• assinatura jornal

Notícias Pio IX

22 de novembro de 2016

Cidade de Pio IX recebeu Ação do Minha Casa Legal nesta segunda

Cidade de Pio IX recebeu Ação do Minha Casa Legal nesta segunda (21)

Os mutuários da cidade de Pio IX foram contemplados, na manhã desta segunda (21), com uma Ação Itinerante do Programa Minha Casa Legal, com o objetivo de promover a regularização fundiária urbana e financeira das 50 famílias que residem no Conjunto Habitacional Joaquina Arrais. Para a ação, a Empresa montou um Escritório Itinerante no Auditório da Secretaria de Educação de Pio IX.

De acordo com o Diretor-Presidente da Emgerpi, Ricardo Pontes, esta ação pretende resolver algumas pendências, visto que a maioria dos mutuários deste município já quitaram suas dívidas com a Empresa. “A nossa meta é levar mais comodidade e também estimular as pessoas a solicitarem os ofícios de liberação de hipoteca, documento que garante ao mutuário obter, em cartório, o registro definitivo da sua casa”, declarou.

Conforme a mutuária Maria de Fátima Oliveira, que mora no Conjunto há 33 anos, a Emgerpi fez uma ação muito boa porque se não fosse esse itinerante teríamos que ir até Teresina para resolver nossos problemas. Maria de Fátima disse que já quitou sua casa e agora está aguardando somente o ofício de liberação de hipoteca para ter a segurança jurídica que  o registro de imóvel garante ao mutuário.

“Essa ação é importante porque foi através do atendimento, que foi muito satisfatório, que consegui resolver as pendências que faltavam ara receber o registro de imóvel da minha casa”, disse o mutuário Francisco Hermes Lima, um dos primeiros a ser atendido pela equipe jurídica da Emgerpi.

Todo o atendimento está sendo realizado das 8h às 18h. A diretora de Processos Imobiliários da Emgerpi, Ana Lúcia Gonçalves, afirma que a área do conjunto já foi averbada, logo, os mutuários precisam comparecer ao escritório itinerante para requerer os seus ofícios para ir ao cartório competente e adquirir a escritura definitiva dos seus imóveis.

Próximas Ações do Minha Casa Legal

Os escritórios itinerantes do Programa Minha Casa Legal estará nos dias 22 e 23 de novembro na cidade de Fronteiras. Esta ação visa regularizar as 50 unidades habitacionais do Conjunto Dirceu Arcoverde O atendimento será feito das 8hs às 18h, no Colégio Estadual Francisca de Sousa Moraes, Rua Joaquina Maria de Sousa, s/n, Bairro Sagui (Soin), próximo ao Pólo Esportivo do município.

O município de Paulistana será contemplado com a Ação Itinerante nos dias 24 e 25 de novembro. Os usuários que moram nas 60 imóveis do Conjunto Raimundo Damasceno receberão atendimento das 8hs às 18hs, no Auditório da Secretaria de Educação de Paulistana, localizada no centro da cidade.

25 de junho de 2015

Professores de Pio IX tem salários reduzidos pela metade

Professores de Pio IX tem salários reduzidos pela metade

Na última terça-feira, (23), professores da rede municipal de Pio IX, tiveram seus vencimentos reduzidos em 50%. A prefeita do município,Regina Coeli Viana de Andrade, anunciou a medida de corte desde o início do ano letivo mediante a não aprovação do projeto que visava estabelecer o regime estatutário com previdência própria.

A ideia da mudança de regime, não foi aceita pelos servidores da educação municipal, segundo estes os RPPS comprovam a ineficácia deste modelo, e que em grande maioria, estes chegaram a falência em todo o país. A partir de então, os professores tiveram que conviver em seu cotidiano com os rumores do corte de 50% de seus rendimentos como justificativa para reduzir gastos, situação que gerou um enorme desconforto para a categoria.

Reunidos por mais de quatro horas na Secretaria Estadual de Educação - Seduc - na tarde desta quinta-feira (3), representantes do Governo do Estado, sindicalistas e Ministério Público fizeram uma revisão na folha de pagamento e planilhas de custos do órgão para elaborar uma nova proposta de reajuste salarial para os professores. Os valores não foram definidos, mas o resultado dessa análise será apresentado ao governador Wilson Martins (PSB). A decisão final com o percentual de aumento, para o fim da greve que dura mais de dois emses, deve sair somente na segunda-feira. Participaram da reunião os secretários de Educação, Átila Lira, e Administração, Paulo Ivan da Silva Santos, além do crontrolador-geral do Estado, Antônio Filho, a promotora Leida Diniz e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí - Sinte-PI - e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE. Ao longo da tarde, foi avaliada a revisão no reajuste. Os dados devem ser revistos e estudados novamente durante o fim de semana para consolidação da proposta. Pela manhã, em encontro no Palácio de Karnak, o governador Wilson Martins (PSB) apresentou proposta para que todos os recursos federais extras que chegarem do Fundo de Educação Básica - Fundeb - sejam repassados diretamente para o reajuste dos professores. O mesmo grupo que participou da reunião da Seduc deve acompanhar a liberação dos recursos a cada mês. A categoria cobra aumento linear de 22% para todas as classes, mas o Estado alega estar no limite do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. O impacto na folha seria de R$ 19 milhões. O governador Wilson Martins tem viagem programada para municípios do Norte do Estado nesta sexta-feira, começando por Barras. Ele aguarda a consolidação da nova proposta por parte da comissão de gestores e sindicalistas que, chegando a um acordo, terão o reajuste salarial confirmado. Da Redação redacao@cidadeverde.com

Greve dos professores da rede estadual de Picos Foto : Maria Moura

IMG_4843

Diretores e coordenadores das escolas de Pio IX foram acionados pela SEMEC e distribuíram nas escolas do campo e da cidade, as novas lotações com a redução de 20 hs na jornada de trabalho dos professores que se efetivaram pelos concursos de 2008 e 2012.

Além dos danos incalculáveis à sobrevivência dos professores afetados, estes afirmam sobre a forma desorganizada, irresponsável e precipitada por parte dos gestores em desestruturar o horário escolar, sem primar pela qualidade a pouco mais de um mês para encerrar as atividades do 1º semestre do ano letivo.

A realidade é que tal medida acabou por deixar turmas sem aula, pela inexistência de professores, horários de aulas falhos e com aulas vagas e inviabilizando também a troca de livros didáticos entre os professores, que tiveram suas turmas e disciplinas trocadas na terça com a determinação de lecionar suas aulas já no dia seguinte, tudo isso, traz sérios prejuízos ao alunado.

“O descontentamento e o clima de indignação por parte dos professores é geral, a revolta é nítida, até mesmo por parte da população, que tem constantemente se pronunciado sobre o assunto. Muitos professores se dizem angustiados e humilhados e que se sentem mal e desestimulados para lecionar”, quando na realidade deveriam ser valorizados e respeitados, pois não podem carregar o peso da crise financeira, sendo que outras medidas poderiam ter sido adotadas para evitar tamanho abalo para os professores e que agindo desta forma, a gestão municipal não tem tido compromisso algum com a educação.