• Unimed
  • assinatura jornal
Roda Viva

Os prejuízos de eleger quem não lhe representa

Os prejuízos de eleger quem não lhe representa

19/05/2017 09:49h - Atualizado em 19/05/2017 09:55h

Os prejuízos de eleger que não lhe representa

No Congresso, a tese que mais ganha força é a de eleição direta, mesmo em caso de renúncia ou cassação do presidente Michel Temer. Para isso, era preciso aprovar uma Proposta de Emenda à Constituição que começará a ser discutida próxima semana. Pela legislação atual, em caso de renúncia, a eleição terá que ser indireta, ou seja, só os que integram o Congresso Nacional terão direito ao voto. E é exatamente neste quesito que está a principal prova do colapso político brasileiro. A população não consegue legitimar uma eleição feita apenas por deputados e senadores, mesmo eles tendo sido eleitos pela própria população. É mais um sinal de que a sociedade tem responsabilidade no caos político atual, que fica mais evidenciada em momentos delicados e, portanto, exige cada vez mais da população, consciência e honestidade política na hora de escolher seus candidatos.

O presidente Michel Temer se pronunciou e disse ao povo que “não renunciará” ao mandato de presidente. Disse ainda que, no Supremo Tribunal Federal, mostrar que não tem “nenhum envolvimento com esses fatos”, referindo-se à delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, e em que aparece pedindo um “cala boca” para o ex-deputado Eduardo Cunha. Mesmo dizendo que segue na presidência, há que espere que Temer volte a atrás e renuncie. 


Insegurança ameaça promessas 

Os prefeitos passaram esta semana na capital federal, na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Ouviram notícias boas, mas voltam em um cenário tão conturbado que não lhes garantem o direito de comemorar as conquistas anunciadas. É que, com o presidente Michel Temer agora priorizando sua permanência no cargo tanto no campo jurídico quanto no político, há uma grande possibilidade da máquina pública paralisar e o clima de insegurança econômica voltar a prejudicar os municípios, que normalmente são os que mais sofrem no meio desse tiroteio.

Em resumo 

Depois de tanto oba oba, jantares e recepções calorosas da bancada federal, é bom os prefeitos ficarem atentos ao que acontece em Brasília e seguir cautelosos. Se a situação não estava boa quanto havia sinais de que uma recuperação – mesmo tímida da economia, imagina agora no clima de instabilidade política. 

Reformas paralisadas

Em meio à crise política, as reformas trabalhistas e da previdência estão paralisadas e devem ficar de escanteio pelo menos neste primeiro semestre. Em entrevista a O DIA, o presidente do Instituto de Assistência e Previdência do Estado do Piauí (Iapep), Marcos Stainer, o processo de tramitação da reforma da previdência fica prejudicado com o novo cenário. “Eu acredito que, nesse semestre, não há mais como discutir o fato. A discussão tanto da previdência como de qualquer outra reforma”, disse.

PR expulsa Silas Freire 

O diretório nacional do PR expulsou o suplente de deputado federal Silas Freire dos quadros da sigla (PR). O processo contra Silas foi aberto quando ele votou contrário a orientação partidária na votação da Proposta de Emenda à Constituição conhecida como Teto dos Gastos públicos, que disciplina despesas públicas por 20 anos. A proposta aprovada ano passada era de interesse do governo federal, o qual o PR é aliado e fechou questão pelo apoio no Congresso. Silas Freire, no entanto, votou contrário à proposta.

Podemos? 

Silas Freire anunciou que vai analisar juridicamente seus direitos na busca por uma nova sigla, na tentativa de não ter seu mandato questionado. O parlamentar confirmou que o provável caminho é se filiar ao Podemos. “É o mais indicado, pois já tenho amigos e familiares fazendo parte desta sigla. Em juridicamente estando liberado para ingressar numa sigla, está será a indicada’, concluiu o parlamentar.

Literatura

Em mais uma edição, o Seminário Língua Viva acontece paralelo ao Salão do Livro do Piauí, no Cine Teatro da UFPI. O seminário consta de 70 horas/aula e é voltado para estudantes, escritores, jornalistas, professores e estudiosos de um modo geral. Este ano contará com a participação de grandes autores, como Thalita Rebouças e Luiz Felipe Pondé.

Fonte: ODIA

Deixe seu comentário