• Águas de Teresina
  • assinatura jornal

Notícias Turismologia

08 de setembro de 2014

O novo turismo de luxo: menos ostentação e mais exclusividade

Turismo de luxo


*Henrique Mol

Passadas a euforia e a ostentação que resultou no boom econômico da Ãsia e de outros países do Leste, o novo segmento da população que ascendeu ao mercado de luxo representa um desafio às marcas turísticas no mundo todo. Esse consumidor aprende o conceito turismo de luxo sobre outra perspectiva: menos ostentação e glamor e mais exclusividade e experiências culturais, com consciência ambiental e responsabilidade social.

De fato, várias marcas de luxo lançadas recentemente têm optado por um enfoque mais dirigido a novos estilos de vida que à aparências de riqueza. Nesse segmento, podemos mencionar, por exemplo, o Emoya Luxury Hotel and Spa, na Ãfrica do Sul, cuja principal atração é o Shanty Town. Trata-se da reprodução de uma favela, não mais que um barraco com os mesmos materiais das moradias originais da região, mas que, ao contrário do tradicional, dispõe de sistema de aquecimento e acesso a internet.

Há também agências que oferecem hospedagens em aldeias indígenas, iglus, mansões excêntricas, cápsulas subterrâneas e muitas outras opções exóticas que podem ser encontradas no portal Hotels Unusual of the World. O fator preço não é um limitador. Os mediadores desses pacotes concordam que o preço alto é, na verdade, uma demanda relevante na definição do luxo.

Ele será o limiar ao público alvo, indicativo de qualidade, exclusividade e diferenciação social. Conforme aponta o relatório da pesquisa World travel market trends report, da Euromotor, o gasto médio desse turista, em cada viagem, é cerca de 20 mil dólares, em comparação aos 2.500 dólares do turista tradicional. Estudos da Organização Mundial de Turismo (OMT) e daInternational Luxury Travel Market (ILTM) apontam que o turismo de luxo movimenta 3% do volume total e 25% da receita do setor de turismo mundial.

Dada as dimensões desse mercado e o montante de dinheiro que circula nele, há muita gente querendo abocanhar uma parte desse bolo, e, por isso, a concorrência é cada vez mais acirrada. Por este motivo, os agentes têm investido na personalização dos serviços, ditada pela criação de uma relação pessoal baseada na confiança entre fornecedor e viajante e, muitas vezes, mediada pelas mídias sociais.

Sairá na frente aquele fornecedor que estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novos produtos, a fim de manter a visibilidade e garantir a perfeita coordenação dos serviços, desde os planos de transporte, acomodações, serviços de transfer e passeios. Dessa maneira, as possibilidades de se manter no mercado são expressivas. De acordo com uma pesquisa realizada pela Luxury Marketing Council, os clientes de luxo tendem a ser mais fiéis aos seus prestadores de serviços e são importantes veículos de propaganda âboca a boca.

Para o Brasil, as perspectivas são animadoras. A expectativa é que o mercado de luxo cresça 25% nos próximos anos. O que é plenamente respaldado por uma população de mais de 170 mil milionários no país (a maior da América Latina) e por dados que apontam que somos um dos países favoritos a despontar como destino diferenciado nos próximos anos, de acordo com o relatório da Pangea Network.

O Brasil já possui pousadas e hotéis reconhecidos por publicações renomadas como Condé nast traveller e possui interesse em expandir a escala de empreendimentos de luxo. Melissa Oliveira, presidente da Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), que tem 23 hotéis associados, diz que a expectativa é dobrar o número de empreendimentos de luxo do grupo. Além disso, temos credenciais que recompensam com folga o investimento que possa ser requerido: o país é número 1 do mundo em riquezas naturais e o 23 em riquezas culturais. No entanto, infraestrutura e mão de obra qualificada ainda não os acompanham no mesmo passo.

Trata-se da remodelagem do termo âluxoâ. A insígnia, antes vazia, plena de ostentação e aparência, agora se mune de conhecimento e experiências inovadoras, também.

* Henrique Mol, especialista em turismo, é sócio-fundador da Encontre Sua Viagem, franquia de turismo.

26 de agosto de 2014

EMBRATUR participa da Semana do Brasil em Nova York

Turismo brasileiro em NY


Evento é uma oportunidade para promover o país no mercado americano com a divulgação da cultura brasileira

A Semana do Brasil em Nova York, que acontecerá de 25 a 31 de agosto, terá as Mulheres Brasileiras como homenageadas. Esse é um evento que contribui para a divulgação da imagem do país nos Estados Unidos, por meio da promoção da cultura, do turismo e dos negócios brasileiros, impulsionando, assim, o destino Brasil junto aos 20 milhões de nova-iorquinos e aos turistas norte-americanos e estrangeiros que visitam Nova York.

O objetivo da presença do Instituto na Semana do Brasil em Nova York 2014 é apresentar o destino turístico Brasil e mostrar os produtos dos segmentos trabalhados pela Embratur - Sol e Praia; Ecoturismo e Aventura; Cultura; Negócios e Eventos/Incentivo; Esportes e Produtos Focados. Além de ampliar as oportunidades de apoio à comercialização entre o trade dos EUA por meio de ação de promoção durante o evento. âNeste sentido, acredito que é um evento de grande oportunidade para a divulgação do Brasil como destino turístico para o mercado americanoâ, afirma Marco Lomanto, diretor de Produtos e Destinos da Embratur.

A participação da Embratur em Nova York será por meio de três iniciativas:  um Workshop/Apresentação Brasil, uma Vivência Brasileira â Feijoada para convidados do Instituto, além de uma Ação de Relacionamento com o trade turístico americano.

A proposta da Apresentação Brasil é divulgar os Impactos da Copa 2014 e promover as Olimpíadas 2016. A Vivência Brasileira busca reforçar a presença do Brasil no mercado internacional por meio de apresentação da identidade nacional, com uso de elementos culturais como gastronomia, dança música e folclore. Já a Ação de Relacionamento abrirá espaço para a troca de experiências, sendo uma oportunidade para formar novos relacionamentos com entidades estrangeiras e incentivar os turistas para que visitem o Brasil. O público desses eventos são o trade turístico americano (operadores, agências de viagens), imprensa, formadores de opinião, empresários, empreendedores brasileiros e norte-americanos. 

Semana - Três eventos compõem a Semana do Brasil nos Estados Unidos: Expo Brasil, Lavagem da Rua 46 e o After Party.

A Expo Brasil reúne palestras, workshops, exposições de arte, apresentações culturais e sessões de networking. Este ano homenageia as mulheres, exaltando as suas conquistas e ressaltando o Turismo Ãtnico.  A Lavagem da Rua 46 é um desfile e festival cultural que acontece há seis anos em Nova York. O desfile começa na Times Square e atravessa a Rua 46 até a esquina com a Avenida Madison, onde um palco é montado para apresentações musicais de artistas brasileiros e internacionais. O After Party é o evento de encerramento da Semana do Brasil com show do grupo Pulsating Batucada.

Mercado prioritário â Os Estados Unidos são o segundo país que mais emitem turistas ao Brasil. Segundo o Anuário Estatístico de Turismo 2013 do Ministério do Turismo, em 2012 o Brasil recebeu 586.463 turistas americanos.

O foco do trabalho da Embratur nos Estados Unidos tem sido no sentido de estreitar a relação com o trade turístico e otimizar as oportunidades de promoção e divulgação do Brasil com o objetivo de aumentar a entrada de divisas no país em conjunto com o número de turistas que viajam ao Brasil.

Serviço:

Expo Brasil

Exposição: âMulheres de Poderâ

Local: Galeria HSA

  4 West 43rd, New York 10036

Data: 25 a 30 de agosto

Horário: 11h às 20h

Além da exposição, a Galeria HSA vai receber um desfile de moda da designer Mônica Anjos, uma exposição de fotografias de mulheres brasileiras reconhecidas por sua luta por um mundo melhor do fotógrafo Fred Pontes, palestras, networking e performances culturais.  

Exposição: âMulheres de Axéâ

Local: The New York State Office Building

  163 West 125th St., New York 10027

Data: 27, 29 e 30 de agosto

Horário: 13h às 20 h

Além da exposição, o evento contará ainda com o lançamento do livro âMulheres de Axéâ, de Marcos Rezende e painel de debate sobre o Candomblé e mulheres religiosas no Brasil e em Nova York. 

Lavagem da Rua 46

Data: 30 de agosto

Desfile

Horário: 10h às 12h

Local: Início: Times Square & Rua 46

  Final: Avenida Madison & Rua 46. 

Festival

Horário: 12h às 16h

Local: Rua 46 entre as Avenidas 5º & Madison

The After Party

Local:  Webster Hall 

  125 E.11th St., New York,10003 

Data: 31 de agosto

Horário: a partir das 20h00

Show: Pulsating Batucada

Assessoriade Imprensa

Tel: +55 61 2023.8517

www.embratur.gov.br

www.twitter.com/embraturnews

www.facebook.com/embraturbrasil

www.instagram.com/embraturbrasil

22/08/2014

25 de agosto de 2014

Embratur promove Brasil no mercado americano em Nova York

Turismo brasileiro em NY

A Semana do Brasil em Nova York, que acontecerá de 25 a 31 de agosto, terá as Mulheres Brasileirascomo homenageadas. Esse é um evento que contribui para a divulgação da imagem do país nos Estados Unidos, por meio da promoção da cultura, do turismo e dos negócios brasileiros, impulsionando, assim, o destino Brasil junto aos 20 milhões de nova-iorquinos e aos turistas norte-americanos e estrangeiros que visitam Nova York.


O objetivo da presença do Instituto na Semana do Brasil em Nova York 2014 é apresentar o destino turístico Brasil e mostrar os produtos dos segmentos trabalhados pela Embratur - Sol e Praia; Ecoturismo e Aventura; Cultura; Negócios e Eventos/Incentivo; Esportes e Produtos Focados. Além de ampliar as oportunidades de apoio à comercialização entre o trade dos EUA por meio de ação de promoção durante o evento. âNeste sentido, acredito que é um evento de grande oportunidade para a divulgação do Brasil como destino turístico para o mercado americanoâ, afirma Marco Lomanto, diretor de Produtos e Destinos da Embratur.

A participação da Embratur em Nova York será por meio de três iniciativas:  um Workshop/Apresentação Brasil, uma Vivência Brasileira â Feijoada para convidados do Instituto, além de uma Ação de Relacionamento com o trade turístico americano. 

A proposta da Apresentação Brasil é divulgar os Impactos da Copa 2014 e promover as Olimpíadas 2016. A Vivência Brasileira busca reforçar a presença do Brasil no mercado internacional por meio de apresentação da identidade nacional, com uso de elementos culturais como gastronomia, dança música e folclore. Já a Ação de Relacionamento abrirá espaço para a troca de experiências, sendo uma oportunidade para formar novos relacionamentos com entidades estrangeiras e incentivar os turistas para que visitem o Brasil. O público desses eventos são o trade turístico americano (operadores, agências de viagens), imprensa, formadores de opinião, empresários, empreendedores brasileiros e norte-americanos.  

Semana - Três eventos compõem a Semana do Brasil nos Estados Unidos: Expo Brasil, Lavagem da Rua 46 e o After Party.

A Expo Brasil reúne palestras, workshops, exposições de arte, apresentações culturais e sessões de networking. Este ano homenageia as mulheres, exaltando as suas conquistas e ressaltando o Turismo Ãtnico.  A Lavagem da Rua 46 é um desfile e festival cultural que acontece há seis anos em Nova York. O desfile começa na Times Square e atravessa a Rua 46 até a esquina com a Avenida Madison, onde um palco é montado para apresentações musicais de artistas brasileiros e internacionais. O After Party é o evento de encerramento da Semana do Brasil com show do grupo Pulsating Batucada.

Governo anuncia oficialmente a compra de passagens diretas e no atacado

Compra direta de passagens aéreas


omeça a funcionar esta semana  o sistema de compra de passagens aéreas diretamente pelo governo federal, sem intermediação de agências de viagens. o modelo, que durante dois meses será usado em caráter piloto, apenas no ministério do planejamento, orçamento e gestão, está sob a responsabilidade da central de compras da pasta. 

criada em janeiro desse ano por meio de decreto, a central tem o objetivo de reduzir custos nas compras públicas de bens e serviços. no caso das passagens, por exemplo, companhias aéreas assumiram o compromisso de fazer descontos e segurar o preço e o assento por 72 horas. o valor médio dos abatimentos é 5%. 

o modelo de compra de passagens, que durante dois meses será usado em caráter piloto, funcionará durante o período apenas no ministério do planejamento. 

além da mudança na aquisição de passagens, a central de compras se prepara para lançar os dois primeiros editais de licitação desde o início de sua operação. um deles envolve a contratação de serviço de videoconferência para 67 órgãos da administração direta. o outro, a compra de imagens de satélite para 13 ministérios. 

no primeiro caso, o custo inicial, de r$ 800 milhões, caiu para r$ 100 milhões após a central assumir o processo. para a compra de imagens ainda não há comparativo. segundo valter ferreira, chefe da assessoria para modernização de gestão do ministério do planejamento e responsável pela central de compras, um dos fatores que ajuda na diminuição do custo é a análise prévia das necessidades dos órgãos públicos. â[o diferencial] é discutir melhor a demanda e precisar a necessidade. às vezes, ele [órgão público] tem a percepção de um tipo de necessidade maior do que de fato é o que vai precisar. quando senta um técnico do seu lado, já muda bastante a configuraçãoâ, diz ele, destacando ainda a vantagem de fazer compras no atacado.

â[quando] negociado no atacado, as pessoas sabem que quem vencer [a licitação] vai fornecer para um conjunto grande de ministérios. naturalmente, os valores caem mesmoâ, explica ferreira, lembrando que, em 2013, antes da entrada em operação da central de compras, foi feita uma experiência de compra compartilhada para o serviço de telefonia fixa. âfizemos economia só por ter feito de forma centralizada de 48% em relação aos contratos existentes. eram contratos que tinham dois anos e já estavam vencendo. negociamos para 58 órgãos. [a operação] demonstra o potencial da centralâ. 

de acordo com valter ferreira, o objetivo é que, progressivamente, a aquisição de cada vez mais itens esteja sob responsabilidade da central de compras. âcada item vai entrando paulatinamenteâ, diz.

segundo ele, para auxiliar na escolha do melhor modelo de compra, o planejamento contratará os serviços de uma consultoria. âestamos finalizando a contratação de uma consultoria para nos ajudar a analisar cada objeto que venha para a central. hoje, nós temos serviços que são prestados e que muitas vezes os órgãos públicos não têm sequer conhecimento. por exemplo, mobiliário. [vamos avaliar] se você compra separadamente mesas, cadeiras, ou se compra a estação inteira com serviços prestados de computador. hoje é possível fazer isso. a iniciativa privada faz muito. e o órgão público continua comprando a mesa separada, o computador separadoâ, exemplifica.

(Com informações da Agência Brasil)

Inaugurada a nova Orla da Barra em Savador

Investimento de 60 milhões

Uma caminhada entre o Porto e o Farol da Barra marcou a inauguração da nova orla do bairro na tarde de sexta (22/08).  Com o slogan âSalvador nasceu na Barra. Agora, uma nova Barra nasce para Salvadorâ, o prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto entregou o espaço totalmente recuperado aos seus moradores.

 
Com investimentos em torno de R$60 milhões, foram feitas, entre outras obras, a pavimentação (o piso deixou de ser asfáltico para ser em estrutura intertravada), a recuperação de mais de um quilômetro de balaustrada, a iluminação (que passou a ter luminárias de LED) e a instalação de contêineres de lixo subterrâneos para evitar o mau cheiro.
 
Como o espaço foi pensado para beneficiar o pedestre e o ciclista, com pouca circulação de
carros, foram coladas sinalizações voltadas para estes públicos, com placas nas esquinas próximas à praia, sinalizando as ruas e totens de localização geográfica identificando os monumentos. O serviço oferece um recurso que amplia os mapas das vias de acesso e informa o tempo médio até o local desejado. Como parte da inauguração, foi instalada uma roda gigante que ficará 10 dias no local, permitindo que a população tenha uma visão privilegiada das obras realizadas.
 
Na oportunidade, o prefeito anunciou a requalificação em outros trechos do litoral da cidade, como São Thomé de Paripe, Tubarão, Ribeira, Itapuã, Jardim de Alah, Armação, Rio Vermelho, Boca do Rio e Piatã. O secretário de Desenvolvimento, Turismo e Cultura, Guilherme Bellintani, explicou que nessas obras mudam-se costumes, mudam-se conceitos, como ocorreu na Barra, mas prevalece a âalma da cidadeâ. Ele acrescentou que as obras serão entregues até o final de 2014, e os investimentos chegarão a R$200 milhões.

Moradores aprovaram a reestruturação da Barra. A inauguração ainda teve o show  âTodos Cantam Salvadorâ com Márcia Short, Antonio Carlos e Jocafi, Baby do Brasil, Fafá de Belém, Armandinho, Gerônimo, Vânia Abreu e a Banda Jam no Mam.

E a festa continuará neste final de semana. O dia de hoje (23/08) começou com passeio ciclístico a partir das 8h30 e feiras gastronômicas e de artesanatos. No domingo, 24, as feiras continuam, mas ainda terão Cortejo cultural infantil com Microtrio, saindo do Barra Center até o Farol e oficina de pipas, em frente ao Farol

Você talvez goste de ler:
X
Close widget
Brought By SearchSnacks

Inaugurada a nova Orla da Barra em Savador

Investimento de 60 milhões

Uma caminhada entre o Porto e o Farol da Barra marcou a inauguração da nova orla do bairro na tarde de sexta (22/08).  Com o slogan âSalvador nasceu na Barra. Agora, uma nova Barra nasce para Salvadorâ, o prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto entregou o espaço totalmente recuperado aos seus moradores.

 
Com investimentos em torno de R$60 milhões, foram feitas, entre outras obras, a pavimentação (o piso deixou de ser asfáltico para ser em estrutura intertravada), a recuperação de mais de um quilômetro de balaustrada, a iluminação (que passou a ter luminárias de LED) e a instalação de contêineres de lixo subterrâneos para evitar o mau cheiro.
 
Como o espaço foi pensado para beneficiar o pedestre e o ciclista, com pouca circulação de
carros, foram coladas sinalizações voltadas para estes públicos, com placas nas esquinas próximas à praia, sinalizando as ruas e totens de localização geográfica identificando os monumentos. O serviço oferece um recurso que amplia os mapas das vias de acesso e informa o tempo médio até o local desejado. Como parte da inauguração, foi instalada uma roda gigante que ficará 10 dias no local, permitindo que a população tenha uma visão privilegiada das obras realizadas.
 
Na oportunidade, o prefeito anunciou a requalificação em outros trechos do litoral da cidade, como São Thomé de Paripe, Tubarão, Ribeira, Itapuã, Jardim de Alah, Armação, Rio Vermelho, Boca do Rio e Piatã. O secretário de Desenvolvimento, Turismo e Cultura, Guilherme Bellintani, explicou que nessas obras mudam-se costumes, mudam-se conceitos, como ocorreu na Barra, mas prevalece a âalma da cidadeâ. Ele acrescentou que as obras serão entregues até o final de 2014, e os investimentos chegarão a R$200 milhões.

Moradores aprovaram a reestruturação da Barra. A inauguração ainda teve o show  âTodos Cantam Salvadorâ com Márcia Short, Antonio Carlos e Jocafi, Baby do Brasil, Fafá de Belém, Armandinho, Gerônimo, Vânia Abreu e a Banda Jam no Mam.

E a festa continuará neste final de semana. O dia de hoje (23/08) começou com passeio ciclístico a partir das 8h30 e feiras gastronômicas e de artesanatos. No domingo, 24, as feiras continuam, mas ainda terão Cortejo cultural infantil com Microtrio, saindo do Barra Center até o Farol e oficina de pipas, em frente ao Farol

Você talvez goste de ler:
X
Close widget
Brought By SearchSnacks

11 de agosto de 2014

Número de aviões cresce 4,9% no país

Número de aviões cresce 4,9% no país

Por João José Oliveira | De São Paulo

Segundo a Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), a manutenção de aeronaves custou 
a seus donos R$ 2,3 bilhões no ano passado, ou 41,9% das despesas totais desse segmento. 
Apenas o item combustível custou mais: R$ 2,72 bilhões anuais.

Esses dados integram o anuário apresentado pela Abag na sexta-feira. O valor da frota na 
aviação executiva atingiu R$ 12,4 bilhões, ou 16% mais que em 2012. O número de aeronaves 
no país cresceu 4,9%, para 14.648 unidades, em um ano.

Segundo o Anuário da Aviação Geral da Abag, o setor movimentou R$ 12,52 bilhões em produto
direto, com vendas, serviços e salários. "Estamos crescendo entre 5% e 6% por ano e devemos 
manter esse ritmo", disse o presidente do conselho da entidade, Eduardo Marson Ferreira.

Segundo a associação, as vendas de novos aviões e modelos usados movimentaram
US$ 1,3 bilhão ano passado - um valor que deve se repetir neste ano.

Os dados da Abag, apurados junto a um universo de mil empresas, foram revelados no 
lançamento da Labace (Latin American Business Aviation & Conference), que ocorre entre 
12 e 14 de agosto, em São Paulo, no aeroporto de Congonhas.

O presidente do conselho da Abag espera receber 14 mil visitantes na Labace deste ano, 
mesmo número de 2013. Desse universo, 33% são profissionais do setor, 9% são donos 
de aviões e presidentes de companhias e 15% são diretores. A feira terá 190 expositores, 
2% mais que em 2013.

Novo jato da Airbus vai acirrar disputa com a rival Boeing

Novo jato da Airbus

Por Virgínia Silveira | De Santiago, Chile

A entrada em serviço do novo avião A350 da Airbus, até o fim deste ano, promete acirrar a 
competição com a rival Boeing no mercado de aviões de corredores duplos e com assentos 
para mais de 300 passageiros.

O modelo A350-900 (265 passageiros) fez ontem o penúltimo "teste de rotas" desenvolvido 
para demonstrar que a aeronave está pronta para entrar em serviço regular. Decolou de Santiago
do Chile com destino a São Paulo, de onde retornou ontem para Tolouse, na França. O quarto 
de último teste de certificação em voo incluirá Doha, Perth, Moscou e Helsink.

O programa de ensaios em voo, de acordo com o presidente da Airbus para América Latina,
Rafael Alonso, utiliza o avião como se fosse uma companhia aérea. "Durante um mês, cinco
aviões A-350 terão percorrido 14 cidades e somado mais de 540 voos e 2500 horas de voo", 
ressaltou.

O número de testes em voo do A-350 será superior ao A380 em 500 horas, destaca o executivo

Rafael Alonso. No caso do A-350, mais de 350 parâmetros de voo são acompanhados e 
analisados em tempo real por uma equipe de 60 profissionais, entre pilotos, mecânicos e 
pessoal de apoio em terra.

A versão A350-1000 (370 passageiros), que deverá iniciar sua operação em 2017, traz como 
diferenciais o fato de consumir 25% menos combustível e também de ser 20 toneladas mais 
leve que o concorrente 777-300ER, da americana Boeing.

"Isso significa que o A350 pode levar o máximo de passageiros com o limite de alcance da 
aeronave e 20 toneladas a mais de combustível", explica a diretora de marketing para o A350,
María Luisa Lucas. Segundo ela, o salto tecnológico e a vantagem competitiva do A350 foram 
tão claros que a reação da Boeing veio em seguida com o lançamento do 777X.

A versão A350-900 (315 passageiros), a primeira a ser entregue ao mercado, em dezembro 
deste ano, para a companhia Qatar, vai competir com o 777-200ER e com 787-9 Dreamliner 
(para 280 passageiros). Este último também tem o apelo de redução de combustível com o
uso de plástico reforçado por fibras leves de carbono.

"Além de ter 35 assentos a mais que o seu concorrente direto, o A350-900 tem um custo 
por assento 10% menor, oferecendo ao cliente um potencial de lucro maior", afirmou. Para 
o passageiro, os destaques do novo avião, explica a diretora, são a largura das poltronas

(18 polegadas), fila de nove assentos, sensação de luminosidade e amplitude maior. "A altura
da cabine e a sensação de paredes verticais faz com que o passageiro não se sinta dentro
de um tubo", disse.

"O sistema de entretenimento de quarta geração e uma iluminação suave, proporcionada pela 
oferta de mais de 16 milhões de cores, deixam a atmosfera do avião ainda mais refinada", 
completou a executiva da Airbus.

A diferença de custos pela utilização de materiais avançados (que são mais caros), como 
compósitos (53%) e titânio (14%), segundo explica Maria Luisa, é compensada por uma 
redução de 40% nos custos de manutenção. "Isso é possível porque o material composto não
tem problema de corrosão e de fadiga como o alumínio. O tempo de uma manutenção de maior
porte aumenta de seis anos para 12 anos", destacou a diretora da Airbus.

A carteira de pedidos do A350, de acordo com a executiva, conta hoje com um total de 
750 encomendas firmes para 39 companhias aéreas. O número já inclui o contrato recente de 
oito aeronaves feito pela Iberia.

Na América Latina, segundo ela, existe um potencial de vendas de 480 aeronaves desta
categoria nos próximos 20 anos. O presidente Rafael Alonso disse que prevê um mercado
para 100 aeronaves A350 na região nos próximos 10 anos.

"A América Latina se tornou o segundo maior mercado em crescimento no mundo depois do
Oriente Médio, com uma média anual de 6% nos próximos 20 anos", disse.

O vice-presidente de funções corporativas do grupo Latam, Roberto Alvo, disse que o contrato 
de compra de 27 aeronaves A350, já anunciado pela companhia em 2007, está avaliado em 
US$ 7 bilhões, segundo o preço de lista dos aviões. O modelo será operado pela TAM,
primeira aérea das Américas e quarta no mundo a utilizar o A350. Além dela, o A350 também 
será operado pela Azul, que anunciou recentemente a decisão de fazer o leasing de cinco 
aeronaves do modelo A350-900 e o grupo Synergy, que adquiriu 10 unidades para a Avianca.

A fabricante europeia, de acordo com o executivo, segue na liderança do mercado de aviões 
com mais de 100 assentos com uma participação de 62%. "Temos uma frota 553 aviões na 
América Latina, que representam 51% do total vendido na região nos últimos dez anos", afirmou.

Repórter viajou a convite da Airbus

Após Copa, passagens aéreas e hotéis puxam inflação de julho para baixo

passagens aéreas e hotéis puxam inflação de julho para baixo

Com o fim da Copa do Mundo, o item passagens aéreas teve forte impacto em julho na inflação do grupo transportes, um dos que mais contribuiu para puxar o Ãndice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para baixo. Foi registrada queda de 26,86%, que rendeu uma redução de 0,14 pontos percentuais no IPCA geral.

O resultado colaborou para que o índice descesse para 0,01% em relação aos 0,4% registrados em junho, ficando abaixo também dos 0,03% de julho de 2013. Com o IPCA perto de 0 em julho, a inflação acumulada em 12 meses caiu de 6,52% para 6,5%, exatamente o limite da meta oficial do governo. 

No mês de junho, o item passagens aéreas teve movimento contrário, com inflação de 21,95%. O Rio de Janeiro foi o estado em que a queda teve maior intensidade, 38,47%, seguido por Belo Horizonte, com -33,29%, e Vitória, com -32,31%. Em junho, a alta mais forte havia ocorrido em Salvador, com 37,39%.

O grupo transportes, como um todo, caiu 0,98%, depois de ter registrado alta de 0,37% em junho. No mês passado, houve deflação no preço da gasolina (0,80%), do etanol (-1,55%) e também nos automóveis novos (-0,29%) e usados (-0,09%).

Passada a Copa do Mundo, o preço dos hotéis também contribuiu para puxar para baixo a inflação, com queda de -7,65%, após alta de 25,33% em junho. A queda maior foi registrada em Salvador, onde a variação de preços ficou em -23,33%. No Rio de Janeiro e em Belém não houve queda, e, na capital fluminense, a inflação dos hotéis foi 3,45% em julho, subindo sobre uma base que já havia aumentado 43,52% em junho.

O item foi o mais forte na queda das despesas pessoais, cuja inflação caiu de 1,57% para 0,12%. O índice para os serviços de cabeleireiro também recuou, de 0,47% para -0,08%.

15 de junho de 2014

Copa é alavanca para turismo no Brasil

Turismo é o setor mais beneficiado pela Copa.

Recebemos seis milhões de visitantes por ano, número muito modesto, comparado aos 27,4 milhões de turistas que viajam pela América do Sul como um todo

O turismo é uma das principais atividades econômicas do mundo, e com a vantagem de ter um impacto pulverizado, que beneficia desde grandes corporações até o pequeno prestador de serviço.

O turismo se diversificou e hoje atende a todos os gostos, desde os que buscam locais apenas para descanso, até os que são atraídos por arte, cultura, religião, esporte, história, gastronomia, aventura. Com essa diversificação, somaram-se aos destinos tradicionais vários outros que antes eram vistos como exóticos.

O Brasil é um país continental com influência cultural de diferentes povos. Tem de tudo um pouco e, por isso, é capaz de agradar a visitantes mais exigentes até aqueles que viajam com orçamento curto, carregando mochila nas costas.

Mesmo com todo esse potencial, a participação brasileira no mercado mundial de turismo é pouco expressiva. O país recebe seis milhões de visitantes por ano, a negócios ou a lazer. A América do Sul como um todo recebe 27,4 milhões. Para a Argentina, viajam 5,7 milhões de pessoas anualmente.

Deficiências de infraestrutura, áreas inseguras (e os turistas costumam ser alvo para malfeitores em qualquer parte do mundo), o idioma, longa distância dos centros emissores e moeda relativamente valorizada em relação às demais são barreiras que acabam limitando o número de interessados em conhecer o Brasil.

Por isso, eventos da magnitude da Copa do Mundo de Futebol, que o país abrigará pelas próximas semanas, são tão importantes para o Brasil. O evento em si motiva uma grande cobertura jornalística que tem necessariamente como cenário diversos lugares do país. Essa cobertura se restringe ao campeonato, e acaba envolvendo também o que está em volta. Além de atrair de milhares de aficionados pelo futebol (são esperados 600 mil visitantes estrangeiros, incluindo os profissionais diretamente envolvidos no evento) que acompanharão âin locoâ o campeonato, milhões, ou talvez bilhões, de telespectadores e leitores conhecerão um pouco mais sobre o Brasil e o jeito de ser dos brasileiros.

Com erros e acertos, a realização de tamanho evento é um desafio que não se restringe aos serviços públicos, mas aos prestadores de serviços em geral tanto de cidades que abrigarão os jogos como o de todos os demais pontos de interesse turístico do país. à um desafio que só se supera com a prática.

Com a Copa, o Brasil e os brasileiros têm na mão uma enorme oportunidade para fixar o país de fato como um destino turístico que se nivele, ao menos, com o que já acontece na América do Sul. Desprezar essa oportunidade é um desatino depois de tantas evidências do efeito multiplicador do turismo na geração de renda e ocupação.



Read more: 
http://oglobo.globo.com/opiniao/copa-alavanca-para-turismo-no-brasil-12798315#ixzz34gE96jB3

28 de maio de 2014

Copa do Mundo não atrai grande interesse nas cidades-sede

Copa 2014 tem pesquisa do Curso de Turismo da USP

Por Júlio Bernardes - jubern@usp.br

Pesquisa mostra que apenas 23% têm muito interesse pela Copa no Brasil

Pesquisa realizada com 3.770 pessoas nas 12 cidades que receberão os jogos da Copa do Mundo revela que somente 23% dos entrevistados declararam ter muito interesse pelo Mundial. O resultado faz parte de um levantamento sobre a opinião dos brasileiros sobre a Copa, coordenada pelo professor Alexandre Panosso Netto, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, com a participação dos pesquisadores Manuel Alector Ribeiro, da Universidade do Algarve (Portugal), e Dogan Gursoy, da Washington State University (Estados Unidos). Na pesquisa, realizada entre os dias 5 e 12 de maio, 60,3% dos entrevistados afirmaram que a Copa será péssima, ruim ou regular, e 46,9% discordam que o torneio trará benefícios ao Brasil.

âEsse desinteresse pode ser um reflexo dos problemas enfrentados nos preparativos, na organização e nas obras para viabilizar o evento. Inclusive pode ser até uma resposta em forma de protestoâ, analisa Panosso Netto. Sobre a opinião de como será a Copa do Mundo no Brasil, 60,3% das pessoas ouvidas na pesquisa afirmaram que será péssima, ruim ou regular. Os que disseram que será boa ou ótima somam 37%. âEsses dados mostram uma polarização nas opiniões sobre o evento de um modo geralâ, considera Ribeiro.

Entre os entrevistados, 46,9% discordam total ou parcialmente da afirmação de que a âCopa trará mais benefícios do que prejuízos ao Brasilâ, 47,5% concordam totalmente ou em parte e 5,7% responderam que não concordam nem discordam, ou que não sabem. No levantamento, 82,8% das pessoas ouvidas concordam que a Copa levará à superlotação das instalações e da infraestrutura das cidades sedes. âEsse número reflete a opinião que a população tem sobre sua cidade e mostra que as sedes dos jogos podem não estar mesmo preparadas para o eventoâ, aponta Gursoy. Da população ouvida na pesquisa, 60,7% discorda que âo Brasil está preparado para sediar a Copa do Mundoâ, contra 35,3% de concordância total ou parcial.

Sobre a afirmação âEu apoio que o Brasil sedie a Copa do Mundoâ, 40,5% responderam que discordam, enquanto 29,8% responderam que concordam totalmente e 24,9% em parte, num total de 54,7% dos entevistados que afirmaram apoiar a Copa no Brasil. As opiniões também se dividem ao se perguntar sobre a afirmação âA Copa de 2014 será a melhor Copa de todos os temposâ, pois 48,7% dos entrevistados responderam que discordavam e 41% concordavam totalmente. âA frequência da polarização das opiniões é um sinal de que existiu coerência nas respostas dadas pela populaçãoâ, constata Panosso Netto.

Informação
Apesar das várias opiniões sobre o evento, 62,3% da população respondeu que concorda totalmente ou em parte com a afirmação âEu estou bem informado sobre a Copa do Mundo de 2014â. Outros 32,1% responderam que discordavam totalmente ou em parte da afirmação. Sobre como acompanharão os jogos que ocorrerão na cidade de cada entrevistado, 70,1% disseram que verão pela TV, em sua própria casa e 5% na casa de amigos ou parentes. Destaca-se que 15% disseram que não acompanharão os jogos.

Duas questões específicas foram feitas sobre o turismo no Brasil. A primeira delas era se o entrevistado concordava ou discordava da frase âA Copa promoverá o Brasil como um destino turísticoâ. A opinião neste item é a de maior unanimidade, pois 80,1% concordavam totalmente ou em parte com a afirmação, sendo que 49,3% concordavam totalmente. A segunda questão que abordou o tema do turismo é se o entrevistado concordava ou discordava da afirmação âEu me preocupo em receber bem os turistas que virão à cidade assistir os jogos da Copaâ, sendo que 47,6% concordavam totalmente e 24,7% concordavam em parte. âIsso significa que essas opiniões justificam a fama de povo acolhedor e hospitaleiro do brasileiroâ, conclui Ribeiro.

A coleta de dados foi realizada pelo Instituto Datafolha. Os resultados são parciais e vem dos dados coletados na primeira onda de entrevistas, que contou com mais de 110 perguntas feitas a cada entrevistado, com média de 15 minutos de entrevistas. A segunda e última onda está programada para novembro de 2014 e terá como principal objetivo comparar a opinião das pessoas antes e após o evento e analisar pontos divergentes ou mudanças de pontos de vista.

Os pesquisadores esperam publicar os resultados completos da pesquisa em eventos e revistas científicas da área do turismo, administração e ciências sociais. O financiamento para a pesquisa veio do projeto número 487780-2013-2, aprovado na Chamada ME/CNPq 91/2013, do Ministério do Esporte, gerenciado pelo Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (CNPq).

Foto: Pedro Bolle / USP Imagens

24 de março de 2014

Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR)

Fortaleza recebe evento de Turismo Rural

omeça nesta segunda-feira (24), às 9 horas, indo até quinta-feira (27), na capital cearense, a Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR). O evento objetiva ampliar discussões sobre temas na área do turismo rural como gerador de negócios, de informação e da difusão e interiorização do turismo como importante alternativa de desenvolvimento econômico sustentável. 

A CINTURR é uma promoção da Associação Brasileira de Turismo Rural, que tem em sua presidência o cearense Francisco Andrade Garcez, e conta com o patrocínio do Sebrae. Estão juntos na realização do evento a Associação Portuguesa de Turismo Rural (Privetur), a Federação Européia de Turismo Rural (Eurogîtes) e o Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural (Idestur), associado e captador internacional dessa primeira reunião intercontinental do Conselho Nacional de Turismo de 2014 e que tem Fortaleza como sede.

A conferência acontece no Anexo II da Assembleia Legislativa do Ceará, auditório João Frederico Ferreira Gomes, tendo como temática central: âTurismo Rural -Cenários, Desafios e Soluçõesâ, focando um público alvo formado por pequenos e micro empresários, empresários de grande porte, instituições e entidades, profissionais e academia ligada ao setor. São esperados 500 participantes inscritos na Conferência.

Após a solenidade de abertura começa a conferência propriamente dita com a Mesa Redonda (das 10 às 12 horas) âTurismo Rural â Uma visão global para expressar identidadeâ tendo como mediadora Ana Clévia Guerra Lima, do Sebrae/nacional, seguindo-se o Painel âTurismo Rural e Territórios Criativosâ tendo como presidente de mesa Alci Porto Gurgel Júnior, do Sebrae/Ceará.
Temas diversificados - Outros temas enfocados são: âO Cooperativismo Desenvolvendo o Turismo no meio Ruralâ; âCenas Criativas do Brasil Ruralâ; âUma Economia Criativa, baseada na experiência de Portugal; âLegislação e Políticaâ, que terá como presidente de mesa o deputado Sérgio Aguiar, Primeiro-Secretário da Assembleia Legislativa; âCooperação Público/Privadaâ com Patrick Farjas, da França; âSustentabilidade e Desenvolvimentoâ com Marcos Pompeu; âDefinição e Desenvolvimento do Produtoâ, com Panos Poulos, da Grécia, e âTurismo Rural no Brasil, Cenários Atuaisâ.

As últimas ações da conferência serão a palestra âSustentabilidade, Desenvolvimento e Crescimento do Setorâ, com Apolônia Rodrigues, de Portugal, seguindo-se uma reunião entre as entidades de classe e instituições de turismo rural internacional, âcity tourâ em Fortaleza e uma visita técnica a empreendimentos de turismo rural filiados à Associação Cearense de Turismo Rural (Aceter), dia 27, das 7h30 às 18 horas.

Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR)

Conferência Internacional em Fortaleza discute TURISMO RURAL


Começa nesta segunda-feira (24), às 9 horas, indo até quinta-feira (27), na capital cearense, a Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR). O evento objetiva ampliar discussões sobre temas na área do turismo rural como gerador de negócios, de informação e da difusão e interiorização do turismo como importante alternativa de desenvolvimento econômico sustentável. 

A CINTURR é uma promoção da Associação Brasileira de Turismo Rural, que tem em sua presidência o cearense Francisco Andrade Garcez, e conta com o patrocínio do Sebrae. Estão juntos na realização do evento a Associação Portuguesa de Turismo Rural (Privetur), a Federação Européia de Turismo Rural (Eurogîtes) e o Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural (Idestur), associado e captador internacional dessa primeira reunião intercontinental do Conselho Nacional de Turismo de 2014 e que tem Fortaleza como sede.

A conferência acontece no Anexo II da Assembleia Legislativa do Ceará, auditório João Frederico Ferreira Gomes, tendo como temática central: âTurismo Rural -Cenários, Desafios e Soluçõesâ, focando um público alvo formado por pequenos e micro empresários, empresários de grande porte, instituições e entidades, profissionais e academia ligada ao setor. São esperados 500 participantes inscritos na Conferência.

Após a solenidade de abertura começa a conferência propriamente dita com a Mesa Redonda (das 10 às 12 horas) âTurismo Rural â Uma visão global para expressar identidadeâ tendo como mediadora Ana Clévia Guerra Lima, do Sebrae/nacional, seguindo-se o Painel âTurismo Rural e Territórios Criativosâ tendo como presidente de mesa Alci Porto Gurgel Júnior, do Sebrae/Ceará.
Temas diversificados - Outros temas enfocados são: âO Cooperativismo Desenvolvendo o Turismo no meio Ruralâ; âCenas Criativas do Brasil Ruralâ; âUma Economia Criativa, baseada na experiência de Portugal; âLegislação e Políticaâ, que terá como presidente de mesa o deputado Sérgio Aguiar, Primeiro-Secretário da Assembleia Legislativa; âCooperação Público/Privadaâ com Patrick Farjas, da França; âSustentabilidade e Desenvolvimentoâ com Marcos Pompeu; âDefinição e Desenvolvimento do Produtoâ, com Panos Poulos, da Grécia, e âTurismo Rural no Brasil, Cenários Atuaisâ.

As últimas ações da conferência serão a palestra âSustentabilidade, Desenvolvimento e Crescimento do Setorâ, com Apolônia Rodrigues, de Portugal, seguindo-se uma reunião entre as entidades de classe e instituições de turismo rural internacional, âcity tourâ em Fortaleza e uma visita técnica a empreendimentos de turismo rural filiados à Associação Cearense de Turismo Rural (Aceter), dia 27, das 7h30 às 18 horas.

06 de março de 2014

Veja sete argumentos econômicos para defender a Copa do Mundo no Brasil

COPA 2014

Os gastos públicos com a organização da Copa do Mundo têm sido alvo de protestos em todo o País, o apoio popular ao evento tem diminuído, segundo as últimas pesquisas, e os atrasos nas obras prometidas para o Mundial geraram críticas da imprensa internacional e da própria Fifa. Mas há dados oficiais e estudos de consultorias independentes que provam que organizar a Copa traz benefícios ao país.

"Por um lado, o Mundial gerará reflexos e benefícios em diversos setores da economia e da sociedade, sejam temporários ou duradouros, diretos ou indiretos. Por outro, também apresenta vários riscos, necessitando de processos de gestão eficientes no setor público e privado", diz o estudo Brasil Sustentável: Impactos Socioeconômicos da Copa do Mundo 2014, feito em parceria pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e a consultoria internacional Ernst&Young.

O UOL Esporte pesquisou outros estudos, levantou informações públicas do governo federal e ouviu a opinião de economistas e especialistas em planejamento urbano para montar uma lista com sete tópicos que mostram o que o Brasil tem a ganhar com a organização do evento neste ano.

1 â Turistas estrangeiros devem gastar 42% mais

O turismo é um dos setores da economia que mais pode se beneficiar da realização da Copa no Brasil. Entre junho e julho, são esperados 600 mil turistas estrangeiros, segundo o Ministério do Turismo â cerca de 10% do total de visitantes de outros países que o Brasil recebeu em 2013, ano com o maior número de chegada de estrangeiros na história.

O Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) estima que o gasto médio desses turistas será até 42% maior que o normal. Os estrangeiros devem deixar R$ 6,85 bilhões no País nos 30 dias do Mundial, contra R$ 11,8 bilhões gastos pelos turistas de outros países que vieram ao Brasil no ano passado.

Os economistas do Embratur estimam, ainda, que os três milhões de turistas brasileiros que vão circular pelo País por causa do Mundial devem injetar R$ 18,35 bilhões na economia. O turismo pode se beneficiar, ainda, da exposição do Brasil na imprensa internacional e da divulgação de destinos que ficam fora da rota das 12 cidades-sede, segundo especialistas.

2 â Economia pode ganhar até R$ 142 bilhões

Os setores de turismo e serviços devem colocar em movimento cerca de R$ 142 bilhões na economia brasileira entre 2010 e 2014, segundo estudo da Ernst&Young. Comparado com o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) do último ano, a riqueza gerada pela Copa equivaleria a 2,9% do PIB de 2013.

No último ano, a soma das riquezas produzidas no País atingiu R$ 4,84 trilhões, segundo o Ministério da Fazenda. Estudos internacionais, porém, mostram que o impacto do evento na economia costuma ser pequeno: o PIB dos EUA aumentou 1,4% em 1994, o da França cresceu 1,3% em 1998; o da Coréia, 3,1%, e o do Japão, 0,3%, em 2002. A Alemanha teve acréscimo de 1,7% em 2006.

Embora o acréscimo seja relativamente pequeno, segundo economistas, ele poderia não existir se os países não tivessem sediado uma Copa.

3 â Capacidade dos aeroportos deve dobrar

  • Divulgação/Ministério do Esporte

O governo federal costuma dizer que alguns investimentos em infraestrutura nas cidades sedes foram antecipados ou priorizados por causa da Copa do Mundo. Ainda que as obras não fiquem prontas a tempo do Mundial, devem melhorar a qualidade de alguns serviços prestados.

A capacidade dos aeroportos nas 12 cidades-sede, por exemplo, deve dobrar, segundo dados oficiais, passando de 81,7 milhões de passageiros, em 2011, para 167,4 milhões de passageiros nas 12 sedes, de acordo com dados da Infraero e das concessionárias privadas que administram os aeroportos.

A demanda de passageiros deve crescer num ritmo menor, de 36,2%, levando-se em conta apenas os dados dos aeroportos administrados pela Infraero (o que exclui Cumbica, por exemplo).

4 â Microempresas movimentaram R$ 280 milhões

A Copa do Mundo rendeu cerca de R$ 280 milhões em negócios para micro e pequenas empresas. Até o final do evento a expectativa é que o faturamento chegue a R$ 500 milhões, segundo levantamento realizado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

O aumento no faturamento equivale a 0,07% do que o setor movimenta ao ano: R$ 700 bilhões, de acordo com o IBGE. As microempresas são estratégicas para a economia do País, uma vez que são responsáveis por 20% do PIB e cerca de 60% dos empregos, segundo o Sebrae.

5 â Obras geram mais empregos

  • AP Photo/Denis Ferreira Netto

A construção dos seis estádios da Copa das Confederações foi responsável pela geração de 24,5 mil empregos, de acordo com balanço do governo federal. O programa de alimentos e bebidas da Copa do Mundo criará 12 mil empregos temporários em bares e lanchonetes. Além disso, a União pretende capacitar 90 mil pessoas por meio de cursos técnicos relacionados a serviços e turismo.

Mesmo assim, não há consenso sobre quantos empregos diretos devem ser creditados ao Mundial. Em 2010, um estudo da FGV previa que a Copa pudesse gerar 3,6 milhões de empregos diretos e indiretos ao ano (num total de 14 milhões até 2014). O número, porém, é mais alto do que os últimos resultados obtidos pelo País. Em 2013, o Brasil gerou 1,1 milhão de postos de trabalho com carteira assinada, segundo o Ministério do Trabalho.

A previsão do governo federal em 2010 era mais modesta: 332 mil empregos permanentes e 381 mil temporários entre 2010 e 2014.

6 â Arrecadação de tributos pode crescer R$ 18,1 bilhões

A despeito da isenção fiscal para a Fifa e seus vários parceiros, os governos podem aumentar sua arrecadação de tributos por causa da Copa do Mundo. A pesquisa da FGV e da Ernst&Young aponta que o incremento do turismo, a geração de empregos e o consequente aumento do consumo no período do Mundial devem mexer com toda a economia.

Como reflexo disso, a arrecadação de tributos para União, Estados e municípios pode crescer R$ 18,1 bilhões. A previsão do governo federal é um pouco menos otimista: R$ 16,1 bilhões, segundo documento preparado pelo Ministério do Esporte em 2010.

7 â Imagem internacional e autoestima

Estudos internacionais sugerem que há ganhos não mensuráveis relacionado a grandes eventos como a Copa do Mundo, como a melhoria da autoestima da população e da imagem do país no exterior, o que, indiretamente, pode influenciar em ganhos em turismo nos anos seguintes.

"Dependendo do sucesso dos jogos e de como conseguir capitalizar essa imagem positiva, o País terá benefícios por muitos anos. A boa imagem lhe renderá, por exemplo, um incremento na atividade turística, a atração de investimentos estrangeiros, mais visibilidade e credibilidade", diz o estudo Brasil Sustentável.

A queda na popularidade da Copa dentro do Brasil, porém, pode afetar os resultados. A última pesquisa do Datafolha mostrou que 52% da população é a favor da Copa. Em junho de 2013, o índice estava em 65%. Em 2008, 79%. O número de brasileiros contra o Mundial saltou de 10% para 38% no mesmo período.

14 de fevereiro de 2014

ABRAJET Piauí é reintegrada a Nacional

Associação de Jornalistas de Turismo do Piauí

Reintegração da Abrajet Piauí

Depois de alguns anos desativada, a Abrajet - Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo volta a ter representação no Piauí.  Isso deve-se ao esforço da Abrajet Tocantins, representada pela sua secretária geral, jornalista Suzana Barros,  que orientou todo o processo de fundação da seccional, com respaldo do presidente da Executiva Nacional, jornalista Hélcio Estrela. A composição da diretoria piauiense foi definida em reunião realizada na última quarta-feira, 11, em Teresina, que elegeu presidente o jornalista Márcio Felipe, tendo com vice o jornalista Genésio Araújo. 
âO Turismo piauiense ganha novo impulso com a definição dessa seccional da Abrajet, uma vez que a associação tem como principal objetivo divulgar as potencialidades turísticas locais e nacionalâ, declarou por telefone  Suzana Barros, secretária geral da Abrajet Tocantins, que orientou todo o processo de  instituição da seccional piauiense. Para o presidente da Abrajet Nacional, jornalista Hélcio Estrela, esse passo resultará em bons frutos, especialmente no que se refere à divulgação do Turismo. 
âAlém de valorizarmos e qualificarmos o jornalismo especializado em turismo, essa associação também visa ampliar e consolidar os canais de divulgação em favor das atividades de turismo no Piauíâ, disse Márcio Felipe acrescentando:  âpretendemos não só divulgar o turismo, com também organizar eventos e  ações promocionais e publicitárias, visando o desenvolvimento das atividades do jornalismo de turismoâ. 
ABREJET NO BRASIL
A Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (ABRAJET) foi fundada no dia 29 de janeiro de 1957, na cidade do Rio de Janeiro, por um grupo de jornalistas e escritores desejosos para ver a atividade turística conquistando o seu merecido espaço no Brasil.
Hoje a associação está presente em mais de 22 estados brasileiros. O quadro de associados registra atualmente mais de 350 profissionais, que atuam em jornais, revistas, TVs, rádios ou em assessorias de imprensa de órgãos públicos ou empresas do setor de turismo em todo o País.
DIRETORIA ABRAJET -PI
Presidente: Márcio Felipe da Rocha e Silva (jornalista e turismólogo);
Vice-presidente: Genésio Araújo (empresário e jornalista do portal Veneno)
Secretária Geral: Anabela Freitas (jornalista);
Diretora de Relações Públicas: Cíntia Lucas (jornalista/Diário do Povo)
Diretora de Comunicação: Luciana M. de Souza Azevedo (jornalista do site de notícias www.teresinadiario.com,  da Rede Brasil Diário;
Diretor de Promoções e Eventos: Péricles Mendel;
Diretor de Projetos Especiais: Arimatea Carvalho;
Diretor de Assuntos Jurídicos: Luciano Coelho (Diário do Povo e Assessor de Imprensa do Deputado Federal Júlio César);
Conselho Fiscal: Allisson Paixão (Diretor/redação: portal 180º graus), Rafaella Sayuri Sato (repórter e apresentadora da TV Antena 10), Ednaldo Cícero Freitas de Sousa (Diário do Povo), Suzana Prado (Assessora de imprensa do SEBRAE/Pi), Herculano Morais (jornalista e imortal da Academia Piauiense de Letras / Academia de Ciências), Deusdeth Nunes dos Santos ( jornalista e imortal da APL/ Academia de Ciências).
Colaborador: Genésio Júnior (empresário do portal Real/Brasília (DF)



Leia mais: 
http://www.abrajetnacional.com.br/noticias/

28 de janeiro de 2014

Anac homologa aeroporto de Barreirinhas, no Maranhão

Aeroporto de Barreirinhas-MA

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) homologou o registro do aeroporto da cidade de Barreirinhas, no Maranhão. "Já nos próximos dias empresas aéreas podem manifestar interesse em operar rotas regulares e voos charter para a cidade do interior do Maranhão, localizada a 265 quilômetros de São Luís", cita nota do Ministério do Turismo sobre o tema. A decisão pela homologação está presente na portaria 211, publicada na edição desta segunda-feira, 27, do Diário Oficial da União.

O Ministério do Turismo afirma que o local é a porta de entrada dos Lençóis Maranhenses. Com a homologação, a ideia é atrair mais visitantes para a região. "Nossa ideia é que o aeroporto passe a gerar desenvolvimento e renda para o local a partir da atividade turística", disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira. "O objetivo é oferecer um novo acesso e integrar Barreirinhas e o Maranhão aos principais destinos turísticos do país", afirmou.

Segundo o Mtur, o aeroporto de Barreirinhas foi construído há oito anos e nunca entrou em operação. Em 2009, uma única pista operacional em atividade na cidade, destinada apenas a aviões de pequeno porte, foi interditada. Desde então, o único acesso ao destino turístico era feito por terra, a partir de São Luís.

O ministério ressalta que inicialmente, as empresas que operarem em Barreirinhas terão apoio do governo federal para arcar com 60% dos custos de assentos não usados e combustível, por meio de um programa de fomento à aviação regional. A homologação de Barreirinhas foi publicada hoje no Diário Oficial da União. Nos próximos dias o Instituto de Comando da Aeronáutica vai emitir um aviso público, última etapa para que a abertura do aeroporto ao mercado de empresas de aviação.

23 de janeiro de 2014

Arena das Dunas, em Natal, está totalmente concluída

Estádio de Natal foi concluído após 29 meses do início das obras

Arena das Dunas, em Natal, está totalmente concluída

Eventos , Projeção do estádio de Natal, concluído após 29 meses de obras
Projeção do estádio de Natal, concluído após 29 meses de obras

Sede de quatro jogos da Copa do Mundo, a Arena das Dunas, em Natal, está 100% concluída. Após 29 meses de obras, o estádio recebeu os últimos ajustes ontem (domingo) para receber a presidente Dilma Rousseff, que o visitará nesta quarta-feira (22). Ao todo, trabalharam no estádio cerca de 4,5 mil operários, responsáveis pela estrutura que terá 42 mil lugares, 21 acessos, 38 camarotes, sala de conferência, sala de mídia, 30 banheiros, dois lounges vip e 29 bares/restaurantes.

Já estão prontos ambulatórios, academias de ginástica, praça externa de 22 mil m² com piso intertravado para resistir a grandes concentrações de público durante os shows externos e auditório para 250 pessoas. Também serão entregues nos próximos dias os escritórios, as áreas comerciais e as 1,7 mil vagas de estacionamento. O diferencial arquitetônico está totalmente concluído. São as 20 pétalas que compõem a cobertura, que simula as dunas potiguares.

Telespectadores de mais de 200 países poderão assistir às partidas entre México x Camarões, no dia 13 de junho; Gana x EUA (16 de junho); Grécia x Japão (19 de junho) e Uruguai x Itália, no dia 24 de junho, todos válidos pela fase de grupos do Mundial.

Na quinta-feira (23), a Arena das Dunas fará uma festa de comemoração privada para os funcionários e suas famílias, ocasião em que será descerrada uma placa com o nome de todos os trabalhadores. No domingo o estádio terá seus dois primeiros jogos: América x Confiança, pela Copa do Nordeste, e ABC x Alecrim, pelo campeonato potiguar.

Piauí vai receber turistas da copa do mundo

Fortaleza, Natal e Recife são as cidades sedes mais próximas do Piauí


Pedra Furada - Parque Nacional Serra da Capivara (Foto:Arquivo CCom)

O ano de 2014 promete ser o maior em movimentação de turistas estrangeiros no Brasil, de todos os tempos. Os motivos: a copa do mundo de futebol e o trabalho de divulgação das potencialidades turísticas em meios de comunicação, feiras e exposições em todo o mundo. Representam o Piauí, as belezas das praias e os ventos de Cajueiro da Praia, o turismo arqueológico da Serra da Capivara, o Delta do Parnaíba e o Parque Sete Cidades.

No site Visit Brasil, da Embratur, nossas potencialidades são divulgadas com informações, mapas, dicas de como chegar ao local e as principais atrações. A ideia é que estados, que mesmo não sendo sedes da copa, recebam turistas de vários países. Esta é a mesma expectativa do secretário estadual do Turismo, Marco Bona, que espera que com os investimentos do Governo do Estado para fomentar o turismo o ano seja promissor.

Dunas do Delta do Parnaíba( Foto: Divulgação)

âNossa expectativa é que o turismo do Piauí seja impulsionado pela copa do mundo e com a chegada de turistas de todas as partes. Muitos que virão para assistir os jogos do seu País depois irão fazer turismo pelo Brasil, é uma oportunidade única. Para tudo isso houve um trabalho de exposição dos atrativos brasileiros para o mundo, o investimento do Governo do Estado também é crucial, a chegada de voos regulares a Parnaíba e as obras aceleradas no Aeroporto Internacional de São Raimundo são exemplos do nosso trabalho para estimular o desenvolvimento do turismo no nosso Estadoâ, explicou.

Os turistas estrangeiros devem injetar US$9,2 bilhões (cerca de R$22 bilhões) na economia brasileira em 2014, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Caso a previsão seja confirmada, isso representará um crescimento de 38,5% em relação a 2012, quando foram geradas US$6,64 bilhões (R$15,6 bilhões) em divisas internacionais. Em todo o ano de 2014, são esperados 7 milhões de turistas estrangeiros no país, um recorde.

21 de janeiro de 2014

Parque do Rio é o mais visitado do País em 2013

Parque Nacional da Tijuca recebeu 2,9 milhões de visitantes em 2013


Destinos , Parque Nacional da Tijuca: 2,9 milhões de visitantes em 2013
Parque Nacional da Tijuca: 2,9 milhões de visitantes em 2013

Menor parque nacional do Brasil, o Parque da Tijuca, no Rio de Janeiro, foi visitado por 2,9 milhões de pessoas no ano passado, quebrando seu recorde de visitação pelo terceiro ano consecutivo. Embora seja o menor parque nacional brasileiro, com apenas quatro mil hectares, o Parque da Tijuca é o mais visitado do País, por abrigar, principalmente, a estátua do Cristo Redentor, no morro do Corcovado. 

Segundo o chefe do Parque Nacional da Tijuca, Ernesto Viveiros de Castro, "o recorde de visitação é importante pelo fato de termos cada vez mais gente visitando e aprendendo a valorizar nossosparques, mas nos preocupamos também com a qualidade desta visita. à preciso respeitar a capacidade de suporte do Corcovado e das cachoeiras e dar maior conforto e qualidade para a visita". 

Nos últimos seis anos, a visitação do Corcovado triplicou. Parte do crescimento se deve também ao maior controle da visitação do parque. Foram instaladas novas guaritas para controlar áreas como a Vista Chinesa, que registrou 160 mil ciclistas e pedestres, frequentadores do local para práticas de exercício, apreciação da paisagem e uso das cachoeiras.

Os dez países mais caros e os mais baratos da Europa em 2013

Média das diárias em hotéis na Europa


Com o chegada de 2014, owww.trivago.com.br â maior comparador de preços de hotéis do mundo â mostra quais foram os países europeus mais caros e também os mais baratos para se hospedar durante todo o ano passado. Os dados são baseados no tHPI (Ãndice de Preços de Hotel trivago).

Com um preço médio de R$ 611 em 2013, a Suíça foi o país europeu mais caro do ano para se hospedar. Noruega e Suécia aparecem na sequência, seguidos pela França. A Itália fecha a lista dos dez países mais caros com uma média de R$ 388 por uma diária de hotel.

A pesquisa do tHPI foi baseada nos preços médios de cada país durante todos os meses do ano passado, levando em consideração uma acomodação dupla. Na comparação com o ano de 2012, no entanto, todos os destinos sofreram deflação, inclusive os dez mais baratos.

Algumas variações apresentam uma diferença de até 14% na comparação ano a ano, como é o caso de Rússia e Polônia.

Os 10 países eurpoeus mais caros de 2013:

PaísPreço Médio 2013Preço Médio 2012Variação
SuíçaR$ 611R$ 665-8%
NoruegaR$ 515R$ 525-2%
SuéciaR$ 477R$ 487-2%
FrançaR$ 448R$ 480-7%
DinamarcaR$ 439R$ 448-2%
Reino UnidoR$ 436R$ 458-5%
RússiaR$ 407R$ 474-14%
HolandaR$ 401R$ 423-5%
FinlândiaR$ 391R$ 397-2%
ItáliaR$ 388R$ 410-6%

Quanto aos países mais em conta para se hospedar na Europa, o trivago verificou uma grande presença de países do leste europeu no topo da lista. A Bulgária, com um preço médio de R$ 191, aparece em primeiro lugar como o pais mais barato, seguida de Romênia, Polônia e Hungria.

A Polônia, que recebeu a Euro 2012 (Campeonato Europeu de futebol), registrou uma baixa de 14% em 2013. Portugal, Grécia e Espanha, destinos bastante procurados pelos brasileiros, também aparecem na lista.

Os 10 países europeus mais baratos de 2013:

PaísPreço Médio 2013Preço Médio 2012Variação
BulgáriaR$ 191R$ 210-8%
RomêniaR$ 200R$ 222-10%
PolôniaR$ 206R$ 241-14%
HungriaR$ 238R$ 245-2%
PortugalR$ 277R$ 286-4%
GréciaR$ 280R$ 286-2%
CroáciaR$ 299R$ 318-6%
EspanhaR$ 302R$ 318-5%
República TchecaR$ 305R$ 327-7%
ChipreR$ 312R$ 337-7%