• Águas de Teresina
  • assinatura jornal

Andrés fala em resgate do Corinthians e diz que cobrará Roberto na segunda

Andrés deve voltar a ser atuante na política corintiana

08/01/2017 16:55h

Andrés Sanchez segue firme como a figura política de maior influência do Corinthians. Preocupado com o desenrolar das notícias que rodeiam o clube desde o segundo semestre do ano passado, com trocas de treinadores, eliminações e a ausência na Copa Libertadores da América, ele prometeu cobrar o presidente Roberto de Andrade em uma reunião marcada para esta segunda-feira. Negando ser a favor de um impeachment, ele não descartou a possibilidade do mandatário deixar o cargo.

“Depende do presidente (se licenciar). Eu vou falar com ele amanhã (segunda-feira), preciso falar um monte de coisas que vejo e sinto. Vamos juntar o máximo de pessoas para resgatar o Corinthians e sair desse noticiário pejorativo”, disse o ex-presidente do Timão à Rádio Transamérica. Mesmo tratando-se de uma “coalizão” para assumir o controle do Alvinegro, como se percebe pelas palavras de Andrés, o deputado federal nega que vá tomar o poder.

“Não estou propondo assumir nada. Mas óbvio que estou à disposição para o que o presidente precisar e o problema é maior que o futebol. Temos que unir as forças e apaziguar o clube. Esse negócio de impeachment atrapalha profundamente as estruturas. Temos vários contratos e isso traz uma insegurança ao seu parceiro”, explicou Andrés.

Na avaliação tanto de Andrés quanto de outros nomes conhecidos da política corintiana, como Luis Paulo Rosenberg e André Luiz de Oliveira, Roberto não conseguiu exercer o cargo da melhor forma em 2016, principalmente por ter dividido bastante seu tempo entre a concessionária de veículos que administra e o Alvinegro.

“Tem que estar mais próximo das pessoas, no dia a dia do clube. Ele tem que estar mais presente no clube do que na sua vida pessoal, nem todo mundo tem esse tempo. Administrar um clube como o Corinthians à distância é complicado. Vou cobrar dele estar mais presente, saber delegar as coisas. O Corinthians é uma peneira, todo mundo fala, manda. Vamos conversar sobre o problema político do clube”, avaliou.

Mentor de Roberto e líder da derrubada de Alberto Dualib do poder, em 2007, Andrés ainda se declarou contra o processo de impeachment instaurado contra Roberto de Andrade. “É um crime para o clube, faz mal ao clube. Mais fácil se juntarem todos agora para tentar resgatar o Corinthians do que ficar falando de impeachment”, concluiu.

Fonte: Esporte interativo

Deixe seu comentário