• Patrimônio 10/17
  • Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Esplanada

23 de outubro de 2017

Portaria estratégica

Poder, Política e Mercado

Portaria estratégica

Acuado após a publicação da polêmica Portaria que estabelece novas regras para a caracterização de trabalho escravo, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, recebeu uma comissão de auditores na tentativa de angariar apoio da classe. No encontro, o presidente do sindicato que representa a categoria, Carlos Silva, foi direto: “Não vemos outra saída a não ser a revogação”. Nogueira tem levado ao presidente Michel Temer a insatisfação geral. Para agradar a bancada ruralista, Temer vai segurar a Portaria até a votação da denúncia da PGR na Câmara. Depois de se livrar, pode recuar no texto. 

Debandada

Há leva de ministros e diretores de estatais de saída do cargo até fim de dezembro. O primeiro será o presidente do INSS, Leonardo Gadelha, até dia 15 de novembro.

Balanção

Muitos ministros já pediram suas equipes para levantar dados da gestão. Querem apresentar um balanção das suas ações até fevereiro. No fim de março se desvinculam.

Olha o nível

Alexandre de Moraes bateu boca com seguidores no Twitter neste fim de semana. Bem longe do vocabulário elegante que solta no pleno do Supremo Tribunal Federal.

Reforma de A a Z

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip) elencou 50 técnicos para um grupo de trabalho que pretende apresentar aos presidenciáveis de 2018 um programa para uma verdadeira Reforma Tributária, “de A a Z”, como diz o presidente da entidade, Floriano de Sá Neto. Será titulado o “Novo Modelo Tributário”.

Déjà vu

A oposição, que hoje critica a exoneração de ministros-deputados para ampliar votos contrários à segunda denúncia contra o presidente Temer, usou a mesma tática para tentar salvar o mandato da ex-presidente Dilma Rousseff.

Votos vencidos

À época, os ex-ministros do PMDB Marcelo Castro, da Saúde; Mauro Lopes, da Aviação Civil; Celso Pansera (Ciência & Tecnologia) e o petista Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) deixaram as pastas para votar contra o impeachment.

A$$édio

De olho na eventual chegada de cassinos, fazendeiros assediam caciques que controlam belas reservas em beira de praia no Nordeste. Em encontro com um cacique há dias, o presidente da Funai, Franklinberg de Freitas, foi claro: “A terra é de vocês, da União!”

Fiquei

Eduardo Cunha tentou sair da prisão na última sexta-feira. Foi barrado por liminar do ministro do STJ Rogerio Schietti Cruz. Agora, além da Lava Jato, ele está enquadrado na Operação Sépsis, que cercou o doleiro Lúcio Funaro.

Te cuida

O MP do Rio tem dúvidas sobre a justificativa do ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes sobre falsificar assinatura da mulher para abrir e fechar contas offshore nas quais recebeu propina. É porque os bancos exigem assinatura presencial para essas operações.  

Presidente Ioiô

Temer é o Presidente Ioiô. Apresentou uma forte Reforma da Previdência e recuou. Topou o fim do imposto sindical e vai voltar atrás. Recuou no caso da reserva da Renca no Pará, e na concessão de aeroportos. E agora também na Portaria do trabalho escravo.

Motivação

No bojo desse sobe-e-desce, estratégia atrapalhada do presidente em querer agradar parlamentares nas iminências de votações importantes na Câmara Federal – como nas duas denúncias da PGR contra ele.

Vá entender

O mesmo Tribunal Superior do Trabalho que negou indenização a pastor sobre sua relação com uma igreja deu sentença favorável a outro pastor, este da Mundial do Poder de Deus. A igreja terá de pagar rescisão e direitos trabalhistas sobre 5 anos de serviços. As decisões foram de Turmas e relatores diferentes na Corte.

Bolso x Lula

Jair Bolsonaro está disparado na frente na cabeça do eleitor catarinense para presidente da República. É o que revela nova rodada da Paraná Pesquisas com sondagens presenciais em 64 cidades de Santa Catarina, com 1.554 entrevistados. Na estimulada, o deputado linha-dura aparece com 26,2%, seguido de Lula da Silva com 18%.

Os outros

No primeiro cenário, Geraldo Alckmin aparece em quarto (8,2%) atrás de Marina Silva (9,3%). Sem Alckmin, com Dória Jr no páreo, o prefeito paulista surge com 10,8%, na frente de Marina, com Bolsonaro e Lula nas mesmas posições, com pouca variação. 

20 de outubro de 2017

‘Escravos’ da lei

Poder, Política e Mercado

‘Escravos’ da lei

A oposição pretende apresentar dezenas de Projeto de Decreto Legislativo e moções de repúdio para tentar sustar a portaria do Ministério do Trabalho que dificulta a comprovação de trabalho análogo à escravidão. Quatro projetos, do PT, já foram protocolados nas Mesas Diretoras da Câmara e Senado. Autora de uma proposta, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) acusou acordão: “a iniciativa visa agradar a bancada ruralista para salvar o presidente Michel Temer da segunda denúncia”.

Lá de cima

O ministro do TST Lélio Bentes Corrêa também condena a portaria ao resumir que “a fiscalização não pode ficar à mercê de elementos de natureza política e de conjunturas”.

Recuo?

Temer não bateu o martelo. Conversou com o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. Pode surgir nova Portaria mais light diante da cobrança até do Tribunal Superior.

Calote

Enquanto a economia dá sinais de recuperação em setores, há fio solto na outra ponta. Números oficiais que serão divulgados mostrarão déficit inédito na receita de impostos.

Presentão

O Governo deu um presentão para os Odebrecht. Excluiu do plano de privatizações a cota da Petrobras na Braskem S.A., petroquímica comandada pela família baiana e com bom naco de dinheiro da petroleira. Está no Decreto 9.173 da última quarta-feira.

R$ 100 bi

Anda animado o ministro Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência. Estima que os dois leilões do pré-sal dia 27 vão gerar 500 mil empregos e R$ 100 bilhões em investimentos no País na próxima década. Ontem a Coluna revelou que as maiores petroleiras estão de olho na operação.

Buzinaço

Com pressão dos dois lados – taxistas e uberistas – o presidente do Senado, Eunício Oliveira, determinou que entre na pauta da Comissão de Ciência e Tecnologia o PL 28/17 que regulamenta o transporte por aplicativos. O clima é de estranhamento na rua.

Vai votar!

O lobby dos dois lados é tamanho sobre os senadores que Eunício deixou claro: se a comissão não resolver, vai levar a proposta direta para plenário da Casa no mesmo dia.

Fogo amigo

Vinculado à Presidência, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional publicou em seu site um artigo que faz duras críticas ao governo de Michel Temer.

Retrocessos

Assinado pela antropóloga Maria Pacheco, o texto é taxativo: “O Brasil passa por uma grave crise política, econômica e ética”, e “Há retrocessos manifestados nas propostas de mudanças da legislação trabalhista e previdenciária”.

Contras..

Cento e dez deputados já afixaram suas fotos no setor “Investigar Temer” do painel no corredor de acesso às comissões da Câmara. Nenhum deles do PMDB e três do PSDB, da base aliada de Temer: Sílvio Torres (SP), Otávio Leite (RJ) e Fábio Souza (GO).

..e prós

No outro setor, “Livrar Temer”, são 47 “figurinhas” de deputados que assumiram o voto pela rejeição da denúncia contra o peemedebista.

Mudez

Em meio à onda de arapongagem em Brasília, o ministro da Educação, Mendonça Filho, não permite a entrada com celulares, máquinas fotográficas e gravadores nas reuniões. Os aparelhos são recolhidos, cadastrados com etiquetas e depois devolvidos.

Tribuna

Um dos mais tradicionais diários brasileiros e entre as referências no Nordeste, a Tribuna da Bahia completa amanhã 48 anos de existência. Nasceu com a manchete sobre o AI5 e com linha combatente ao regime em 69. Hoje à frente da empresa estão Walter Pinheiro, Marcelo Sacramento, e os editores Paulo Roberto Sampaio e Osvaldo Lyra. A Coluna tem a honra de ser reproduzida no jornal.

17 de outubro de 2017

Portaria & votos

Poder, Política e Mercado

Portaria & votos

A dois dias da votação na CCJ – e provavelmente no plenário da Câmara – do parecer do deputado Bonifácio (PSDB-MG) sobre a denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer, a portaria do Ministério do Trabalho com a regulamentação da fiscalização sobre ‘trabalho escravo’ foi lida como poesia pela bancada ruralista, a mais forte na Casa (da qual Temer, como deputado, também fez parte). Foi um recado do presidente para os parlamentares ‘indecisos’. Na praça, interpretações foram adversas. O que aos olhos dos ativistas pode parecer benesses a fazendeiros, para o Governo normaliza uma situação de ‘justiçamento’ equivocado de fiscais contra produtores.

Grupo de trabalho

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, esteve com o presidente. Há meses havia grupo de trabalho sobre o tema. A conclusão coincidiu com a semana da votação.

Normas

Para o Governo, havia muita liberdade para os fiscais interpretarem de seu jeito o que era ‘trabalho escravo’ diante de flagrantes. A Portaria visa normatizar a fiscalização.

Alô, de casa

Os senadores Paulo Bauer (PSDB) e Romero Jucá (PMDB) telefonaram e garantiram a Aécio Neves que hoje ele terá mais de 41 votos, se houver quórum, para tirá-lo de casa.

PIB pauli$ta

Governado pelo PSDB, aliado do Governo Temer, o Estado de São Paulo lidera disparado o ranking de transferência de recursos da União. Nos últimos 9 meses, os repasses passaram de R$ 28 bilhões. Do total, mais de R$ 8 bilhões foram destinados diretamente para o Palácio Bandeirantes e o restante para municípios paulistas.

Ranking

Conforme dados do Portal da Transparência, os Estados da região Norte – Rondônia, Roraima, Acre e Amazonas – receberam, em média, R$ 2 bilhões nos últimos 9 meses.  No período, o total de transferências de recursos da União soma R$ 235 bilhões.

Compadrio

Apresentado pelo PT no final de setembro, o pedido de cassação do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) permanece parado. O presidente do Conselho de Ética, João Alberto (PMDB-MA), para quem o tucano foi “vítima de armadilha”, despachou o requerimento para Advocacia do Senado sem prazo de devolução ao colegiado.

Dois pesos

Outras denúncias no Conselho de Ética, em que senadores da oposição são alvo, foram acatadas por João Alberto em dias, sem passar pelo crivo da Advocacia do Senado.

Camaradagem

Em nota, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, parabeniza o presidente venezuelano Nicolás Maduro e diz que o país é “exemplo de democracia”.

É muito X

A CPI do BNDES quer ouvir o empresário Eike Batista sobre os empréstimos de mais de R$ 10 bilhões que foram investidos nas empresas MPX, LX e EMX e o financiamento da empresa de participações acionárias do BNDES (BNDESPAR) à MPX. O requerimento do senador Roberto Rocha (PSDB-MA) será analisado amanhã.

Terras Indígenas

Mais de 100 propostas em tramitação no Congresso ameaçam direitos indígenas. É o que aponta levantamento feito pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Os projetos propõem, por exemplo, alteração nas demarcações de reservas e a competência do assunto para o Congresso Nacional.

Guerreiro eterno

Bisneto do general Gregorio Thaumaturgo Azevedo, pioneiro no Acre e defensor dos povos indígenas, Edgar Duvivier começou a esculpir a estátua do cacique Benki Pyako, que ganhou o Prêmio Equatorial 2017, da ONU, no projeto Guerreiros da Paz.

Pepe in Rio

Pepe Mujica desembarca no Rio de Janeiro em dezembro para propor a criação do Fórum Permanente pela Paz na América Latina, garantiu aos amigos Saturnino Braga e Rosa Freyre de Aguiar. O ex-presidente do Uruguai deu entrevista para a revista do Centro Celso Furtado.

Site do TSE

A assessoria informa que o Portal do TSE ficou ‘fora do ar’ no domingo para a realização de testes da Usina Fotovoltaica, que vai gerar energia solar para o tribunal.

Ponto Final

A imprensa e o Governo tratam o caso da creche de Janaúba (MG) como tragédia. Não foi. Foi atentado, foi terrorismo. Se ocorresse em outro país, assim seria chamado pela mídia brasileira.

16 de outubro de 2017

Chave do cadeado

Poder, Política e Mercado

Chave do cadeado

O Supremo Tribunal Federal está a um passo de contrariar novamente os anseios populares diante da crise de credibilidade política e da própria Justiça: A decretação de prisão de condenados, após decisão de segunda instância, determinada pela Corte em fevereiro de 2016, poderá ser revista até o primeiro trimestre de 2018. Três ministros – Celso de Mello, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes – em decisões monocráticas suspenderam, nos últimos meses, a prisão de condenados em segunda instância. Há resistências de ministros, mas a ideia de seguir o trio cresce nos bastidores da toga.

Juridiquês

Ações apresentadas pelo PEN e pela OAB pedem a revisão do STF. Alegam que a decisão traz insegurança “ao princípio constitucional da presunção de inocência”.

Rola a roleta

Donos e CEOs de cassinos de Portugal, Espanha e Estados Unidos desembarcam amanhã em Brasília para lobby no Congresso.

Mistério

O portal do Tribunal Superior Eleitoral ficou fora do ar boa parte deste domingo. Até o fechamento da Coluna não havia voltado à ativa.

Palavra do presidente

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), que comandará esta semana a votação do relatório sobre a segunda denúncia contra Michel Temer, classifica como “equivocado” o dispositivo constitucional que determina à Câmara aprovar ou rejeitar a abertura de investigação contra presidentes da República.

Baixa-cabeça

Em áudio obtido pela Coluna, Pacheco afirma: “Acho que não deveria existir (o dispositivo). Havendo indício de autoria, era o caso de o STF, órgão competente, receber ou rejeitar a denúncia. Talvez sobre afastamento, teria que pedir autorização da Câmara, mas não sobre o recebimento da denúncia. Mas o dispositivo existe e nós somos obedientes a ele”.

Só na fé

O TST rejeitou indenização em ação movida por um ex-pastor contra a Igreja Mundial do Poder de Deus em Caicó (RN). Ele trabalhava de 7h às 22h, tinha meta de venda de produtos, mas o tribunal alegou que o trabalho pastoral, via de regra, é voluntário.

Agora é federal

O Superior Tribunal de Justiça puxou na sexta para sua competência os inquéritos sobre a suposta grampolândia do governador Pedro Taques (PSDB), de Mato Grosso.

Turismo indígena

Um grupo de caciques chega a Brasília esta semana e, na bagagem, uma proposta de pedir à Funai uma portaria que autorize parcerias das tribos com não-indios para instalações de pequenos hotéis em terras indígenas, que são terras da União. A Funai já tem portaria recente que autoriza turismo em reservas.

Emissário

Líderes tucanos passaram o fim de semana contabilizando votos para reverter o afastamento do senador Aécio Neves (MG) no plenário do Senado. O mais engajado na é o líder do PSDB, Paulo Bauer (SC), que chegou a pedir apoio – sem sucesso – de parlamentares de oposição e aliados que se dizem “indecisos”.

Seguro nuclear

A Comissão de Segurança Pública vai solicitar ao TCU a realização de auditoria para averiguar os procedimentos de segurança adotados em usinas nucleares no Brasil. Integrante do colegiado, o deputado Delegado Edson Moreira (PR-MG) pondera que a fiscalização “é necessária para garantir a segurança da população”.

BB -

Com o balanço em perigo, o Banco do Brasil tenta se salvar de um rombo deixado pelo Governo Dilma. São cerca de 10 mil os empregados de carreira que aderiram ao programa de demissão voluntária, e mais de mil postos de atendimento fechados. O reposicionamento de clientes para atendimento só online ou por telefone surpreendeu.

Correção

A coluna publicou errado o nome do procurador André Bueno como sendo diretor da Raízen. Pedimos desculpas.

Ponto Final

“Essa insistência em tirar o Lula da corrida presidencial serve para abrir espaço para o Bolsonaro. O Brasil não merece isso”.

Do amigo do peito do petista e ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL)

13 de outubro de 2017

Supremo partidarismo

Poder, Política e Mercado

Supremo partidarismo 

Quatro dos seis ministros do Supremo Tribunal Federal que votaram para que o Congresso Nacional dê o aval em eventuais decisões da Corte de afastamento do mandato têm currículos com fortes ligações partidárias. Marco Aurélio Mello, primo do senador Fernando Collor, foi nomeado para a Corte pelo então presidente nos anos 90. Os ex-advogados do PT e do PSDB, Dias Toffoli e Gilmar Mendes, respectivamente, foram nomeados por Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso; e Alexandre de Moraes foi apadrinhado no Ministério da Justiça e depois na cadeira do STF pelo senador Aécio Neves, o maior interessado no resultado da ação que foi julgada.

Réus

Collor e alguns políticos do PT e PSDB são réus no STF e potenciais alvos de processos na Corte que podem afastá-los dos cargos. 

Tão perto

O ministro Alexandre Moraes não se deu por impedido em nenhuma ação envolvendo o nome de Aécio Neves tanto na Segunda Turma quanto no plenário na quarta-feira.

Gaiatice

Um gaiato boêmio do Congresso dispara que o pior para Aécio não é o afastamento do cargo de senador, e sim não poder sair de casa à noite.

Pesadelo..

Se o leitor considera a condenação no Mensalão do PT o maior pesadelo de Valdemar da Costa Neto, o ‘dono’ do PR, é porque não conhece a ex-mulher dele Maria Christina Mendes Caldeira. A socialite acaba de protocolar nova ação, agora na Justiça do estado de Nevada, EUA, com denúncia de que o ex-deputado mentiu numa ação de divórcio na comarca de Miami, na Flórida, onde eles se digladiam.

..de Valdemar

Aliás, Christina disse para o juiz na comarca de Miami que “quer metade do que é lícito”. Segundo ela, o magistrado perguntou o que era lícito. Ela respondeu que caberá à Justiça americana investigar diante dos documentos que ela vai entregar.

Tô nem aí

Através da assessoria de imprensa, Valdemar informou que não vai se pronunciar. E lembrou que já processou Maria Christina por litigância de má fé.

Hambúrguer voa

Um jato Learjet no pátio do aeroporto de Brasília chamou a atenção de quem passou por lá. Tinha plotagem por todo o aparelho com a marca Madero, a do restaurante.

Blindagem

Comandados pelo relator Carlos Marun (PMDB-MS), chamado de “testa de ferro” de Michel Temer no Congresso, governistas mantêm engavetados os dois requerimentos de convocação do ex-ministro Geddel Vieira Lima na CPMI da JBS.

Cerco

Um dos pedidos de convocação de Geddel é do deputado Rocha, do ‘aliado’ PSDB, partido que comanda quatro ministérios do Governo Temer. O outro pedido de convocação de Geddel foi apresentado pelo deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS).

Privatização

A oposição tenta frear as privatizações do Governo Temer. A deputada Luciana Santos (PCdoB-PE) pede que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, interpele o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, e solicite documentos e estudos sobre a operação de venda do controle acionário da Eletrobras. A Casa faz de surda.

Alô Anvisa!

O tema do uso de agentes de sabor aos cigarros volta à pauta do STF na quinta-feira em um cenário desolador: o cigarro é o produto mais contrabandeado do Brasil. Hoje, quase metade dos cigarros vendidos no país (48%) não segue nenhuma norma sanitária da Anvisa. A agência se foca nos aditivos em lugar do combate aos produtos piratas.

Fumaça paraguaia

O cigarro paraguaio é mais barato justamente por não cumprir uma série de regras como a que obriga o fabricante a recolher tributos para o Governo. Só para se ter uma ideia: hoje no Brasil os impostos representam 80% do valor de um maço de cigarros. A cada maço com 20 cigarros vendidos, 16 vão para o Governo na forma de impostos.

Heróis do Sudeste

Patrocinado pela Taurus, o prêmio de reconhecimento de agentes de segurança pública, Heróis Reais, chegou ao Sudeste e mobilizou mais de 1,2 milhão de pessoas.

Prêmio da PF

A Fenapef vai premiar com R$ 10 mil as melhores reportagens e fotografia sobre segurança pública no 1º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo.

10 de outubro de 2017

Reforma mantém poderio de políticos endinheirados

Poder, Política e Mercado

Reforma mantém poderio de políticos endinheirados

A tímida reforma aprovada na última semana a toque de caixa na Câmara e no Senado e sancionada pelo presidente Michel Temer revelou, novamente, o corporativismo da classe política ao manter regras que privilegiam, por exemplo, candidatos endinheirados. Um dos principais articuladores para a manutenção do autofinanciamento – sem limites – foi o milionário presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) que, em 2010, doou R$ 1,63 milhão em recursos próprios ou de suas empresas para a campanha que o elegeu ao Senado. Em 2014, quando concorreu ao governo do Ceará, Eunício arrecadou das próprias empresas e de doadores – como Odebrecht e JBS – mais de R$ 43 bilhões.

Rei da soja

O senador Blairo Maggi (PP), atualmente ministro da Agricultura, foi o maior financiador da própria campanha que o elegeu ao Senado em 2010, com R$ 782,8 mil.

Relator

Em evidência após a assumir a relatoria da segunda denúncia contra Michel Temer, o deputado tucano Bonifácio de Andrada (MG) também integra a fila de parlamentares endinheirados: doou R$ 813 mil para a própria campanha em 2014.

Distorções

O deputado petista Henrique Fontana (RS) defende que o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (SER) “corrijam o que chama de distorções e vetem o autofinanciamento livre e as altas contribuições de pessoas físicas”.

CAIXA preta

Continua o mistério na Caixa sobre patrocínios para eventos nos últimos anos. A Coluna perguntou e a assessoria se limitou a informar que estão no D.O. Não bastasse a preguiça oficial, a malemolência da mesma resposta se estendeu até ao serviço da Lei de Acesso à Informação.

Basta

Ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, afirma à Coluna que o País vive a crise “mais delicada” de sua história ao defender o pedido de impeachment do presidente Michel Temer apresentado pela entidade em agosto. O advogado, que presidiu a OAB à época do governo Lula, critica as reformas e a venda de estatais empreendidas pelo governo do peemedebista. “É preciso dar um basta”, resume.

Janot

Cezar Britto avalia que o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, exagerou demais na saída do cargo: “Segurou processos e exagerou perdendo a credibilidade que teria se tivesse agido com mais calma - sem muito açodamento”.

Dodge

O ex-presidente da OAB afirma esperar que a sucessora de Janot, Raquel Dodge, “reconheça a importância da defesa das pessoas e acabe com essa lógica que todo mundo é culpado até que se prove o contrário”.

Enxame no finger

Urubus e outros pássaros são passado no risco de operações de voos. Pilotos e passageiros tiveram novo desafio ontem no início da tarde em Cumbica (Guarulhos), por causa de enxame de abelhas na frente de um dos fingers, que atrasou pelo menos um desembarque.

Promoção

Na semana que a Polícia Federal visitou endereços de filhos e enteados do senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do Governo no Senado, o parlamentar foi alçado a mais um posto de referência do partido. Irá suceder o ministro Moreira Franco na presidência do Conselho Curador da Fundação Ulysses Guimarães.

Lava Jato

Investigado na Lava Jato, Romero Jucá preside o PMDB e atua como ministro informal do governo de Michel Temer após ser apeado da chefia do Ministério do Planejamento. Além de Jucá e Moreira, presidiram a Fundação na última década o ministro Eliseu Padilha e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ambos também alvos da Lava Jato.

Barrado

Em agosto, o Ministério Público do DF barrou uma tentativa de Jucá de usar R$ 5 milhões da Fundação Ulysses Guimarães (FUG) para pagar dívidas de campanha do PMDB.

Mal do Brasil

Em qualquer país do mundo a tragédia da creche de Janaúba (MG) seria tratada como atentado terrorista. Em vez disso, as autoridades não apareceram para confortar a família dos pequenos que se foram. O presidente da República se escondeu no Palácio. O governador Pimentel passou por lá. 

Outubro Rosa

Avança na Câmara projeto que estabelece prazo máximo de 30 dias para a realização de exames e início de tratamento de câncer pelo SUS. Proposta segue para avaliação das comissões de Finanças e Constituição e Justiça.

Ponto Final

“Saibam que os que clamam por sua volta (da ditadura) e muitos que a apoiaram terminaram presos e torturados”

Do senador João Capiberibe (PSB-AP)

09 de outubro de 2017

Brasil brilha em Vegas

Poder, Política e Mercado

Brasil brilha em Vegas

Apesar de o jogo ser proibido no Brasil há 76 anos, o país foi protagonista na 17ª edição anual da Global Gaming Expo, realizada semana passada em Las Vegas. Três empresas de brasileiros brilharam:  a Zitro de Johnny Ortiz, a FBM de Rui Francisco e Renato Almeida e a Ortiz Gaming de Alejandro Ortiz. São as três líderes mundiais de vídeo-bingos e vídeo-slots, referências mundiais e com produtos espalhados pelos EUA, Europa e Ásia, com geração de empregos e receitas em vários países após a proibição do setor no Brasil. A pergunta recorrente entre empresários estrangeiros é quando o Brasil vai autorizar os jogos. Na América do Sul só o governo brasileiro proíbe.

Strong

Após o atentado a tiros de domingo passado, a cidade se mobilizou em todo o trade turístico e comércio com o slogan Vegas Strong.

Mas...

Isso não impediu que muitos evitassem Vegas nos últimos dias. Só o hotel Treasure teve 59% de cancelamentos de reservas, segundo brasileiros hóspedes.

Inconstitucional

O presidente da União Nacional dos Servidores das Agências Reguladoras (Unareg), Thiago Botelho, engrossa o coro de críticas ao projeto em tramitação no Senado que prevê a demissão de servidores por “insuficiência de desempenho”.

Acossamentos

Botelho ressalta que a estabilidade dos servidores efetivos das agências é a garantia de que eles “possam exercer suas funções de maneira eficiente, ética e sem temer represálias e acossamentos”.

Exxon & Petrobras

Quem acompanhou de perto a negociação da sociedade entre os americanos da Exxonmobil e Petrobras destaca que houve um termo de confidencialidade na parceria para o leilão em que a petroleira yankee surpreendeu o mercado e entrou com ágio alto nos campos da franja do pré-sal.

Confidencial

Por esse termo a Petrobras teve de abrir informações confidenciais sobre os dados que descobriu nos campos faturados. Daí o grande interesse dos americanos. Foi considerada uma boa parceria.

Expertise

Os yankees entram com dinheiro e a Petrobras com a expertise de ponta na prospecção. A Petrobras não quis comentar.

Manifesto

O Ministério Público Federal se associou a mais de 20 entidades em apoio ao manifesto contra a nova Lei dos Planos de Saúde. O MP vê “retrocesso” na proposta relatada pelo tucano Rogério Marinho (RN).  

Maratona

Depois de mais de 100 palestras Brasil afora, o relator da reforma tributária na Câmara, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), conclui o texto final da proposta que será apresentado nas próximas semanas. A centésima palestra ocorreu em Salvador. O tucano também apresentou o tema nos Estados Unidos e no Uruguai.

Unificação de tributos

O pilar da proposta de Hauly é a unificação de tributos de consumo. O texto também irá propor o fim dos impostos sobre alimentos e medicamentos. “Com o fim da apreciação das propostas sobre a legislação eleitoral e de outras agendas que dominaram esses meses, abre-se uma avenida para que o Congresso possa votar a reforma tributária”, pontua o deputado.  

Reconvocado

Magno Malta (PR-ES), que preside a CPI dos Maus-Tratos no Senado, não gostou da ausência de Gaudêncio Fidélis, curador da polêmica exposição Queermuseu, que pediu habeas corpus ao STF para não depor. O senador reconvocou Fidélis. Ainda não foi definida a data do depoimento.

Aviadoras

Será realizado, no dia 28 de outubro, no auditório da Universidade Anhembi Morumbi (SP), o seminário “Aviadoras, o Reencontro”.

Pioneiras

O evento, patrocinado pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), terá palestras de pioneiras da aviação, que contarão histórias, experiências, dificuldades e conquistas.

Ponto Final

“A censura começa contra a nudez, depois impõe a mudez”

Do senador Cristovam Buarque (PPS-DF) 

06 de outubro de 2017

Austeridade compromete políticas de combate à violação dos direitos humanos

Poder, Política e Mercado

Austeridade econômica compromete políticas de combate à violação dos direitos humanos

A austeridade econômica, com a redução e contingenciamento de recursos, atinge em cheio programas e ações de combate à violação dos direitos humanos no Brasil. É o que mostra amplo relatório produzido pela Plataforma DHESCA no período de abril a setembro de 2017. Nas 128 páginas, são detalhados o “desmonte” da política de agricultura familiar, a violação dos direitos humanos da população afetada pela tríplice epidemia (dengue, chikungunya e zika), o aumento vertiginoso da violência nas favelas cariocas e as violações dos direitos indígenas – além dos ataques à população em situação de rua e em ocupações de moradia.

Violência crescente

O relatório registra a crescente violência no campo e aponta que a “descontinuidade de ações do Executivo demonstra a disposição do Governo Temer em não atender a direitos básicos”.

Sangue no campo

De acordo com o levantamento da Plataforma DHESCA, nos últimos 9 meses, foram registrados 65 assassinatos no campo: “Em 2015, foram 50 assassinatos; sendo que em 2016, foram 61 mortes, ou seja, em um ano houve um crescimento de 22%”.

Genocídio

Sobre violência no Rio de Janeiro, o relatório resume: “Com o agravamento dos dispositivos de violência, militarização e racismo, é possível denominar este padrão de intervenção como uma política de genocídio do povo negro”.

Sem detalhes

Procurada pela Coluna, a Petrobras não entrou em detalhes sobre as tratativas que levaram à parceria com a petrolífera americana ExxonMobil.

Escalados

Além do Palácio do Planalto, os ministérios estão de portas abertas em dias de mutirão por votos para derrubar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados. A pasta das Cidades, comandada pelo tucano Bruno Araújo (PE), é uma das mais acessíveis. Nos últimos sete dias, dez deputados passaram pelo gabinete de Araújo, entre eles Carlos Marun (PMDB-MS), líder da tropa de choque de Temer na Câmara.

Esculhambação

Indagado pelo colega Orlando Silva (PCdoB-SP) como estava a votação em plenário da Câmara, o deputado Sílvio Costa (Avante-PE) resumiu: “Não sei; tá uma esculhambação”.

Mantra

O senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE) recorreu ao mantra dos políticos ao comentar a aprovação da reforma política: “Não é ideal, mas trará avanços”.

Contra Trump

Ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, taxa como “gravíssimas” as ameaças de Trump de intervenção na Venezuela: “Isso é gravíssimo, porque traz de volta a doutrina Monroe (A América para os americanos)”.

Dilma recusa convite mineiro

Apesar da pressão e da pesada campanha nas redes sociais de deputados e militantes mineiros, a ex-presidente Dilma Rousseff decidiu manter seu domicílio no Rio Grande do Sul. A petista teria até esta sexta-feira, 7, para migrar e concorrer às eleições de 2018 pelo Estado governado pelo amigo Fernando Pimentel.

Reprovação

É cada vez menos provável a candidatura de Dilma ao Senado em 2018. Além de ter sumido da cena política após o impeachment, recente sondagem da Paraná Pesquisa mostrou que, no Sul, a reprovação à petista chega a 72,1%.


Na berlinda

O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) se prepara para deixar definitivamente a presidência do partido se o STF decidir mantê-lo afastado do mandato na próxima semana.

Preservativos

Casas noturnas terão que a distribuir preservativos e folhetos informativos sobre doenças sexualmente transmissíveis, em especial a Aids. É o que prevê projeto aprovado na Comissão de Seguridade da Câmara.

Nota 10

A estudante Bruna Neri Cardoso Brandão, do Colégio Militar Dom Pedro II, de Brasília, foi a vencedora do concurso de redação do projeto Jovem Senador 2017.  

Ponto Final

“Acredito que não só o produtor rural, mas todo cidadão de bem tem que ter o direito de ter uma arma para defender sua família”

Do deputado da ‘bancada da bala’ Alberto Fraga (DEM-DF) 

05 de outubro de 2017

Em duelo entre brasileiros, Bruno Soares derrota Demoliner

. Após pouco mais de um hora de partida, a dupla favorita do confronto, formada por Jamie Murray e Soares derrotou Marcus Daniell e Demoliner por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4.

Na madrugada desta quinta-feira, os brasileiros Bruno Soares e Marcelo Demoliner se juntaram às suas respectivas duplas e duelaram em busca da vaga na semifinal do ATP de Tóquio. Após pouco mais de um hora de partida, a dupla favorita do confronto, formada por Jamie Murray e Soares derrotou Marcus Daniell e Demoliner por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4.

O amplo domínio da dupla cabeça de chave número dois do torneio ficou presente em toda partida. Fechando os game sem que sacavam com facilidade, Murray e Soares dificultaram muito a vida dos adversários buscando uma quebra de serviço.  O esforço foi recompensado no sexto game da partida, quando conseguiram a primeira vantagem no placar. Se aproveitando da dianteira no placar, a dupla fechou o primeiro set em 6/3.

No segundo set, a vantagem em favor da dupla formada pelo brasileiro e inglês foi construída ainda mais cedo. Logo no terceiro set, Murray e Soares conseguiram quebrar o saque de Marcus Daniell e Demoliner e abrir 2/1 no placar. Jogando de maneira confortável e sem dar chances a uma resposta da dupla adversária, os favoritos fecharam a partida com um 2 sets a 0, após um 6/4.

Na próxima fase, Murry e Soares encaram o experiente canadense Daniel Nestor e o britânico Dominic Inglot, que eliminaram o austríaco Dominic Thiem e o argentino Diego Schwartzman por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-3.

Fuga de filiados atesta crise dos partidos a um ano das eleições

Poder, Política e Mercado

Fuga de filiados atesta crise dos partidos a um ano das eleições 

Em meio à discussão dos remendos de Reforma Política no Congresso Nacional, os partidos políticos, grandes e nanicos, amarguram redução ou aumento ínfimo de filiados. Os dados atestam a crise de representatividade que as legendas enfrentam a um ano do pleito de 2018. O PMDB, por exemplo, partido do duplamente denunciado presidente Michel Temer e com vários caciques sob flechas da Lava Jato registrou redução, entre janeiro e agosto, de 2.401.067 para 2.399.020 filiados. 

Baixa 

Levantamento feito pela Coluna, com base nos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mostra que o PT também registrou baixa no período: passou de 1.585.746 para 1.581.363 filiados.

Leve alta

Com quatro ministérios e principal aliado do governo de Michel Temer, o PSDB registrou leve alta de filiados, passando de 1.445.991 para 1.449.276.

Psol lidera

O Psol, o Novo e a Rede Sustentabilidade lideram o ranking de filiações no período, conforme números do TSE. 

Extradição

A deputada ítalo-brasileira Renata Bueno afirma que a prisão do ativista Cesare Battisti reforça a necessidade de sua extradição para a Itália, onde foi condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos. O italiano foi detido em Corumbá (MS) quando tentava atravessar a fronteira com a Bolívia. “Foi uma clara tentativa de fuga para escapar de uma extradição iminente”, diz a parlamentar.

Habeas corpus

Há uma semana, a defesa de Battisti apresentou habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para impedir uma possível extradição após o governo italiano pedir, em sigilo, revisão da decisão do ex-presidente Lula que o manteve no Brasil.

Embaixador

O deputado-cantor Sérgio Reis (PRB-SP) recebeu o título de embaixador da Frente Parlamentar de Prevenção e Tratamento do Câncer.

Tocando em frente

Após a homenagem durante audiência na Câmara, Sérgio Reis entoou a canção “Seguindo em frente” (Ando devagar / Porque já tive pressa), do amigo Almir Sater.

Limite

O deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) não esconde a irritação com a intensa  pressão do partido para que deixe a relatoria da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Ainda não

Corre nos bastidores informação de que Andrada cogita até deixar o ninho tucano – resignado, claro – e migrar para o PMDB. O parlamentar e a assessoria negam a boataria.

Vazamentos

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS terá relatoria específica para investigar o vazamento de investigações sigilosas. O trabalho ficará a cargo do deputado Wadih Damous (PT-RJ).

Vendas

O fim do sinal analógico de TV ajudou nas vendas das lojas varejistas. Só as Lojas Americanas registrou, no estado do Espírito Santo, um crescimento de 130% nas suas vendas de televisão.

Ponto Final

“Não é hora de partidarismo, populismo barato e ideologia de camiseta”,

  Do senador Roberto Rocha, que migrou do PSB para o PSDB

03 de outubro de 2017

CPMI aguarda dados telefônicos dos envolvidos no escândalo JBS

Poder, Política e Mercado

CPMI aguarda dados telefônicos dos envolvidos no escândalo JBS

Expira na sexta-feira, 6, o prazo para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) remeter à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito a transferência dos sigilos telefônicos do empresário-presidiário Joesley Batista e de outros envolvidos no escândalos da JBS: o ex-procurador da Lava Jato Marcelo Miller, o advogado e delator Francisco de Assis e Silva e do ex-braço direito de Joesley, Ricardo Saud. De acordo com os ofícios encaminhados pelo presidente da CPMI, Ataídes Oliveira (PSDB-TO), as operadoras terão que informar todos os dados “do período entre 1° de janeiro de 2015 e 26 de setembro de 2017”.

Aparelho funcional

A CPMI solicitou a quebra do sigilo telefônico do aparelho funcional utilizado por Marcelo Miller enquanto despachava na Procuradoria-Geral da República.

Sigilo bancário

A comissão também espera receber, ainda nessa semana, da Microsoft e do Banco Central, a transferência do sigilo bancário e dos e-mails enviados e recebidos no endereço eletrônico marcellomiller@hotmail.com.

Pós-pressão

Depois da pressão do Ministério Público Federal, os honorários advocatícios pagos a servidores federais passaram, enfim, a ser divulgados no portal da Transparência do Governo Federal.

Desatualizados

Até o momento, no entanto, só estão disponíveis dados a partir de abril deste ano.

Indignação irônica

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) ficou indignado com a divulgação de um falso áudio, atribuído a ele, em defesa da intervenção militar. “Na próxima campanha eleitoral vai levar a melhor quem souber desmentir boatos e não expor idéias”, pontua o senador antes de ironizar: “Minha maior surpresa foi receber parabéns por defender a ditadura militar”.

Fila partidária

Dos 68 partidos em formação no Brasil, dois aguardam julgamento do TSE: o Igualdade e o Muda Brasil. Este criado pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no escândalo do mensalão.

Grita

O deputado petista Paulo Pimenta (RS) afirma que não são coincidências e “sim evidências de que há um rearranjo dentro do Poder Judiciário contra Lula”.

Lástima

Em carta aos militantes, o instituto tucano Teotônio Vilela classifica como “lástima” a liderança do ex-presidente Lula nas pesquisas.

Revoga reforma

As centrais sindicais (CTB, CUT, UGT, Força Sindical, Nova Central e CSB) agendaram para o dia 10 de novembro paralisação nacional contra o que chamam de “retrocessos do governo golpista”. Antes, no dia 8, os sindicalistas vão entregar a parlamentares o abaixo-assinado que pede a revogação da reforma trabalhista. 

Vai ter luta

De acordo com o secretário-geral da CTB, Wagner Gomes, as centrais pretendem repetir o movimento do dia 28 de abril. “Vai ter luta e o movimento sindical não ficará parado diante de tantos ataques", afirma.


Gás mineiro

Para o presidente da Gasmig, Pedro Magalhães, a economia de Minas Gerais está ritmo de crescimento. Ampara-se na alta do consumo de gás industrial no Estado em 30%.

PIB capixaba

A Reunião Empresarial em Vitória reuniu 70 empresários para discutir Eleição 2018 : o antes e o depois. O grupo de CEOs e grandes empresários capixabas, que se reúne bimestralmente, é comandado pelo consultor Clóvis Vieira, da Vieira & Rosenberg Associados.

Errata

Gabriel Chalita será candidato ao Governo de São Paulo pelo PDT e não pelo PMDB como dito ontem. Ele já foi pupilo de Temer que o lançou à prefeitura anos atrás.

Ponto Final

“É com pesar que vou votar contra a decisão do Supremo, mas não estou agindo em defesa de um senador, e sim a favor da Constituição”

Do senador Lasier Martins (PSD-RS), ao justificar a afronta do Senado à decisão do STF no caso Aécio Neves 

02 de outubro de 2017

Óleo na conta

Poder, Política e Mercado

Óleo na conta

Os governadores dos Estados produtores de Petróleo vão com sede ao pote do Tesouro para cobrarem o repasse de royalties – ou até antecipação, se houver acordo – após o resultado da última rodada de leilão da Agência Nacional de Petróleo há dias. Os R$ 3,6 bilhões que o consórcio Petrobras-ExxonMobil pagou para os campos foram a prova, para os governadores, de que a União está com discurso contraditório sobre receitas e arrecadação. É esse discurso palaciano ‘de crise’ que dificultou o acordo sobre o déficit do Rio de Janeiro e impossibilita novas renegociações de dívidas com outros Estados.

Prospecção

Os governadores não querem fazer nova adesão ao Repetro, o programa de isenção para indústria do petróleo, renovado para até 2040. É hora de arrecadar sobre as petroleiras. 

Sem saldo

É justamente a política de isenção de produtos e indústrias – entre outros fatores como corrupção, em especial – que prejudica há anos as contas dos Estados como o Rio.

Tem óleo

A próxima rodada será no fim do mês e já tem oito grandes petroleiras internacionais interessadas nos lances. Nesta último, a Petrobras-Exxon pagou ágio de 200%.

Abram os olhos

Para o mercado, entre portas, isso é sinal de que a Petrobras tem dados concretos de que descobriu muito petróleo fora do pré-sal, mas não divulgou para evitar assédio político.

Eletrochina

Não há mais dúvida nos gabinetes do setor elétrico: a chinesa State Grid deve comprar a  Eletrobrás na esperada privatização. O presidente da estrangeira tem circulado animado por rodinhas do eixo Rio-São Paulo. A empresa já comanda a construção das linhas de transmissão da usina de Belo Monte para Furnas, em Minas.

Dedo na tomada

Mas há um pavor no mercado, e entre especialistas, e Governo ainda não soube explicar: Como ficará o controle do Operador Nacional do Sistema (NOS) e o comando em Itaipu binacional no caso de os chineses conseguirem o controle da Eletrobrás.

E a soberania?

É o ONS quem, digamos, tem o dedo na tomada para dar ou tirar luz do maior sistema interligado do mundo, que é o do Brasil. Pergunta-se na praça: E a soberania nacional, como fica?  O Ministério de Minas e Energia jura que a União cuidará disso.

Em campanha

Presidente da Central dos Sindicatos do Brasil, Antônio Neto, amigo de Michel Temer que acaba de sair do PMDB, será candidato ao senado pelo PDT de São Paulo.

Chalita

Michel Temer decidiu em reuniões em SP. Gabriel Chalita será candidato ao Governo de São Paulo pelo PMDB. Temer o apadrinhou na disputa para a prefeitura anos atrás.

Haja fé

Pré-candidato em mais evidente campanha para o Palácio do Planalto em 2018, Ciro Gomes deve aparecer ao lado de Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, na procissão do Sírio de Nazaré em Belém na próxima sexta-feira.

Do peito

O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), relator da segunda denúncia da PGR contra Temer, expressa abertamente que não “vê nenhum crime” no encontro entre Temer e o hoje presidiário Joesley Batista no Palácio do Jaburu.

Do peito 2

“O presidente da República, como qualquer outra autoridade, pode receber quem quiser e a hora que for. É um direito nosso”, afirmou na CCJ, à época da primeira denúncia, ao criticar o parecer do deputado Sérgio Zveiter (RJ) favorável à de investigação.

Toga quente

Ma estar no STF o voto do ministro Alexandre de Moraes, ex-PSDB, contra o afastamento de Aécio Neves. O senador foi o padrinho que alçou Moraes ao Ministério da Justiça e à cadeira no STF. Esperava-se que Moraes se declarasse “impedido”.

Ex-amigos

De Renan Calheiros, mirando Temer, sobre a pendenga STF x Senado sobre Aécio Neves: “Isso se deve ao Governo deslegitimado, reprovado por 77% da população”.

Óleo na conta

Poder, Política e Mercado

Óleo na conta

Os governadores dos Estados produtores de Petróleo vão com sede ao pote do Tesouro para cobrarem o repasse de royalties – ou até antecipação, se houver acordo – após o resultado da última rodada de leilão da Agência Nacional de Petróleo há dias. Os R$ 3,6 bilhões que o consórcio Petrobras-ExxonMobil pagou para os campos foram a prova, para os governadores, de que a União está com discurso contraditório sobre receitas e arrecadação. É esse discurso palaciano ‘de crise’ que dificultou o acordo sobre o déficit do Rio de Janeiro e impossibilita novas renegociações de dívidas com outros Estados.

Prospecção

Os governadores não querem fazer nova adesão ao Repetro, o programa de isenção para indústria do petróleo, renovado para até 2040. É hora de arrecadar sobre as petroleiras. 

Sem saldo

É justamente a política de isenção de produtos e indústrias – entre outros fatores como corrupção, em especial – que prejudica há anos as contas dos Estados como o Rio.

Tem óleo

A próxima rodada será no fim do mês e já tem oito grandes petroleiras internacionais interessadas nos lances. Nesta último, a Petrobras-Exxon pagou ágio de 200%.

Abram os olhos

Para o mercado, entre portas, isso é sinal de que a Petrobras tem dados concretos de que descobriu muito petróleo fora do pré-sal, mas não divulgou para evitar assédio político.

Eletrochina

Não há mais dúvida nos gabinetes do setor elétrico: a chinesa State Grid deve comprar a  Eletrobrás na esperada privatização. O presidente da estrangeira tem circulado animado por rodinhas do eixo Rio-São Paulo. A empresa já comanda a construção das linhas de transmissão da usina de Belo Monte para Furnas, em Minas.

Dedo na tomada

Mas há um pavor no mercado, e entre especialistas, e Governo ainda não soube explicar: Como ficará o controle do Operador Nacional do Sistema (NOS) e o comando em Itaipu binacional no caso de os chineses conseguirem o controle da Eletrobrás.

E a soberania?

É o ONS quem, digamos, tem o dedo na tomada para dar ou tirar luz do maior sistema interligado do mundo, que é o do Brasil. Pergunta-se na praça: E a soberania nacional, como fica?  O Ministério de Minas e Energia jura que a União cuidará disso.

Em campanha

Presidente da Central dos Sindicatos do Brasil, Antônio Neto, amigo de Michel Temer que acaba de sair do PMDB, será candidato ao senado pelo PDT de São Paulo.

Chalita

Michel Temer decidiu em reuniões em SP. Gabriel Chalita será candidato ao Governo de São Paulo pelo PMDB. Temer o apadrinhou na disputa para a prefeitura anos atrás.

Haja fé

Pré-candidato em mais evidente campanha para o Palácio do Planalto em 2018, Ciro Gomes deve aparecer ao lado de Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, na procissão do Sírio de Nazaré em Belém na próxima sexta-feira.

Do peito

O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), relator da segunda denúncia da PGR contra Temer, expressa abertamente que não “vê nenhum crime” no encontro entre Temer e o hoje presidiário Joesley Batista no Palácio do Jaburu.

Do peito 2

“O presidente da República, como qualquer outra autoridade, pode receber quem quiser e a hora que for. É um direito nosso”, afirmou na CCJ, à época da primeira denúncia, ao criticar o parecer do deputado Sérgio Zveiter (RJ) favorável à de investigação.

Toga quente

Ma estar no STF o voto do ministro Alexandre de Moraes, ex-PSDB, contra o afastamento de Aécio Neves. O senador foi o padrinho que alçou Moraes ao Ministério da Justiça e à cadeira no STF. Esperava-se que Moraes se declarasse “impedido”.

Ex-amigos

De Renan Calheiros, mirando Temer, sobre a pendenga STF x Senado sobre Aécio Neves: “Isso se deve ao Governo deslegitimado, reprovado por 77% da população”.

29 de setembro de 2017

Cartas à mesa

Poder, Política e Mercado

Cartas à mesa

Quatro multinacionais estão de olho na concessão da Lotex, a loteria instantânea da Caixa criada em 2015, cuja operação o Governo vai vender. A britânica IGT, a grega Intralot e americana Scientific Games já têm representantes em Brasília. A canadense Pollard Banknote ainda estuda o setor. A concessão será por 25 anos, o lance inicial é de R$ 1 bilhão (muito baixo) e a empresa vencedora terá exclusividade no território nacional para vender as ‘raspadinhas’. Isso quebra as loterias estaduais. Os Governos do Rio de Janeiro e Piauí já acionaram o STF, mas o risco de judicialização do processo não assusta os investidores.

Cota social

Os Estados justificam que parte da arrecadação vai para programas sociais. Espertos, os investidores estrangeiros devem lançar mão desse discurso para ajudar entidades.

Confusão jurídica

O Artigo 28 da lei que criou a Lotex fala em ‘meio virtual’ de aposta. Isso abriu brecha para especulação de que a vencedora poderá operar caça-níqueis. Não pode.

Máquina leitora

O que uma das empresas pretende fazer, se vencer a licitação, é instalar em comércios máquinas leitoras de códigos de barra ou QR code das raspadinhas vendidas.

Número$

O Governo Federal arrecadou cerca de R$ 13 bilhões com loterias ano passado – com repasses sociais de R$ 6 bilhões, levantou o BNL-Boletim de Notícias Lotéricas.

Grande aposta

Sabem quem ajudou a criar a Lotex na Caixa em 2015? Geddel Vieira Lima, Moreira Franco (ex-vice-presidente de Loterias) e com apoio moral do deputado Eduardo Cunha.

Abraço..

Não é coincidência a escolha do deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG), um Aecista de carteirinha, como relator da denúncia contra o presidente Michel Temer, e o adiamento para semana que vem no Senado sobre o futuro de Aécio Neves.

..dos afogados

Muita negociação, gritos em telefones e socos na mesa vão acontecer no fim de semana entre gabinetes e telefonemas. É uma operação casada, de salvamento conjunto. Aécio precisa do PMDB e Temer do PSDB nos votos nos plenários do Senado e Câmara.  

Jaboticaba na pauta

Para parte dos senadores – aqueles longe dos rolos judiciais – a operação no Senado para invalidar a decisão do STF ficou clara: é uma tentativa de legislar sobre tema penal, o que não cabe à Casa. Neste caso, Aécio deveria recorrer ao pleno do STF, mas a patota dos enrolados no Senado não quer abrir precedente e derrubar logo a punição.

Consórcio

O Rede e o Podemos devem recorrer à Justiça, a depender do que o plenário do Senado decidir sobre Aécio, na terça. É o que aponta o senador Randolfe (Rede-AP) à Coluna: “já convidei o senador Álvaro Dias e não descartamos uma ação no STF”.

Oi, colega

Mensageiro da segunda denúncia entregue ao presidente Temer, o primeiro-secretário da Câmara, Fernando Giacobo (PR-PR), teve seu nome envolvido na lista da JBS.

Leilão

Os advogados de Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral, tentam impedir os leilões de seus bens e miram o leiloeiro Renato Guedes. A defesa critica o fato de o anúncio citar que a casa de Mangaratiba será vendida com “porteira fechada”, ou seja, com os bens dentro do imóvel, como é praxe em alguns leilões.

Coturno lustrado

O governador paulista já tem encrenca no caminho na tentativa de disputar o Planalto. O deputado Major Olímpio (SDD-SP), solta o verbo: “Quero mostrar para o Brasil quem é Alckmin e acabar com a vida política dele”.

Ao leitor

A Coluna estreou nos jornais Hoje Cidade, de Sete Lagoas (MG), e O Norte, de Montes Claros (MG), que entram na rede Esplanada, hoje com 32 veículos em 24 Estados.

Ponto Final

“Há o abismo jurídico enorme que fica, caso não se cumpra a decisão do Supremo”

Do senador Randolfe, sobre o caso Aécio Neves  

25 de setembro de 2017

Os índices de Meirelles

Poder, Política e Mercado

Os índices de Meirelles

Cotado como nome do PSD na corrida presidencial, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, aparece com alta rejeição na sondagem da Paraná Pesquisas. A pesquisa encomendada pela Coluna mostra que 41,1% dos entrevistados responderam que “não votaria nele de jeito nenhum”. Apenas 2,4% “com certeza votaria nele para presidente do Brasil” e 12,3% responderam que “poderia votar nele para presidente”. O que à primeira vista conota mais um pré-candidato no limbo, pode alavancar a candidatura do executivo: Meirelles teria, hoje, até 14% de intenção – somados os que votam nele e que poderiam votar – e conta com a menor rejeição entre os presidenciáveis. 

No muro

A despeito da rejeição, a pesquisa indicou que é alto também o número de indecisos e dos que responderam que “ainda é cedo para opinar”, índice que chega a 44,2%.

Turma do diploma

Vem dos entrevistados com ensino superior a segunda maior rejeição ao ministro: 40,8% (e 3,5% votariam nele com certeza; 19,9% disseram que poderiam votar).

Turma do trabalho

No recorte perfil econômico, 42,8% dos entrevistados com ocupação no mercado não votaria nele de jeito nenhum, 11,9% poderiam votar e 2,6% com certeza votariam.

Rejeições ..

Pela recente pesquisa CNT, surgem altas rejeições para Aécio (69,5%), Ciro (54,8%), Alckmin (52,3%), Bolsonaro (45,4%), Dória (42,9%), Lula (50,5%) e Marina (51,5%).

.. e reprovações

Pelo Instituto Ipsos, divulgado ontem, Bolsonaro tem 63% de reprovação; Lula conta com 59%; Dória tem 58% e Alckmin aparece com estupendos 75% de rejeição.

Radiografia

A Paraná entrevistou online 2.176 brasileiros das cinco regiões do País entre os dias 19 e 22 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais. Veja mais no site.

Fotografia do momento

A alta rejeição pode estar ligada ao fato de Meirelles ser um dos principais ministros do Governo de Michel Temer (81,3% de rejeição, segundo a Paraná), um dos mais impopulares que o País já teve. E por que Meirelles foi CEO mundial da holding J&F, dos irmãos Wesley e Joesley Batista, com as imagens muito desgastadas. Embora o ministro não tenha nenhum vínculo com as denúncias na Justiça contra a dupla.

Furacão levou

Autoridades brasileiras estranham a dificuldade de a Interpol localizar Arthur César de Menezes Soares, o ‘rei Arthur’, alvo da Lava Jato no Rio de Janeiro. Ele não voltou para casa em Miami. Apesar de citado como na lista vermelha da Interpol, até ontem seu nome não aparecia na lista “Wanted Persons” do portal da polícia internacional.

Cadê o saldo?

Há uma artilharia preparada na CPI da JBS-BNDES para cercar o Banco Original, criado pelos irmãos Batista da JBS em 2011 no Governo Dilma Rousseff.

O problema..

Cigarros contrabandeados do Paraguai, como Eight e Gift, da família Cartes (sim, a do presidente do país), além de serem líderes de mercado no Brasil estão financiando o crime e o tráfico de armas, apontam investigações. As informações, pasmem, vêm do Judiciário e da polícia dos Estados Unidos e Israel.

.. e solução

Especialistas acreditam que somente uma força-tarefa da Receita Federal (com aumento de impostos sobre cigarros paraguaios), PF, Polícia Rodoviária, MPF em parceria com o Mercosul pode cercar a lavagem de dinheiro, pirataria e contrabando na fronteira.

Prévia

O secretário de Urbanismo da prefeitura do Rio, Indio da Costa, tem consultado especialistas sobre segurança. Conversou com a elite do Mossad em visita a Israel – que manda para cá um grupo do serviço secreto em novembro. Indio é pré-candidato ao Governo do Estado.

Porrada em BH

Minas vai receber no sábado a edição de 14 anos do Jungle Fight 92, maior evento de MMA latino. Três cinturões em jogo no ginásio do Mineirinho. ‘Três Dedos’, ‘The Talent’, ‘Cabocão’ e ‘Parrudo’ no ringue. Pelo escrete, imagine-se o que vem aí.

Lamparina baiana

A Coelba, companhia de energia da Bahia, tem deixado gente no escuro no litoral sul. Cliente de Itaporanga, comunidade carente, reclama que há duas semanas, com a casa alugada, espera a ligação de energia. A companhia jura que vai aparecer hoje.

C-se!

O Prêmio Comunique-se anuncia amanhã, com transmissão ao vivo às 20h ( link http://bit.ly/2ynP7hK) os 28 jornalistas agraciados deste ano. 

22 de setembro de 2017

Toga quente

Poder, Política e Mercado

Toga quente

O enredo mais tenso em investigação, num inquérito sigiloso, vem de uma gravação de Joesley Batista com uma advogada, na qual é citada tentativa de aproximação com um juiz federal para ajuda ao grupo empresarial, patrocínios a um instituto ligado a dois magistrados e promessas de influência. O script verbal leva todos os envolvidos à lona.

Lula blindado

Na primeira reunião de trabalho, a CPI mista da JBS convidou Rodrigo Janot (que não vai aparecer), convocou os irmãos Batista e blindou Lula da Silva (como antecipamos).

PMDB no MP

Luiz Fernando Vieira de Mello Filho, ex-secretário-geral do Senado aprovado para cadeira no Conselho Nacional do Ministério Público, é apadrinhado de Renan Calheiros

Desce a cortina

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) resumiu a Ópera brasileira: “Quando o ministro da Fazenda pede orações pela economia é... que está tudo bem mesmo”.

Janot ironizado..

Apareceu um banner gigante num poste em frente ao Anexo IV da Câmara Federal com a foto do ex-PGR Rodrigo Janot e o advogado de Joesley Batista, Pierpaolo Bottini, aquela imagem polêmica de ambos no fundo de um bar. Com a frase: “E agora, Janot, deu bambú? (sic)”. Banner flagrado pela Coluna. Veja nas nossas redes sociais.

.. e Meirelles hostilizado

A patrulha partidária está ativa em Nova York. Sob gritos de ‘golpista’, e frases como ‘está vendendo o Brasil’, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, caminhou por calçada do Pierre Hotel até entrar num táxi, escoltado por dois seguranças, após se reunir com investidores para falar das privatizações. Vídeo em nosso canal no Youtube.

Poder pernambucano  

Irmão do senador Armando Monteiro, o empresário Eduardo Queiroz Monteiro reunirá os ministros Mendonça Filho (Educação), Fernando Bezerra Filho (Minas e Energia), Bruno Araújo (Cidades) e governadores na segunda, no Fórum Nordeste 2017 no Recife, com o tema biocombustíveis.

À flor da pele

O vice-líder do Governo, deputado Beto Mansur (PRB-SP), sugeriu a Rodrigo Maia um sal de frutas para acalmar a relação com o presidente Michel Temer.

INSS digital

O novo portal do www.inss.gov.br prioriza links esparsos e de fácil acesso, como ‘Calcule sua contribuição’, ‘Agende seu atendimento’ e ‘Simule sua aposentadoria’.

Mão invisível 

Não é segredo nos gabinetes políticos que a nova chefe do MPF, Raquel Dodge, embora tenha ficado em segundo lugar na lista tríplice entregue a Michel Temer, foi a escolhida graças à “mão invisível” de caciques do PMDB como o ex-presidente José Sarney.

Entre paredes

Quem frequenta as palestras quinzenais da Loja Maçônica Grande Oriente, em Brasília, afirma que são “habituais” as declarações polêmicas como a do general do Exército Antonio Hamilton Martins Mourão em defesa da intervenção militar.

Cachimbo da paz

O presidente da Funai, Franklimberg Ribeiro, vai a Charrua (RS) hoje para mediar conflito entre indígenas e posseiros em terras federais, que já resultou na morte de uma pessoa. “Situação fugiu do controle”, diz o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS).

Mistério do atleta

Há algo misterioso na Câmara Distrital do DF. Deputados se perguntam como pode Manoel Carneiro de Mendonça Neto, aposentado por incapacidade laboral, invalidez e transtornos depressivos, ser um dos principais coordenadores do deputado Alírio Neto, pré-candidato ao Governo do DF. E trabalhar ativamente como um atleta.

Ponto Final

“General Mourão, precisamos mostrar que a saída do Brasil passa
pelas urnas e não pelas armas”

Do senador Cristovam Buarque (PPS-DF) 

15 de setembro de 2017

Giroflex ligado

Poder, Política e Mercado

Giroflex ligado 
O presidente Michel Temer está com a caneta nas mãos para nomear Fernando Segóvia o novo diretor da Polícia Federal. Ele já foi superintendente da PF no Maranhão, tem perfil agregador e – sem demérito – é um nome que agrada à classe política, apadrinhado por José Sarney e pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim. No Governo ventila-se o nome do delegado Rogério Galloro como favorito da classe. Mas Temer já mandou avisar às categorias que quem decide é o inquilino do Palácio. O novo diretor deve assumir até fim de outubro, conforme antecipou a coluna dia 29 de agosto. 
Segura aí! 
O diretor-geral Leandro Daiello está de férias. Quem segura a barra neste cenário tenso é Galloro, que almoçou com o DG e Torquato há duas semanas para receber instruções. 
Especulação 
A foto do almoço de Galloro, Torquato e Daiello foi ‘vazada’ pela assessoria de um gabinete na Esplanada. Propositalmente, para gerar especulações. 
Mito ou verdade 
Jair Bolsonaro leva multidões às livrarias com o seu “Bolsonaro, Mito ou Verdade”, de autoria do filho Flávio. Passou por BH. No Rio, autografou 1.200 exemplares. 
Tensão total 
Que não se assuste o leitor se a nova Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, denunciar Rodrigo Janot por suspeitas no caso Marcelo Miller. Ao contrário dos ex-PGRs, Janot não vai se aposentar, e vai se manter como subprocurador no MPF, com foro no Superior Tribunal de Justiça. Isso causou estranheza nos colegas. 
Ela voltou 
A delegada Erika Marena, que deu nome à Lava Jato e foi uma das principais chefes da força-tarefa, reapareceu na praça. Foi dela o comando da Operação Ouvidos Moucos, que desbaratou quadrilha acusada de desviar R$ 80 milhões de recursos na UFSC. 
Derrapagem oficial 
Após mais de 30 mortes em dois acidentes similares em estradas do Espírito Santo, cresceu a cobrança pela responsabilidade da ANTT na fiscalização de veículos com cargas de pedras. Há falta de pessoal, duas balanças estão com atividade reduzida – e uma fechada. E deputado estadual já pediu CPI para enquadrar a agência. 
Hein!? 
A OAB suspendeu a carteira de advogado do ex-procurador Marcelo Miller, sem qualquer indiciamento contra ele. A mesma Ordem demorou 4 anos para cassar o registro de José Dirceu, que já estava condenado no mensalão. 
Maluf 
Eleitor encontrou Paulo Maluf, 87 anos, esbanjando saúde, e o veterano confidenciou o segredo: acordar e dormir cedo, amar e ser amado, e pílula de óleo de alho diariamente. 
CAIXA Preta 
Continua o mistério na Caixa, que não quer informar quanto investiu em patrocínios de eventos nos últimos dois anos, nem pela lei de acesso à informação. 
Mercado legal 
O Movimento em Defesa do Mercado Legal Brasileiro, com mais de 70 entidades de setores afetados, decidiu colocar o time em campo para ajudar as cidades a conter o comércio de mercadorias contrabandeadas, falsificadas e pirateadas. Lança hoje, em parceria com a Prefeitura de SP, força-tarefa de combate ao comércio ilegal. 
Tijolo forte 
Sem crise no mercado imobiliário brasileiro – em especial no Centro Oeste. O terceiro edifício mais alto do Brasil subirá em Goiânia. Em Brasília, a construtora PaulOOctavio entrega quatro prédios residenciais este ano. Após homenagear o jornalista Carlos Chagas, no último, abre as portas amanhã do residencial Betty Bettiol. 
Explicações 
Contratado para ajudar o Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis contra fraudes, a banca Dias de Souza, denunciada no MPF, esclarece que “sempre se pautou pela ética e que a admissibilidade da denúncia apresentada contra um dos integrantes aguarda análise pelo Poder Judiciário”. É suspeito de pagar decisões no CADE. 
Nova ‘literatura’ 
A Lojas Americanas registrou, na Bienal do Livro do Rio, 70% mais vendas que na edição de São Paulo em 2016. Destaque para a autobiografia do youtuber Felipe Neto.