz esperançosa.


Alyne Teixeira estava insatisfeita com o trabalho e agora se dedica somente aos estudos para concurso (Foto: Jailson Soares/ODIA)

A advogada Arianne Vieira decidiu abandonar o trabalho para se dedicar somente aos estudos. Ela conta que há dois meses se dedica apenas a estudar para concurso. A decisão foi motivada pela estabilidade financeira do serviço público, bem como a previsão de abertura de editais para concursos na área do direito nos próximos meses.

Segundo o professor e coordenador de um curso preparatório, Álysson Nunes, além de se estabilizar financeiramente, os candidatos também pretendem mudar a realidade do serviço público no país, em especial na área de segurança pública. Por isso, os concursos mais procurados são da carreira policial. "Com a crise na segurança pública, os concurseiros almejam contribuir para a diminuição dos índices de violência no país, através do trabalho realizado na área ostensiva e investigativa. Muita gente está se preparando para concursos para policial militar, agente ou delegado da Polícia Civil”, destaca o professor.


Leia também: 
Lei que aprova demissão de servidor público gera debates na sociedade 

Arianne confirma a análise de Álysson Nunes e destaca que pretende contribuir para com que o serviço público seja eficiente. “Eu quero servir ao público, mas, além disso, percebi que quero uma mudança em relação ao tratamento dado ao público e aos advogados”, declara.

Preparação

Para o professor Álysson Nunes, não existe um tempo ideal de estudo. Tudo depende da disponibilidade do concurseiro. O importante é que o candidato aproveite o tempo máximo que puder. Além disso, o curso preparatório presencial é uma boa opção para quem quer ter informações direcionadas e para manter uma rotina de estudos, em especial para quem terminou os estudos formais há mais tempo. 

Muitos alunos procuram o preparatório não só pela questão do conteúdo, mas para também para receber o apoio, e ter motivação através das outras pessoas que estão estudando. "É bom pra eles conversar com os professores, porque, às vezes, as pessoas em casa não encontram isso, principalmente em uma família que nunca estudou para um concurso público e não entende que, apesar de estar em casa, essa pessoa está fazendo uma atividade que é tão custosa quanto trabalhar”, destaca.


Álysson Nunes, professor e coordenador de preparatório para concurso público (Foto: Jailson Soares/ODIA)

A concurseira Alynne Teixeira, além de estudar em casa, faz um curso preparatório na zona Leste de Teresina, e afirma que, mesmo quando não tem aula, estuda na biblioteca do cursinho. “Estudar aqui é melhor do que em casa, porque em casa a campainha toca, ou alguém vem falar comigo e acaba me distraindo. No curso eu posso me dedicar melhor”, relata.

A advogada Arianne Vieira conta que a sua rotina de estudos é intensa. Pela manhã ela estuda em casa e, durante a tarde e a noite, assiste aula no curso preparatório para concursos. Os estudos não param nem aos fins de semana. “É dedicação total. Eu larguei o meu emprego e investi todo o dinheiro em concurso”, afirma. 


Arianne Vieira é advogada e diz que quer contribuir para a eficiência do serviço público (Foto: Jaison Soares/ODIA)

Sobre os momentos de lazer, a concurseira destaca que as saídas com os amigos e com a família ainda são frequentes, mas dentro de um limite. “Não posso extrapolar e ficar debilitada no outro dia”, completa.

Álysson Nunes defende que o ritmo de um concurseiro é o mesmo de um vestibulando, porém com alguns desafios adicionais. “Geralmente o vestibulando é sustentado pelos pais, tem um suporte em casa, não tem que se preocupar em sustentar a família. Já o concurseiro está se sustentando, tem que se preocupar em sustentar a família, e acaba tendo que passar por umas provações pessoais. Então, o psicológico tem que ser mais forte”, conclui.


26 de setembro de 2017

MPF quer garantir nomeação de aprovados em concurso do Ministério da Saúde

Ação civil pública pede que Justiça obrigue o afastamento de profissionais contratados temporariamente, mas que exercem atividades típicas de servidores públicos.

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (DF) enviou à Justiça Federal ação civil pública com pedido de liminar para que o Ministério da Saúde (MS) seja obrigado a afastar os profissionais com contratos precários, que atualmente trabalham em três setores da pasta. Trata-se das Secretarias de Atenção à Saúde (SAS), de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) e de Vigilância em Saúde (SVS). Os funcionários são consultores e bolsistas contratados por meio de organismos internacionais, fundações de apoio ou universidades federais e vêm desempenhando atividades próprias de servidores concursados. Eles têm seus vínculos renovados continuamente, contrariando, assim, a natureza do contrato de trabalho por período de tempo limitado.

Clique aqui para ver a íntegra da ação. 

Segundo o MPF, essa realidade está impedindo a nomeação de candidatos em lista de espera do concurso realizado em 2014 para os cargos da carreira de desenvolvimento tecnológico. Por isso, outro pedido feito na ação é para que o MS seja obrigado a tomar providências no sentido de nomear as pessoas aprovadas no certame.

Resultado de um inquérito civil instaurado para apurar a contratação de bolsistas e consultores pelo MS, a ação apresenta dados que foram colhidos ao longo das investigações que confirmam irregularidades. As contratações precárias devem ter caráter específico, temporário e não regular. Além disso, considerando o caráter restrito das atividades dos consultores e bolsistas, não há necessidade de se determinar carga horária, posto fixo de trabalho, expediente ou rotina que estabeleça vínculo com a administração pública, ou subordinação jurídica e hierárquica aos gestores do MS.

No entanto, o Ministério Público, com as informações reunidas durante a apuração, constatou uma realidade oposta: permanência de contratados, “projetos de pesquisa” e “produtos” que não demandam conhecimento técnico além daqueles exigidos pelo concurso, além de subordinação hierárquica. Para o MPF, os profissionais contratados praticam, dia a dia, nas secretarias, atividades próprias de servidores concursados, “ao arrepio da lei”.

Na ação, o procurador da República Carlos Bruno Ferreira da Silva lista uma série de provas que reforçam o fato de que os consultores e bolsistas desempenham funções que deveriam ser executadas por concursados, integrantes do quadro de pessoal do MS. Entre as evidências está a informação de que os próprios contratados declaram em seus currículos da plataforma Lattes do CNPQ carga horária de 30 e até 40 horas ou regime de dedicação exclusiva no Ministério da Saúde. Os profissionais também se apresentam como responsáveis por análises de mérito de projetos de solicitação de recursos financeiros junto ao MS, por aprovação e gestão de convênios, por análise de propostas orçamentárias e por aquisição de insumos.

Também chama a atenção do MPF a constatação de que os consultores têm acesso a sistemas do Ministério da Saúde que possuem informações sensíveis, como, por exemplo, a plataforma de Processo Eletrônico de Compras, que serve para aquisição de medicamentos, o que, em tese, deveria ser feito apenas por servidores públicos com vínculo com a Administração.

Outra inconsistência verificada pelo Ministério Público é que os terceirizados prestam assessoria, representação e assistência a autoridades da pasta em eventos, o que não se enquadra nas hipóteses descritas pela legislação, pois não podem ser consideradas “produto”. Além disso, foi verificado que os profissionais frequentam cursos e treinamento.

Segundo o MPF, a participação dos consultores em eventos de capacitação é “incompatível com a finalidade da própria contratação, que é justamente selecionar profissionais que já tenham especialização e capacidade técnica, a fim de que venham a transmitir seus conhecimentos aos servidores do quadro do Ministério da Saúde e, assim, aprimorar a execução da política de treinamento e aperfeiçoamento de pessoal". Diante disso, o MPF também pede, na ação, que o MS deixe de autorizar os consultores e bolsistas a realizar, no Brasil ou no exterior, atividades de assessoria a autoridades em reuniões, cursos ou atividades de representação de quaisquer órgãos da pasta em eventos.

A investigação também revelou que atualmente, nas três secretarias, existem pelo menos de 118 bolsistas e/ou consultores, sendo que há 245 candidatos aprovados e ainda não nomeados em concurso público. Constatou, ainda, que há contratados trabalhando nas secretarias e que constam da lista de aprovados. “Sabe-se que todos os órgãos públicos enfrentam, de maneira geral, dificuldades na ampliação de seu quadro funcional, em vista de restrições orçamentárias e legais. No entanto, o Ministério da Saúde continua firmando contratos com diversos “terceirizados” (consultores / bolsistas), bem como continua renovando com os próprios aprovados durante o período de vigência do concurso, em vez de prosseguir com a nomeação dos candidatos”, ressalta o procurador Carlos Bruno, completando que há casos de profissionais que tem contratos renovados continuamente desde o ano de 2005.

Sobre a convocação dos aprovados, o Ministério Público sustenta que o Supremo Tribunal Federal já decidiu que a ocupação precária, por comissão ou terceirização, de atribuições próprias do exercício de cargo efetivo vago, para o qual há candidatos aprovados em concurso público vigente, equivale à preterição da ordem de classificação do certame, caracterizando o direito à nomeação.

Em relação ao pedido de urgência no caso, o MPF sustenta que "o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo está caracterizado pela possibilidade da perpetuação da situação de ilegalidade e instabilidade jurídica que vigora nas Secretarias SAS, SVS e SCTIE. O quadro é uma afronta à Constituição Federal e gera evidente risco ao interesse público, razão pela qual essa situação merece urgente saneamento”.

Outra demanda que consta da ação é que o MS apresente uma lista de todos os consultores e bolsistas contratados, com as respectivas funções. O MPF também pede que o Ministério seja obrigado a organizar concurso para preenchimento de cargos de acordo com especialidades e perfis necessários à completa substituição de consultores e bolsistas irregularmente em desempenho de atividades típicas da Administração Pública Federal nas três secretarias.  

Sejus divulga resultado final de concurso para agente; veja a lista

Sejus anunciou que vai chamar inicialmente, em janeiro de 2018, apenas 75 aprovados no concurso de um total de 316. Anúncio gerou protestos dos aprovados.

O anúncio do resultado final do concurso para agentes penitenciários, feito nesta terça-feira (26) no Palácio de Karnak, foi marcado por protestos por parte dos classificados, depois que o secretário de Justiça Daniel Oliveira, informou que o Estado vai convocar somente os 75 primeiros aprovados em janeiro do ano que vem. O número corresponde a apenas um quarto dos 316 candidatos que passaram no certame.

Estiveram presentes na solenidade, além do secretário de Justiça, a vice-governadora, Margarete Coelho, o secretário de Governo, Merlong Solano; o reitor da Uespi, Nouga Cardoso, e o coordenador do Nucepe, Pedro Soares. Durante a fala da vice-governadora, os aprovados no concurso ergueram uma faixa preta com os dizeres "Curso de formação com todos os aprovados nomeados já!”. Eles pedem a convocação imediata de todos os 316 classificados com o início do curso de formação.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

“Chamar 75 pessoas para fazer um curso não chega nem perto da demanda que o Estado tem atualmente, sem falar que já havia sido prometido que o curso de formação seria feito com todos e que 100 pessoas seriam nomeadas ainda esse ano. Cadê a palavra? A gente faz esse concurso há mais de um ano, ele foi fraudado, fizemos uma segunda prova e agora temos que esperar até não sei quando para sermos chamados. O sistema está em greve e tratam como se nada estivesse acontecendo”, pontuou Talita Kamache, aprovada no certame.

A vice-governadora afirmou entender os protestos do aprovados, mas alegou que o Piauí está com as contas públicas no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e não pode se comprometer com algo que não terá como honrar depois. Margarete Coelho acrescentou ainda que tanto a Sejus quanto o Governo têm feito o possível para solucionar os impasses no sistema prisional do Estado e que o anúncio dos aprovados no concurso já pode ser considerado um primeiro passo.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

O secretário de Justiça, por sua vez, explicou que o planejamento do curso de formação deverá ser lançado em novembro ou dezembro, no mais tardar,  e que é uma etapa que exige organização e consonância com as finanças do Estado, por isso a demora no anúncio da data de início das turmas.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Classificados

A candidata que passou em primeiro lugar no certame foi Danielle do Nascimento Mota Amaral, que fez 137,5 pontos.  Veja a lista dos classificados. 

Avaliação

Mesmo com a primeira etapa – a prova escrita – tendo sido anulada no começo deste ano após a descoberta de fraudes, o Nucepe avalia a execução do concurso para agentes penitenciário como positiva. Para o coordenador do Núcleo, Pedro Soares, os imprevistos foram devidamente contornados e o anúncio dos classificados mostra isso. Com relação às medidas de segurança adotadas para a realização do certame, Pedro pontuou: “Estamos investindo mais em provas dissertativas, já que as fraudes geralmente envolvem gabaritos de provas objetivas. Então além do exame com questões de múltipla escolha, o Nucepe vem incluindo também as dissertações. É uma forma de aprimorar a filtragem daqueles que estão aptos para assumir o serviço público”. 


Aguarde mais informações.

01 de agosto de 2017

Abertas inscrições para processo seletivo do Ceir; veja o edital

Os interessados têm até o dia 9 de agosto para realizarem a inscrição no processo seletivo da instituição.

Os interessados em se candidatar a uma vaga no cadastro reserva do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) têm até o dia 9 de agosto para realizarem a inscrição no processo seletivo da instituição.

Podem se inscrever profissionais das áreas de terapia ocupacional, médico neuropediatra, musicoterapia, fonoaudiologia/audiologia, serviço social, fisioterapia (adulto), artes, enfermagem, educação física e fisioterapia aquática/hidroterapia, que comprovem as exigências estabelecidas no edital.

O candidato deve baixar o formulário de inscrição no site www.reabilitar.org.br e entregá-lo juntamente com o currículo na sede da Associação Reabilitar, organização social que administra o Ceir, após realizar o pagamento da taxa de R$ 60,00, por depósito identificado ou transferência bancária.



O resultado da primeira etapa do processo seletivo, que é a avaliação do currículo, será divulgado no dia 15 deste mês. As etapas seguintes serão a prova escrita objetiva, no dia 19; e as entrevistas, do dia 28 de agosto a 6 de setembro. O resultado final sairá no dia 10 de setembro.

Os profissionais selecionados serão contratados pela Associação Reabilitar, conforme a demanda do Ceir. O processo seletivo tem a validade de dois anos, podendo haver prorrogação do período.

O Ceir é um Centro Especializado em Reabilitação (CER), do tipo III, habilitado pelo Ministério da Saúde para atender as deficiências físico-motoras, auditivas e intelectuais. E está em expansão para o atendimento da deficiência visual.




25 de julho de 2017

Primeiro colocado no concurso da PM fez 76 pontos; veja lista de aprovados

Polícia Civil vai auxiliar PM-PI no processo de investigação da vida pregressa dos classificados.

O secretário de Segurança Pública do estado, capitão Fábio Abreu, afirmou na manhã desta terça-feira (25) que a etapa de investigação social dos candidatos classificados no concurso da Polícia Militar será uma das mais importantes, e será feita de forma minuciosa, de maneira a evitar que pessoas com "manchas na vida pregressa" ingressem na corporação.

Divulgação do resultado foi feita durante coletiva de imprensa na reitoria da Uespi (Foto: Moura Alves / O DIA)

A Polícia Civil vai auxiliar a PM nesse trabalho de investigação social.

O resultado da primeira etapa do concurso, correspondente às provas objetivas, foi divulgado hoje pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

Duas questões da prova foram anuladas, e o primeiro candidato fez 76 pontos, de 80 possíveis - o que corresponde a 95% das questões respondidas corretamente.

O nome do candidato com maior pontuação é Haendel Pontes Veloso, que se inscreveu para atuar na cidade de Parnaíba.

Clique aqui para ver a lista de classificados. Ou veja ao final desta matéria.

Pedro Soares, presidente do Nucepe, afirmou que a próxima etapa acontecerá entre os dias 8 e 14 de agosto. 

Ainda de acordo com Fábio Abreu, além dos 400 candidatos convocados inicialmente, conforme previsto no edital do certame, ainda será formado um cadastro de reserva com 80 classificados.

A previsão é que ainda no primeiro semestre de 2018 os novos policiais militares já comecem a atuar, após concluírem o curso de formação, que deve iniciar em novembro deste ano.

O coronel Carlos Augusto Gomes de Souza, comandante-geral da PM-PI, garantiu que todos os 400 aprovados no concurso público serão convocados imediatamente, assim que todas as etapas forem concluídas e o resultado final, homologado.

O secretário Fábio Abreu afirmou que a intenção do Governo era ofertar mais vagas, além das 400, e formar um cadastro de reserva maior. No entanto, segundo ele, isso não foi possível por conta da atual conjuntura econômica em que o país e o estado se encontram.

Por conta da crise e da necessidade de contenção de despesas com pessoal, ainda não é possível afirmar sequer se os outros 80 classificados serão convocados no prazo de validade do certame.

O reitor da Universidade Estadual do Piauí, Nouga Cardoso, disse que a primeira etapa foi um sucesso, e não houve comprovação de qualquer fraude que comprometa a lisura do concurso.

"Acredito nas forças de segurança, no Ministério Público e nas investigações da Polícia Civil, que não encontraram nenhum indício que comprometa o resultado dessa fase", afirmou Nouga.

22 de julho de 2017

Concursos e testes seletivos oferecem 83 vagas no Piauí, veja salários

A diferença entre as duas formas de seleção é que o concurso garante um cargo efetivo e o processo seletivo é temporário

Três municípios do Piauí estão com vagas abertas para concurso público ou processo seletivo. A diferença entre as duas formas de seleção é que o concurso garante um cargo efetivo e o processo seletivo é temporário. Ao todo, são ofertadas 83 vagas para os níveis fundamental, médio e superior, com salários que vão de R$ 937,00 a R$ 10 mil.

No município de Piracuruca, o concurso público é para preencher 33 vagas, mas os salários não são atrativos. Os profissionais de nível superior, como assistente social, biomédico, farmacêutico bioquímico, enfermeiro, fonoaudiólogo, médico, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional, dentista, veterinário, bibliotecário, educador físico e professor ensino fundamental vão ganhar entre R$ 1.060 e R$ 1.149. Já para os candidatos de nível médio e técnico há vagas para agente de endemias, agente de trânsito e auxiliar de consultório dentário, com salário de R$ 937,00.

As inscrições já começaram e ficam abertas até o dia 11 de agosto. Todos os candidatos passarão por provas objetivas, que serão aplicadas no dia 3 de setembro de 2017. Veja o edital.

No município de São Francisco de Assis do Piauí, o processo seletivo simplificado disponibilizou 33 vagas. De nível fundamental, a oportunidade é para recepcionista, com salário de R$ 937. De nível médio serão contratados professores, técnico em enfermagem e auxiliar de Saúde Bucal. Os salários variam de R$ 950 a R$ 1.015,48. Para nível superior, as vagas são destinadas a médicos, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais, professores e educadores físicos. Os salários oferecidos vão de R$ 1.015,48 a R$ 10 mil

As inscrições ficam abertas até o dia 31 de julho de 2017. A previsão é de que as provas sejam aplicadas no dia 10 de setembro de 2017. Veja o edital.

O terceiro município que abriu vagas para seleção foi Floresta do Piauí, com a finalidade de preencher 17 vagas. As oportunidades são para os cargos de motorista; agente de combate às endemias epidemiológicas; técnico de enfermagem; assistente social; nutricionista; fisioterapeuta; psicólogo; fonoaudiólogo; médico; dentista e arquiteto. Os salários variam de R$ 937 a R$ 9 mil

As inscrições começaram no dia 20 de julho e vão até 7 de agosto. A prova será aplicada no dia 20 de agosto. Veja edital.

Governo antecipa cronograma de concurso dos policias militares

Com as novas datas, o resultado final do certame será divulgado no dia 8 de novembro Com as alterações e os aprovados devem iniciar o curso de formação ainda neste ano, e não mais apenas em 2018

A Secretaria de Administração e Previdência (SeadPrev), juntamente com a Polícia Militar do Piauí alterou o cronograma do concurso de admissão de novos policiais militares. Com as novas datas, o resultado final do certame será divulgado no dia 8 de novembro, o que estava previsto anteriormente para o dia 22 de dezembro. A medida foi divulgada nesta sexta-feira (21) no Diário Oficial e visa substituir o efetivo que irá se aposentar. 

Dividido em cinco etapas, a antecipação do resultado altera a maioria das datas. A realização dos exames médicos e odontológicos serão entre os dias 8 e 14 de agosto, o que antes estava previsto para 14 e 17. Já o exame psicológico ocorrerá em 24 de setembro. A investigação social, a última etapa do concurso, passou para outro, dos dias 17 a 23. A realização do teste de aptidão ganhou mais três dias, 

Além disso, a portaria ainda altera o item que corresponde ao teste de aptidão físico, acrescentando mais dois dias nesta etapa para “esclarecer o processamento de aplicação do teste”. O teste, que equivale a 3ª etapa do concurso, terá início em 28 de agosto e segue até 3 de setembro. 

Com as alterações, os aprovados devem iniciar o curso de formação ainda neste ano, e não mais apenas em 2018. Ainda segundo a portaria, os demais artigos do Edital mantém-se inalterados.

10 de julho de 2017

Polícia divulga nomes de autuados por tentativa de fraude a concurso

Os autuados são dos estados de Pernambuco, Bahia, Ceará, Maranhão e Pará. Sete continuam presos porque também foram autuados por formação de quadrilha.

A Polícia Civil divulgou os nomes dos 15 presos em flagrante por tentarem fraudar o concurso da Polícia Militar. A prova foi aplicada neste domingo (9) pela segunda vez, devido ao esquema descoberto na aplicação anterior. Os autuados são dos estados de Pernambuco, Bahia, Ceará, Maranhão e Pará.

Segundo o delegado Kleydson Ferreira, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), oito presos pagaram fiança e foram liberados, pois foram autuados apenas por tentativa de fraude a concurso. “Os outros sete continuam presos porque também foram autuados por associação criminosa, tendo em vista que eles vinham mantendo contato antes da realização da prova. Agora eles passarão pela audiência de custódia”, afirmou o delegado.

A Polícia Civil reforça que não houve vazamento de questões da prova nem do gabarito oficial, sendo desnecessário, portanto, anular a aplicação, como ocorreu da primeira vez.

Um dos candidatos, chegou a ser flagrado com um gabarito, mas não se tratava das respostas oficiais do certame. "Só havia coincidência com o gabarito oficial em duas questões", detalha Kleydson.

Segundo o delegado, todos os candidatos presos estavam portando celulares e tinham o propósito de fraudar o certame. O edital do concurso proibia que candidatos levassem celulares para os locais de aplicação.

"Só foram presas as pessoas que, comprovadamente, pretendiam utilizar os celulares para fraudar o concurso. Quem levou seu aparelho mas não tinha má fé foi apenas impedido de realizar a prova", explica o delegado.

Esse é o quinto concurso investigado pela Polícia do Piauí devido a fraudes ou tentativas de fraude. Operações já foram deflagradas envolvendo os certames da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, da Secretaria de Justiça (agentes penitenciários) e do Tribunal de Justiça.

Ainda segundo Kleydson, a Polícia Civil do Piauí mantém contato constante com as Polícias de outros estados com o propósito de identificar candidatos que já tenham sido presos por tentativas de fraudes a outros certames aplicados no país.

Atrasados pularam muro

Alguns candidatos que se atrasaram foram flagrados pulando os muros de locais de aplicação. Eles foram colocados para fora, mas não foram presos.