• Patrimônio 10/17
  • Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Art/Gente

21 de outubro de 2017

Elisabeth Roudinesco lança dicionário amoroso da psicanálise

Autora trata de sua predileção por dicionários e listas, defende o fim de sessões com menos de 15 minutos ("charlatanismo") e afirma que as famílias não vão acabar.

Elisabeth Roudinesco, 73, é historiadora da psicanálise e professora na École Pratique des Hautes Études em Paris. Lança, em seu país, o "Dictionnaire Amoureux de la Psychanalyse" (dicionário amoroso da psicanálise), edição conjunta da Plon e da Seuil. Não há previsão de lançamento da obra no Brasil.

No seu novo "dicionário amoroso", reflete sobre diferentes temas a fim de mostrar como a psicanálise se nutriu de literatura, cinema, teatro, viagem e mitologia para se tornar uma cultura universal.

Elisabeth Roudinesco, historiadora da psicanálise (Foto: Divulgação)

Em entrevista à Folha de S.Paulo em Paris, trata de sua predileção por dicionários e listas, defende o fim de sessões com menos de 15 minutos ("charlatanismo") e afirma que as famílias não vão acabar.

Ela se debruçou sobre livros e textos (como "A Consciência de Zeno", "O Segundo Sexo"); sobre figuras como Sherlock Holmes e Marilyn Monroe; sobre cidades e a relação com a psicanálise (como Nova York, Buenos Aires, Rio).

Há no dicionário uma extensa lista de palavras e experiências que permitem traçar a história e a geografia da psicanálise, uma aventura do espírito em permanente metamorfose. Optou por abordar temas (amor, angústia) em vez de conceitos (como o inconsciente).

Para Roudinesco, a psicanálise é uma das aventuras mais fortes do século 20, uma revolução da vida íntima fundada na atualização dos grandes mitos da Grécia antiga. Afirma que, apesar de ser determinado por um destino, o homem pode se liberar das suas pulsões graças a uma exploração das suas fantasias e dos seus sonhos.

A historiadora escreveu diversos livros que marcaram época, como "A Família em Desordem" e "Dicionário de Psicanálise" (este com Michel Plon), entre outros títulos traduzidos no Brasil.

PERGUNTA - É seu segundo dicionário. A sra. parece gostar deles.

ELISABETH ROUDINESCO - Gosto muito da forma do dicionário, das listas. Minha primeira leitura foi o dicionário porque meu pai era um devorador de dicionários. Há diferentes tipos de dicionário, os da língua, as enciclopédias. Também gosto muito da internet.

P. - Qual é a particularidade desse "dicionário amoroso"?

ER - O princípio era que fosse escrito na primeira pessoa; a escolha das diferentes entradas é arbitrária, e o desenvolvimento não é exaustivo.

P. - Como escolheu as entradas?

ER - Fiz uma primeira lista e, depois, fui escolhendo à medida que escrevia. Decidi que não haveria conceitos -inconsciente, consciência-, somente temas -angústia, amor, eros, Édipo. Decidi só falar dos protagonistas do movimento psicanalítico ao abordar as cidades. Também falo de filmes, escritores, romances, personagens de um romance que a gente encontra noutro.

P . - Uma diz respeito a Hitler.

ER - Sim, falei de atores da história, que foram objeto de considerações dos psicanalistas. Fiz uma entrada sobre os presidentes americanos por causa da loucura recorrente deles.

P. - Na introdução, a sra. lembra que há um mosaico de grupos de psicanálise e que cada um pretende ser o bom em detrimento dos outros. Acrescenta que a cultura psicanalítica só existe por ser plural e que, para compreendê-la, é necessário tirar da cabeça a ideia de escola superior. O que isso significa?

ER - Quando comecei a escrever sobre psicanálise, em 1982, me dei conta de que a riqueza do movimento psicanalítico francês se devia à multiplicidade de grupos. Depois, verifiquei que era assim em outros países.

P. - Mas todos os pontos de vista são bons quando se trata da cura analítica?

ER - Melanie Klein e Lacan foram os grandes renovadores da sua época, pela contestação. Agora, do ponto de vista da cura, observei que há, no mundo inteiro, diferentes práticas eficazes. Mas há práticas que precisam ser banidas.

P. - Quais delas, por exemplo?

ER - As sessões curtas. Trata-se de um charlatanismo. Chamo de sessão curta toda sessão que tem menos de 15 minutos. Lacan foi um transgressor extraordinário, mas imitá-lo é um desastre. A institucionalização da sessão curta deve ser banida.

A cura analítica pode ser feita de diferentes maneiras. Os lacanianos fazem uma interpretação fundada na linguagem. Os freudianos clássicos focalizam o sexo.

É preciso banir ainda a sessão silenciosa. Não faz sentido o analisando ficar meses no divã sem ouvir a voz do analista. Trata-se de uma tendência desenvolvida na Sociedade Internacional de Psicanálise. Para os analistas dela, o paciente deve se virar sozinho.

P. - A primeira entrada do dicionário é o amor, tema central na experiência analítica. Aborda também a relação de Freud com a mãe dele.

ER - Freud sempre considerou que o primeiro objeto de amor é a mãe -ou o seu substituto. O laço materno é fundamental, e a criança sempre o procura. Minha mãe, que se ocupava de recém-nascidos abandonados, observou que, não havendo um ser humano que substitua a mãe, há carências muito graves. A relação com uma pessoa real é fundamental. É inútil tentar substituí-la por uma coletividade, chupeta, mamadeira ou um computador.

P. - A sra. também menciona o que Freud disse sobre a paixão.

ER - Ele diz que nós não nos apaixonamos o tempo todo porque a paixão é destrutiva. Mas quem não viveu a paixão?

Freud era um romântico. Isso a gente vê na correspondência dele para sua futura mulher.

P. - Na entrada sobre o amor, a sra. fala ainda de Lacan e da comparação que faz entre o amor homossexual e o amor cortês.

Ele sempre disse que havia no amor cortês algo de homossexual. Para Lacan, o amor é narcísico, e o que a gente procura no outro é a própria imagem -nós somos todos mais ou menos homossexuais.

Lacan gostava da dimensão perversa do amor. Para ele, no amor, "a gente dá o que não tem para alguém que não quer o que a gente dá". Trata-se de uma ideia aterradora. Era um cético, libertino; um homem do século 18 e um homem moderno.

P. - Na entrada sobre a família, a sra. diz que o processo de desfamiliarização da sociedade ocidental, efetuada pela invenção da psicanálise, não corresponde à abolição da família, porém a sua perpetuação sob outras formas. Como assim?

ER - Como mulheres passaram a trabalhar e o divórcio se tornou possível, considerou-se que era o fim da família. É verdade que passamos de dez crianças para duas, mas as mulheres continuam a ter filhos.

Por outro lado, vimos que o divórcio não acabou com a família. Quando recomposta, não é pior do que a anterior. A ideia do fim da família é uma fantasia que existe desde sempre. Se os homossexuais também querem fazer uma família, é porque esta é desejável.


* Entrevista feita por BETTY MILAN, escritora e psicanalista, autora de "A Mãe Eterna" (ed. Record)

Sheron Menezes compartilha primeira imagem do filho

Na imagem divulgada no Instagram da atriz, Menezes aparece segurando o bebê instantes depois do parto.

Mãe pela primeira vez, Sheron Menezes, 33, emocionou seus seguidores com a primeira imagem do filho Benjamin. Nascido às 23h23 do dia 19 de outubro, de parto natural, o filho da atriz com Saulo Bernard pesa 3kg e tem 49cm de comprimento. "Lindão mesmo", escreve a mãe.

Na imagem divulgada no Instagram da atriz, Menezes aparece segurando o bebê instantes depois do parto. A foto de "Benji" -como a atriz o apelidou- teve mais de 60 mil curtidas só na primeira hora depois de publicada.

"Um dia pedi pro Papai do Céu um amor pra vida toda. Eu nem sabia o que estava pedindo", escreveu a atriz na legenda da imagem.

"Mas então, quando já nem lembrava mais o que tinha pedido, ele chegou. Chegou chegando, e da maneira que eu não planejei. Veio do jeitinho dele, rápido e já com muitas emoções pra contar", completou. 

Recentemente, aos oito meses de gravidez, a atriz posou nua para a revista "Quem", do grupo Globo. "Acho mulher grávida linda e estou me sentindo linda. Por que não vou dividir isso?", disse. 

Na mesma entrevista, a atriz disse que pretendia fazer parto humanizado. "É a única coisa que planejei, mas também não sei se vai dar certo. Eu quero parto normal, natural, sem anestesia, no hospital, com minha médica e com uma doula."

Sheron também usou as redes sociais para compartilhar as fotos do quarto de Benjamin. O sexo do bebê foi descoberto aos quatro meses de gestação.

20 de outubro de 2017

Mágico Mister M revela ter câncer em estado avançado

Em entrevista ao programa "Balanço Geral", da Record, o mágico revelou que está com câncer na próstata e que conta com a ajuda de um amigo brasileiro.

Lembra do Mister M, o mágico mascarado que fez sucesso com um quadro no "Fantástico", da Globo, no final dos anos 1990?
O mágico Mister M (Foto: Arquivo pessoal)

Nesta quinta-feira (19), o americano Val Valentino, cujo nome verdadeiro é Leonard Montano, voltou aos holofotes.

Em entrevista ao programa "Balanço Geral", da Record, o mágico revelou que está com câncer na próstata e que conta com a ajuda de um amigo brasileiro, Fernando Mauro Tezza, que organizou uma "vaquinha" on-line para levantar fundos para seu tratamento. 

Ao programa, Valentino, que tem 61 anos, contou que estava com a saúde debilitada, mas só conseguiu um diagnóstico preciso há dois. "Fui diagnosticado com algo muito ruim na próstata", disse sem querer mencionar a palavra câncer. 

Sem conseguir trabalhar neste período, o mágico gastou todas suas economias para manter a família. "Nós estamos falando sobre cinco anos não tendo condição de trabalhar porque eu não tinha condição de entrar em um avião porque a próstata inchava e eu tinha outros problemas. Eu não tinha energia e precisava me sustentar", disse.

O ilusionista agradeceu o carinho do público brasileiro e o apoio que seus fãs estão dando para que ele fique bem. Ele também comentou que pretende se tratar e se esforçar para que melhore logo. "Quando isso acontecer eu também gostaria de vir ao Brasil primeiro", acrescentou.

18 de outubro de 2017

Cristiano Ronaldo é a 2ª celebridade europeia mais bem paga, diz Forbes

O atacante do Real Madrid fica atrás somente da autora da série Harry Potter, JK Rowling.

Cristiano Ronaldo é a segunda celebridade da Europa mais bem paga. Na lista publicada pela revista "Forbes", o atacante do Real Madrid está atrás, somente, da autora JK Rowling, da saga Harry Potter.
A fortuna do português do Real Madrid é avaliada em 93 milhões de dólares (R$ 294 milhões segundo a cotação atual). O próximo atleta da lista é o Roger Federer, que é considerado a quinta celebridade europeia mais bem paga com 64 milhões de dólares (R$ 202 milhões).


Foto: ESPN

A lista também conta com Lewis Hamilton, Novak Djokovic, Fernando Alonso, Gareth Bale, Conor McGregor e Zlatan Ibrahimovic.

CONFIRA A LISTA:
1 - JK Rowling (Reino Unido, US $ 95 milhões)
2 - Cristiano Ronaldo (Portugal, 93 milhões de dólares)
3 - Coldplay (UK, US $ 88 milhões)
4 - Adele (Reino Unido, US $ 69 milhões)
5 - Roger Federer (Suíça, 64 milhões de dólares)
6 - Elton John (Reino Unido, US $ 60 milhões)
6 - Gordon Ramsey (Reino Unido, 60 milhões de dólares)
7 - Paul McCartney (Reino Unido, US $ 54 milhões)
8 - Rory McIlroy (Reino Unido, US $ 50 milhões)
9 - Calvin Harris (Reino Unido, US $ 48 milhões)
10 - Lewis Hamilton (Reino Unido, US $ 46 milhões)
11 - Simon Cowell (Reino Unido, US $ 43,5 milhões)
12 - Tiesto (Países Baixos, US $ 39 milhões)
13 - Sebastian Vettel (Alemanha, 38,5 milhões de dólares)
14 - Novak Djokovic (Sérvia, US $ 37,6 milhões)
15 - Ed Sheeran (Reino Unido, US $ 37 milhões)
16 - Fernando Alonso (Espanha, 36 milhões de dólares)
18 - Gareth Bale (Reino Unido, 34 milhões de dólares)
18 - Conor McGregor (Irlanda, US $ 34 milhões)
20. Zlatan Ibrahimovic (Suécia, US $ 32 milhões)

17 de outubro de 2017

Jennifer Lawrence e Reese Witherspoon compartilham histórias de abuso

Em evento em Los Angeles, Witherspoon contou ter sido assediada por diretor aos 16 anos e Lawrence lembrou de teste 'humilhante'.

Jennifer Lawrence e Reese Witherspoon falaram sobre suas experiências com episódios de abuso em Hollywood nesta segunda-feira (16), durante o evento Elle Women, em Los Angeles (EUA). As declarações foram feitas em meio a um escândalo envolvendo acusações contra o produtor Harvey Weinstein.

Witherspoon contou ter sido assediada aos 16 anos por um diretor, que não teve o nome revelado. "Eu sinto nojo do diretor que me assediou quando eu tinha 16 anos e raiva dos agentes e produtores que me fizeram acreditar que o silêncio era a condição para conseguir um trabalho", disse a vencedora do Oscar por "Johnny & June" (2005).


Reese Witherspoon chega à cerimônia do Oscar 2015 (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

O episódio foi o primeiro, mas não o último, segundo ela. "Tive várias experiências de assédio e agressão sexual e não falo muito sobre elas", afirmou.

"Mas depois de ouvir todas essas histórias nos últimos dias e ouvir essas mulheres corajosas falarem sobre coisas que nos ensinam a varrer para debaixo do tapete, isso me fez querer falar e falar muito alto porque eu realmente me sinto menos sozinha nesta semana do que eu me senti em toda a minha carreira."

Nua em teste

Lawrence lembrou de uma situação que viveu no início da carreira e descreveu como "humilhante". Segundo ela, produtores de um filme lhe pediram que perdesse mais de seis quilos em duas semanas, alegando que outra atriz havia sido demitida por não emagrecer rápido o suficiente.


Jennifer Lawrence chega para a 24ª edição do Elle Women, em Los Angeles (EUA) (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

"Nessa época, uma produtora me mandou fazer um teste nu com outras cinco mulheres que eram muito, muito mais magras que eu. Nós ficamos lado a lado, apenas com uma fita cobrindo nossas partes íntimas", contou. "Depois desse teste degradante, a produtora disse que eu deveria usar as fotos nua como inspiração para minha dieta."

A atriz disse que tentou argumentar e pedir ajuda a um outro produtor. "Ele disse que não sabia por que todo mundo me achava tão gorda, ele disse que me achava 'perfeita para f*'"

Lawrence afirmou que se sentiu "presa" após a experiência. "Eu me deixei ser tratada de uma certa maneira porque senti que tinha que fazer isso pela minha carreira", disse. "Ainda estou aprendendo que não tenho que sorrir quando um homem me deixa desconfortável. Todo ser humano deveria ser tratado com respeito simplesmente por ser humano."

16 de outubro de 2017

'Cresci faz um tempo', diz Carla Diaz sobre título de 'ex-atriz mirim'

Com passagens pela Record, seus maiores sucessos, entretanto, foram durante sua infância como a Maria de "Chiquititas" (SBT) e a Khadija de "O Clone"(Globo).

Atualmente no papel de Carine em "A Força do Querer" (Globo), Carla Diaz, 26, já tem bagagem na televisão brasileira.

Com passagens pela Record, seus maiores sucessos, entretanto, foram durante sua infância como a Maria de "Chiquititas" (SBT) e a Khadija de "O Clone" (Globo).

A atriz Carla Diaz está atuando na novela 'A Força do Querer' (Foto: Divulgação)

Hoje, constantemente lembrada como "ex-atriz mirim", Diaz acredita que essa associação é uma criação jornalística. 

"Ninguém me vê mais como criança. Eu acho engraçado quando eu vejo as manchetes: 'Carla Diaz cresceu'. Eu tenho 26 anos. Cresci faz um tempo já", diz a atriz em entrevista à revista "Quem".

Em "A Força do Querer", a personagem de Diaz entrou para abalar a trama de um dos casais principais da novela, Bibi (Juliana Paes) e Rubinho (Emilio Dantas).

"Eu entrei para fazer uma participação na novela e eu não sabia quanto tempo duraria. Mas a personagem foi crescendo, a parceria com a Juliana Paes e o Emílio Dantas deu tão certo, assim como a aceitação do público, que ela acabou ficando até o fim da trama. Estou muito feliz", diz ela.

O que ela não esperava, no entanto, era que sua personagem fosse querida pelo público -como amante de Rubinho, Carine tem algumas atitudes que não são bem vistas socialmente.

"Todo mundo está me abordando agora, da vovozinha às crianças. É impressionante. Eu não achei que essa personagem fosse ser tão querida por ter algumas atitudes que a maioria da população considera errada. Mas ela é."

E não só gostam dela como a desejam: "Recebo um pedido de casamento por dia. Mas nenhum real. Tudo só na brincadeira", comenta a atriz, que é a capa da edição digital da revista "Quem" desta semana.

Livro mostra como intelectuais do século XX apoiaram regimes totalitários

Mark Lilla traça o perfil filosófico-político de seis pensadores que, na visão do autor, se deixaram levar por ideologias tiranas.

Ao longo da história, certos intelectuais receberam de braços abertos regimes totalitários fascistas e comunistas. Esta é a premissa do historiador americano Mark Lilla no livro “A mente imprudente”, lançamento da Editora Record. Em forma de ensaios, Lilla traça o perfil filosófico-político de seis pensadores do século XX, que, na visão do autor, se deixaram levar por ideologias e fecharam os olhos ao autoritarismo, à brutalidade e ao terrorismo de Estado.

O historiador conta a trajetória do filósofo alemão Martin Heidegger e sua entrada no partido nazista em maio de 1933, ainda que hoje já se saiba que pelo menos dois anos antes ele já tinha manifestado apoio a Hitler. A decisão de seguir o nazismo complicou a vida de seu amigo  Karl Jaspers e de Hannah Arendt, com quem Heidegger viveu um romance.

“Jaspers era um amigo, Arendt fora sua amante, e ambos admiravam Heidegger como um pensador que, segundo acreditavam, tinha revivido sozinho o autêntico ato de filosofar. Agora eles tinham de se perguntar se sua decisão política refletia apenas uma fraqueza de caráter ou se havia sido preparada pelo que Arendt chamaria mais tarde de seu “pensamento apaixonado”. Neste último caso, significaria que seu próprio apego intelectual/erótico a ele como pensador estava comprometido? Acaso haviam se equivocado apenas a respeito de Heidegger ou também sobre a filosofia e sua relação com a realidade política?”, indaga o autor.

Assim como Heidegger, o filósofo alemão Carlos Schmitt apoiou publicamente os nazistas nos primeiros dias do Terceiro Reich.  Lilla analisa também como Walter Benjamin, considerado um dos intelectuais mais importantes do século XX, expressa em suas cartas que era um pensador teologicamente inspirado e politicamente instável. Ele conta que nos anos 30, Benjamin se mantivera calado sobre “processos exemplares” em Moscou e ao longo da década não foi capaz de criticar Stalin publicamente, nem quando a militante e diretora teatral Asja Lacis, com quem se envolveu amorosamente, foi levada a um gulag, campo de trabalho forçado para onde iam “inimigos” do Estado.

O filósofo francês Michel Foucault

O historiador relata ainda aspectos controversos na trajetória do filósofo russo Alexandre Kojève, do franco-argelino Jacques Derrida e de Michel Foucault,  que se declarava discípulo do Marquês de Sade e se divertia com as gravuras de Goya retratando a carnificina da guerra:

“Assistimos ao processo mediante o qual uma obsessão intelectual com a transgressão culminou numa perigosa dança com a morte”, afirma.

“A mente imprudente” chega às livrarias neste mês de outubro pela Editora Record.

Sobre o autor

Mark Lilla nasceu em Detroit, EUA, em 1956. É professor na Universidade de Columbia e escreve regularmente para a revista New York Review of Books e outras publicações ao redor do mundo. É autor, entre outros, dos livros The Stillborn God: Religion, Politics and the Modern West e G.B Vico: Tha Making of na Anti-Modern, além de The Legacy of Isaiah Berlin, com Ronald Dworkin e Robert B. Silvers. Em 2015, venceu o prêmio de Melhor Comentarista de Notícias Internacionais concedido pelo Overseas Press Club of America, pela Coluna “On France”, da New York Review of Books.

14 de outubro de 2017

09 de outubro de 2017

'Preferi protegê-lo', diz Tatá sobre ausência de namorado no 'Lady Night'

A atriz e apresentadora também justifica o porquê de seus participantes repercutirem tanto: “Encontros são diferentes"

A partir dessa noite, os fãs de Tatá Werneck poderão rir novamente com as peripécias e entrevistas da apresentadora na nova temporada de “Lady night”, no Multishow. E no sofá do programa estarão estrelas que vão se mostrar na TV como nunca antes em entrevistas. 


Com memes, a apresentadora está divulgando a chegada da segunda temporada do 'Lady Night' em suas redes sociais. Foto: Reprodução/instagram

“Por terem visto a primeira temporada, os convidados chegavam ansiosos para se divertirem. Vi Daniela Mercury rolando pelo chão como parafuso, tomei lambida da Pablo Vittar, Caio Castro ficou de cueca, Cauã me deu um beijo, assim como Marina Ruy Barbosa, Preta Gil e Cleo. Todos foram muito disponíveis e me surpreenderam”, conta Tatá.

A atriz e apresentadora também justifica o porquê de seus participantes repercutirem tanto: “Encontros são diferentes. Um encontro meu com a Cleo não será o mesmo que um encontro dela com o Porchat ou com o Bial, que, aliás, sou fã e acho os dois geniais. E eu me exponho antes de qualquer um dos meus convidados. Falo das minhas intimidades, quero deixá-los à vontade para dar uma entrevista de pessoa “física” e não “jurídica”. Tento criar esse ambiente de papo entre amigos”. Sobre a ausência do namorado Rafael Vitti como entrevistado, a estrela brinca: “Até pensamos nessa possibilidade, mas preferi protegê-lo de mim mesma”, brinca Tatá.


Tatá Werneck e Rafael Vitti assumiram o namoro no aniversário da apresentadora, em agosto. Foto: Reprodução/Instagram

08 de outubro de 2017

Neymar e Bruna Marquezine se reaproximam no casamento de Marina Ruy Barbosa

Segundo um dos convidados do casamento, Neymar chegou a roubar um selinho da Bruna enquanto ela ria de um comentário ao pé do ouvido.

Risos, conversas ao pé do ouvido e até um selinho roubado. O reencontro de Bruna Marquezine e Neymar no casamento de Marina Ruy Barbosa e Xande Negrão reaproximou o ex-casal depois de três meses do anúncio do fim do namoro de quase um ano, em junho.

A atriz, que chegou atrasada e até perdeu a cerimônia religiosa, bem que tentou fugir do atacante no início da festa. Ela acenou de longe ao ver o ex-namorado com Daniel Alves, mas aos poucos o astro da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain foi se aproximando e, na metade da festa, os dois já estavam na mesma rodinha de conversa entre amigos.

Bruna Marquezine e Neymar (Foto: Reprodução/ Instagram)

Segundo um dos convidados do casamento, Neymar chegou a roubar um selinho da Bruna enquanto ela ria de um comentário ao pé do ouvido.

"Aposto que eles vão voltar a namorar. Deram muita pinta de apaixonados", contou uma pessoa convidada por Marina Ruy Barbosa ao UOL por WhatsApp.

A reportagem também apurou que a noiva Marina Ruy Barbosa foi quem deu uma de cupido na reaproximação de Bruna e Neymar. Ela chamou a amiga e colega de elenco da próxima novela das 19h na Globo "Deus Salve o Rei", conversou algo no ouvido de Marquezine, que logo depois foi sentar-se perto de Neymar.

Depois de muita conversa, Neymar e Bruna foram para pista de dança e trocaram carinhos. Animados, vários convidados fizeram vídeos, que rapidamente caíram nas redes sociais para alegria dos milhões de fãs que ainda torcem por uma volta do ex-casal.

07 de outubro de 2017

Após 45 anos de sua morte, obras inéditas de Torquato Neto vêm à tona

Em vida, Torquato editou 34 letras, número esticado para 100 desde a sua morte, graças às pesquisas no acervo

Quarenta e cinco anos após sua morte, o poeta Torquato Neto (1944-1972) segue uma trajetória de mito resistente da contracultura brasileira. Em Teresina (PI), terra natal, a edição de textos desconhecidos vem iluminando pontos obscuros da obra do tropicalista, também associado à poesia marginal.

Em 2012, a revisita ao seu acervo resultou no lançamento de duas coletâneas de poemas inéditos, "O Fato e a Coisa" e "Juvenílias" (UPJ Produções), por iniciativa do publicitário e professor George Mendes, 60, primo do piauiense e curador do arquivo.

Um terceiro livro de inéditos expõe seu ofício de letrista, principalmente na fase posterior às canções "Geleia Geral" e "Marginália 2" (com Gilberto Gil), que contribuíram para definir o programa estético do tropicalismo.

Três cadernos espiralados alimentaram "Fragmentos Poéticos - A Palavra em Construção", a sair pela UPJ, volume revelador da carpintaria de Torquato em letras como as de "Nenhuma Dor" (com Caetano Veloso), "Todo Dia é Dia D" (com Carlos Pinto), "Andarandei" (com Renato Piau) e "Três da Madrugada" (com Carlos Pinto).

Uma onda torquatiana reforça as homenagens piauienses. O documentário "Torquato Neto: Todas as Horas do Fim", de Eduardo Ades e Marcus Fernando, estreia no Festival do Rio neste sábado. E o tropicalista será o homenageado da 12ª Balada Literária, em São Paulo, entre 8 e 12 de novembro.

Ainda neste ano, a editora Autêntica levará às livrarias uma antologia poética selecionada pelo poeta e ensaísta Italo Moriconi.

Fragmentos

"Fragmentos Poéticos" será lançado na 12ª Balada Literária, que neste ano prepara atividades em Teresina, Salvador e São Paulo, onde se encerra com o documentário "Todas as Horas do Fim".

O livro procura manter a ordem dos cadernos, que chegaram a ser consultados na pesquisa de "Os Últimos Dias de Paupéria", a primeira reunião de escritos de Torquato, organizada em 1973 pelo poeta Waly Salomão (1943-2003).

"Não devo dizer que seja a gênese de sua poesia, até mesmo porque a parte mais lida, ouvida, conhecida é aquela que referencia os tempos da tropicália. Melhor seria dizer que demarca os tempos pós-tropicália", diz o curador George Mendes.

Mas "certamente", segue ele, "o conteúdo dos cadernos permite conhecer mais a fundo o processo criativo, o estica, puxa, recorta, recupera que ganhará forma final". Há poemas ou letras que não foram levados adiante, "embora registrem uma intenção, um bom fio da meada".

Ciclo  pesado

A viúva de Torquato, Ana Duarte, que morreu aos 72 em 2016, entregou o acervo a Mendes em janeiro de 2010.

"Ana, você sempre disse que tinha queimado tudo!", surpreendeu-se o publicitário, ao aceitar a oferta de livros, roteiros, fotos, quadros, recortes de jornais, postais, alguns discos -e os cadernos. Com o gesto, ela fechava um "ciclo pesado".

Entre os projetos futuros, a Casa Torquato Arte & Criação, para abrigar o acervo, e o disco "Torquato Neto / Inéditas / Entre Nós", produzido a partir de 17 poemas musicados por artistas do Piauí.

Torquato enfrentou o alcoolismo e a depressão, sofreu quatro internações e cometeu suicídio em 1972.

No prefácio de "Fragmentos Poéticos", o letrista Carlos Rennó atenta para "a difícil e atormentada condição psíquica e emocional do autor" nas passagens em que são visíveis "a sua delicada tristeza, a solidão básica de sua existência, uma situação autoconsciente -nem por isso autopiedosa- de abandono".

Dedicado ao jornalista e pensador da contracultura Luiz Carlos Maciel, o inédito "A Tragédia do Viaduto" – provavelmente escrito em novembro de 1971, depois do desabamento do viaduto Paulo de Frontin, que deixou 29 mortos na Tijuca– é um "poema-processo" que o país não permitiu caducar.

"Ainda vai cair muita corrupção na cabeça das pessoas", repete o texto, em seus cinco versos datilografados numa folha solta.

Numa fase severa da ditadura militar, o governo Médici, Torquato preservou a atenção para a política enquanto transitava pelo desbunde.

"Você não tem que me dizer/ O número do seu mundo/ Você não me engana/ Este país não me engana/ E o futuro é claro e fundo", anotou em um dos cadernos.

"Nos escritos há uma espécie de inventário feito por ele de músicas em parceria. Algumas não foram gravadas, mas desenvolvidas com artistas conhecidos", conta Mendes, referindo-se às colaborações com Caetano, Gil, Jards Macalé, Toquinho, Luiz Carlos Sá e Luiz Melodia.

Em vida, Torquato editou 34 letras, número esticado para 100 desde a sua morte, graças às pesquisas no acervo.

Enquanto "Juvenílias" revela 56 poemas inéditos (1961-63), boa parte remontando à juventude no Piauí e na Bahia, "O Fato e a Coisa" -concebido mas jamais publicado por Torquato- reúne 29 poemas escritos entre 1962 e 1964, alguns deles citados na biografia "Pra Mim Chega" (Nossa Cultura), de Toninho Vaz.

O tema da morte, visitado em fragmentos autobiográficos e letras, ressurge. "Como um derradeiro suicida de após bomba/ procuro aniquilar o inseto impossível/ que continuo sendo/ a zumbir sobre minha própria cabeça/ em mirabolantes circunvoltas", escreveu em "A Crise".

“Fiquei um pouco incrédulo”, conta Alok sobre sua parceria com Mick Jagger

DJ é uma das atrações de festival que acontece neste sábado em SP

Alok, atualmente, é o principal nome da música eletrônica comercial do Brasil. Lotando shows em todo o país, com uma carreira internacional em plena expansão, e com faixas como “Hear Me Now” reconhecidas por um público cada vez mais diverso, o DJ goiano, filho de Djs, está trilhando um caminho distinto. Entre algumas de suas conquistas está justamente a possibilidade de fazer parte do line-up de um festival sertanejo como o Villa Mix Festival que acontece neste sábado, 7, sem que ninguém ache isso estranho. 

Logo de entrada, Alok comenta que sua boa recepção no mercado internacional, algo que vem acontecendo desde 2016, em conjunto com a expansão da sua carreira no Brasil é algo novo pra ele e por isso não dá pra ter uma noção concreta de como tudo tem afetado sua música. “Enxergo como uma grande chance de termos uma cena respeitada e repleta de oportunidades. Na minha carreira e na minha música eu tive que me adaptar e encontrar o que eu mais gostava de fazer em conjunto com a melhor recepção do público. É sensacional saber que o caminho trilhado é o certo. Isso me deixa extremamente grato”.

Comentando sobre seu movimento em direção a novos mercados, com contrato com a Spinnin’ Records (recentemente adquirida pela Warner Music) Alok afirma que a trajetória que vem fazendo é diferente. “Nosso mercado eletrônico é maduro, mas o caminho que escolhi ainda é novo e através das referências externas de como lidar com isso que eu aprendi ainda mais”, pondera. E como parte dessa projeção mundial, um dos grandes momentos na história do brasileiro foi o remix criado para “Gotta Get a Grip” de Mick Jagger. Alok comenta que conheceu o vocalista dos Rolling Stones em uma festa e nesta oportunidade aconteceu o convite para que o remix fosse produzido. “O convite aconteceu numa festa onde nos conhecemos. Eu nem esperei muito porque fiquei um pouco incrédulo e quando vi o contato dele por email, fiquei extremamente feliz”, e segue, “sem dúvida alguma, [este projeto] foi uma das maiores honras da minha vida”.

Ainda falando sobre parcerias, só em 2017 o brasileiro já lançou colaborações importantes com nomes como Tiesto e Oliver Heldens (dois nomes de peso da cena eletrônica), mas fora do espectro da e-music, o DJ anunciou também uma parceria com Anitta, que “está a caminho”, e comentou que adoraria produzir algo com Kendrick Lamar, “[...] ando curtindo bastante e acho ele extremamente criativo e competente no que faz”. Isso sem contar o projeto para um novo show: “Estou focado no meu show. Um show completo e muito melhor do que qualquer coisa que já fizemos. Meu sonho é ter isso completamente formatado”, confessa.

Por fim, Alok se apresenta em um dos festivais de música sertaneja mais conhecidos do país, mostrando seu bom trânsito por públicos que há pouco tempo não dialogavam, algo que ele credita aos produtores do evento que “acreditaram nisso e fizeram com que a música eletrônica fosse tão importante quanto os outros gêneros”, e também a equipe que trabalha com ele.

Recentemente Alok lançou mais um single com Bruno Martini e Zeeba, parceiros de “Hear Me Now”, para criar a faixa "Never Let Me Go".

05 de outubro de 2017

Eliana posa com Manuela e avalia pausar vida pelos filhos

Apresentadora exibiu a filha recém-nascida dormindo em seu colo, no Instagram, nesta quinta-feira (5)

Quase um mês após o nascimento de Manuela, Eliana começou a voltar à rotina depois de passar por complicações nos primeiros meses de gravidez. Nesta quinta-feira (5), a apresentadora, afastada de seu programa do SBT, refletiu sobre pausar a vida pelos filhos com um texto da blogueira Fernanda Marques em seu Instagram.

"Pausar a vida pelos filhos... Fiquei pensando em quantas vezes, desde que me tornei mãe, já escutei a frase 'não pause sua vida pelos filhos, pois eles um dia crescem'; como uma forma disfarçada de menosprezar a dedicação materna. Cria-se o filho pro mundo, todo mundo diz. As asas, as benditas asas. Eu sei, você sabe. Não pausar a vida. Ideia curiosa essa já que ser mãe é viver eternamente de pausas. Por 9 meses, pausa o vinho. Por aproximadamente 40 dias se pausa a vida sexual."

A apresentadora, que comemorou os primeiros dias com Manuela, listou todas as pausas que as mães precisam fazer pelos herdeiros na maternidade: "Por muitas e muitas noites pausa o sono, pausam a reunião de trabalho, a ligação importante, a oportunidade profissional. Pausa a poupança, porque juntar dinheiro fica difícil. A gente pausa as refeições e os banhos. Pausa os planos de viagens, as saídas com as amigas, as idas ao cabeleireiro. A gente pausa o coração na preocupação e pausa a própria vida pra respirar a deles. Criar para o mundo. O que isso seria? Suponho que minha mãe me criou 'para o mundo', sempre me dando asas. Fui conquistar esse mundão para o qual a minha mãe me criou. Mas a verdade é que eu nunca deixei de ser dela. Um pedaço dela. Um produto dela".

Para finalizar a postagem, Eliana refletiu que é nos momentos íntimos com os filhos que os laços são criados: "Então eu penso, enquanto tomo meu chá e com saudades da minha mãe, que filhos não são do mundo. Nossos filhos são nossos! Eles vieram da gente e voltam pra gente de novo e de novo. Mesmo estando longe, eles são nossos. Nossos pedaços. Nossos produtos. Os produtos de todas as nossas pausas. Porque é na pausa que fortalecemos o vínculo, é na pausa que construímos as memórias. É no pausar da vida, nesse incessante viver pelo outro, em meio às dores e sacrifícios que, como mulheres, muitas vezes nos vemos plenas; e mais do que isso, nos vemos mães".

04 de outubro de 2017

Museu de Arte do Rio discorda de Crivella sobre veto a 'Queermuseu'

O prefeito carioca afirmou em vídeo publicado nas redes sociais na domingo (1º) que não queria que a mostra fosse para o MAR (Museu de Arte do Rio).

Após anúncio de que não abrigará a exposição "Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira", o MAR (Museu de Arte do Rio) se pronunciou novamente a respeito da mostra e afirmou que não concorda com a ordem do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB-RJ).

O museu afirma que os debates propostos em prol da arte não deveriam ser interrompidos. "Silenciar as discussões é não encarar conflitos inerentes à sociedade", diz a nota divulgada nesta quarta (4).

O prefeito carioca afirmou em vídeo publicado nas redes sociais na domingo (1º) que não queria que a mostra fosse para o MAR (Museu de Arte do Rio). "Só se for no fundo do mar", disse o político.

Procurado pela reportagem, Crivella afirma que "a população do Rio de Janeiro não tem o menor interesse em exposições que promovam zoofilia ou pedofilia".

Gaudêncio Fidélis, curador do "Queermuseu", diz que recebeu convite de outras cidades para abrigar a exposição como Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Rio e Salvador. Entretanto, ele prefere não dizer quais instituições demonstraram interesse a fim de "poupá-las de protestos".

Cancelado

O Santander Cultural suspendeu a mostra em Porto Alegre no dia 10 de setembro após pressão de grupos que a consideram ofensiva. Contra recomendação do Ministério Público, a instituição decidiu não reabrir a exposição.

O Conmar ainda recomenda que o MAR realize programação cultural em consonância com as regras do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e que inclua classificação indicativa e sinalizações sobre o teor das obras expostas, "de forma a estabelecer relações com e entre as diversas perspectivas culturais e ideológicas de todos os seus públicos."

'Nunca deixei que um homem me mandasse calar a boca', diz Fernanda Lima

Neste mês, a artista é a capa da revista "Claudia", publicação do grupo Abril. Lima foi entrevista por Ana Paula Padrão, que assumiu a redação do veículo.

Fernanda Lima está de mudança para os Estados Unidos com os filhos, os gêmeos João e Francisco, e o marido, o apresentador Rodrigo Hilbert. 

A família vai passar nove meses na Califórnia para depois, na volta, "aumentar" -palavras da própria apresentadora da Globo. 

A apresentadora Fernanda Lima (Foto: Divulgação)

"Eu até tenho um medinho, uma gravidez nessa idade [Lima tem 40 anos] significa recuperação física mais difícil. Mas o Rodrigo quer muito e ele está sempre do meu lado, ele merece. E não vai demorar, segundo ela. Na volta planejamos a gravidez", diz.

Neste mês, a artista é a capa da revista "Claudia", publicação do grupo Abril. Lima foi entrevista por Ana Paula Padrão, que assumiu a redação do veículo. 

Durante a entrevista, Lima também falou sobre o feminismo. "Se eu pensar no meu passado, minha trajetória toda foi feminista. Eu nunca deixei que um homem me mandasse calar a boca, nunca me deixei ser violentada a ponto de não me defender, nunca desisti de nada por ter alguém competindo comigo", disse. 

"Então eu tenho direito de estar aqui e de gostar de quem eu sou, explica. Ela afirma que precisou questionar muita coisa e aprender outras. Nós bebemos do machismo na mamadeira. A gente vive dessa opressão a vida inteira", completou. 

Polêmica com Silvio Santos

Em julho, Lima se viu envolta numa polêmica com Silvio Santos, dono do SBT, que comentou em seu programa um vídeo no qual a apresentadora aparecia. "Com essas pernas finas e essa cara de gripe, ela não teria nem amor nem sexo", disse Silvio.

Logo depois, Fernanda, em entrevista ao "Pânico na Band", rebateu. "Acho que o Silvio é o maior comunicador vivo brasileiro, mas, nesse quesito, eu perguntaria 'Silvio, por que não te calas?'. "Depois, Silvio novamente retrucou em seu programa: "Não me calo mais"."

A Padrão, Lima não deixou o assunto em branco. "Quantas mulheres morrem de bulimia, anorexia, dismorfia porque se olham no espelho e se veem gordas. Quantas mulheres ele [Silvio] oprimiu chamando de gordas. Quantas mulheres sofrem com a gordofobia... Não é justo comigo as pessoas acharem que eu tô  chateadinha porque fui chamada de magra. Não é comigo, é com todas as pessoas, e não é o Silvio Santos, são todos", diz.

'As pessoas acham que você sempre deve satisfação', diz Sasha sobre a fama

Jovem diz se sentir mais confortável com a fama. A vida fora do país a ajudou.

Sasha Meneghel, 19, abdicou da carreira no Brasil para morar em Nova York. A estudante de moda preferiu não seguir os passos da mãe, Xuxa, que incentivou sua carreira de atriz.

A jovem Sasha Meneghel diz estar mais adaptada ao assédio dos fãs e da imprensa (Foto: Divulgação)

Mais nova, Sasha se sentia incomodada com os holofotes. "Quando criança, eu não sabia lidar com a exposição e lutava contra. As pessoas acham que você sempre deve satisfação", disse em entrevista à revista "Estilo", da qual será a capa de outubro. 

Agora, a jovem diz se sentir mais confortável com a fama. A vida no estrangeiro a ajudou: "Em Nova York, estou longe de tudo isso e acabei encontrando um jeito de lidar com as expectativas", disse. 

As mudanças começaram em 2016, quando Sasha decidiu estudar moda na maior metrópole americana. "Me sinto mais eu mesma. Nem sei explicar. Acho que é a energia da cidade. Lá, todo mundo pode ser livre. Não tem julgamento. Tem respeito. Isso é maravilhoso", diz.

"Você anda pelas ruas e cada um está na sua, passando sua mensagem. Ninguém está preocupado se a blusa do outro é transparente, se o cabelo é azul", diz ela sobre a vida em Nova York", completa. 

Mãe e amiga

Sasha encontra com a mãe uma vez por mês. E, no tempo em que estão juntas, procuram aproveitar a companhia uma da outra. Sobre a relação, a jovem comenta: "Nunca a vi como a Xuxa ou a Rainha dos Baixinhos. Ela é a minha amiga e minha conselheira".

Mesmo com a distância, a relação de mãe e filha supera qualquer obstáculo -inclusive eventuais desentendimentos. "Brigamos, discutimos, mas sei que sempre estará a meu lado mesmo em momentos de erro. Para mim, ela é um anjo de verdade."

Sobre seu desenvolvimento pessoal Sasha adiciona: "Meu maior medo é decepcionar minha mãe".

'Aqui é luxo', diz ex-BBB ao comparar 'A Fazenda' com reality global

Até agora, Nicole Bahls e Adriana Bombom foram eliminadas da competição transmitida pela Rede Record.

A escassez de comida no reality "A Fazenda" está preocupando os jogadores. Desde o último domingo (1º), os peões perceberam que a comida não é tão abundante na casa. 

O assunto voltou a tona nesta quarta (4) quando os participantes conversavam. O ex-bbb Matheus Lisboa disse que, apesar da pouca comida, a situação na casa é muito melhor que no "Big Brother Brasil".

Matheus Lisboa hoje é Youtuber e tem 27 anos (Foto: Divulgação / Rede Record)

"Lá, acabou. Acabou. Eu dava mais raça na prova da comida do que na prova do líder", explicou o peão. No outro reality, um grupo era destinado a xepa e comia muito pouco. A falta de comida, segundo Matheus, era um grande problema. 

"A alimentação desestabiliza muito. Mas isso nem se compara, aqui é luxo, nossa. Tem até frutas", adicionou, comparando as realidades dos programas.

Fábio Arruda, que está na roça essa semana, participou da primeira edição de "A Fazenda". Levando em conta sua experiência, a situação não está tão ruim assim. "Aqui a gente não pode reclamar, é muita fartura", disse. 

Na roça

Fábio Arruda, Marcelo Ié Ié e Nahim foram indicados para a terceira roça da nona temporada de "A Fazenda". A votaç ão aconteceu nesta segunda (2).

Nessa semana a votação aconteceu um dia antes do previsto, devido à final do programa "Dancing Brasil" na última terça. Assim, o programa segue uma nova grade: votação para a roça às segundas e prova do fazendeiro às terças.

A eliminação se mantém às quintas e a prova da chave às sextas. Até agora, Nicole Bahls e Adriana Bombom foram eliminadas da competição. 

Filhas de Madonna cantam funk 'Olha a explosão', de MC Kevinho; veja vídeo!

Na manhã desta quarta-feira (4), a Rainha do Pop compartilhou um vídeo no Instagram em que mostra as gêmeas Stelle e Estere, 5, cantando o ritmo carioca.

Quem imaginaria que os filhos da rainha do pop praticariam português cantando funk? Madonna se mudou para Portugal em setembro deste ano e mostrou que a família está se esforçando para aprender um novo idioma. 
Na manhã desta quarta-feira (4), a cantora compartilhou um vídeo no Instagram em que mostra as gêmeas Stelle e Estere, 5, cantando o ritmo carioca. A música em questão é "Olha a Explosão", do MC Kevinho.
As meninas aparecem no carro, dançando e tentando acompanhar a letra. Na legenda, Madonna brincou: "Trabalhando no nosso português".
Na rede social, MC Kevinho repostou o vídeo da cantora. Contente com a popularidade de sua música, ele brincou: "Zerei a vida".
"Me sentindo honrado em ver a família da rainha do pop curtindo nosso funk! Que deus abençoe cada vez mais todos nós músicos brasileiros para continuar levando um pouco da nossa cultura para fora do país!"
Família
As gêmeas foram adotadas por Madonna no Malauí, no início deste ano. Além das caçulas, a cantora também é mãe de David Banda, 12, e MercyJames, 11, adotados no mesmo país africano.
Os mais velhos Lourdes (20) e Rocco (17) são filhos biológicos da cantora com Carlos Leon e Guy Ritchie, respectivamente.


Em debate sobre polêmica do MAM, deputados sugerem 'porrada' e tortura

o deputado Laerte Bessa (PR-DF), que é delegado da Polícia Civil, exaltou instrumentos de tortura, afirmando que o coreógrafo da performance no MAM-SP merecia levar uma "taca"

Deputados federais quase entraram em confronto físico no plenário da Câmara nesta terça-feira (3) ao baterem boca em torno da mostra que envolveu a interação de uma criança com um homem nu no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Dois parlamentares chegaram a defender "porrada" e tortura em colegas e no coreógrafo Wagner Schwartz, que realizou o trabalho na abertura da exposição "Brasil em Multiplicação" — nela seu corpo pode ser tocado pelo público, em uma interpretação da obra "Bicho", de Lygia Clark.

Durante o ato, uma menina foi incentivada pela mãe a interagir com o artista. Agachada, ela se movimentou ao lado dele e tocou sua perna e sua mão.

Um dos primeiros deputados a se inflamar na Câmara nesta terça foi João Rodrigues (PSD-SC), que em 2015 chegou a ser flagrado no plenário vendo pornografia no seu aparelho de telefone celular em plena votação da reforma política. Na época atribuiu o episódio a amigos que lhe mandavam "muita sacanagem".

"Um marmanjo completamente nu de mãos dadas com três ou quatro crianças fazia uma apresentação cultural", começou a discursar o deputado, subindo o tom a cada frase dita.

"O ato daquele pilantra que estava nu no museu de artes modernas não é só um ataque à moral do povo brasileiro, mas é pra mexer com o subconsciente dos tarados do Brasil. O psicopata, o tarado por criança, quando vê aquela imagem daquele patife, certamente dirá: 'tudo pode'.", prosseguiu.

Ao final de sua fala, se exaltou mais ainda: "Não consigo acreditar que tenha algum pilantra, algum vagabundo dentro dessa Casa que aplauda isso, porque se tiver tem que levar porrada. Se tiver tem que ir para o cacete, para aprender. Bando de safado, bando de vagabundo, bando de traidores da moral da família brasileira. Tem que ir pra porrada com esses canalhas."

Após sua fala, o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) foi à tribuna e lembrou o episódio em que João Rodrigues foi flagrado vendo e mostrando imagens pornográficas a colegas no plenário. "Ele foi flagrado assistindo filme pornográfico. Se é filme pornográfico, tem sexo, tem nu. Tenha vergonha na cara aqueles que querem dar puxão de orelha aos quem têm compromisso com a arte e a justiça social."

Ao descer ao plenário, os ânimos se exaltaram e os dois tiveram que ser contidos por colegas para não se agredir.

Momentos depois, o deputado Laerte Bessa (PR-DF), que é delegado da Polícia Civil, exaltou instrumentos de tortura, afirmando que o coreógrafo da performance no MAM-SP merecia levar uma "taca".

"Pergunta se ele conhece direitos humanos? Direitos humanos é um porrete de pau de guatambu que a gente usou muitos anos em delegacia de polícia. Se ele conhece rabo de tatu [usado para chicotear presos], que também usamos em bons tempos em delegacia de polícia. Se aquele vagabundo fosse fazer aquela exposição (...) ele ia levar uma 'taca' que ele nunca mais ele iria querer ser artista e nunca mais iria tomar banho pelado", afirmou Bessa.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), apelou para o deputado "manter o nível" e ordenou que suas palavras não fossem registradas nos anais da Casa.

03 de outubro de 2017

02 de outubro de 2017

Ivete Sangalo acaricia barriga em show e brinca com transformação

'29 quilos a mais. Visão do inferno', brincou a cantora, que está grávida de gêmeas.

Ivete Sangalo mostrou que seu humor continua o mesmo de sempre, apesar de, grávida, enfrentar alterações hormonais. No último fim de semana, a cantora brincou com a gestação de gêmeas, falou para o público de São Paulo que tem feito dieta e surpreendeu os fãs ao comentar sobre o corpo. Numa das confissões à plateia, a baiana contou como foi ver, pela primeira vez, seu físico após tirar a cinta. Os vídeos com a perfomance da cantora foram publicados pelo fã-clube de Ivete nas redes sociais.

“Como vocês podem ver, estou praticamente uma melancia. (A barriga) está crescendo por minuto. E quando joga água cresce mais. Quando eu tomo banho eu sinto um negócio...”, disse, brincando também sobre o episódio de quando tirou a cinta e se viu no espelho: “Visão do inferno. Aí, vi uma balança bem tímida no canto do banheiro. Subi e tive a surpresa: 29kg a mais”.

Ivete Sangalo está, como o EXTRA adiantou, diminuindo o ritmo das coreografias. Neste show, a artista confessou ao público que tem evitado pular durante as músicas:

"Mainha não vai pular porque não é louca. Vocês pulam por mim!"

O show, neste último fim semana, teve a presença de amigos da cantora e artistas como Viviane Araújo e Isabella Fiorentino. No palco, o humorista Gominho cantou com a baiana e, em outro momento, estava na plateia quando ela voltou a brincar com a espera das gêmeas, que irão aumentar sua família com o marido Daniel Cady e o filho Marcelo Sangalo. Ao cantar a música "Cadê você", Ivete contou:

"Essa semana eu botei um biquíni de lacinho e fui ensaiar essa música. Estou me achando tão sensual. A pessoa que tem três bundas. Uma, duas, três!", contou Ivete, que tem feito dieta no decorrer da gestação: "Quando fiquei grávida do Marcelo, comia tudo: brigadeiro, bolo, pão, leite...Agora estou me segurando. Tenho 45 anos. Não há metabolismo que dê conta!"

Marina Ruy Barbosa capricha nos presentes para os padrinhos

A atriz, que vai se casar com Xande Negrão no sábado (7), fez um kit com muitos mimos luxuosos para convidados como Glória Maria, Giovanna Ewbank, Luma Costa, entre muitos outros

E o grande dia de Marina Ruy Barbosa e Xande Negrão está chegando. No próximo sábado (7), a atriz e o piloto vão se casar em Campinas, interior de São Paulo, em uma superfesta na casa da família do noivo, num condomínio fechado no bairro Gramado. Como é de costume, os noivos presentearam os padrinhos com alguns mimos bem luxuosos. Alguns desses presentes devem ser usados na festa de casamento. As fotos dos kits foram postadas por Marina nas redes sociais.


Presentes para as madrinhas de Marina Ruy Barbosa (Foto: Reprodução/ Instagram)

As madrinhas de Marina -- Giovanna Ewbank, Luma Costa, Gloria Maria, entre outras -- ganharam uma caixa com: uma clutch de palha personalizada, um bracelete de orquídea de resina, vela da perfumaria inglesa Jo Malone (que chega a custar R$ 400) e uma joia de prata e pedras preciosas da coleção de Marina, My Garden, para a Life da Vivara (no valor de R$ 350).


Presentes para os padrinhos de Marina Ruy Barbosa (Foto: Reprodução/ Instagram)

Já os padrinhos -- Bruno Gagliasso, Murillo Lima, Daniel Nunes, entre outros -- ganharam um kit com: uma garrafa de uísque Jack Daniel's, uma gravata cinza (com as inicias dos noivos e a data do casamento bordados atrás), um charuto e um cortador de charuto.

MAM registra boletim de ocorrência contra agressões físicas e verbais

O trabalho apresentado na ocasião, afirma a nota, “não tem conteúdo erótico e se limitou a uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.”

O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) recebeu neste domingo, 1, mais de uma centena de artistas e diretores de museus que prestaram solidariedade à instituição pelas agressões que vem sofrendo nos últimos dias. Um ‘abraçaço’ em torno da sede do museu selou o compromisso de importantes nomes das artes visuais do Brasil, entre eles Paulo Pasta, Ivo Mesquita, Aguilar e Guto Lacaz, contra atos de barbárie perpetrados contra instituições como o MAM, que, na sexta-feira, segundo nota da direção do museu, “foi invadido e seus colaboradores e visitantes foram alvo de ofensas e agressões verbais em claro ato intimidatório”.


Manifestantes fazem ato de apoio ao MAM (Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo)

No sábado, representantes de movimentos conservadores protestaram contra a performance do bailarino e coreógrafo Wagner Schwartz no dia da abertura da 35ª. edição do Panorama da Arte Brasileira, terça, 26. Dessa vez, segundo a nota de posicionamento do MAM, “além das agressões verbais, cometeram atos de violência física contra visitantes e colaboradores”. Em resposta às agressões, o museu registrou dois boletins de ocorrência, “nos quais constam também denúncias de ameaças de danos ao patrimônio por meio de telefonemas anônimos e mensagens em plataformas de mídias sociais”.

Na nota, o MAM esclarece mais uma vez que a performance La Bête, realizada na abertura do Panorama, “se deu com a sala sinalizada, incluindo a informação de nudez artística, seguindo o procedimento regularmente adotado pela instituição de informar os visitantes quanto a temas sensíveis”.

O trabalho apresentado na ocasião, afirma a nota, “não tem conteúdo erótico e se limitou a uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.”

Na performance, o coreógrafo Wagner Schwartz manipula um “bicho” de plástico (originalmente uma peça articulável de metal), colocando-se à disposição do público para ser igualmente articulado. Uma pessoa presente gravou a performance em vídeo e o transmitiu por rede social. O vídeo viralizou e foi interpretado por internautas como um ato de pedofilia, porque uma mãe e sua filha menor tocaram no corpo do performer.

“O museu reitera ainda que a criança que aparece no vídeo veiculado por terceiros era visitante e estava acompanhada e supervisionada por sua mãe e que as referência à inadequação da situação são resultado de desinformação, deturpação do contexto e do significado da obra”.

“O MAM considera pertinente o debate para o aprimoramento e difusão do marco legal de classificação indicativa nos museus, ao mesmo tempo em que defende a liberdade de expressão na produção cultural”, conclui a nota, agradecendo as manifestações de apoio que tem recebido de instituições culturais e do público. Até a hora do fechamento do museu neste domingo ainda pairavam no ar ameaças de grupos radicais conservadores, segundo a assessoria do museu.

01 de outubro de 2017

Morre S.I. Newhouse Jr, dono da editora de 'Vogue' e 'The New Yorker'

No Brasil, a editora Globo publica alguns títulos licenciados da Condé Nast, entre eles "Glamour", "GQ" e "Vogue".

Morreu neste domingo (1) S.I. Newhouse Jr, aos 89 anos, em sua casa em Nova York. Ele era dono do grupo Condé Nast, que publica nos EUA revistas como "The New Yorker", "Vogue" e "Vanity Fair".

No Brasil, a editora Globo publica alguns títulos licenciados da Condé Nast, entre eles "Glamour", "GQ" e "Vogue".

S.I. controlava junto do irmão, Donald Newhouse, o império editorial fundado pelo pai, Samuel I. Newhouse. A fortuna da família é avaliada em US$12 bilhões (R$ 40 bilhões, aproximadamente).

Samuel, o pai, adquiriu a Condé Nast em 1959. Quando S.I. assumiu o controle da editora, na década de 1970, implementou títulos glamourosos, que tinham ricos e famosos como principais personagens.

Suas revistas, que chegaram a 15 publicações simultâneas, ganharam notoriedade por conta dos orçamentos astronômicos e receitas nem sempre lucrativas, além da contratação de profissionais renomados e demissão de colaborados antigos.

Samuel Irving Jr nasceu em 8 de novembro de 1927. Com Jane Franke, com quem se casou em 1951, teve três filhos, Sam, Wynn (morto em 2010) e Pamela.

Eles se divorciaram em 1959 e S.I. se casou pela segunda vez, em 1973, com Victoria Newhouse, arquiteta e escritora, com quem vivia em Manhattan.

Deixou a mulher, os dois filhos, cinco netos e três bisnetos. Com informações do "The New York Times".

Xuxa critica filho de Datena e apresentador rebate: 'Imbecil'

Datena postou um vídeo em suas redes sociais para responder à apresentadora, usando uma indireta.

Xuxa Meneghel não gostou de um comentário feito por Joel Datena durante o "Brasil Urgente" de sábado (30). O rapaz é filho de José Luiz Datena, que comanda o mesmo programa de segunda a sexta, sendo substituído por Joel aos sábados.
Apresentadores protagonizaram polêmica nas redes sociais (Fotos: Divulgação)

Nas redes sociais, Xuxa se referiu a uma reportagem exibida no programa, sobre um menino de dez anos, filho da vice-prefeita da cidade de Mamanguape (PB), que dirigiu o carro da mãe.

"Mudando de canal vi essa pessoa [Joel] falando de uma criança de 10 anos que pegou um carro e saiu gravando. Até aí ok a indignação do apresentador... Mas dizer que se fosse filho dele ele iria bater, e que seria melhor ele bater do que a polícia, aí não, né?", escreveu a apresentadora.

"Dizer que a 'Lei Menino Bernardo' não vale para ele... Então, meu Senhor, a lei serve para  TODOS. Violência gera violência, e falta de informação no seu caso é imperdoável. Como uma pessoa que deveria passar informação é tão desinformada? Uma criança não deve ser corrigida com porrada, é fato, é lei", ela continuou.

Xuxa é madrinha da "Lei da Palmada", que pune castigos que resultem em sofrimento físico a crianças.

Pouco depois da publicação de Xuxa, Datena, o pai, postou em suas redes sociais um vídeo com uma indireta.

"Olha, para dizer a verdade, uma das poucas vezes que eu quis dar umas palmadas no meu filho Joel, e foram poucas às vezes, era quando ele assistia aquela garota de programa infantil, que cresceu e continua infantil, e além disso, imbecil", ele diz no vídeo, sem citar o nome de Xuxa.

Veja abaixo o vídeo feito pelo apresentador Datena:



Chitãozinho e Xororó se unem a sertanejas para exaltar mulheres

Eles vão cantar com Kell Smith, Anavitória, Ana Clara, Alcione, Marília Mendonça, Maiara & Maraisa, Simone & Simaria, Bruna Viola e Paula Fernandes

A ascensão do número de cantoras é a grande realidade atual da música brasileira. No sertanejo, por exemplo, os vozeirões femininos inspiraram o projeto Elas em Evidência, novo CD e DVD da dupla Chitãozinho & Xororó, que reunirá artistas da nova geração do gênero. A gravação está marcada para o dia 4 de outubro, no Rio de Janeiro.

Extrapolando o arco sertanejo, eles vão cantar com Kell Smith, Anavitória, Ana Clara, Alcione, Marília Mendonça, Maiara & Maraisa, Simone & Simaria e Bruna Viola. Paula Fernandes é outro nome confirmado, mas não estará presente na filmagem.

Em show feito sob direção musical de Claudio Paladini, Chitãozinho & Xororó cantarão grandes sucessos com o elenco feminino e apresentarão algumas músicas inéditas.

— Convidamos esse grande time porque queremos homenagear as garotas que estão fazendo música sertaneja e popular agora. Elas fazem um trabalho bonito e bastante reconhecido, que gera uma carreira bacana. Aí sentimos vontade de convidá-las para cantarem juntas.

O artista ainda confessou que está feliz ao ver o cenário musical crescer com a presença de mulheres.

— Ficamos um bom tempo sem ter essas representantes. Sentimos uma admiração enorme por todas. Tínhamos esse desejo de ver a música brasileira evoluir. Em outros países, temos várias representantes e, aqui, parecia que só tinha homem. Com mulher fica mais bonito.

Com diversas opções, Chitãozinho admitiu que foi difícil escolher quem faria parte do projeto.

— Com tantas artistas incríveis no nosso cenário musical foi complicado fazer uma lista que coubesse todas. A ideia era navegar, claro, na nossa raiz sertaneja, mas incluir nomes de outros estilos musicais como o pop e o pagode. A música não tem fronteiras na hora de emocionar e tocar as pessoas. Essa é a nossa missão.

Ele ainda afirmou que o convite é uma forma de inovar a carreira.

— Como somos tradicionais, sempre buscamos reinventar nossa carreira em projetos conjuntos com a nova geração da música brasileira.

O show se baseia em Evidências, turnê atual da dupla. O repertório conta com canções inéditas, mas não deixa de lado os grandes sucessos que marcam os 40 anos de carreira de Chitãozinho & Xororó, como Nuvem de Lágrimas, Sinônimos, A Majestade o Sabiá, Fio de Cabelo, Evidências, entre outras.

Empresário afirma que Justin Bieber passou por momento pior do que imaginam

Depois de descobrir o cantor canadense no YouTube quando era apenas uma criança, Braun sentiu a responsabilidade de mantê-lo seguro

Scooter Braun se abriu sobre ajudar Justin Bieber a superar suas batalhas. Em uma entrevista aos Wall Street Journal Magazine, Braun revelou que o "surto" de Bieber no início de 2014, quando ele foi preso por beber sob a influência de substâncias ilícitas, foi muito pior do que o público imagina.

Resultado de imagem para justin bieber imagens[

"Foi pior do que as pessoas perceberam", admitiu Braun na entrevista publicada na quinta-feira, 28 de setembro. "Eu falhei com ele dia após dia. Nós estávamos vivendo no inferno porque ele estava em um lugar tão escuro". Braun, 36 anos, disse que, embora ambos tenham vidas privilegiadas, era fácil ver que o cantor de 23 anos estava passando por algo sério. Ele disse: "Eu passo por inconveniências e outras pessoas passam por problemas. Os meus parecem importantes, mas não são. Não são vida ou morte. A vida de Justin chegou a um ponto em que era um problema".

"Nosso relacionamento realmente passou por momentos difíceis, mas comecei a aprender coisas que me tornaram um homem melhor. Quando chegou o momento e Justin precisou de recursos para voltar ao bom caminho, queria me certificar de que eu seria uma rocha e alguém a quem ele poderia recorrer", disse o empresário, revelando que ele começou a ir às reuniões de Al-Anon no momento.

Depois de descobrir o cantor canadense no YouTube quando era apenas uma criança, Braun sentiu a responsabilidade de não apenas torná-lo bem-sucedido, mas também de mantê-lo seguro. "Algumas das maiores pessoas da indústria, pessoas investidas na carreira de Justin, me disseram: 'acabou. Concentre-se em outra coisa. Esse garoto está pronto'", disse o agente de talentos. "Eu fiz uma promessa com ele quando ele tinha 13 anos que eu nunca iria desistir dele. Planejo manter essa promessa".

Desde a época da queda de Bieber em 2014, que incluiu fotos dele urinando em um balde em um restaurante e boatos de uso de drogas, Braun orquestrou um grande retorno para o cantor que começou com um episódio cômico no canal Comedy Central, até o lançamento de seu álbum de sucesso, 'Purpose'. "Ele é família. Eu acho que sou mais como um irmão mais velho, especialmente porque ele se tornou um homem", disse Braun. "Eu acho que ele viu o pior de si mesmo, e vê-lo sair daquilo foi incrível".

Nora de 22 anos ajuda Zilu a dar "repaginada no visual"

Casada com Igor, o filho caçula de Zezé Di Camargo, a jovem é formada em Arquitetura e Urbanismo

Quem acompanha Zilu Camargo nas redes sociais já percebeu que ela deu uma sofisticada no visual. A responsável por toda essa mudança se chama Amabylle Eiroa, nora da socialite. Casada com Igor, o filho caçula de Zezé Di Camargo, a jovem de 22 anos é formada em Arquitetura e Urbanismo e foi contratada pela sogra para "dar um up" no Instagram dela, fazendo produções de moda e também das fotos postadas.

"A Zilu sempre foi uma mulher muito elegante em sua forma de se vestir, porém, ela estava querendo dar uma repaginada em seu visual, buscando possibilidades de exercitar versatilidade em um novo estilo. Com a maturidade, surge a necessidade de algumas mudanças no visual. E foi baseado nesse contexto que busquei novas produções para atender a sua solicitação", explica a nora. "Sou eu quem escolho toda a produção. Ela sempre me deixa muito à vontade para eu executar o trabalho com 100% do meu gosto", acrescenta.

Para a tarefa, elas contam com parcerias com algumas marcas de roupas. E a procura de empresas interessadas em vestir a socialite de 59 anos é muita.

Zilu usa o Instagram para divulgar roupas de grife

"As lojas entram em contato via 'direct' no Instagram da própria Zilu, e é nessa hora que eu começo o meu trabalho, selecionando parceiros que venham a contribuir com roupas e acessórios que possuam uma identidade compatível ao perfil das produções que quero fazer para ela", explica a arquiteta.

A parceria tem dado tão certo que as duas pensam em, no futuro, abrir um estúdio de fotografia juntas. Por ora, Amabylle já colhe os louros da parceria com a sogra.

"Já recebi várias propostas de trabalho nesse segmento. Estou contratada mensalmente por uma empresária de Alphaville (SP), chamada Selene Ferreira, do ramo de cosméticos, proprietária da marca Ewoé, para fazer produções para suas redes sociais. Desse trabalho, acabou gerando também um trabalho na área de arquitetura, pois nesse momento estou executando um novo projeto de seu escritório e show room. Estou bastante feliz, pois estou podendo trabalhar na minha área de formação que é a Arquitetura e Decoração, bem como posso trabalhar com fotografia que tenho uma enorme paixão, que sempre foi um hobbie e acabou gerando, de certa forma, mais um campo de trabalho", comemora.

Família famosa

Integrante de uma das família mais famosas do país, Amabylle se define como uma pessoa "extremamente tímida e reservada" ("Para você ter uma ideia, em dez anos, essa é a primeira vez que estou dando uma entrevista", explica) e revela ter no sogro, Zezé Di Camargo, um segundo pai.

Zilu usa vestido de R$ 679

"Minha relação com o Zezé e a Graciele (Lacerda, noiva do cantor) também é pautada em muito respeito, carinho e maturidade. Tenho o Zezé como um segundo pai, ele é uma pessoa que está sempre presente em nossas vidas, sempre disposto a apoiar e orientar as nossas decisões".

Já com a sogra, a arquiteta não precisaria nem dizer como as duas se dão bem. "Minha relação com a Zilu é de respeito, carinho e maturidade. Ela é muito gente boa comigo".

Amabylle vive um relacionamento com o DJ Igor Camargo há dez anos, e há cinco eles dividem o mesmo teto. "Em relação a oficializar a união, às vezes conversamos sobre o assunto, mas a nossa relação já é pautada em muito amor e respeito e assinar um papel neste momento não faria diferença alguma, mas existe a possibilidade, sim".