Sobrevivente do voo da Chapecoense, Rafael Henzel volta ao trabalho

Henzel vai voltar a narrar na primeira partida da equipe profissional da Chapecoense, no dia 25 de janeiro, contra o Joinville.

09/01/2017 11:05h

O jornalista Rafael Henzel voltou a trabalhar. Um dos seis sobreviventes da tragédia com o voo da Chapecoense, no dia 29 de novembro de 2015, na Colômbia, o catarinense retornou à Rádio Oeste Capital FM, de Chapecó (SC), na manhã desta segunda-feira. Às 7h, o radialista começou a comandar o programa “Som e Café News” e falou da alegria de estar no ar.

"Eu volto a trabalhar na rádio para voltar à rotina. Não é uma coisa muito fácil, mas Deus preservou meu intelecto, minha voz, para que eu pudesse voltar a trabalhar. Tenho certeza que no primeiro gol vai ser complicado, mas são processos que todos nós temos que passar, seja o torcedor que volta pra Arena (Condá) pela primeira vez depois do que aconteceu, seja nós profissionais que perdemos amigos e colegas. É um processo todo de reconstrução. Digamos que estou em uma pré-temporada, assim como a Chapecoense, para voltar bem, voltar feliz e levar essa felicidade para o torcedor e para os amigos também", disse no ar.

"Estamos voltando à rotina. Temos uma série de sentimentos que vem e vão. Mas vamos superar isso e empurrar o nosso time nesse ano. Queria mandar um agradecimento a todos do Hospital Unimed Chapecó, que nos atenderam com tanto carinho e também ao hospital em Río Negro, na Colômbia, onde fomos muito bem tratados, que abriram as portas para os médicos da Chapecoense e nos fizeram ganhar uma nova dia", disse no ar.

Henzel vai voltar a narrar na primeira partida da equipe profissional da Chapecoense, no dia 25 de janeiro, contra o Joinville, na estreia do clube pelo Campeonato Catarinense. Ele também quer trabalhar em todos os jogos do time na Libertadores, mesmo os jogados em outros países da América do Sul.

Henzel foi um dos seis sobreviventes à queda do avião que matou 71 pessoas em Río Negro, uma cidade próxima a Medellín, na Colômbia. O time viajava no voo da LaMia para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Além do radialistas, os demais sobreviventes foram o lateral Alan Ruschel, o goleiro Jackson Follmann e o zagueiro Neto, além do técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez.

Fonte: Extra

Deixe seu comentário