• Patrimônio 10/17
  • Unimed
  • assinatura jornal
Boas e novas

Jesus realmente ressuscitou dos mortos?

Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.

12/04/2017 10:28h

Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós (1 Co 5.7)

É impossível falar de Páscoa sem falar de Cristo. Os chocolates podem até aparecer no meio da festa, mas Ele não pode ficar de fora, porque a Bíblia diz que Cristo é a nossa páscoa!

Mas, e se a história acabasse aí? Se Ele tivesse apenas morrido? Teria sido um somente um grande líder religioso? Teria sido apenas um grande influenciador ou um grande homem? Não, na verdade ele teria sido um grande mentiroso, porque Ele mesmo afirmou várias vezes que ressuscitaria, e que seu Reino não é terreno.

Mas, há evidências de que Cristo ressuscitou?

Sim, na própria Bíblia há evidências, de testemunhas oculares que conviveram com Jesus depois da ressurreição. Estas testemunhas tiveram suas vidas transformadas, e até morreram por suas convicções.

Mas não é somente a bíblia quem diz isso. Um número incontável de historiadores e estudiosos pesquisaram sobre o tema. Gary Habermas completou a mais ampla investigação já feita até o momento sobre o que os estudiosos acreditam a respeito da ressurreição de Jesus. Habermas reuniu mais de 1.400 obras dos eruditos mais críticos que falam sobre a ressurreição de Jesus, escritas de 1975 a 2003.

Habermas expõe que todos os estudiosos, independentemente do espectro ideológico – desde ultraliberais, até os conservadores defensores da Bíblia – concordam que os pontos a seguir relacionados a Jesus a ao Cristianismo, são fatos históricos reais:

1.  A morte de Jesus deu-se por meio da crucificação romana

2.  Ele foi sepultado, muito provavelmente, num túmulo particular

3.  Pouco tempo depois, os discípulos ficaram desanimados, tendo perdido a esperança

4.  O túmulo de Jesus foi encontrado vazio pouco tempo depois de seu sepultamento

5.  Os discípulos tiveram experiências que acreditaram ser aparições reais do Jesus ressurreto

6.  Devido a essas experiências, a vida dos discípulos foi totalmente transformada. Depois disso, até mesmo se dispuseram a morrer por sua crença

7.  A proclamação da ressurreição aconteceu logo de início, desde o começo da história da igreja

8.  O testemunho público e a pregação dos discípulos sobre a ressurreição de Jesus aconteceram na cidade de Jerusalém, onde Jesus fora crucificado e sepultado pouco tempo antes

9.  A mensagem do evangelho concentrava-se na pregação da morte e da ressurreição de Jesus

10.  O domingo passou a ser o principal dia de reunião e adoração.

11.  Tiago, irmão de Jesus e cético antes desse evento, converteu-se quando acreditou que também vira o Jesus ressurreto.

12.  Poucos anos depois, Saulo de Tarso (Paulo), que perseguia e matava cristãos, tornou-se cristão devido a uma experiência que ele também acreditou ter sido uma aparição de Jesus ressurreto.

Portanto, o Novo Testamento é verdadeiro. Se a maioria dos estudiosos concorda com os 12 fatos relacionados acima porque as evidências mostram que a história do NT não é uma lenda, uma mentira ou um embelezamento, então sabemos, acima do que se considera dúvida justificável, que os autores do NT registraram com precisão aquilo que viram.

Jesus morreu. Mas não acabou aí! Ele ressuscitou e está vivo!

Paulo, aquele que antes perseguia, disse: “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos. Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.
Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem.
(1 Coríntios 15:17-21). 


Feliz Páscoa para todos! 


Com trechos do livro: "Não tenho fé suficiente para ser ateu" (Norman Geisler e Frank Turek). 

Edição: Pollyana Rocha

Deixe seu comentário