• assinatura jornal

Time grande cai sim! 2016, o ano que o Internacional se apequenou

De campeão gaúcho e até líder do Brasileirão, Colorado se afunda na lama de declarações e más atuações para ser rebaixando para a Segunda Divisão

08/01/2017 17:00h

Primeiro, surgiu a história de Tapetão, com o a direção acusando o o zagueiro Victor Ramos, do Vitória, de estar em situação irregular. Os gáuchos seriam acusados até de falsificar documentos para conseguir sucesso no caso. Só que o pior ainda estava por vir.

O desastre da Chapecoense pareceu um momento oportuno para os representantes do colorado pensarem em tirar vantagem, envergonhando os próprios torcedores. Cartolas compararam a tragédia com 71 mortos com a luta para fugir do rebaixamento. Chegaram a cogitar pedir o cancelamento da última rodada e até os jogadores entraram no clima e falaram que não tinham condição de atuar. A intenção pareceu uma maneira de melar o campeonato para não rebaixar ninguém.

Assim, o clube que dizia “time grande não cai”, acabou se rebaixando antes mesmo do descenso, que foi confirmado na derrota para o Fluminense em Edson Passos. Foi uma queda comemorada por torcedores de todo o país, pela antipatia criada pelo “caso Chape”. De cabeça cheia, ainda mais pelo Grêmio ter encerrado 15 anos de fila com o título da Copa do Brasil, o torcedor colorado elegeu de forma enfática Marcelo Medeiros, da oposição, com quase 95% dos votos válidos. 

E esperança agora é que 2017 seja o ano que o Inter não só retorne à Primeirona, mas também recupera a grandeza que sempre teve.

Fonte: Esporte interativo

Deixe seu comentário